domingo, 21 de outubro de 2007

Os mal-amados

Já todos sabemos que o futebol português é pródigo em esbanjar talentos. Não preciso, por isso, de recordar nomes como Diego, Roger, Mostovoi, etc. Hoje em dia, como noutros tempos, há jogadores que, muito injustamente, são mais criticados do que aplaudidos. Para mim, os cinco casos mais gritantes são os que se seguem:

5) Custódio.

Foi o melhor médio-defensivo português a nível posicional desde Paulo Sousa e, nem por isso, lhe guardam saudades os adeptos leoninos. Ocupava os espaços como ninguém; dava apoios perfeitos; jogava sempre, sempre simples, não tentando fazer nada que não fosse para ele; sabia sempre quando travar os contra-ataques adversários em falta. Era correctíssimo e inteligente, embora não fosse extraordinário a nível técnico nem muito agressivo a tentar recuperar a bola. Para a sua posição, antes de Miguel Veloso, não havia ninguém com a sua qualidade. Preferiu-se sempre jogadores com mais sangue, com mais vigor, com mais músculos. E perdeu-se alguém que sabia muito melhor quais os verdadeiros deveres de um médio-defensivo.

4) Hélder Postiga.

Mourinho, quando o seu jovem ponta-de-lança ficou impossibilitado de jogar a final da UEFA, disse dele que não se deveria preocupar, pois teria ainda muitas finais para jogar ao longo da sua promissora carreira. Enganou-se o "Special One" e Postiga não evoluiu enquanto jogador? Definitivamente, não. A opção pelo futebol inglês não terá sido a melhor, pois as suas características são pouco apreciadas por quem aprecia um futebol mais físico, mais intenso e menos pensado. Voltou a Portugal e, melhor que toda a concorrência, acabou por ser afastado da equipa pelo punho ditatorial de Co Adrianse. Voltou no ano seguinte, marcou mais golos que toda a gente e jogou que se fartou. Mesmo assim, não convenceu. Ao fim de algumas jornadas sem marcar, numa altura em que ainda liderava a tabela dos melhores marcadores, fruto de um arranque de campeonato fantástico, começou a ser criticado. Na pré-época, este ano, foi o melhor marcador da equipa. Não deixa de ser estranho que, depois disso, tenha voltado a ser afastado. Muito mais do que os golos que Postiga marca, vale por tudo o que pode dar à equipa. Não reconhecer que não há em Portugal, por esta altura, ninguém melhor que ele para a sua posição é, no mínimo, ingenuidade.

3) Nuno Gomes.

É um pouco como Postiga. É um avançado inteligentíssimo. Sabe que não é muito dotado tecnicamente, que não é forte e que não é rápido. Compensa tudo isso pensando, a cada instante, qual é a melhor opção. Seja a desmarcar-se, seja a adivinhar onde a bola vai cair, seja a tabelar com os colegas, seja a abrir espaços para que outros possam entrar, Nuno Gomes é um avançado como há poucos. É verdade que não é frio na hora de finalizar, que se precipita e falha golos fáceis. Mas também marca outros quase impossíveis e ninguém fala disso. O que é certo é que, muito do bom futebol que o Benfica pratica está ligado às acções de Nuno Gomes. Dizem que é desastrado, que é efeminado, que cai no chão com facilidade, que não vai ao choque. Talvez. Mas as suas decisões são melhores que as da generalidade. E boas decisões é quase tudo em futebol. Ah, e ainda é o melhor marcador em actividade no campeonato e, se tivesse tantos minutos como outros na selecção, estaria a lutar pela posição de melhor marcador de sempre.

2) Pontus Farnerud.

Achar que este sueco não tem qualidade é a melhor ilustração possível da falta de inteligência de quem fala de futebol. O mais parvo é que, embora não hesitem em falar mal dele, se lhes perguntarem que atributos maus tem ele para que não seja bom jogador, não sabem responder. Não é um jogador de choque; não é agressivo; o seu futebol não tem muita intensidade. Tudo isto é verdade. Mas nada disto é importante. Quase não falha um passe. E muitos deles verticais. Compensa defensivamente como poucos; é inteligentíssimo a posicionar-se; circula a bola com toda a segurança do mundo. A qualidade de passe é excelente; as opções, as melhores em cada lance. Dá à equipa um equilíbrio inigualável, gere os ritmos como mais ninguém, mas como não arrisca no um para um, como não faz passes a rasgar, como não disputa os lances como um rapaz esfomeado, acham que ele é mau. Esquecem-se, contudo, que em muitas fases de construção, é muito melhor ter jogadores que passam curto, que são discretos mas cumpridores, etc. Na primeira fase de construção, aquela que lhe compete, é excelente. Não perceber isto não é só estúpido; é criminoso.

1) Nuno Assis.

Falou-se, durante algum tempo, que Portugal não tinha opções válidas para fazer face a possíveis ausências de Deco. Não acreditando que Moutinho ou Hugo Viana façam a mesma posição de Deco, poderia sugerir o nome de Nuno Assis. Muitos se levantariam em fúria. Diriam alarvidades do 25 do Benfica. Não consigo perceber como é que não se gosta de um jogador do talento de Nuno Assis. Não falha um passe; é óptimo a nível técnico; sabe quais as necessidades da equipa em todos os momentos de jogo e conserva a posse de bola ou fá-la girar com tranquilidade. Joga quase sempre curto; não arrisca passes de difícil execução ou que não facilitem a recepção dos colegas. Executa e pensa mais rápido que qualquer outro jogador em Portugal. Faz-me lembrar, e muito, Pablo Aimar, outro mal-amado, mas a nível internacional. Como o argentino, que deveria ser considerado dos maiores astros da actualidade, Nuno Assis deveria ser considerado dos melhores da sua posição. Uma das maiores críticas que lhe poderão fazer é o não arriscar muito. Nem sempre o faz, é certo, embora não o faça porque sabe que a equipa ganha muito mais com outras opções, mas o jogo da Taça da Liga deste Sábado serve para calar toda a gente que lhe teça esta crítica. Nuno Assis assumiu o jogo ofensivo da equipa; driblou adversários, sentando alguns; foi, juntamente com Katsouranis e, a espaços, Di Maria, tudo o que de bom o Benfica construiu. A sério, não percebo e nem sequer aceito que digam que o rapaz é banal.

64 comentários:

Metralha disse...

Nuno, desculpa lá mas ou está tudo cego ou és um visionário.

O sueco não é mau, é horrivel!

Ainda por cima este post depois do jogo com o Fatima.

Cuida-te, não defendas o que é indefensável.

Bruno Pinto disse...

A avaliação de Farnerud é patética. Qual é a tua interpretação de inteligência futebolística afinal? É apenas uma questão de posicionamento e não falhar passes? Isto é ridículo, um jogador de futebol não pode NUNCA reduzir-se a isso. Que equilíbrio dá o sueco ao Sporting?? Ok, está sempre ali bem posicionado, recebe a bola, passa-a numa distância curta e o futebol leonino prossegue. Um médio moderno tem de gerir ritmos, lógico, mas há alturas em que é necessário imprimir mudanças de velocidade, jogar rápido, fazer passes mais longos para aproveitar ataques rápidos, pressionar mais alto. Um jogador pode sim sair da posição, desde que haja um jogo de compensações correcto dos colegas. O futebol é dinâmico, tem que haver movimentação, não é apenas estar na posição os 90 minutos. O Maniche, por exemplo, é tacticamente perfeito. Mas não fica ali plantado. Corre como poucos, pressiona, faz passes arriscados sem quase nunca os falhar, chega à zona de remate, bem buscar jogo atrás, dinamiza a equipa em seu redor. Isto é um médio! O Farnerud é lentíssimo, os bons pés que tem são completamente inúteis para uma equipa como o Sporting.

Actualiza-te Nuno, estás desfazado da realidade do futebol actual. Os teus conceitos de futebol nunca vingariam, nunca. Dos outros quatro que referiste, concordo plenamente, embora o Custódio tivesse perdido o lugar para um jogador infinitamente melhor. O Custódio tinha uma visão periférica (mas correcta) de 10 metros, o Veloso tem de 50 metros, além do pé esquerdo fabuloso...

Bruno Pinto disse...

O futebol não é apenas mecânico... Com médios como o Farnerud, jamais a sua equipa será capaz de descompensar a outra, de lhe provocar desequilíbrios.

Gonçalo disse...

"A avaliação de Farnerud é patética. Qual é a tua interpretação de inteligência futebolística afinal? É apenas uma questão de posicionamento e não falhar passes? Isto é ridículo, um jogador de futebol não pode NUNCA reduzir-se a isso. Que equilíbrio dá o sueco ao Sporting?? Ok, está sempre ali bem posicionado, recebe a bola, passa-a numa distância curta e o futebol leonino prossegue. Um médio moderno tem de gerir ritmos, lógico, mas há alturas em que é necessário imprimir mudanças de velocidade, jogar rápido, fazer passes mais longos para aproveitar ataques rápidos, pressionar mais alto."
primeiro ponto o que te leva a dizer q o sueco não aproveita esses momentos? a diferença é q ele opta por esse tipo de passeem situaçoes que ele tem a certeza q essa é a melhor opção. Segundo ele não é esse jogador que não sai da sua posiçao, reparaste quem é porcurava a primeira fase de construção dos atques leoninos?? farmerud, O paredes é mentira, nem sequer linha de passe proporcionou. este facto veio criar um confito tactico, com o sueco tao recuado, mais por culpa do paraguaio que a isto o obrigava ao não procurar a bola. Dp foi importante varias vezes em termos defensivos, a mais flagrante ao evitar que o extremo do fatima se isolasse frente ao tiago. depois falas que um jogador cm ele nao provoca desiquilibrios na outra. Sim ele pelas suas acções individuais nunca o fara, mas bem enquadrado num colectivo mecanizado, e com automatismos já fara toda a diferença, mas sinceramente nem teria de fazer assim tanta diferença, nem desiquilibrar tanto, pois é importante numa equipa que existam jogadores q proporcionem equilibrios, ou não concordas? uma certeza, com moutinho no mesmo losango, ou veloso q o sueco, este teria feito uma exibição muito mais condizente com a sua qualidade.

Gonçalo disse...

