quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Um jogador leal

Jesualdo já tinha dito que nunca viu Bruno Alves a agredir ninguém. Se no caso do professor a idade pode justificar a existência de cataratas, no pai de Bruno Alves parece-me que o caso deve ser clínico. Segundo este artigo, Washington Alves, pai de Bruno Alves, veio defender o filho, dizendo, entre outras coisas, o seguinte:

"Bruno é um jogador leal e limpo a jogar".

Leal tipo como quem tem lealdade? E as cotoveladas, os pontapés nas costas, os pisões, o que são? Demonstrações de carinho? E limpo tipo como quem arranca a cabeça a outro de forma limpinha?

"O Bruno está preparado para tudo, mas é natural que acabe por se retrair se as punições se repetirem..."

De facto, também me parecem exagerados os dois cartões amarelos da época passada. Afinal, não há nenhuma lei que diga que costelas partidas, ombros deslocados e olhos arrancados seja passível de punição. Agora, ia era jurar que a intenção das punições é retrair ímpetos violentos. Mas se calhar estou errado...

"é natural que acabe por se retrair se as punições se repetirem e procure jogar de acordo com os critérios dos árbitros."

Pois, isso agora era lixado, se ele tivesse que começar a jogar de acordo com as regras. Eu quando jogo xadrez também me sinto um bocado prejudicado por os meus peões não poderem andar mais do que uma casa ou por a minha rainha não poder jogar três vezes seguidas.

"O que não é bom para o jogador, nem para o FC Porto."

Obviamente que não é bom para o jogador. Tem toda a razão. Sem o taco de baseball, o Bruno Alves fica claramente mais fraco. E o Porto, impossibilitado de alinhar com 11 tanques de guerra, também fica mais débil. Onde é que já se viu ter de jogar com onze seres humanos?

"Um defesa-central tem de ser viril."

Eu diria que um defesa-central tem de ser defesa-central, mas eu também tenho a mania que sei tudo.

"ninguém contrata uma bailarina para jogar na área, onde é preciso agir e decidir em fracção de segundos."

Bailarinas para jogar na área, segundo o senhor Washington, é mau. Já gorilas, como o filho, faz todo o sentido. Mas o argumento do senhor Washington é claro: Bruno Alves tem de ser viril porque é preciso agir e decidir em fracção de segundos. Para este senhor, a velocidade de raciocínio depende exclusivamente da virilidade. O homem mais rápido é aquele que bate mais nos outros. Parece-me um raciocínio um bocado arriscado, mas talvez faça sentido. E na escola, quando tinha que fazer contas de cabeça, o Bruno Alves espancava os colegas para pensar mais rápido? Ouvi dizer que se pensa com o cérebro e não com os cotovelos ou com a sola da bota. Mas deve ser mentira. Por isso, faz sentido que ele seja viril. Se espernear de maneira a acertar em tudo o que mexe, é provável que consiga chegar primeiro à bola que os adversários, logo, pensa e executa mais rápido.

Nota final: Estas declarações explicam muita coisa. A educação de Bruno Alves e de Geraldo, seu irmão e também um defesa central amigo das pernas adversárias, deve ter sido complicada. Quais terão sido as suas primeiras palavras? "Estropiar"? "Sarrafada"? "Uga Uga"? No Natal, enquanto os amigos deles recebiam bonecos, bolas de futebol e consolas de vídeo, Bruno Alves e Geraldo recebiam o quê? Ringues de boxe? Paredes de tijolos para praticarem a joelhada rotativa? E qual seria a actividade que fariam em conjunto com o pai? Caça do javali à cabeçada? Quando chegavam da escola com uma negativa, será que o castigo eram duzentas placagens à mãe? E nas férias, será que iam para a praia como as outras famílias, ou iriam antes partir pedra com os cotovelos? Não deve ter sido fácil, não...

31 comentários:

Anónimo disse...

tu só podes ser uma besta...

Anónimo disse...

Tou a ver o real madrid-sporting e apesar de achar que és uma besta na forma como falas de alguns jogadores, reconheço que o Paulinho bento é maior besta que tu ao deixar o pereirinha no banco ou pô-lo a jogar a lateral.

jp disse...

Ainda não parei de rir!!! Muito bom post!!!

O Bruno Alves para bem da carreira é bom que nunca saida do Porto. Caso saia e tenha que jogar de igual para igual, podendo ser expulso como os outros, vai mostrar que é jogador banalissimo aos mais distraidos, que apenas podem dizer que ele é bom, fechando os olhos aos crimes que comete em campo!!

abraço

Paulo Santos disse...

