quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

Tragédia Grega... e não só.

Qual a responsabilidade de um capitão de equipa? Decerto que não se esgota na escolha de bola ou campo. Mais do que uma extensão do treinador, deve ser um ponto aglutinador do grupo. Não vou na teoria de que são eles que têm a obrigação de puxar pela equipa no momentos difíceis, mas sim que deverá partir deles o primeiro passo para serenar os ânimos. No entanto, há jogadores que, pela sua personalidade, conseguem com a sua atitude empolgar os restantes companheiros. Jorge Costa era um exemplo claro dessa força interior. A maneira "espalhafatosa" como manifestava o seu querer, por vezes, levava-o a cometer alguns excessos, mas na hora de pesar os prós e os contras da sua maneira de ser, braçadeiras arremessadas à parte, o saldo era positivo. Portanto, não defendo que haja um modelo ideal de capitão de equipa, mas que há certos deveres e responsabilidades que não podem ser esquecidos na hora de escolher o homem para esta honra. Espírito de liderança, repito, e uma atitude exemplar perante o grupo que capitaneia.

Ora, não podemos exigir aos nossos "pares" aquilo que não podemos oferecer. No caso do central benfiquista, Luisão, este facto salta à vista. O brasileiro será, do presente plantel, o jogador que mais quezílias promoveu no seio benfiquista. Desde Karagounis, passando por Marcel, não esquecendo um acesso de fúria, totalmente despropositado, para com Rui Nereu, num jogo contra o Belenenses, e agora envolveu-se com Katso. Não digo que o grego está isento de culpas, mas a verdade é que a surpresa não veio do facto do Luisão se envolver numa situação destas, mas sim pelo facto do pacato grego ter "perdido" a cabeça. Mas a verdade é que o raspanete de Luisão, para além de injusto, foi totalmente despropositado. Mesmo que ele o tivesse dado ao principal culpado pela má definição daquele lance, Petit, nada justificava o aparato da sua chamada de atenção.

Neste lance, não só se tornou visível a inadequação de Luisão para este tipo de funções - pois se Katso não tem o direito de reagir daquela forma a um exagero de um colega, Luisão, na condição de capitão, tinha a responsabilidade de serenar os ânimos e não crescer, face à "cólera" demonstrada pelo grego - como a má gestão da direcção do Benfica. Luisão teve uma penalização mais "leve" por ser capitão? Como? Então o facto de ser capitão serve para, de alguma forma, beneficiar de imunidade? Como é que é possível que um elemento que tem mais responsabilidades dentro de um grupo tenha um tipo de tratamento mais "brando"? Um jogador, por beneficiar do estatuto de capitão de equipa, terá sempre de assumir mais responsabilidades e as respectivas consequências das mesmas perante o grupo, numa situação de indisciplina.

Não só esta atitude torna o clube da Luz mais fraco do ponto de vista desportivo, ao afastar um dos seus melhores jogadores, como a diferença injustificada que se fez sentir na maneira como lidaram com os diferentes jogadores poderá ter uma influência negativa no grupo.

25 comentários:

Pedro disse...

Continuo a achar q Luisão não fez demais. É perfeitamente normal ver centrais ou os guarda redes a refilarem com os colegas qd o adversário faz uma jogada perigosa fruto de erros defensivos. Mesmo q os centrais ou guarda redes tenham culpa nos erros. É normal e não acho q o reparo do Luisão tenha sido algo de transcendente.

A reacção de Katsouranis é q foi completamente descabida. E para quem diz q aquilo é normal só peço q me dêem mais 5 exemplos de situações idênticas. Não é normal e todos nós sabemos bem disso.

Agora a forma como a SAD do SLB puniu os jogadores apesar de compreensível foi mal conduzida. A menor sanção a luisão não pode ter como base o facto de ele ser capitão. É errado. Muito errado. E Kats teria q ser castigado, duramente, mas nunca afastado do grupo de trabalho.

Isto seria possivel numa Direcção q de facto defendesse o clube e não numa Direcção mais preocupada em alimentar vaidades pessoais. E assim se desperdiça um activo valioso da equipa de futebol...

Gonçalo disse...

Não digo que a reacção do katso não é "descabida", o problema é que o luisão, para além de repreender a pessoa errada, não o fez da maneira mais correcta, sendo ele capitão. E em relação ao não ter sido nada demais, não sabes em que termos o Luisão se dirigiu ao Katso. O que eu referi, e isso é verdade, é que o Luisão é recorrente neste tipo de situações.

pedro silva disse...