"A avaliação de Farnerud é patética. Qual é a tua interpretação de inteligência futebolística afinal? É apenas uma questão de posicionamento e não falhar passes? Isto é ridículo, um jogador de futebol não pode NUNCA reduzir-se a isso. Que equilíbrio dá o sueco ao Sporting?? Ok, está sempre ali bem posicionado, recebe a bola, passa-a numa distância curta e o futebol leonino prossegue. Um médio moderno tem de gerir ritmos, lógico, mas há alturas em que é necessário imprimir mudanças de velocidade, jogar rápido, fazer passes mais longos para aproveitar ataques rápidos, pressionar mais alto."
primeiro ponto o que te leva a dizer q o sueco não aproveita esses momentos? a diferença é q ele opta por esse tipo de passeem situaçoes que ele tem a certeza q essa é a melhor opção. Segundo ele não é esse jogador que não sai da sua posiçao, reparaste quem é porcurava a primeira fase de construção dos atques leoninos?? farmerud, O paredes é mentira, nem sequer linha de passe proporcionou. este facto veio criar um confito tactico, com o sueco tao recuado, mais por culpa do paraguaio que a isto o obrigava ao não procurar a bola. Dp foi importante varias vezes em termos defensivos, a mais flagrante ao evitar que o extremo do fatima se isolasse frente ao tiago. depois falas que um jogador cm ele nao provoca desiquilibrios na outra. Sim ele pelas suas acções individuais nunca o fara, mas bem enquadrado num colectivo mecanizado, e com automatismos já fara toda a diferença, mas sinceramente nem teria de fazer assim tanta diferença, nem desiquilibrar tanto, pois é importante numa equipa que existam jogadores q proporcionem equilibrios, ou não concordas? uma certeza, com moutinho no mesmo losango, ou veloso q o sueco, este teria feito uma exibição muito mais condizente com a sua qualidade.

Pedro Barata disse...

Bom texto, mas retirava o Farnerud desse pacote!
www.rola-bola.blogspot.com
Um abraço

Nuno disse...

Bruno Pinto diz: "Com médios como o Farnerud, jamais a sua equipa será capaz de descompensar a outra, de lhe provocar desequilíbrios"

2 coisas: 1) como diz o Gonçalo, nem todos os jogadores são para criar desequilíbrios. Não defendo 4 Farneruds no meio-campo. E o Paulo Bento também não: quando joga o Moutinho, não joga o sueco. 2) Sabes o que é provocar desequilibrios? Achas que só desequilibram as acções individuais? Ou a velocidade? Ou as transições mais rápidas? Se achas, estás equivocado. Não achas que uma tabela desequilibra? Não achas que contemporizar desequilibra?

"Actualiza-te Nuno, estás desfazado da realidade do futebol actual. Os teus conceitos de futebol nunca vingariam, nunca."

Está bem, Alexandrino. No futebol actual, é muito melhor um jogador com pulmão, que corra feito maluco, do que um jogador que pense, que se posicione correctamente e que permita que outros mais dados a desequilíbrios não tenham que ter preocupações defensivas excessivas. Tens toda a razão. Eu é que estou desfasado da realidade...

E quanto ao Farnerud não correr, pá, caga nisso. É das coisas mais idiotas que se pode dizer...

Bruno Pinto disse...

Porque que é que o Farnerud quando é titular sai sempre ao intervalo? Deve ser por estar a dar equilíbrio à equipa...

Tu não percebeste patavina do que eu disse. O Maniche cria desequilíbrios com acções individuais, por acaso? Ou é com a intensidade do seu jogo? Ele corre feito maluco? Não, ele sabe é para onde deve correr, é um médio que cobre um espaço enorme de terreno. Essa do ser inteligente... LOOL. Tá bem tá...

O Lucho é um dos jogadores mais inteligentes que jogam em Portugal, senão o mais inteligente. Mas falta-lhe algo para ser um dos melhores do mundo: intensidade de jogo. Ele se for para um grande europeu ( de top mesmo), é minha convicção que não se vai safar...

Actualiza-te Nuno.

Anónimo disse...

A avaliação do Farnerud é a coisa mais absurda, patética e ridicula que alguma vez li...

"Alguém" não percebe absolutamente nada de futebol... E de certeza que não é quem critica o sueco...

Pampa disse...

Concordo, e muito, com Nuno Assis, Nuno Gomes e Hélder Postiga; discordo no Custódio e Farnerud.

O que dizem agora do Miguel Veloso era o que diziam do Custódio quando ele apareceu. Um jovem que apareceu, e bem, na equipa. O problema é que estagnou, não considero que tenha evoluído e, perante Miguel Veloso, sai claramente a perder. No entanto, não deixa de ser um jogador útil.

Relativamente ao Farnerud, gosto das suas qualidades, mas não pode jogar ali. As características que tem não podem fazer dele um médio-interior. Numa equipa como o Sporting, precisa-se de três médios (os interiores e ofensivos) que tenham poder de progredir com e sem bola, alterando ritmos de jogo e dando dinâmica ao ataque, além de meia-distância.

O Farnerud actua sempre como se fosse o pivot ofensivo, mas recuado. O jogador que faz a cobertura ofensiva bastante bem, mas que acrescenta pouco. E sempre que tem sido titular, o Paredes ou o Miguel Veloso têm jogado, acabando por anularem-se.

Isto é a minha opinião, claro está, e nenhuma verdade absoluta, mas não sou ignorante e muito menos devo vir a ser insultado por isso.

Nuno disse...

Caro anónimo, foste tu quem disse ao Galileu que ele não percebia "absolutamente nada" do que andava a dizer, porque afirmar que a Terra andava à volta do Sol era a coisa "mais absurda, patética e ridícula" que já tinhas ouvido, não foste?

Bruno Pinto, percebi a patavina toda. Ninguém disse que os desequilíbrios só surgiam através de acções individuais. Fui explícito ao insinuar que uma tabela é um desequilíbrio. Fui explícito ao insinuar que contemporizar é um desequilíbrio. E o sueco faz isto. Mais, não o comparei ao Maniche, portanto não os compares. Segundo, se achas que, sem intensidade de jogo não se pode criar desequilíbrios, continuas equivocado. Responde-me a isto: que achas do Rochemback? Do Riquelme? Que achavas do Pedro Barbosa dos últimos 3 anos? E, para finalizar em beleza, do Michael Thomas? Nenhum deles tinha a tão propalada "intensidade de jogo", seja lá o que isso for. São, ou eram, jogadores que não causam ou causavam desequilíbrios?

Quanto à cena da inteligência, nem vale a pena falar. Tens por Deus o Maniche, que não é propriamente inteligente.

"O Lucho é um dos jogadores mais inteligentes que jogam em Portugal, senão o mais inteligente. Mas falta-lhe algo para ser um dos melhores do mundo: intensidade de jogo."

Engraçado que digas isto do Lucho. É verdade, não tem muita intensidade. Como o Farnerud, precisamente. E deixa de ser excelente? Não deixa. Nunca disse que o Farnerud era o melhor do mundo. Só digo que é bom, muito bom. Como o Lucho o é. Quanto ao não se safar num grande europeu, ya, não se vai safar porque não tem "intensidade de jogo". Que disparate! Estás a pôr o atributo "intensidade de jogo" à frente de coisas como a inteligência, a técnica, a velocidade, a força. Tudo isto é muito mais importante que a "intensidade de jogo". Sabes porquê? Porque quem tiver estas características consegue disfarçar maus momentos de forma.

Pá, já te disse que me vou actualizar, Alexandrino. Não precisas de te repetir. Mas já agora, também tenho um conselhozinho: não te actualizes! A sério, não vale a pena. É uma perda de tempo. Esforçares-te para isso e depois chegares à conclusão que continuas a dizer o mesmo que a generalidade das bestas que falam de futebol em Portugal é tempo perdido, pá...

Nuno disse...

Pampa, não é a ti que se dirige, certamente, qualquer insulto. Aliás, se reconheces qualidades ao gajo, nem percebo que te ofendas quando eu digo que quem não lhe reconhece essa qualidade é que deve ser insultado. Enfim, vês bem uma coisa: a posição em que o Farnerud talvez rendesse mais fosse a médio-defensivo. Como interior, gosto dele, mas não nos podemos esquecer que raramente jogou ao lado dos melhores. É muito fácil criticar um jogador que não acrescenta nada à equipa simplesmente porque os que estão ao seu lado não o percebem. Metam-no a jogar ao lado do Veloso, do Moutinho e do Romagnoli e renderá muito mais.

Bruno Pinto disse...

Nuno, estou-me a cagar para o que as bestas que falam de futebol em Portugal dizem, e estou a partir do pressuposto que não me estás a chamar besta, senão estávamos mal... Ora vamos lá dissecar muita asneira que disseste, bem como algumas coisas acertadas. Tu fazes-me lembrar aquele soldado que marchava ao contrário e dizia que o resto da parada é que estava errada. Pá, o Paulo Bento lá saberá porque não coloca o gajo a jogar ou porque, quando o coloca, tira-o passado pouco tempo. Mas deve ser mais uma das tuas bestas de estimação...

Fazer uma tabela, pode ou não provocar um desequilíbrio. Se for feita em velocidade e, na sequência, o adversário ficar para trás, isso é um desequilíbrio (embora as compensações dos colegas possam desfazer esse desequilíbrio num ápice). Se for feita com previsibilidade excessiva e a jogada não se desenvolver a seguir de forma rápida, o desequilíbrio morre à nascença! O Farnerud lá tabelas faz muitas... O pior é que ele joga parado, num círculo de 10 metros... Não causa desequilíbrios absolutamente nenhuns em adversário nenhum minimamente consciente. ZERO!!

Temporizar (e não contemporizar) uma jogada, não é desequilíbrio nenhum. É uma forma de manter a posse de bola sempre que não há soluções, o que é inteligente, obviamente. É uma forma de procurar o melhor momento para então, aí sim, provocar o tal desequilíbrio hipotético.

Comparares a técnica do Farnerud à do Barbosa ou Riquelme é, no mínimo, bizarro! O Barbosa foi o Zidane português, tinha uns pés magníficos, provocava muitos desequilíbrios com aquela magia toda, disso não há dúvida. Mas... porque achas que não construiu uma carreira de nível internacional? Ah pois... todos os técnicos dele devem ter sido umas bestas, as inúmeras vezes que era substituído deve ter sido para a ovação por mais um jogo de levantar um estádio. O Figo, será que tinha os pés do Barbosa? Não! Era tão talentoso como o Barbosa? Não! E porque fez uma carreira soberba nos maiores clubes do mundo?

O Riquelme é um dos jogadores que sempre disse que nunca vingará num grande colosso. No Barcelona não fez nada. E não tem lugar em nenhuma grande equipa europeia. É um jogador cerebral, muito inteligente, faz passes espectaculares, mas... joga devagar, devegarinho, falta-lhe intensidade (não é correr à maluco, como tu pareces dizer, é saber correr). Correr à maluco é burrice, mas sem correr o suficiente não se ganham jogos... só nos matrecos!! Mas eu não sei o que Barbosa ou Riquelme e Farnerud têm em comum, além de jogarem devegar, sinceramente não estou a ver o teor da comparação...

