quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Porto invencível?

É praticamente consensual: o Porto teve um arranque de campeonato demolidor e dificilmente será alcançado. Digo "praticamente" porque, como eu, haverá alguns que não pensam assim. Ao contrário da opinião pública, não considero que o Porto tenha arrancado bem e que não possa ser apanhado na classificação. Para muitos, os bons resultados espelham a qualidade do futebol da equipa e a sua superioridade em relação à concorrência. Não acredito em nada disto.

Vamos a factos.

1) Calendário.
O Porto lidera o campeonato, contando 8 vitórias em 8 jogos realizados. Um pleno, é verdade. Mas das 8 equipas da primeira metade da tabela, o Porto só ainda jogou com o Sporting, com o Marítimo e com o Braga, sendo que a única deslocação complicada foi ao Minho. Falta o clássico com o Benfica e tem ainda pela frente tarefas nada fáceis como o Guimarães, o Setúbal e o Belenenses. Tirando essas três vitórias mais complicadas, as outras cinco foram conseguidas contra 5 das últimas 6 equipas da tabela. Se compararmos o calendário da equipa nortenha com o dos rivais, vemos que o Benfica já defrontou o Sporting, o Guimarães, o Braga e o Marítimo, tendo perdido 6 dos 8 pontos com os primeiros três, e que, do fundo da tabela, só ainda defrontou Leiria e Naval. Quanto ao Sporting, mediu forças com Porto, Benfica, Guimarães, Setúbal e Belenenses, 5 dos primeiros 8, tendo perdido 7 dos 9 pontos com estes adversários, e que ainda não jogou com nenhuma das últimas 5 equipas. Como se vê, o calendário do Porto foi até aqui muito mais favorável.

2) Lesões.
Ao contrário do Benfica e do Sporting, o Porto ainda não teve jogadores fundamentais afastados por lesão. Tirando o início do campeonato, em que Lucho ainda não estava nas melhores condições físicas, poucas ou nenhumas adversidades têm abalado a espinha dorsal da equipa comandada por Jesualdo Ferreira. A ausência de Adriano não só não foi notada, como foi bem-vinda, pois permitiu que Lisandro jogasse no meio. Postiga lesionou-se quando já não era opção e Pedro Emanuel não é um jogador determinante. Só o afastamento temporário de Hélton poderá ser considerado como uma ausência de peso. No Benfica, pelo contrário, as lesões têm sido mais que muitas: Nuno Gomes, Cardozo, Nélson, Petit e toda a defesa. No Sporting, Derlei faz muita falta e, apesar de ter sido por pouco tempo, a ausência de Polga também traz consequências nefastas.

3) Taça da Liga.
Tendo saído logo na primeira ronda, os jogadores do Porto não terão acumulado o mesmo esforço que os dos seus rivais. Concentrados internamente apenas numa competição, a equipa está também por isso mais sólida. Psicologicamente, não se afectou com a eliminação às mãos de uma equipa de um escalão inferior, mas também não deu azo a novos descuidos. A saída prematura desta competição foi, pois, benéfica para a equipa de Jesualdo.

4) Liga dos Campeões.
Na Champions, o Porto apanhou o grupo mais fácil dos três grandes. O Marselha, apesar do primeiro lugar, é uma equipa perfeitamente acessível (por sinal, está em apuros no campeonato francês) e não tem a força que o Celtic tem em casa nem o poderio da Roma. Quanto ao Besiktas, parece-me uma equipa bem montada, com algum potencial, mas ainda assim uma equipa de segunda linha. Será talvez mais forte que o Dinamo de Kiev desta época, mas não será superior ao Shaktar. Quanto aos cabeças de série, Milan e Manchester, só por si, são superiores ao Liverpool. Como se não bastasse, a equipa de Benitez tem surpreendido tudo e todos, tendo apenas 1 ponto em 9 possíveis, conquistado precisamente no Dragão. Resulta daqui que o Porto, sem muito esforço, está bem lançado no seu grupo. Sem grandes exibições, ainda não perdeu, tendo inclusivamente controlado o jogo em França e não tendo sofrido muito para empatar em casa diante do Liverpool.