Concordo com um senão. quem teve a culpa no lançe foi o katso e não o petit. Aliás, este lance é recorrente. Se virem os jogos com atenção o Katso falha um passe atrasado ou um daqueles que Nunca se fazem pro centro do terreno praticamente TODOS OS JOGOS! Não percebo como ninguem repara nisso. è um jogador bom. mas esses passes podem deitar tudo a perder e neste caso deu barraca mesmo. Alem disso ele tem mtas falhas defensivas mtas delas inadmissiveis.

Sei que muita gente gosta dele mas eu, reconhecendo-lhe as qualidades que tem, acho que tem defeitos a mais para jogar no benfica.

cumprimentos

Pedro disse...

Gonçalo o Schemeichel quase q batia nos colegas qd refilava...no calor do jogo ninguem vai dizer "prezado companheiro de equipa, peço desculpa por incomodá-lo, mas, não pondo em causa a sua apurada capacidade técnica nem o seu brio, tenho que lhe chamar a atenção pela decisão menos correcta que teve à pouco"...é normal as caralhadas e afins sairem da boca para fora numa situação daquelas...

Gonçalo disse...

Lá esta eu admito que a maneira como os jogadores se manifestam é condicionada pela sua personalidade. O problema é que no Luisão so se observa o lado negativo. Ou seja, o Schmeichel, tanto era exuberante nas suas chamadas de ateñção, cm o era a puxar, e a empolgar a equipa. Ja o luisão so se da por ele qd é para ralhar! E so porque o dinamarquês o fazia, não quer dizer que ele fosse uma boa influ^^Encia.
Em relação ao principal culpado não ser o petit... Discordo, o grego viu-se sem linhas de passe, porque o português pura e simplesmente não se preocupou em dar apoios. A movimentação do katso naquela situação, sem apoios, dificilmente poderia resultar em algo de bom. A outra opção para o grego naquela situação seria um lance individual, o que naquela situaçao era desaconselhável. Não estou a dizer que o grego esteja isento de culpas, mas não é o principal responsável. na minha opinião os erros de execução são muito mais toleraveis do que os de interpretação.

pedro silva disse...

Se forem rever o lançe vao ver que o katsouranis faz o passe SEM OLHAR sequer. Sentiu-se apertado nas costas e de primeira passou a bola pra tras sem sequer olhar para onde estava o Petit! Nem é preciso ver com muita atenção para perceber isso! Nunca mas NUNCA se faz um passe destes para o centro do terreno MUITO MENOS SEM OLHAR! Para alem disso ele tinha mais opçoes. Ou nao passava de primeira e ia em direcçao da linha a espera de ajuda ou executava a tabelinha como o outro colega esperava. Se falha-se nenhum mal vinha ao mundo. Já o que ele fez é inadmissivel!

cumprimentos

vejam aqui
http://www.youtube.com/watch?v=CaRGwa2SXGo

Gonçalo disse...

Pedro, a bola vinha daquele lado. Errado é optar por fazer regressar a bola aquele lado. Qt á tabela, mt dificilmente ela resultaria. Acredito que a opção idela seria rodar o jogo. Não estou a dizer que o Katso esteve bem, apenas digo que o Petit se estivesse bem colocado, e tivesse dado a linha de passe adequada, este lance não acontecia. Uma correcta colocação do petit, permitia-lhe receber esta bola, ou na pior das hipoteses, impedir que o adversário pudesse conduzir o contra-ataque. Os apoios são fundamentais, e é por isso que eu acho um jogador como o custódio fundamental. Ele, mais do que obter protagonismo, preocupava-se sempre em dar os apoios correctos, e era por isso que o sporting jogava de forma tão consistente, ao invés do que acontece este ano.

Bruno Pinto disse...

O Veloso é um jogador magnífico, disso não há dúvida. Mas parece que ele afinal não garante aquele equilíbrio todo que tu e o Nuno defenderam naquele post do Farnerud. Nem me parece que o problema do Sporting seja a última fase do processo ofensivo (dos avançados, Liedson..), como tantas vezes aqui se viu escrito. O Sporting é uma equipa à deriva, tanto a defender como a atacar. Não é uma equipa consistente e equilibrada. O problema é colectivo, mas há um jogador praticamente ilibado de responsabilidades, que é o João Moutinho. O Miguel Veloso já não poderá dizer o mesmo. Ó Gonçalo, percebes agora porque eu sempre preferi o Moutinho ao Veloso (algo que tu criticaste)? Basta ver os últimos jogos do Sporting para se entender. O Moutinho em termos colectivos é superior ao Veloso. Muito superior. Claro que se pode falar em baixa de forma do Veloso, em actuações menos rigorosas, menos equilibradas. O problema é que o Moutinho disfarça bem as baixas de forma que também tem. Enquanto o Veloso, da forma que está, só prejudica a equipa.