Pá não vou discutir contigo o que é inteligência, não quero saber se para ti o Maniche não é inteligente. O que sei é que o Maniche foi o médio mais fulcral da equipa campeã da Europa em 2004, fez parte de um meio-campo que arrasava e massacrava os médios adversários e, aos 90 minutos, tinham, regra geral, mais golos marcados que o adversário. Agora se ele não é inteligente, mas sim o Farnerud, isso já é ctg pá...

Epá Lucho e Farnerud, mais uma comparação bizarra. O Lucho, vi-o pela primeira vez a jogar e pensei 'este não engana', aqueles pés são ouro! O Farnerud... epá vejo-o jogar poucas vezes (porque ele joga pouco), mas a sensação que me dá é que ele é daqueles gajos que nem fode nem sai de cima, não joga nem deixa jogar, é um poste que ali está plantado, recebe a bola e passa para o lado, só!! Dinâmica de jogo, ZERO! Passes certo, 100%. Ok e daí, o que ganha o Sporting com aqueles passes de 3 metros? Ainda sobre o Lucho, não te esqueças do que eu disse. Real Madrid, Barça, M.United, Milan, Inter... Não se safa. Depois vemos se é disparate... E ele deve sair no final desta temporada...

Não coloquei a intensidade de jogo à frente da técnica, velocidade, força, inteligência, etc, coisa nenhuma! Tu é que sistematicamente colocas a tal inteligência (seja lá o que isso for) à frente de tudo o resto... O que é errado. Para se ter intensidade de jogo, é preciso ser rápido a pensar e executar, ter técnica para fazer o que a mente planeia (mas de forma rápida, senão tem o adversário à perna), ter resistência para aguentar um ritmo alto, saber correr e abranger uma facção grande de terreno (encher o campo, como se diz na gíria). Paradigmas perfeitos do médio moderno: Lampard (em forma), Essien... Não sei é se, para ti, não são burros que nem portas!!
E acho que é tudo...

Bruno Pinto disse...

Idiota é pensar que se podem ganhar jogos sem correr ou a correr pouco (assim inteligentemente...). E quando se está a falar de um médio, o caso é bem mais grave!! Alguém, no seu perfeito juízo, imagina o Farnerud a jogar, por exemplo, numa liga inglesa, numa equipa minimamente apresentável? Ok, ok, em Inglaterra devem ser só gajos que correm à maluco! O que é certo é que é o melhor campeonato do planeta... Tenham dó...

Metralha disse...

Um sueco que está cá há 2 anos, não faz ponta de corno, não corre, não se desmarca, não faz nada de jeito para além de não defender. O corte de que falam foi a excepção dos 45 minutos em que era ver os médios ou os lateriais a entrarem no nosso meio campo e o sueco a vê-los passar. Nem o Jardel defendia tão pouco!

FDX, e depois chamam bestas ou falta de inteligência a quem vê um jogador fazer merda atrás de merda nos poucos jogos que faz e que curiosamente o seu rendimento é tão bom que invariavelmente sai ao intervalo.

Vocês escrevem coisas interessantes mas são tão casmurros e convencidos de que sabem muito, mas muito mais que os outros que leva-vos ao ridiculo!

Nuno disse...

Metralha, se o sueco não se desmarca, por que é que lhe passam a bola? Se calhar, é porque ele criou uma linha de passe para isso, não? Não corre? Ya, tá. Não corre, pois... E o Van Nistelrooy marca poucos golos. Não defende? Não, se defender for recuperar bolas que nem um tontinho. Mas está sempre bem posicionado. E defender não é mais nada; é estar bem posicionado.

Bruno Pinto, já percebi que os teus médios têm de correr. Suponho que prefiras o Petit ao Miguel Veloso, o Bynia ao Paulo Assunção. Se não, não entendo. Fazer uma tabela pode ou não criar um desequilíbrio? Claro. Como uma jogada individual, uma corrida desenfreada ou um passe a rasgar podem ou não criar um desequilíbrio. Isso é como tudo. O Farnerud faz tabelas. E não, não joga parado, em 10 metros. Isso é hipérbole de quem acha que ele tem de correr para ser bom. O rapaz dá os apoios correctos. Isto significa que, se o 10 tiver a bola no último terço de terreno, ele está relativamente perto dele para a receber. Da mesma forma que, sem bola, ocupa os espaços com exactidão, o que implica que corra, e muito, na procura de se posicionar bem em cada instante. O problema é que ele, com bola, opta quase sempre por processos lentos. E, por isso, quem vê mal as coisas, acha que ele não corre.

Contemporizar (sim, contemporizar) pode causar desequilíbrios. Lá está, é por pensares que não que estás enganado em relação ao sueco. Muitas vezes, a melhor opção para lançar o ataque num instante é jogá-la para um avançado que corre entre dois. Contemporizando, permite outras linhas de passe, outro desarranjo da defesa. Se num instante, a defesa estiver mais ou menos tapada, a movimentação do tal avançado pode criar buracos para que, no instante seguinte, haja linha de passe para outro jogador entrar. Contemporizar, além de servir para manter a posse de bola, serve para perceber, com mais tempo, se surgem novas opções melhores que a primeira. O sueco faz isto, e muito bem. E isto é um desequilíbrio. Porquê? Porque, ao contrário do que pensas, os desequilíbrios não são só provocados por acções individuais.

Ninguém comparou a técnica do Farnerud à do Riquelme ou à do Barbosa. Bizarro é ter interpretado isso. Comparou-se, isso sim, a velocidade de processos. Acho que exageras em relação ao Riquelme. Não vingou num colosso europeu? Ya, mas era só intocável na selecção argentina e não quis sair, a determinada altura, do Villareal. Mas o problema aqui é tu achares bons, ainda que não aches óptimos, o Riquelme e o Barbosa. Estás a contradizer-te. Eles também não tinham aquilo que chamas de "intensidade de jogo". E, no entanto, acha-los bons. Decide-te.

"Mas eu não sei o que Barbosa ou Riquelme e Farnerud têm em comum, além de jogarem devegar, sinceramente não estou a ver o teor da comparação..."

A comparação é pela velocidade de processos. Não podes achar que o Farnerud faz boas coisas mas não presta porque joga devagar e achares ao mesmo tempo que o Riquelme e o Barbosa jogam devagar como o sueco, mas prestam. O teu critério de "intensidade de jogo" tem de ser tão válido para um como para os outros. Dá-me ideia é que, para o Farnerud, só te interessa que corra, enquanto que para os outros já não é bem assim.

Entre o Farnerud e o Maniche, tens dúvidas de quem é o mais inteligente? Como é óbvio, isso não é suficiente para definir um jogador. E nem sequer vou dizer se o Maniche é melhor ou pior que o Farnerud. Agora, em inteligência, não creio que ninguém de perfeita saúde não saiba responder a isto.

Mais uma vez, não sabes o que é comparar. Comparei a inteligência do Lucho com a do Farnerud. A esse nível, são muito parecidos. Ponto.

"o que ganha o Sporting com aqueles passes de 3 metros?"

Pá, já tentei explicar isto. Achas que um defesa tem de lançar o ataque? Achas que um trinco deve fazer o último passe. Se não achas, como espero, então tens de aceitar que há várias fases de construção. Na fase de construção que compete ao sueco, é muito mais importante jogar curto e seguro. É precisamente a segurança do passe nessa fase de construção que permite que haja outra fase de construção a seguir a essa. O que ganha o Sporting com esses passes? Tudo. Porque sem eles não podia construir mais à frente.

Quanto ao Lucho no estrangeiro, ya, depois veremos. Um jogador com a sua técnica, com a sua inteligência, com os golos que marca e com as movimentações verticais que faz, só não rende se apanhar treinadores estúpidos.

"Não coloquei a intensidade de jogo à frente da técnica, velocidade, força, inteligência, etc, coisa nenhuma!"

Colocaste, colocaste.

"tu é que sistematicamente colocas a tal inteligência (seja lá o que isso for) à frente de tudo o resto..."

Claro. Passa-te pela cabeça que não seja o atributo mais importante num jogador de futebol? Sem inteligência, de que é que te interessa que sejas muito habilidoso ou rápido ou forte ou alto? Simples.

"Para se ter intensidade de jogo, é preciso ser rápido a pensar e executar, ter técnica para fazer o que a mente planeia (mas de forma rápida, senão tem o adversário à perna), ter resistência para aguentar um ritmo alto, saber correr e abranger uma facção grande de terreno (encher o campo, como se diz na gíria)."

Eu não gosto de provérbios, mas há um que diz: "A pressa é inimiga da perfeição." Fazer tudo rápido, muitas vezes, não é a melhor opção. Claro que o melhor jogador é aquele que pensa e executa rápido. Mas deves saber que, muitas vezes, embora penses rápido, por tentares executar rápido, não consegues executar como pensaste. Quem te disse que o sueco não consegue executar mais rápido? Eu já o vi fazer coisas muito rápidas. Só que ele prefere não arriscar falhar um passe naquela zona jogando demasiado rápido. Prefere pausar o ritmo para evitar erros técnicos que sempre acontecem. É o que se pede a um jogador naquela fase de construção: segurança na transição para o ataque. É censurável, num jogador que tem consciência de que, naquela posição, a coisa mais importante é não errar um passe? Claro que não.

"Paradigmas perfeitos do médio moderno: Lampard (em forma), Essien... Não sei é se, para ti, não são burros que nem portas!!
E acho que é tudo..."

Primeiro, isso do médio moderno é giro. Do médio quê? Defensivo? Ofensivo? Porque, modernamente, já não há só médios. Há médios defensivos e ofensivos. O Lampard e o Essien são dos melhores médios do mundo, sem dúvida. E são os dois bastante inteligentes. Sem dúvida. Mas alguém falou no Lampard ou no Essien. Falou-se do Farnerud e da Liga Portuguesa. E para a Liga Portuguesa, é bom.

Quanto ao campeonato inglês ser o melhor do mundo, esquece lá isso. É o mais competitivo, sim. É dos mais espectaculares, sim. Mas não é o melhor. É um campeonato ingénuo. Tacticamente, está obsoleto há 30 anos. Vai vivendo por causa do dinheiro, porque vão tendo os melhores jogadores. Isso não faz dele o melhor campeonato do mundo.

Metralha disse...

Nuno, que disparate.

Desmarcar-se? No meio campo defensivo é onde ele recolhe o jogo.

Correr? Van Nistelroy? O que tem um médio interior a ver com um P Lança. Compara-o com o Jardel que é comparavel.


Defender? Deixando passar tudo o que era jogador pela ala que lhe estava destinada? Parar no meio de um contraataque adversário pelo seu lado?

E só respondo ao que me foi destinado, porque há para ali afirmações que demonstram uma certa desonistidade intelectual para quem as lê, para não lhe chamar outra coisa.

Nuno disse...