5) Sorte e afins.
Sem o Quaresma decisivo das épocas anteriores, adivinhar-se-iam mais dificuldades para o Porto. Esse, contudo, não tem sido o caso. Que tem, então, ajudado a equipa? Em Braga, Quaresma, nos outros jogos, ora Lisandro, ora Lucho. Os jogos que o Porto não ganhou foram os jogos em que nenhum destes três conseguiu fazer a diferença. Além disto, têm conseguido resultados através de momentos de pura sorte, como na Turquia, depois de um jogo pobre e de uma jogada aos trambolhões, e no último minuto. Depois, 2 vitórias na Liga à custa de erros de arbitragem, uma frente ao Sporting e outra em que a bola enviada para a baliza já tinha estado fora do terreno de jogo.

Como é óbvio, não são apenas estes factores que têm dado pontos à equipa. A estrutura da equipa é sólida, os processos estão bem enraízados nos jogadores e a organização em campo é inexcedível. Mas, tendo faltado qualidade, este conjunto de factores ajuda a explicar este arranque aparentemente implacável. Dir-se-ia que, além de toda a solidez do conjunto, respira-se confiança e tranquilidade no Porto. Pudera... Mas essa confiança, sendo consequência directa dos resultados positivos, é também consequência daquilo de que os resultados são consequência, ou seja, todos estes factores. Sem a pontinha de sorte que já se manifestou em alguns jogos, sem a possibilidade de contar com dois ou três dos habituais titulares, sem um grupo tão acessível na Liga dos Campeões, tendo apanhado equipas mais complicadas no campeonato, estando ainda envolvido na Taça da Liga, só por milagre o Porto de Jesualdo, a jogar com a mesma pobreza que tem feito, continuaria invicto.

Não sei se o Porto ainda será alcançado na classificação, mas parece-me muito prematuro pensar que o não vai ser apenas porque tem estado imbatível. Medindo todos os factores e não acreditando que a sorte que até aqui se manifestou se manterá, será de esperar um abaixamento no rendimento da equipa num futuro próximo. Quando o rendimento começar a ser menor, a confiança inabalável da equipa tenderá naturalmente a descer. E, quando isso acontecer, as restantes equipas terão uma palavra a dizer. Portanto, apesar da diferença de pontos e da aparente invencibilidade da equipa, o Porto ainda tem muito caminho a percorrer e, de acordo com a pouca qualidade do seu futebol e com todos estes factores (sobretudo com o facto de que, a excepção da ida à Luz, terá todas as deslocações dificéis na segunda volta), não está numa posição tão privilegiada como, à partida, se pensa.

13 comentários:

zeist b skool disse...

para aquilatar da diferença de dificuldade dos percursos no campeonato até agora, façam o seguinte exercício : Comecem por dar pontos de dificuldade às equipas, 1º classificado : 16 pts de dificuldade, 16º clas : 1 pt de dificuldade. Depois para os jogos em casa, dividam esses pontos por 2 , para os fora multipliquem por 2. Se o fizerem, verão que o campeonato do FC Porto soma menos de metade dos pontos de dificuldade do Sporting. o Benfica fica a meio caminho.

José Leal disse...

Estou surpreendido com a facilidade com que as pessoas têm feito eleogios a este Porto, e elogios que quase parecem fatalistas.

Parece-me exagerado, tendo em conta que ainda não chegámos a meio da temporada sequer. Para além do que disses-te, temos de lembrar também o modo excepcional como o Porto tem reentrado em competição em Janeiro nos últimos anos.

A verdade é que perdendo na luz, e indo a Alvalade na 2ªjornada da 2ªvolta, já em Janeiro Benfica e Sporting poderão ficar a 2 e 3 pontos respectivamente.

Acresce a isto que esta equipa do Porto, sobre pressão vai abaixo como vimos a época passada.

Acresce ainda que Jesualdo está a usar exaustivamente o principal 11, faltando saber como chegarão a Março na altura das descisões.

