sexta-feira, 14 de maio de 2021

Um campeão competente, fiel às suas ideias e muito justo

Já está disponível a mais recente crónica na Tribuna Expresso, sobre o sucesso desportivo do Sporting de Rúben Amorim na temporada 2020/2021. Há muitas coisas que justificam esse sucesso, e não é preciso esconder que o futebol apresentado nem sempre foi o mais brilhante para se dar mérito ao troféu alcançado.  

3 comentários:

Rui Pedro disse...

Resta a questão se Varandas contratou Rúben Amorim por ter percebido as suas capacidades e ideias, ou se apenas atirou para o ar e por acaso acertou.

Pedro disse...

Grande texto sôr Nuno, como costume.

Sei que não gostas muito de abordar as questões emocionais (apesar de as teres mencionado no texto) mas eu tenho a convicção profunda que a ausência de público foi O factor diferenciador desta época. Mais que qualquer outro.
O Sporting beneficiou brutalmente disso enquanto que FCP e SLB foram muito penalizados por isso. E justifico rapidamente: O SCP começa a época envolto nas habituais guerras das claques vs Varandas. Amorim era o lampião muito caro. Com público nas bancadas o jogo com o Gil Vicente em Alvalade tinha sido totalmente diferente, nunca aquela equipa de miudos conseguia dar a volta ao jogo. COm 30 mil nas bancadas e o sporting a perder aos 80 minutos aquilo estava tudo a arder. Com público nas bancadas o jogo a seguir aos 4-1 do LASK seria uma guerra, etc. O não haver público permitiu uma tranquilidade que a equipa do Sporting nunca teve nas ultimas decadas. Pelo contrário, FCP e SLB sentiram muita falta das bancadas, da "protecção" e apoio que as mesmas reconhecidamente dão mesmo nas horas de aperto. E mesmo perante os maus resultados a pressão das bancadas tendem a despertar as equipas da letargia que, estando ausentes, tiveram espaço para se instalar.
Outro clube que muito sentiu a ausência do publico foi o Liverpool, por exemplo.

Mas, depois de garantida essa tranquilidade, o Sporting foi um justo vencedor. Não perdeu nenhum jogo relevante e ao ganhar em Braga, da forma que ganhou, mereceu totalmente o título.

Jogo jogado nunca me convenceu. Terá sido o menos mau dos três. Mantenho a ideia que ao longo do campeonato a equipa que registou melhor qualidade foi o Braga que não merecia ter perdido no Dragão nem em Alvalade. Mas quem não marca, morre como se diz tantas vezes no futebol.

É estranho dizer isto mas acho que todos o entendem que, dada a particularidade desta época, o grande desafio para Amorim será para a próxima época com responsabilidade de defender o titulo e com a carga de fazer seis jogos, pelo menos, na champions. E que dificilmente FCP e SLB estarão tão mal outra vez. Pelo menos os dois ao mesmo tempo.

PS: "menoscabar", estou maravilhado, 44 anos de idade e acabei de aprender uma palavra nova! :)

Nuno disse...

Rui Pedro, é possível que tenha sido um pouco das duas. O Ruben impressionou, em termos de resultados, no Braga. Mas era sempre um tiro no escuro.

Pedro, não gosto de pôr demasiada peso em factores desses. Percebo que isso pudesse ter impacto numa certa altura da época, e que isso poderia produzir um ou dois maus resultados que tirariam a tranquilidade com que a equipa jogou na segunda metade da temporada, mas é difícil de encadear todas essas conjecturas de modo a entender que esse factor, no fim, impedisse o Sporting de ser campeão. Aceito que possa ter tido algum impacto, mas não consigo dizer quanto.