Metralha, ninguém comparou o Van Nistelrooy ao Farnerud. Foi feita uma analogia. E de forma irónica. Tenho de partir do princípio que quem me lê é inteligente para o perceber. Não posso estar a explicar que, ao dizer que o Van Nistelrooy marca poucos golos, estou obviamente a ser irónico, pois é evidente que marca muitos. Se o digo, é para mostrar que, da mesma forma que é evidente que o Van Nistelrooy marca golos, também é evidente que o Farnerud corre...

Metralha disse...

Sim, não os comparaste, mas chamaste o Nistelroy para fazer uma ironia parva ou pouco inteligente.

Corre, mas corre pouco, é pouco agressivo, defende mal ( não não é roubar bolas mas as suas posições defensivas nem incorrectas são porque não existem).

Defendes o jogador com coisas que mais ninguem vê a não seres tu e pelos vistos o Gonçalo.

Pena é que não convencem ninguem, mesmo o PB já o pôs de lado como se comprova a convocatória para Roma.

Nuno disse...

Pois, o mesmo Paulo Bento que quando não tem o Moutinho chama o Farnerud. O Ricardo também era a primeira opção do Peseiro, mas quando os otários dos adeptos o começaram a criticar, ele pô-lo de lado para o proteger. Sabes lá se não é a mesma coisa. Sabes lá se não é uma opção técnica. Sabes lá se o jogador não acusou alguma dor. Muitas das vezes em que o Paulo Bento o tirou ao intervalo depois de ter começado de início, defendeu-o e disse que estava a jogar bem, mas que precisava de jogadores diferentes... Quem te garante que o Adrien e o Paredes não ofereçam ao Paulo Bento coisas que o Farnerud não pode oferecer e que ele considera mais importantes para este jogo?

Bruno Pinto disse...

Ó Nuno, realmente as tuas más interpretações do que eu digo são qualquer coisa de extraordinário.

Já te ouvi dizer que o C.Ronaldo não é inteligente. E tu perguntas: de que serve um jogador sem 'inteligência'? Apenas para ser considerado o melhor jogador da Premier League. Tu dizes coisas ridículas. O meu médio perfeito não é o que corre, não. O meu médio perfeito é o que faz a sua equipa ganhar jogos e isso sim é ser inteligente no futebol, ganhar jogos! Estás a discutir aqui o sexo dos anjos, uma discussão sem pés nem cabeça. Eu prefiro o Veloso ao Petit, por exemplo, e não me contradigo em nada. A diferença entre nós deve ser o conceito de inteligência. Tu é que és inteligente pá, fica lá com o Farnerud... Até metes dó!!

Gonçalo disse...

Acho piada utilizarem o seguinte argumento:"Pena é que não convencem ninguem, mesmo o PB já o pôs de lado como se comprova a convocatória para Roma." O ano transacto se o pb nos tivesse ouvido provavelmente não teria perdido o campeonato quando defendiamos desenfreadamente a Romagnoli como um jogador nuclear para as aspirações da equipa de alvalade. Não estou a dizer qse passa o mesmo com o sueco, isto é, não lhe reconheço a mesma importância que ao argentino, mas se as suas qualidades forem bem potenciadas será, sem dúvida um elemento importante na conquista dos objectivos leoninos. O pb bento é bom mas não está isento de errar, ou está? tal como nós , e até admito que ele tenha um bom motivo para não o convocar, ou retira-lo ao intervalo. O que não aceito é malta que sem ter um motivo minimamente válido diga que esou errado qd o defino como um dos melhores médios da liga Portuguesa. Só mais uma coisa,pq é que insistem em dizer qele nao corre nem defende?pq no final da primeira parte um comentador o disse? nos primeiros 20 minutos ele sozinho recuperos mais bolas que o resto do meio campo leonino. E ele desiquilibra pela forma simples que, através das temporizações "descobre" as linhas de passe.

LionHeart (o autêntico) disse...

Só o facto de incluir o Farnerud neste lista já é um insulto à inteligência dos tais que nada sabem de futebol.

Farnerud não tem de facto nada de errado. Para além do aspecto de não participar no jogo, não se conseguir entrosar apesar de estar na 2ª época, não criar um desequilíbrio, não recuperar uma bola e (embora, como diz o Nuno, seja um bom passador), raramente fazer um passe certo, então, tirando tudo isto, ele é de facto um bom jogador.

Quanto a Custódio, é simples. Detentor de um excelente sentido posicional, só sabe jogar para o lado e para trás. Mesmo sozinho no meio campo, sem ninguém por perto, o Custódio é aquele jogador que prefere devolver a bola a um central (normalmente Polga), do que arriscar uma progressão ou um passe para diante. É principalmente por isto que o Miguel Veloso está quilómetros à frente do Custódio. Só o Nuno é que não viu.

Mas Nuno, não és tu que defendes que o Liedson é um jogador banal?

Bruno Pinto disse...

E digo-te mais: se não entendes o que eu digo, ou tens a mania que percebes tudo e és mais inteligente que os outros, partindo para a desonestidade intelectual, ou então és literalmente burro!! Porque qualquer um percebe o que quis dizer com as comparações, bem a propósito, que fiz. Quando o PB não tem o Moutinho, recorre ao Farnerud, deve ser por isso que o Moutinho é quase semopre totalista em todas as competições. Quando não é, sai derrota com o Fátima...
Ó Nuno, esquece lá esta discussão, na tua equipa ficarias com o Farnerud, eu não, e ficamos assim...

Bruno Pinto disse...

Exactamente, Gonçalo. Tu e o Nuno não estão isentos de errar. E isso nota-se bem...

Metralha disse...

Nuno, não gosto do Ricardo e acho que ficámos a ganhar muito nesta troca de GR. Ricardo é inseguro, não fosse a nossa defesas de betão e verias as fragilidades constantes que se viu com Peseiro.

Gonçalo, não lia este blog na altura. De qq forma sempre defendi o Romagnoli como um jogador com caracteristicas unicas no Sporting.

Esse argumento a mim não me toca.

E digo também à "boca cheia" que um dos maiores erros para esta época foi a venda do Custódio, como se comprova a inutilidade do Paredes.

Como podes reparar, concordamos nalgumas coisas, algumas delas que são "controversas".

Agora o sueco teve muitas oportunidades e é claro a sua incapacidade competitiva. É claro como água e não será agora com 29 anos que vai explodir. É MAU. Não dá mais por muito que o defendam.

Gonçalo disse...

É a tua opinião e não perco tempo a demover-te dela se até agora ainda não percebeste o que dizemos do sueco. Lion o Nuno nunca disse q o custodio era melhor que o Veloso. Ver se aprendes a ler. E sim o Liedson é fraquinho.

Bruno Pinto disse...

Nuno, só mais uma coisa que li só agora. Barbosa e Farnerud: Epá eu falo chinês??? A lentidão é a mesma mas a técnica, criatividade é incomparável. Quanto menos técnica, maior é a importância da intensidade. O Barbosa 'presta' porque, apesar de ser lento, tinha uma técnica desconcertante. O Farnerud não presta porque não tem nada, apenas aquele futebol fácil do recebe e passa! Um jogador que alie a criatividade à intensidade, são os melhores do mundo, os jogadores aptos para o futebol moderno. Sim, é giro, porque, ao contrário do que tu dizes, o futebol está diferente de há 10, 15, 20 anos...

Gonçalo disse...

sim e entao o veloso é mt intenso? o farnerud é evoluido tecnicamente, não é criativo, mas uma coisa não invalida a outra. O farnerud, de origem trinco, era visto como mal aproveitado nessa posição por ser tao evoluido tecnicamente. Lá está um erro recorrente de quem pensa que a tecnica esta reservada apenas para os predestinados, e para os criativos. o sousa era excelente tecnicamente, o guardiola tb...

Bruno Pinto disse...

O Veloso não é intenso, mas tem uma visão periférica soberba, além de ter um pé esquerdo fantástico, que o faz fazer passes teleguiados de 50 metros, marcar livres, cantos, etc... O Farnerud não é nem uma coisa nem outra, é aquele jogador certinho, que não fode nem sai de cima!! E depois, outra questão essencial. O Veloso precisa de um Moutinho, o Pirlo precisa de um Gattuso, o Guardiola tinha o Popescu ao lado e o Sousa tinha o Deschamps... Sejamos razoáveis...

Os melhores jogadores do mundo são os que aliam técnica ou criatividade à intensidade. Se não tiverem ambas as componentes, dependem do grau de técnica ou intensidade que possuirem, para se aproximarem dos melhores. Exemplo: entre Lampard e Riquelme, Lampard sempre, porque, não sendo tão dotado de criatividade, é intenso e não falha. Entre Veloso e Peit, escolho Veloso, porque aquele pé esquerdo é fenomenal e põe a equipa a jogar, é uma referência, mas não sou burro, tenho que lhe oferecer um colega que corra mais que ele. Senão vou perder o jogo. Isto é o 'aeiou' do futebol.

Gonçalo disse...

mas pq é q tens de ter um jogador q corra mais q ele? achas q os jogadores sao calões? não é o jogador que tem de decidir correr, mas sim os mecanismos que assim o exigem. E nunca leste neste espaço que pretendiamos dois pontus na mesma equipa, tao pouco que ele devia jogar para o moutinho ficar no banco.

Bruno Pinto disse...

Mesmo sabendo que são de posições diferentes, acho que posso fazer uma pergunta: entre Veloso e Moutinho, quem é que preferiam para a vossa equipa? Presumo que o Veloso. Eu, o Moutinho, mas é que sem hesitar... Partindo do princípio que vocês são infinitamente inteligentes, acho que já perceberam a minha ideia..

Hasta...

Bruno Pinto disse...

Achas que o Milan sem Gattuso (ou um semelhante) teria pernas para andar, tendo o Pirlo como pivot defensivo? Ora diz-me lá Gonçalo..

Gonçalo disse...

é normal que tu optes por ele... ja dizia nietzsche:
O povo prefere o gesto á razão...

Gonçalo disse...

Depende. Metes no mesmo saco o gats e o moutinho? Ou o Deco? Ou o tiago? Ou o Lampard?

Gonçalo disse...

mas lendo melhor o teu post... ate parece q o pirlo é um problema q so tem solução com um jogador como o gats..

Nuno disse...

"Isto é o 'aeiou' do futebol." Dizes tu. Não sabes o que é correr. Achas que o Farnerud não corre? Ridículo. Não tem a agressividade do Moutinho, não. Mas corre.

O Guardiola tinha o Popescu ao lado? Que futebol é que andaste a ver? O Guardiola jogou sempre como médio-defensivo único. Quando muito, podia ter gajos no meio-campo, à frente dele, que o ajudavam nas tarefas defensivas.

"Os melhores jogadores do mundo são os que aliam técnica ou criatividade à intensidade. Se não tiverem ambas as componentes, dependem do grau de técnica ou intensidade que possuirem, para se aproximarem dos melhores."