No fundo é muito prematuro elogiar tão exaustivamente uma equipa que já perdeu duas competições, vai a meio da qualificação da champions, e e campeonato ainda vai na 8ªjornada.

zeist b skool disse...

esuqeci-me de um passo : peguem no calendário e em cada jogo façam estas contas.

Bruno Pinto disse...

Como adepto do FC Porto, confesso que me dá bastante gozo ler este tipo de análises relativamente ao meu clube...

Sobre o calendário não há muito a dizer. Mesmo que possa ser até o presente momento favorável, a verdade é que a diferença não são 3 nem 4 pontos, são 8 pontos, em 8 jornadas! O FC Porto tem o melhor ataque, a melhor defesa e o melhor goleador, esse é o facto efectivamente relevante...

Sobre as lesões, deve ser o facto de a tal sorte estar sempre do lado dos 'dragões'. E os clubes de Lisboa, coitadinhos, são perseguidos eternamente pelo azar. O que faz com que os campeonatos todos vão parar ao Porto.

Taça da Liga: o que me apetece dizer é que o facto de o FC Porto jogar, regra geral, mais jogos por época que os seus rivais, não o tem impedido de ganhar.

Liga dos Campeões: é engraçado como aqui não se fala em calendário... O Sporting teve um grupo difícil, de facto! Mas comparando então Benfica e FC Porto (mesmo que o grupo dos portistas possa ser ligeiramente mais acesível), os encarnados jogaram dois jogos em casa e o FC Porto apenas um. O Benfica perdeu na Luz com o Shakhtar, o FC Porto ganhou na Turquia e empatou em Marselha ingloriamente, já que justificou amplamente a vitória. Parece-me que há aqui mais qualquer coisa para além do agrupamento... Mas isto sou eu a dizer. Benfica e Sporting falham repetidamente na Champions, ano após ano, seja qual for o grupo que lhes calhe em sorte. Mas deve ser do azar.

Sorte e afins: bem aqui é que se nota a forma como as pessoas olham para o FC Porto, mas eu sinceramente que entendo. Eu coloco-me na posição de adepto de outro clube e percebo que o FC Porto seja odiado, pelo simples facto de ganhar compulsivamente. Ficamos a saber que ter jogadores que resolvem os jogos é sorte. Saber contratar os melhores, saber integrá-los, incutir-lhes o espírito de vitória e identificá-los com o clube, isso não interessa. Afinal, parece que este ano, o FC Porto já não é Quaresmo-dependente... Ele há coisas!! Fala-se na vitória por sorte na Turquia, mas não vejo referências ao azar do empate em Marselha, materializado em 2 bolas no poste e alguns falhanços clamorosos. Critérios...
Quanto às duas vitórias na Liga à custa de erros de arbitragem... Bem, aqui já se começa a notar alguma azia.. Escusada... Frente ao Sporting não houve erro nenhum, Polga teve intenção de endoçar a bola a Stojkovic, mas é um lance com possíveis interpretações distintas. Dependendo da interpretação do árbitro (correcta, na minha óptica), não se pode nunca falar em erro. Depois no jogo em que Bruno Alves cruza já fora do campo para o golo (o FC Porto já estava a ganhar), o mesmo Bruno Alves marcou um golo logo aos 3 minutos, anulado por fora-de-jogo inexistente... Análise descabida portanto, mas que se percebe... E os erros a beneficiar Benfica e Sporting não estão aqui enumerados. Percebo...

Este tipo de argumentos para as vitórias azuis e brancas duram já há imensos anos e no entanto...

Ganhar no FC Porto dá um gozo do caraças!!

João Pedro disse...