Grande Nuno, extraordinário texto. Consegues transmitir a maior lucidez e de forma bastante humorística!

Ri-me tanto a ler este texto como me ri ao ouvir o energúmeno que comentou o jogo da Supertaça, quando disse que o Bruno Alves é um dos melhores centrais da Europa!


Abraço

Paulo Santos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cajo disse...

Melhor foi o gajo hoje a dizer que "o Sporting ganhou a segunda parte por 2-0"



Ainda bem que põe comediantes a comentar jogos de futebol...

Batalheiro disse...

Gosto muito do conceito "um central é agressivo porque tem de pensar rápido". É como dizer: "Um Arquitecto é mal-educado porque tem de ter raciocinio abstracto".

Pedro disse...

Muito bom!!!!

BAD-RELIGION disse...

e para quando só utilizadores registados poderem comentar?

Anónimo disse...

Cajo,

se não ganhou 2-0 na segunda, o real também não ganhou 5-1 na primeira...

Se calhar empataram os dois!

Às vezes o ridiculo está mais no que queremos ouvir do que naquilo que ouvimos...

cajo disse...

mas tem alguma lógica isso que disseste? Alguma vez o jogo ficava 2-0 na segunda parte se nao tivesse ficado 5-1 na primeira? Principalmente num amigável...às tantas agora só se jogavam os segundos 45 minutos, aposto que o Sporting era campeão europeu...poupa-me...



quanto ao Bruno Alves, é um jogador que, se deixasse de mandar pontapés nas nucas dos jogadores com quem salta cada vez que vai a bola, podia um dia ver a ser um central decente...

Anónimo disse...

entao o real ganhou 5-1 na primeira e 0-2 na segunda é?!

Se o Setubal aqui há uns anos nao tivesse levado 7 em roma também nao ganhava 2-0 na segunda mao... Será que perdeu, então?

Já pareces o Nuno...

cajo disse...

lol tás a fazer exactamente o que os comentadores fizeram...dizer as coisas de maneira a irem para o teu lado...

Para já, um jogo só não tem nada a ver com uma eliminatoria, depois, já que se trata de uma eliminatória, é óbvio que perderam - a eliminatória.

O que eu estou a dizer é que, vamos supor que o jogo tinha ficado 2-1 na primeira parte e 1-1 na segunda(resultado final 3-2)...os gajos diziam que o Sporting tinha empatado com o Real na segunda parte? E se tivesse sido 1-0 na primeira e depois 0-2 na segunda?(resultado 1-2), eles diziam que o Sporting tinha ganho a segunda parte?Não, diziam que o Sporting tinha ganho o jogo.

A problema aqui não é eles dizerem que o Sporting ganhou a segunda parte, o problema é que disseram isso claramente por causa da primeira parte falhada, de maneira a diminuir a "vergonha"(que eu não acho propriamente uma vergonha, era um jogo diferente, não há que ter vergonha) que eles possam ter sentido pelo resultado ao intervalo.

Anónimo disse...

é evidente que estar 5-1 ou 0-0 é diferente para a atitude das equipas na segunda parte. Isso não se discute. Agora, se o parcial é 0-2 foi o Sporting que ganhou, assim como o 5-1 da primeira parte. Pelo mesmo prisma se poderia dizer que o 5-1 ao intervalo não pode ser evocado porque o jogo tem 90 minutos e o Sporting iria reagir na segunda. Neste caso, sobretudo, parece-me fazer sentido partir o jogo em 2 porque as equipas foram diferentes nos 2 tempos.

Há muitas asneiras na TV, mas não me parece que esta seja uma delas...

rita disse...

Concordo plenamente com o Nuno. A primeira vez que vi as qualidades futebolísticas do Bruno Alves foi quando ele tentou matar o Nuno Gomes durante um clássico. E, segundo me recordo, ele nem sequer foi expulso. De qualquer forma, mesmo que não concordasse com o Nuno, não dizia. Só porque ele é bom na cama ;D

Anónimo disse...

Acho que esta Rita é o Gonçalo...

Anónimo disse...

Se ele tentou matar o Nuno Gomes é porque tem uma costela benfiquista!

Anónimo disse...

Grande blogue. Parabéns !

Passe também em:

www.passe-curto.blogspot.com

abraço !

Gonçalo disse...

Bad, eu percebo a essência da tua questão, aliás, a mesma já foi debatida, por mim e pelo Nuno.