Sim, talvez. Se juntares a isto a inteligência. Mas também não disse que o Farnerud era dos melhores do mundo. Portanto, continuo a ter razão.

Achas que o Farnerud não é bom tecnicamente? Que estupidez! Não tem a criatividade do Barbosa, não. Isso não. Mas em técnica é ela por ela. É que técnica não é fintar.

"se não entendes o que eu digo, ou tens a mania que percebes tudo e és mais inteligente que os outros, partindo para a desonestidade intelectual, ou então és literalmente burro!!"

Eu entendo o que tu dizes. Mas para aceitar o que dizes, tenho de ser incapaz de destruir os teus argumentos. Não é o caso. Digo que, se não gostas do Farnerud, tens de ser capaz de lhe apontar defeitos. Tu respondes, e muito bem, dizendo que ele não tem intensidade de jogo e que esse é o seu principal defeito. Eu respondo-te, dizendo que, para a posição dele, para a fase de construção que lhe compete, ele não precisa dessa intensidade de jogo. Está destruído o teu argumento. Tens mais alguma coisa a dizer? Ou posso concluir que não gostas dele, mas que não sabes bem porquê?

Quanto ao Moutinho, é óbvio que é titular. É melhor que o Farnerud e garante tudo aquilo que o sueco garante. O que digo é que o Farnerud, se não estivesse tapado pelo Moutinho, (ou pelo Veloso, porque acho que a posição ideal para ele era a de trinco) era titular de caras no Sporting.

Quanto ao Cristiano, não disse que não era inteligente. Digo que não é o seu forte. Como não é o forte do Maniche. E acredita, ele é o melhor jogador da Premier League porque estamos a falar da Premier League. Em Itália ou em Espanha, como na selecção, não rende nem metade. E isso deve-se ao facto de não ser extraordinariamente inteligente. Ah, e vai lá ver como é que joga o Fabregas, provavelmente o melhor jogador da Liga Inglesa neste início de campeonato. Deve ser em intensidade, deve...

"A diferença entre nós deve ser o conceito de inteligência."

Isso é de certeza. Porquê? Porque, segundo dizes, para ti inteligência é ganhar jogos. Claro que é! Nem que seja aos trambolhões. Isso sim, é inteligência. Acho que a parte de meter dó aplica-se bem aqui.

"Eu prefiro o Veloso ao Petit, por exemplo, e não me contradigo em nada."

Contradizes, contradizes. Sabes porquê? Porque se para ti o melhor jogador é aquele que aliar técnica a intensidade e, sendo o Miguel Veloso tudo menos intenso, não podes preferi-lo ao Petit, que apesar de tudo tem boa técnica.

Tu nem sequer sabes por que é que o Lampard é o que é. Pensas que é por ser bom tecnicamente e por ser intenso. Arranjo-te inúmeros gajos que têm mais técnica e intensidade que ele e que nem por isso são melhores jogadores. O Lampard é bom porque tem isso, mas sobretudo porque é inteligente.

Uma pergunta: para ti, na formação, os jogadores só devem ser ensinados a nível técnico e a correrem? Basta que sejam primorosos no passe, na recepção, no remate, etc, e que derrubem caixotes do lixo em carga de ombro? Pois, é isso...

Lionheart, sim, sou eu que acho o Liedson banal. É um jogador de equipa pequena. E muito do que o Sporting não atingiu nos últimos anos é-lhe devido.

"É principalmente por isto que o Miguel Veloso está quilómetros à frente do Custódio. Só o Nuno é que não viu."

Mas viste-me dizer que o Miguel Veloso não é melhor que o Custódio? Isso é o quê? Cogumelos? Também quero.

E não, o Custódio não jogava só para trás. Não tinha a qualidade de passe à distância do Veloso, mas como o sabia, só fazia coisas simples. Era um jogador extraordinário porque era inteligente. E essa inteligência permitia-lhe saber que, não possuindo uma técnica fora do vulgar, era muito melhor jogar simples e fazer com que outros pudessem jogar.

Nuno disse...

Acho. Já se disse neste blog uma coisa que ninguém parece entender: os jogadores não são funções. Não é ao Gattuso ou ao Moutinho ou ao Maniche que compete recuperar a bola. O Veloso não precisa de ninguém ao lado dele para roubar bolas. O Pirlo também não. Precisam é que a equipa esteja montada para que a recuperação de bola se faça colectivamente. Não precisas de jogadores agressivos. Precisas é que a organização defensiva seja boa. Ocupando os espaços certos, correndo não para roubar bolas mas para ocupar os espaços, a recuperação de bola faz-se por si só. Isto sim, é moderno, Bruno Pinto. E até foi um treinador teu que o demonstrou ao mundo e ganhou tudo o que havia para ganhar.

"uma pergunta: entre Veloso e Moutinho, quem é que preferiam para a vossa equipa? Presumo que o Veloso. Eu, o Moutinho, mas é que sem hesitar..."

Primeiro, são posições diferentes. Para trinco, prefiro o Veloso. Para interior ou médio-ofensivo, prefiro o Moutinho. Mas ao contrário de ti, que gostas do Moutinho por ele ser agressivo, eu gostaria dele, mesmo que não fosse agressivo. E já o disse aqui: actualmente, no futebol mundial, os dois jogadores mais inteligentes são o Moutinho e o Fabregas. Mais uma vez, querias surpreender, mas não conseguiste, han?

Nuno disse...

A primeira parte do post acima é para responder a isto: "Achas que o Milan sem Gattuso (ou um semelhante) teria pernas para andar, tendo o Pirlo como pivot defensivo? Ora diz-me lá Gonçalo.."

Bruno Pinto disse...

Nuno, sobre o Farnerud não discuto mais nada, não derrubaste nenhum argumento que disse sobre o gajo, continuas é a disparatar, mas já te disse para 'ficares' com ele.

Quanto ao Guardiola, se há coisas que não me dás são lições de futebol passado. Época 1996-97, Barcelona, Bobby Robson, double-pivot, Guardiola e Popescu, e mesmo que não fosse (mas é), seria irrelevante para a exposição da minha ideia, pois o Moutinho e Veloso ou o Pirlo e Gattuso não jogam em linha, como sabes. Mas repito, esta equipa do Barça de 96-97 é uma das equipas da minha vida, sei de cor e salteado, portanto não digas asneiras! A seguir ao Robson, veio o Van Gaal, pensa no esquema que ele utilizou e pensa no abaixamento abrupto do Guardiola. Ele há coisas...

Golo do Sporting, em Roma. D efacto, o Liedson é fraquinho, ó Gonçalo!!!!!

Nuno disse...

Pá, não vou discutir a posição do Guardiola com o Popescu. Não me lembro, mas sendo o Robson, é provável que tenhas razão. Mas isso não interessa nada. Aquilo que alegaste é que o Guardiola, como outros trincos talentosos, têm que ter um médio ao lado ou à frente que faça o trabalho de sapa. Ora, isso é falso. Queres um exemplo claro? O Barcelona do Rikjaard. Joga só com um médio defensivo, normalmente alguém que por si não é muito agressivo, e dois médios-ofensivos que não andam feitos parvos atrás da bola. Foram campeões europeus com Edmilson, Deco e Xavi (Iniesta). Onde é que está o gajo que corre atrás dos outros? Não está.

"Nuno, sobre o Farnerud não discuto mais nada, não derrubaste nenhum argumento que disse sobre o gajo, continuas é a disparatar, mas já te disse para 'ficares' com ele."

Derrubei, derrubei. A única coisa que disseste do gajo, a saber, que não tem intensidade de jogo, já te disse que não importa para a fase de construção que lhe compete. Como tal, estou à espera que reajas a isto. Mas, por enquanto, ainda não o fizeste.

Bruno Pinto disse...

"Eu entendo o que tu dizes. Mas para aceitar o que dizes, tenho de ser incapaz de destruir os teus argumentos. Não é o caso. Digo que, se não gostas do Farnerud, tens de ser capaz de lhe apontar defeitos. Tu respondes, e muito bem, dizendo que ele não tem intensidade de jogo e que esse é o seu principal defeito. Eu respondo-te, dizendo que, para a posição dele, para a fase de construção que lhe compete, ele não precisa dessa intensidade de jogo. Está destruído o teu argumento. Tens mais alguma coisa a dizer? Ou posso concluir que não gostas dele, mas que não sabes bem porquê?"

Está destruído o meu argumento? LOOL. Tu querias que estivesse destruído, dizendo coisas que eu não disse, e gostas de pensar que és um especialista em futebol, mas deve ser só no CM ou nos matrecos!! Eu disse que o Farnerud não tinha apenas intensidade de jogo??? LOOOL. Eu disse que ele não tem nada, além de bons pés, para receber e passar 3 metros ao lado. De resto, além da intensidade, não cria uma jogada, não aparece em zona de remate, não recupera uma bola, não faz um passe de forma a criar vantagens, nada, nada, ZERO! Futebol previsível, anjinho, obsoleto, inconsequente. Este é o argumento que tu dizes rebater com inteligência.. Olha e ganhares tino, não?!

Quanto à questão das funções, foste tu que depreendeste isso do que eu disse, mas não revelaste lá muita inteligência. Uma equipa de futebol é um colectivo que deve actuar SEMPRE em bloco, totalmente mecanizado e interligado entre as várias posições. Um jogador tem funções diversas dentro de uma equipa, mas não são compartimentos estanques, devem estar todas interligadas, de forma a que a produção do colectivo seja superior à soma das funções individuais. A dinâmica de uma equipa permite trocas posicionais, saídas de posição (desde que compensadas no momento da perda de bola) no sentido de encurralar a equipa adversária ou manietar um jogador num determinado momento e depende, em grande parte, da velocidade, intensidade e, óbvio, inteligência para marcar ritmos. mas esta inteligência não é aquela que estás a dar ao sueco.

Depois a conversa de que eu nem sequer sei isto e enm sequer sei aquilo... Eheheh. Pois não pá, eu não sei porque acho o Lampard um dos melhores do mundo, eu não sei, mas tu sabes. LOOL. Deixa-te disso Nuno!!!

Já chamaste analfabeto ao Freitas Lobo, se um dia debatesses futebol com ele, sairias completamente vargado à tua insignificância rapaz, aqueles que se julgam muito inteligentes são os que denotam maior burrice. Com o F.Lobo sairias goleado e envergonhado com o que dizes!

Pessoal, vamos fazer a vontade ao Nuno: o Farnerud é um grande jogador de futebol e tem um futuro muito promissor!

BAD-RELIGION disse...

e pensar que estão a discutir por causa do... Farnerud !!!!??

Nuno disse...

Bruno Pinto diz: "Golo do Sporting, em Roma. D efacto, o Liedson é fraquinho, ó Gonçalo!!!!!"