Só posso concordar com a apreciação do bruno pinto. Isto é um blog e como tal não tem de reflectir ideias imparciais. Gosto de o ler mas confesso que dou mais importância às apreciações técnico-tácticas do a este tipo de entradas mais de acordo com um António Tadeia/Rui Santos (que os autores tanto abominam!). Os critérios de análise são subjectivos (como se mede a sorte?) e portanto dependem apenas da visão do analista. Deixo apenas dois reparos: será que a classificação das equipas que já jogaram com o Porto não reflecte também o facto de terem sido derrotadas pelos dragões? Quando jogarem com Benfica e Sporting podem já começar a subir na tabela (vide Nacional) e valorizar desta forma a prestação do Porto; além disto, na taça da liga, até à 8ª jornada, as equipas de Lisboa tinham apenas feito mais um jogo. Todos os grandes fizeram alinhar as "segundas linhas" pelo que não terá sido este cansaço que justificou a diferença de andamento no campeonato.
Em suma, como discurso de motivação da equipa do Porto este texto poderá ter algum sucesso, como análise desinteressada é apenas um desfiar de desejos que o autor gostaria de ver realizados...
Ainda assim, continuem com o trabalho de manter um dos melhores blogs de futebol portugueses.

Nuno disse...

Ponto prévio: foi feita a adenda necessária a demonstrar que estes factores, todos juntos, não explicavam a razão do arranque de campeonato. Foi dado mérito à equipa. O que este post pretendia era demonstrar que o Porto não está tão bem como pode parecer. Só isso. Isso não implica que os outros também não estejam mal e não implica, certamente, um desejo em ver o Porto perder o campeonato.

Bruno Pinto diz: "o que me apetece dizer é que o facto de o FC Porto jogar, regra geral, mais jogos por época que os seus rivais, não o tem impedido de ganhar."

Desde o tempo do Mourinho que o Porto não joga mais jogos por época. O ano passado, por exemplo, embora tenham feito mais 2 jogos na Champions, foram eliminados da Taça muito cedo. O Sporting fez mais os jogos da taça; o Benfica fez na Taça e na UEFA. Se calhar, até o Braga fez mais jogos que o Porto.

"Liga dos Campeões: é engraçado como aqui não se fala em calendário..."

Nem era para falar. Falei de grupo mais fácil apenas para justificar os bons resultados do Porto, sem querer compará-los com os do Benfica. Com um grupo fácil como este, o Porto passeia-se sem grande dificuldade, o que dá muita confiança. Num grupo mais complicado, a confiança estaria mais abalada. Só isso.

Quanto ao ter os melhores, o que digo é que têm-nos tido à vez. Quando o Quaresma baixou, apareceu um super-Lisandro. E quando este não resolve, está sempre lá o Lucho.

Quanto ao jogo em França, disse que o Porto controlou o jogo. Mas não foi o massacre que dizes: isso é uma ilusão. Controlou as operações, mas criou pouquíssimas oportunidades de golo. Na primeira parte, os únicos lances de perigo são dois remates de longe. Na segunda, à excepção do golo, há um cabeceamento do Lisandro e a do Postiga, com pouco ângulo para finalizar. Dominou o jogo mas acabou por ter quase tantas oportunidades como o Marselha. Não me parece que tenha sido assim tão boa, a exibição.

Quanto às arbitragens, entende o que quiseres. Mais uma vez, ninguém comparou nada. Só disse que, se não fosse também as arbitragens, não tinham o arranque demolidor que tiveram. Quanto ao lance do Stojkovic, é patético continuar a haver quem ache que aquilo foi intencional. Quem acha isso simplesmente não sabe que uma regra não serve para acumular castigos, mas para evitar certas acções. A regra do atraso foi criada para que os defesas, quando não posse de bola, não queimassem tempo passando-a ao guarda-redes para permanecerem com a posse de bola. Ora, não tendo sido isso que se passou (e isso é evidente), não há argumento nenhum que demonstre que deveria ser marcada falta. E isto está resolvido, para quem quiser entender.

João pedro disse: "será que a classificação das equipas que já jogaram com o Porto não reflecte também o facto de terem sido derrotadas pelos dragões?