Todavia, chegamos à conclusão que a malta que vem para aqui só dizer merda, não deve ter vida, como tal, não é o simples facto de se ter de registar que os vai afastar das nossas caixas de comentários, até pq este cantinho é o que existe de mais excitante na triste "vida" destes individuos.
E, por outro lado, poderia resultar no afastamento de malta que, apesar de gostar de participar,( qd tem tempo para isso.) tem mais que fazer na vida do que se registar para poder dar a sua opinião(por mais valiosa que ela pode ser). Por isso, por respeitar meia dúzia de pessoas que com as suas participações, concordando ou não com o que se escreve, acrescentam sempre algo a este espaço, optamos por manter esta situação. Mas compreendo, claramente, a legitimidade da tua sugestão.

Um abraço

Fernando disse...

Não percebo a crítica, afinal o homem acabou por não dizer mentira alguma sobre o filho...

"Bruno é um jogador leal e limpo a jogar"
- Pode ser verdade sim. É um jogador leal porque com certeza é o Jesualdo que lhe sugere as "delicadezas". É limpo porque toma banho antes de pisar o relvado. Perfeitamente normal.

"O Bruno está preparado para tudo, mas é natural que acabe por se retrair se as punições se repetirem..."
- Novamente, toda a razão do Mundo está do lado do pai de B. Alves. Se até agora fez o que fez e não levou cartões, porque não continuar a fazer? Se for punido talvez pare, como não é, continua a espalhar perfume pelos relvados.

"O que não é bom para o jogador, nem para o FC Porto"
- Óbvio. Onde já se viu começarem assim de repente a mostrar cartões aos jogadores do Porto por agressões que até agora nem partiram nada? Quando partirem logo se vê...

"Um defesa-central tem de ser viril"
- Mais uma vez com razão. Ele não especificou onde. Se for num ringue de boxe ou numa rixa de rua, não tem outra hipótese.

"ninguém contrata uma bailarina para jogar na área, onde é preciso agir e decidir em fracção de segundos"
- Novamente, brilhante! Nunca vi um clube de futebol contratar bailarinas para jogar na área. Normalmente elas entram ao intervalo para animar a malta, mas na área não podem entrar, descentraliza a coisa.


Há jogadores a quem uma temporada a ver jogos da bancada não faria mal algum. Bruno Alves é um deles. Não é nada mau jogador mas a insistência em agressões sem sentido deveria ser reconhecida com uma catadupa de cartões correspondentes. Porque é que não saem do bolso do árbitro é um mistério em Portugal.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Bravo fernando, se era para ter piada... Continua a tentar.

Fernando disse...

Não era caro anónimo. De todo! Não precisas de te preocupar.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

Ainda bem, é que se fosse, era para ficar preocupado. Assim já fico descansado.

Pedro Caldas disse...

Oh coitado do homem este ano levou logo um cartão na 1a jornada...já vai ser difícil manter os dois do ano passado...mas nunca se sabe... eu já acredito em tudo...vou esperar pa ver... abraço

Anónimo disse...

Ja t passas por anonimo ó nuno?

Anónimo disse...

Tao nunocas qdo admites q ehs o anonimo ai acima? eh so coments parvos por aki a tentar ter piadinha, (a comecar nn post inicial q eh duma falta de esperteza gritante a tentar ter piadinha saloia) exceto os meus claro

Nuno disse...

Qual anónimo, anónimo?

Anónimo disse...

O anonimo acima, anonimo, ker-se dizer, nuno. O tal q critica essa merda ai de coment e fez ,1 post inicial ainda + xato foda se. Deu-te pra foder o unico neuronio q restava? inocentezinho

Nuno disse...

Anónimo, o que não faltam aí são anónimos. Sê específico. Não sei o que estás a querer insinuar, mas até gostava de ficar a saber. Sobretudo porque é sempre engraçado ver a paranóia de malta que não tem vida...

Fernando disse...

Nuno, acho que o anónimo está a insinuar que foste tu que me respondeste também como anónimo...

Não sei se é verdade, nem sequer interessa. Mas volto a repetir, o meu comentário não era para atingir "piadinha" mas sim para levar para o limite do ridículo as palavras do pai de Bruno Alves, de uma cegueira incompreensível mesmo para um pai. Mas esses anónimos não parecem conseguir ou querer lá chegar. Enfim...

Cumprimentos

Nuno disse...

Fernando, pensei nisso, mas achei tão ridículo, uma vez que os discursos são tão diferentes, que achei que era outra coisa... Percebi o teu comentário dessa maneira e concordei com o seu teor.

Cumprimentos