Bom timing, miúdo. É pena que 2 minutos antes da Roma fazer o segundo golo, o Liedson tenha estragado uma jogada de golo certo e feito um passe completamente absurdo pelo ar, quando era facílimo colocar a bola à frente do Romagnoli para este finalizar. Não é fraquíssimo, o Liedson, não. Hoje o Sporting não ganha por causa dele.

Quanto ao resto, vamos por partes. Acho que tens que te acalmar um bocado. Goleado por um gajo que acha o Pelé bom jogador? Não me parece...

"Eu disse que ele não tem nada, além de bons pés, para receber e passar 3 metros ao lado. De resto, além da intensidade, não cria uma jogada, não aparece em zona de remate, não recupera uma bola, não faz um passe de forma a criar vantagens, nada, nada, ZERO! Futebol previsível, anjinho, obsoleto, inconsequente."

Pronto, estamos a chegar a algum lado. Dizes, além da intensidade, que não cria uma jogada. O que é criar uma jogada? Fazer o último passe? Se sim, não faz parte da sua competência. Se criar uma jogada é participar de alguma fase de construção da mesma, então, quando digo que ele é perfeito nas primeiras fases de construção, está implícito que ele participa das jogadas. Menos uma objecção. Próxima. Não aparece em zona de remata. Não é obrigatório que o faça. Há médios de características defensivas que não o fazem. Num 442 losango como o do Sporting, em que um médio interior dá mais profundidade que o outro, o Farnerud é o que tem menos liberdade para movimentos verticais. Vês o Gattuso ou o Ambrosini no 442 losango do Milão a aparecerem em zona de remate? Menos outra objecção. Próxima. Não recupera uma bola? Isto é absolutamente falso. Parece-me que já estás em desespero. Disse aqui num comentário o Gonçalo que frente ao Fátima efectuou dois cortes cruciais. Fora esses, costuma fazê-lo. Menos outra objecção. Próxima. Não faz um passe por forma a criar vantagens? Que é isso? Passes a rasgar? Ou passes verticais? É que ninguém, no Sporting, faz mais passes verticais acertados que ele. Nem Moutinho, nem Veloso. Melhor que ele neste aspecto, só o Pereirinha. Menos outra objecção. Próxima. Ah, não há mais? Então? Queres ver que não tens nenhuma objecção válida. Parece que o teu argumento continua destruído. É curioso. Eu não disse nunca que destruí o teu argumento com inteligência, embora tu já o tenhas referido duas ou três vezes. Soa-me que há alguém com complexos de inteligência...

"Quanto à questão das funções, foste tu que depreendeste isso do que eu disse, mas não revelaste lá muita inteligência."

Pois depreendi. Quando dizes que há jogadores para construir (Guardiola, Pirlo, Veloso) e jogadores para recuperar bolas para que estes possam construir (Popescu, Gattuso, Moutinho), queres que depreenda o quê? Só depreendi o que me deste a depreender. E, segundo isso, não tenho quaisquer dúvidas: para ti, há jogadores com uma missão e jogadores com outra. E isso é errado, pá. Ainda que não o percebas.

"Pois não pá, eu não sei porque acho o Lampard um dos melhores do mundo, eu não sei, mas tu sabes."

Se não achas que ele é dos melhores porque é inteligente, peço desculpa, mas não sabes...

"Uma equipa de futebol é um colectivo que deve actuar SEMPRE em bloco, totalmente mecanizado e interligado entre as várias posições. Um jogador tem funções diversas dentro de uma equipa, mas não são compartimentos estanques, devem estar todas interligadas, de forma a que a produção do colectivo seja superior à soma das funções individuais. A dinâmica de uma equipa permite trocas posicionais, saídas de posição (desde que compensadas no momento da perda de bola) no sentido de encurralar a equipa adversária ou manietar um jogador num determinado momento e depende, em grande parte, da velocidade, intensidade e, óbvio, inteligência para marcar ritmos."

Neste parágrafo dizes coisas que parecem muito profundas, mas que não são nada. Isto são palavras. Dizer que a equipa é um Todo, que funciona em bloco, é fácil. Mas é preciso saber o que isso significa. E por este parágrafo completamente inconsequente, demonstras que não sabes e que gostas de mandar bitaites e escrever coisas aparentemente complexas, mas que não querem dizer absolutamente nada.

Vá, fica lá com o Liedson e com as ideias inovadoras, Monsieur Homais...

Bruno Pinto disse...

"Bom timing, miúdo. É pena que 2 minutos antes da Roma fazer o segundo golo, o Liedson tenha estragado uma jogada de golo certo e feito um passe completamente absurdo pelo ar, quando era facílimo colocar a bola à frente do Romagnoli para este finalizar. Não é fraquíssimo, o Liedson, não. Hoje o Sporting não ganha por causa dele."

Quando entro numa aula na faculdade, o prof. depreende que eu já andei na primária e, como tal, que já sei que 1+1 é igual a 2. Peço dseculpa mas esta tua frase eu não vou debater!!!!!!!!!!!


"Quanto ao resto, vamos por partes. Acho que tens que te acalmar um bocado. Goleado por um gajo que acha o Pelé bom jogador? Não me parece..."

Vê-se quem está desesperado. Isto é o típico bitaite de escape. Diz lá porque te achas mais inteligente que o F.Lobo em futebol, mas, por favor, sem te ridicularizares muito.

Quanto à parte do próximo, próximo, próximo, contaste quanats vezes meteste os pés pelas maõs? Há pouco disseste que os jogadores não são funções, agora dizes que fazer o último passe não faz parte das suas competências, dizendo implicitamente que as suas funções são outras. Contradição básica!! Criar uma jogada: pode não sr fazer o último passe, isso ele jamais fará! 'Criar' é fazer algo útil para o colectivo, para tentar chegar com perigo á area, algo consequente. Pá sei lá: ver o jogo congestionado de um lado e 'virar o flanco', progredir com a bola quando está só e passá-la apenas quando estiver um gajo a aproximar-se (desequilíbrio pequeno, mas útil), ver a bola num lateral e correr para a frente para o espaço entre onde está a bola e a área, qualquer coisa diferente do tipo recebe e passa 3 metros ao lado... Qualquer coisinha, criar, criar, sabes o que é criar? Não ser tão passivo, criar qualquer coisita!!! Dizes que ele é perfeito na primeira fase de construção com o passe invariavelmente de 3 metros, eu digo que ele é um elemento a mais, não serve para nada, não acrescenta nada. Entre um passe de 6 metros e 2 de 3 metros, prefiro o de 6, é mais rápido e menos custoso... Se eu vejo o Gattuso e Ambrosini na zona de remate? Por acaso já vi, mas, mesmo que nunca os tenhas visto aí, certamente que já os viste a correr, certo?? O Farnerud não recupera bolas coisa nenhuma, ele pode interceptar algumas jogadas, mas apenas quando os adversários são limitados e 'atiram a bola' contra ele!! Daí o PB o colocar a jogar contra o Fátima e equipas que tais... Passes que craim vantagens podem ser a rasgar (não faz) ou verticais ( não faz), acho que já aqui disse, ele só joga 3 metros para o lado. Que jogos é que andas a ver?? Quando disse que tentaste destruir o meu argumento com inteligência, estava-me a referir à do Farnerud (na tua óptica), lê a frase e percebe o contexto, porque não percebeste bem!!

"Pois depreendi. Quando dizes que há jogadores para construir (Guardiola, Pirlo, Veloso) e jogadores para recuperar bolas para que estes possam construir (Popescu, Gattuso, Moutinho), queres que depreenda o quê? Só depreendi o que me deste a depreender. E, segundo isso, não tenho quaisquer dúvidas: para ti, há jogadores com uma missão e jogadores com outra. E isso é errado, pá. Ainda que não o percebas."

Falso, falso, falso!! Não há jogadores para construir e outros para recuperar! Eu não disse isso, conclusão errada! Tu sim, dizes que há uns para a primeira fase de construção, outros para fintar, outros para chegar à zona de remate. Estás a meter os pés pelas mãos. O que eu digo é que se tiveres o Popescu, que é forte e resitente, ao lado do Guadiola, que é técnico e inteligente, isto é a complementaridade perfeita, pois o Guardiola fica mais liberto para construir desde trás, mais solto, não sofre tanta pressão, não tem tanta preocupação de recuperar que se estivesse sózinho. Tu achas que o posicionameto defensivo é tudo para se defender bem, eu digo-te que sem intensidade, esse posicionamento é ZERO! Um 442 losango exige muitíssimo dos médios em termos defensivos, dos interiores, por exemplo. Se eles, não fecharem as laterais, os laterais adversários têm autênticas avenidas para explorar e depois se não fecharem mais por dentro, o corredor central fica muito despovoado.Neste caso, com um '10' a sério, é o caos defensivo. Ou seja, posicionamento sim senhor, mas saber correr bem, obviamente!

Lampard: mais uma vez vou-te ensinar o aeiou, mas é a última vez!! Riquelme, inteligente! Lampard, inteligente! Riquelme não chega perto de Lampard, nem por sombras, descobre a diferença. Não, não é a técnica...

"Neste parágrafo dizes coisas que parecem muito profundas, mas que não são nada. Isto são palavras. Dizer que a equipa é um Todo, que funciona em bloco, é fácil. Mas é preciso saber o que isso significa. E por este parágrafo completamente inconsequente, demonstras que não sabes e que gostas de mandar bitaites e escrever coisas aparentemente complexas, mas que não querem dizer absolutamente nada.
Vá, fica lá com o Liedson e com as ideias inovadoras, Monsieur Homais..."

Eu compreendo que não tenhas entendido nada, mas está fácil de perceber. Não são coisas profundas, são coisas fáceis de perceber. Mas se não percebeste, meu caro, o problema já não é meu!

Próximo...

Nuno disse...

"Quando entro numa aula na faculdade, o prof. depreende que eu já andei na primária e, como tal, que já sei que 1+1 é igual a 2. Peço dseculpa mas esta tua frase eu não vou debater!!!!!!!!!!!"

Também não pedi para debateres!!!!!!!!!!!! Por isso, não debatas!!!!!!!!!!! Até porque debater!!!!!!!!!!!!!!!!! é para gajos com cérebro...

"Vê-se quem está desesperado. Isto é o típico bitaite de escape. Diz lá porque te achas mais inteligente que o F.Lobo em futebol, mas, por favor, sem te ridicularizares muito."

Não disse que sou mais inteligente que ele em futebol. Só disse que não serei "goleado" por um gajo que acha o Pelé bom jogador. Caso não saibas, para mim, o Freitas Lobo é um dos poucos, muito poucos, comentadores que vale a pena ler (ou escutar).

"Quanto à parte do próximo, próximo, próximo, contaste quanats vezes meteste os pés pelas maõs?"