Pá, além do Porto, jogaram mais 7 vezes. A menos que acredites que uma derrota com o Porto desmoraliza qualquer equipa, não faz sentido dizer que as classificações menos baixas de certas equipas se devem ao facto de já terem jogado com o Porto. Parece que tou a ver o Paulo Duarte a dizer, quando confrontado com a situação perigosa do Leiria: "Sim, sim, estamos em último, é verdade. Mas como já jogamos com o Porto, a partir de agora vai ser melhor."

Quanto à Taça da Liga, sim, é verdade que ainda não começou a pesar. Mas aquilo que disse foi que tinha sido benéfico, para o Porto, não ter mais uma competição em que se concentrar. E por concentrar entendo tudo, não só o desgaste de mais um jogo: pensar nisso, preparar os treinos de acordo com mais um jogo, ser afectado psicologicamente por mais um possível mau resultado com uma equipa pequena, etc.

O texto não teve por objectivo, como parecem pensar, expressar nenhum desejo íntimo. A intenção do texto foi apenas alertar para uma coisa que me parece evidente e que é o seguinte: embora o arranque imparável, embora a prestação europeia, embora os níveis de confiança da equipa, o Porto tem jogado mal à bola e muita desta boa maré se explica por coisas como o calendário acessível, entre outros. Por isso, apesar da liderança incontestável, ainda nada está resolvido...

Pedro Barata disse...

O Porto vai à frente e as contas fazem-se no fim. No entanto, não considero justo tirar mérito a quem, realmente, e independentemente dos adversários leva oito potnos de vantagem.
Um abraço a todos
www.rola-bola.blogspot.com

José Leal disse...

Mérito nunca se deve tirar!! Um desportista parabeniza sempre aquele que vai à frente.

O Porto merece que lhe dêem mérito, e que elogiem a prestação.

O que não é correcto é embarcar num conjunto de elogios e de ilações que só podem ser efectivamente tiradas mais pro final do campeonato.

Tivemos dois meses e pouco de campeonato, e a verdade é que no final de Dezembro nenhum destes elogios deixem de ser aplicáveis.

Portanto temos de pensar neste Porto como um momento, e não como um facto consumado.

José Leal disse...

"Tivemos dois meses e pouco de campeonato, e a verdade é que no final de Dezembro nenhum destes elogios deixem de ser aplicáveis."

Atrapalhei-me um bocado. Queria dizer: em Dezembro alguns destes elogios até poderão deixar de ser aplicáveis ao Porto.

Gonçalo disse...

bruno por muito que te custe o post do nuno é bastante pertinente. E olha os juizes que tu invocas, as vitórias -"Este tipo de argumentos para as vitórias azuis e brancas duram já há imensos anos e no entanto... "- deram-lhe razão por agora. Ninguem disse que o porto não vai ser campeao, ou que o vai ser. apenas se explicou o seu momento. Para além das aparências. Devias tentar fazer o mesmo em muitas questões futebolisticas.

Bruno Pinto disse...

A mim não me custa nada, até disse que me dava bastante gozo ler este tipo de análises sobre o meu clube. Ele explicou o momento segundo a cabeça dele, eu rebati segundo a minha cabeça. E não disse em nenhum momento que o FC Porto ía ser campeão, não concordei foi com os argumentos descritos, aliás alguns acho-os despropositados. Eu faço aquilo que quero e devo fazer. E tu experimenta aceitar as pessoas que pensam diferente de ti, sem te achares demasiado sábio. Ok?? Fica bem rapaz!

Rui Sá Lemos disse...

Talvez as equipas estejam no fundo porque o FC Porto as derrotou.
O Porto o ano passado perdeu em Braga, em Leiria, em casa com o Sporting e empatou em Paços de Ferreira. Este ano venceu todos estes jogos. Aqui começa a diferença.

Taça da Liga: seguindo as ideias explanadas nas tuas linhas, conclui-se que perder é bom. Nada mais esteriotipado. A competiçao nao tem a capacidade de provocar o desgaste suficiente numa equipa de alto nivel para esta baixar de rendimento.

Gonçalo disse...

Essas tres equipas estão a fazer uma mau campeonato pq perderam com o porto? Ok, leva lá a bicicleta..