Sim, deu nenhuma.

"Há pouco disseste que os jogadores não são funções, agora dizes que fazer o último passe não faz parte das suas competências, dizendo implicitamente que as suas funções são outras."

Ai digo? Hmmm... Não me parece. Não é da sua competência fazer o último passe, como não é da competência de ninguém. A equipa tem de criar condições para que alguém (não interessa quem) faça o último passe. Da mesma maneira que não lhe compete fazer o último passe, não lhe compete cortar bolas, ou marcar golos, ou lançar os avançados, etc. É isso que significa os jogadores não terem funções. Mas, claro está, tu não percebes o que significa. A única coisa que é da competência de cada jogador é a correcção técnica, táctica e intelectual. O resto é da competência do colectivo. Isso está escrito neste texto:

http://entredez.blogspot.com/2007/08/
o-fim-do-estruturalismo.html

Como tal, não digo "implicitamente" que as suas funções são outras. Logo, não há "contradição básica".

"Criar uma jogada: pode não sr fazer o último passe, isso ele jamais fará! 'Criar' é fazer algo útil para o colectivo, para tentar chegar com perigo á area, algo consequente. Pá sei lá: ver o jogo congestionado de um lado e 'virar o flanco', progredir com a bola quando está só e passá-la apenas quando estiver um gajo a aproximar-se (desequilíbrio pequeno, mas útil), ver a bola num lateral e correr para a frente para o espaço entre onde está a bola e a área"

Achas mesmo que o Farnerud não faz nada disto ou estás a gozar? É que se achas, não sei porque estou a perder o meu tempo contigo. É o mesmo que tentar explicar o que é a liberdade ao Mussolini.

"O Farnerud não recupera bolas coisa nenhuma, ele pode interceptar algumas jogadas, mas apenas quando os adversários são limitados e 'atiram a bola' contra ele!!"

Sim, as bolas que ele recupera são os outros que chutam contra ele. Ele é tão mau a nível posicional que está pregado na bandeirola de canto. Mas, só por acaso, os outros são tão maus que chutam para a bandeirola e o gajo recupera-a. Pá, não vás ao médico, não...

"Passes que craim vantagens podem ser a rasgar (não faz) ou verticais ( não faz), acho que já aqui disse, ele só joga 3 metros para o lado."

A rasgar, admito que não faça. Mas não é obrigatório que o faça. O Custódio não os fazia, e não precisava. Verticais faz, e faz muitos. Já o disse aqui e repito. Tirando o Pereirinha, ninguém é melhor que ele em passes verticais. O problema é que dá-me ideia que não sabes o que é um passe vertical. Quando falo de passes verticais, falo de passes rasteiros, a procurar os médios que lhe dão apoios à frente, ou os avançados. Ele faz isso, e não é pouco. Quanto ao jogar só a 3 metros, pensei que estivesses a exagerar, para dar ênfase às tuas ideias. Se estás a falar a sério, caga nisso. É provavelmente a coisa mais estúpida que já disseste.

"Falso, falso, falso!! Não há jogadores para construir e outros para recuperar! Eu não disse isso, conclusão errada! Tu sim, dizes que há uns para a primeira fase de construção, outros para fintar, outros para chegar à zona de remate."

Típico de quem não sabe argumentar. Acuso-te de um erro e tu, além de dizeres que não o cometes, tens a lata de dizer que eu é que o cometo. Mas onde é que eu disse que havia uns jogadores para a primeira fase de construção, outros para fintar e outros para chegar à zona de remate? Estás a alucinar ou quê? Os jogadores podem ter características diferentes e isso fazer com que fintem mais ou apareçam mais em zonas de remate. Mas isso depende das suas características; nunca das suas funções em campo. Tu, ao dizeres que o Guardiola fica mais liberto pela acção individual do Popescu, é que só podes acreditar que o Popescu tem uma missão e o Guardiola outra. E isso é falso. Tu nem sequer percebes aquilo que eu digo que são funções.

"Tu achas que o posicionameto defensivo é tudo para se defender bem, eu digo-te que sem intensidade, esse posicionamento é ZERO!"

Mas tu achas que sem se correr constantemente é possível ocupar, a cada instante, o espaço correcto? Logo, que se posicionar bem, tem automaticamente intensidade nesses movimentos. E o Farnerud, a esse nível, tem intensidade de jogo. Não a tem, e isso admito, com a bola. Mas não a tem por opção.

"Eu compreendo que não tenhas entendido nada, mas está fácil de perceber. Não são coisas profundas, são coisas fáceis de perceber. Mas se não percebeste, meu caro, o problema já não é meu!"

Mas eu disse-te que não percebi? Disse-te que tinha percebido perfeitamente. E disse-te que aquilo não queria dizer nada. Simplesmente porque não quer dizer nada. São palavras sem significado. E palavras sem significado são coisas escusadas.

P.S. Gosto da forma como viras as coisas ao contrário, dizendo que eu é que tenho os teus defeitos, e a forma como repetes as coisas que eu digo, como o caso do "próximo". E originalidade, não, ó Homais?

Bruno Pinto disse...

Não entres em parafuso...

"O que é criar uma jogada? Fazer o último passe? Se sim, não faz parte da sua competência". Ou seja, depreendo que seja dos mais criativos, ele faz muito bem o que lhe compete, a 1ª fase de construção. Isto foi o que disseste.

"Não é da sua competência fazer o último passe, como não é da competência de ninguém." Quer dizer, agora fazer o último passe, fazer a 1ª fase de construção, etc, etc, não são competências de ninguém em particular, mas sim do colectivo...

Em que ficamos? Contradição primária. Olha eu já percebi a tua. Epá já estás a admitir que afinal é preciso correr um bocadinho... E não insinues que eu gosto é daqueles que correm à maluco, porque isso é desonestidade intelectual. Eu gosto daqueles que sabem correr, mas que corram, não disse NUNCA que gosto daqueles que perseguem adversários ate ao balneário. Posicionamento por si só é ZERO. E o Farnerud não tem absolutamente mais nada, além dos bons pés para passes de 3 metros.

Acho que já sei o problema disto tudo: acho que andas a ver jogos diferentes dos meus...

Bruno Pinto disse...

"Mas tu achas que sem se correr constantemente é possível ocupar, a cada instante, o espaço correcto? Logo, que se posicionar bem, tem automaticamente intensidade nesses movimentos. E o Farnerud, a esse nível, tem intensidade de jogo. Não a tem, e isso admito, com a bola. Mas não a tem por opção."

Ehehehe, ó Nuno tu, de facto, até és engraçado... LOOL deves estar a gozar comigo, só pode, eheheh. Pá não vale a pena dizer mais nada sobre o sueco, acho que o people já entendeu tudo...

Porta-te bem...

Bruno Pinto disse...

PS: quando falaste de passe vertical eu pensei que era um passe para o próprio guarda-redes desde o meio-campo, mas na vertical, tipo em linha recta... LOOL. Pá, admito, sou muito limitado à tua beira.

Gonçalo disse...

pois bruno é por isso q nunca vais poder enxergar para alem do superficial. se te disser que o liedsonfez uma exibição horrivel, tu obviamente nao vais concordar. Mas fez. Conta as perdas de bola infantis. Pelo teu ponto de vista o bueno é bom. O ano passado fez um golo nesta competição. E o deivid dp do golo com o inter é fabuloso. Mas olha q este deivid é provavelmente o melhor avnçado do sporting nos ultimos cinco anos...e falo a sério...

Pedro disse...

Bem para completar o ramalhate só falta alguem vir para aqui dizer q Deco é um dos melhores jogadores do mundo...

É surreal o q se lê nesta caixa de comentários: Farnerud é bom, Liedson é mau, Pilro não precisa de Gattuso. Surreal...

Pilro é um fenómeno, um jogador de eleição, perfeito para a táctica do Milão. E pq? Pq à sua frente tem o Gattuso e não só, tem tb um Ambrosini muitas vezes. E Pilro joga ATRÁS destes dois "carregadores de piano" q fazem todo o trabalho sujo libertando Pilro para fazer com genial mestria a construção do jogo do Milão. Achar q Pilro conseguia fazer o mesmo sem o apoio fisico dos dois colegas é não perceber NADA de futebol. NADA.

Quando Liedson é de longe o melhor jogador do Sporting, com um rendimento fantástico a nível de golos e, apesar disso, não se esconde do trabalho duro de ajudar a equipa nas tarefas defensivas e mesmo assim é considerado fraco por alguns...está tudo doido. Lembra-me a discussão que tive com um camarada benfiquista q dizia q o Benfica jogava pior com Simão em campo...

Nuno disse...

Pedro, o Pilro talvez precise do Gattuso e do Ambrosini. Já o Pirlo não precisa. Não perceber NADA de futebol é achar que o Pirlo só é um grande jogador porque tem jogadores a trabalhar para ele. O Zidane também só era bom porque tinha o Patrick Vieira, não? E o Fabregas, no Arsenal, é bom porquê? Não há ali ninguém que só faça o trabalho sujo. É uma grande estupidez pensar que um jogador é bom porque os outros fazem o seu trabalho árduo.

Quanto ao Deco, nem percebo qual é a dúvida. É dos melhores do mundo na sua posição.

Monsieur Homais, falas demasiado em desonestinade intelectual, para quem inventa coisas que os outros dizem.

Dizes que eu digo isto: "O que é criar uma jogada? Fazer o último passe? Se sim, não faz parte da sua competência". Ou seja, depreendo que seja dos mais criativos, ele faz muito bem o que lhe compete, a 1ª fase de construção. Isto foi o que disseste."

Mas eu digo isto: "O que é criar uma jogada? Fazer o último passe? Se sim, não faz parte da sua competência. Se criar uma jogada é participar de alguma fase de construção da mesma, então, quando digo que ele é perfeito nas primeiras fases de construção, está implícito que ele participa das jogadas."

Portanto, não me venhas dizer que depreendes que, por o último passe não ser da competência do Farnerud, só pode ser da competência dos mais criativos. Não disse isso. E repito, pela última vez, a ver se percebes: não é da competência de ninguém, nem dele, nem dos criativos. Porquê? Porque a única competência dos jogadores é terem, a cada momento, as melhores opções, serem perfeitos tecnicamente e estarem bem colocados. O resto é da competência do colectivo. Eu sei que não vais perceber, mas está dito. Agora vem-me com merdas a dizer que eu disse outra coisa. Portanto, não podes depreender que eu, ao dizer que ele, na primeira fase de construção, é bom, estou a dizer que faz o que lhe compete. Agora, é natural que, na sua posição, tenha que assumir as primeiras fases de construção. E, nesse sentido, ele fá-lo bem. Como vês (se conseguires ver, o que duvido), não há contradição primária, ó Homais!

"Epá já estás a admitir que afinal é preciso correr um bocadinho..."

Lá está, continuas a inventar. Mas eu disse alguma vez que não era preciso correr? Parece que, não resultando um ataque, inventas outro para ver se pega. Já metes pena...

"E o Farnerud não tem absolutamente mais nada, além dos bons pés para passes de 3 metros."

Pronto, se achas mesmo isto, se não é exagero, então sim, não percebes nada de futebol. Não adianta argumentar com uma pessoa que acha que está a chover num dia de céu limpo.

"PS: quando falaste de passe vertical eu pensei que era um passe para o próprio guarda-redes desde o meio-campo, mas na vertical, tipo em linha recta... LOOL. Pá, admito, sou muito limitado à tua beira."

Talvez tenhas pensado, ó Homais. Em passes verticais é que não pensaste, se não percebias que o Farnerud é óptimo nisso. O teu problema é que não foste com a cara dele. Não sabes porquê, mas não gostas dele. Começaste por dizer que era por não ter intensidade de jogo. Quando viste que isso não chegava, tentaste dizer que o rapaz não tinha mais nada. Quando percebeste que não eras convincente, foste ao extremo de dizer que ele só faz passes de 3 metros e que passa o jogo estacionado na bandeirola de canto. Daqui a nada estás a dizer-me que ele não é bom tecnicamente, só para ver se consegues levar alguma coisa desta conversa. Com esse tipo de discurso, também posso alegar que o gajo corre desalmadamente, que executa muito rápido, que tem mais intensidade de jogo que o Essien. Se disser isso, levo a minha avante. De certeza. E não fazia mais do que tu, ou seja, falsear a verdade para ficar por cima. Tenho uma novidade para ti: argumentar é pegar em factos e tentar explicar, consoante esses factos, por que é que as coisas acontecem. O que tu fazes é alterar os factos a teu favor para chegar à explicação que queres. Isso não é argumentar; isso é dizer: "Eu é que sei e mais nada. Quero lá saber se o gajo tem duas pernas. Para mim é perneta." Isso não é argumentar, Homais. E já que falas tanto em desonestidade intelectual, deverias começar por perceber que alterar factos para parecer convincente não é outra coisa que não desonestidade intelectual. Se continuas a achar que o Farnerud não faz passes verticais, não corre para se posicionar convenientemente e só faz passes de 3 metros, ficamos por aqui. Não estou para andar à porrada para tentar demonstrar que o Obikwelu é preto. Se não consegues ver isso (porque não consegues mesmo ou porque não te dá jeito) fica lá com as menções honrosas, ó Homais. Agora, se quiseres debater a sério a qualidade do sueco e se aceitares aquilo que ele tem, continuo a perguntar: explica-me por que é que ele não presta, tendo tudo isso.

Pedro disse...

Ò nuno qd se inventa ideias aos outros para sustentar a nossa argumentação é muito mau sinal...

Ninguem diz q o Pilro é bom jogador pq tem Gattuso. O q é evidente é q o Pilro naquela posição com aquele trabalho necessita de ter os chamados "carregadores de piano" a ajudarem-no. Zidane foi o melhor do mundo mas sem alguem nas suas costas a suportar o esforço defensivo não teria possibilidade de explanar todo o seu futebol. E foi excelente teres puxado o Zidane à conversa pois é um exemplo muito bom para o que estou a argumentar: compara o Real Madrid com muitos dos melhores jogadores do mundo no seu 11 qd tinha Makelelé e depois sem Makelelé. E o Zidane, o Figo, o Raul etc estavam lá todos e continuavam a ser os melhores...

Pilro tem capacidade técnica genial que lhe permite iniciar com mestria os processos ofensivos mas não é ele o jogador que faz pressão defensiva, nem podia ser, pois não são essas as suas características. E antes q digas se eu nunca vi o Pilro a roubar bolas, sim já vi, da mesma forma q já vi o Rui Costa e o Liedson e o Zidane a fazerem-no, e isso não os torna médios defensivos com capacidade de pressionar.

Bruno Pinto disse...

Estou esclarecido Nuno, já não dizes coisa com coisa. Afinal, não percebes tanto de futebol como aparentas. Com blá, blá, blá, não vais lá!

PS: Não rebateste UMA única ideia do que eu disse, NADA! Argumentos palpáveis, ZERO! Agora, ironias e estupidez, és o maior!

Nuno disse...

Pedro, repito, se falas do Pilro, talvez tenhas razão. Se queres dizer Pirlo e não Pilro, então não tens razão. Simples. Já o disse aqui. Os jogadores não têm funções. O Gattuso não tem a função de recuperar bolas para o Pirlo. Isso é falso. Ponto.

Quanto ao Zidane, achas mesmo que ele jogou menos do que quando tinha o Makelele? O Real pode ter jogado menos, mas o Zidane não. E achas que o Makelele é o típico "carregador de piano". A minha pergunta é: Será que o Real era uma equipa mais equilibrada porque o Makelele fazia o trabalho sujo dos artistas ou era mais equilibrado porque o Makelele era posicionalmente muito bom? Acho que isto é óbvio, mas pronto.

Resumindo, não precisas de carregadores de piano coisíssima nenhuma. Precisas que os teus 11 jogadores estejam bem posicionados em campo. Se assim for, não precisas de tipos a recuperar bolas para outros, como pretendes.

Nuno disse...

Monsieur Homais diz: "Não rebateste UMA única ideia do que eu disse, NADA! Argumentos palpáveis, ZERO! Agora, ironias e estupidez, és o maior!"

Ena, além de seres deprimente ao ponto de ires falseando factos, és cego e não vês que tudo o que fiz foi dizer e demonstrar que não tinhas razão em cada uma das tuas ideias. Ainda bem que ando a perder tempo com tipos assim...

"Estou esclarecido Nuno, já não dizes coisa com coisa."

Acabei o meu post anterior com uma pergunta clara. Optaste por não responder. Afinal, quem é que não diz coisa com coisa? É o que eu digo: apontas-me os teus próprios defeitos. É fenomenal, essa inversão das coisas...

Vá, fica lá com o prémio "Eu salto mais à corda que tu", que eu não me importo...

Pedro disse...

Ok..tu refugiaste-te em pormenores gramaticais e adjectivos para fugires ao debate.

"Precisas que os teus 11 jogadores estejam bem posicionados em campo"

Claro...Metes o Zidane bem posicionado como central e a coisa corre bem, metes o Gattuso bem posicionado como ponta de lança e está tudo bem. As características de cada jogador e as funções de cada posição são totalmente irrelevantes...É preciso é q esteja tudo bem posicionado seja lá isso o q for na tua interpretação.

Nem tu acreditas no q dizes...

Nuno disse...

Ya, pedro, continua a dizer parvoíces e a fazer disso argumento. O que digo, e é a última vez que o digo (que não estou para dar corda a quem não quer ler), é que uma equipa ganha equilíbrio pela organização posicional e não por ter um jogador para uma função e outro para outra. Isto significa que o Real precisava, sim, de um jogador nas costas do Zidane, mas não de um jogador para fazer o trabalho sujo e dar liberdade ao Zidane. O que o Makelelé fazia não era andar a recuperar bolas para dar ao Zidane. O que ele fazia era cobrir o seu espaço, coisa que outro gajo, se tivesse as mesmas qualidades do Makelele, faria. Sem um jogador a jogar nessa posição, como no tempo do Queiroz, a equipa perdia equilíbrio. Mas não era por não haver gajos para recuperar bolas. É só isto. Vê se compreendes. Se não compreenderes, paciência. O que vale é que no teu clube tens o Binya e, segundo aquilo que defendes, deves estar bastante orgulhoso disso...

Nuno disse...

"As características de cada jogador e as funções de cada posição são totalmente irrelevantes..."

Não há funções de cada posição. Vê se compreendes isso...

Bruno Pinto disse...

Ó Nuno, vai8 ao início dos teus comentários e vê o que disseste em matéris de 'correr' e vê o que disseste agora mais para o fim! Ou és um metiroso de primeira com a mania que és pintas, ou és burro que nem uma porta! Mas ok, já aqui disseram, tanta conversa de merda que tiveste para dizer que um jogador medíocre é bom jogador, já demosntra o teu QI. És mesmo triste pá! E digo, argumentos palpáveis, ou seja, com fundamento, ZERO! Paleio, muito, verdades, ZERO! E sobre o Farnerud, fini! Um gajo que diz que o Farnerud faz coisas que não faz, merece ficar a falar sózinho, porque és mentiroso!

Nuno disse...

Monsieur Homais, não encontro, nos meus comentários anteriores, nada que contradiga o que disse agora sobre "correr". Se tens tanta certeza do que dizes que eu disse, por que não vais lá tu e me dás exemplos? É que eu não sou de fiar: há quem diga que sou "um mentiroso de primeira" ou "burro que nem uma porta" Se bem que não concorde muito com isto. Não serei antes parvo como uma mesa de cabeceira? Ou estúpido que nem um autoclismo? Talvez. Mas olha, Homais, ainda bem que partimos para os insultos e deixámos de falar de futebol. Ia jurar que quem faz isto não tem coisas interessantes para dizer.

P.S. Escrever certas palavras como "ZERO" ou "NADA" em maiúsculas é para compensar alguma coisa ou é só tique?

Gonçalo disse...

Como é que se pode defender que uma equipa deve funcionar como um todo e dp falam de carregadores de piano e gajos q fazem o trab sujo de outros? e ja agora o q é o jogo fisico? Numa equipa que funcione como um todo a importancia de um avançado no processo defensivo é igual á de um central. apenas terá menos visibilidade. já agora o levezinho o melhor do sporting? Pa e esforça-se em tarefas defensivas? falas do lance em q ele deitou abaixo o lateral esquerdo do sporting? E já agora as caracteristicas do pirlo nao são de pressionar? mas tas parvo? Quais é q são as caracteristicas q um jogador tem de ter p pressionar? Uma crista e dentes afiados? que triste!!!

Bruno Pinto disse...

Pensando melhor, acho que és que nem um autoclismo - acção de despejo de asneiras. A letra maiúscula é porque, além de mentiroso (o que me tira a vontade de debater seja o que for) também vês mal. Ou seja, é para te ajudar a visualizar o texto.

De resto, quem ler os comentários de uma ponta a outra percebe as tuas contradições primárias e a dificuldade em aceitá-las. Não queiras fazer de todos os que lêm parvos. E neste post não digo mais nada. No próximo que fizeres só. Ui, eu disse próximo?? Desculpa lá.

PS: Não te insultei em nenhuma parte do texto, disse a verdade apenas.

Ivo disse...

FACTO: o Farnerud é um jogador mediano. É bom sim mas para uma equipa de meio da tabela. Nem para suplente do Sporting serve porque não tem nem de perto nem de longe as qualidades do jogador que costuma substituir (Moutinho).