Nuno disse...

Mas quem é que falou do Veloso? E por que é que, de repente, te lembras de falar duma cena dessas? O Veloso acusa, neste momento, um mau momento psicológico. Por quaisquer razões, está menos preocupado em preencher os espaços certos do que há uns meses. Nessa altura, era fortíssimo nos apoios ofensivos. Actualmente, parece pouco disponível para pisar os terrenos certos. Mas isso não invalida que ele o consiga fazer, como o prova o facto de já o ter feito de forma tão perfeita.

O Gonçalo criticou o facto de preferires o Moutinho ao Veloso? Onde? Andaste a beber? O Moutinho, já se disse aqui, é talvez o jogador mais inteligente do mundo, actualmente. Disto releva que seja muito superior em termos colectivos ao Veloso.

Quanto ao passe do Katsouranis, pedro silva, a culpa é única e exclusivamente do Petit. O que é que interessa que o Katsouranis não tenha olhado? Isso revela duas coisas: 1)sabia que só conseguiria descongestionar o jogo executando sem se virar, o que implicava não olhar; 2)mostra inteligência pois o seu colega só tinha que ocupar aquele espaço. O Katsouranis não pode é pensar que o Petit é burro e enrolar a jogada porque o colega pode não estar no sítio certo. Ele tem de contar que uma coisa tão simples como ocupar aquele espaço que o Petit não ocupa iria ser cumprida. Agora, o Petit é que foi burrinho e não percebeu que estava mal colocado. Isto é exactamente igual a um jogador que é apanhado fora-de-jogo: a pessoa que faz o passe, em grande parte das situações, tem menos culpa que o gajo que se deixa apanhar em fora-de-jogo. Quem faz o passe não tem que contar que o colega é inteligente para evitar a situação de fora-de-jogo. Da mesma maneira, o Katsouranis tem de contar que o Petit vai ocupar aquele espaço vazio, coisa que o Petit não fez. Neste caso, a culpa é única e exclusivamente do Petit. O Katsouranis, olhando, perderia tempo para executar. Era a forma mais simples e correcta de dar seguimento à jogada e não incorria em qualquer risco. Nunca se faz um passe destes para o meio porquê? Faz-se, sim. E é a única verdadeiramente correcta de fazer. Claro que a equipa tem de estar tacticamente bem estendida no campo para que isto se possa fazer, o que por causa da burrice do Petit não aconteceu.

pedro silva disse...

Desculpa mas nao posso concordar contigo! Nunca se faz um passe sem olhar e não há nada que possas dizer que contrarie isto! Se o petit tivesse escorregado e tivesse no chão por exemplo? Um jogador tem que olhar sempre para onde passa e o katso nunca devia ter feito aquele passe. Mesmo que o petit estivesse la tinha um jogador a pressiona-lo e poderia originar uma perda de bola basica.

E insisto, como sabes certamente, que quando se esta em dificuldades o ultimo sitio para onde se poe a bola é no centro do terreno mto menos sem segurança. E não foi este o caso porque o Katsouranis tinha perfeitas condições para fazer outra coisa.


MESMO ADMITINDO QUE O ERRO É DO PETIT(coisa que não concordo) tu dizes o seguinte:

"O Katsouranis não pode é pensar que o Petit é burro e enrolar a jogada porque o colega pode não estar no sítio certo."
Pois não! ao invés de enrolar a jogada o Katsouranis preferiu entregar a bola ao adversário.
Se um jogador erra o outro tem que fazer algo para o compensar e não fazer como se nada se passa-se. Se eu vou passar a bola a um jogador pra um determinado sitio mas se por alguma evidencia ele nao estiver la(erro ou nao) eu nao passo. Daí olhar.

Havia um treinador(nao me lembro agora) que colocava as peladinhas nos treinos com os jogadores com camisolas mto semelhantes ou ate iguais. Assim um jogador para passar a bola teria que levantar bem a cabeça para ver para quem iria passar a bola. O passe é a essencia do jogo!

cumprimentos

pedro silva disse...

e ainda:

"O Katsouranis, olhando, perderia tempo para executar. Era a forma mais simples e correcta de dar seguimento à jogada e não incorria em qualquer risco."

Não incorria em qualquer risco? Acho que o desenrolar da jogada diz exactamente o contrário!!! Mesmo que a culpa não fosse dele era um passe de risco porque o seu colega podia errar e não estar lá!

Bruno Pinto disse...

Nuno és limitado demais para eu ter vontade de perder tempo contigo. Tenho um prémio para ti: "Só tens um neurónio e mesmo assim não o usas".

Foda-se lá o personagem!

Pedro disse...

É pá....podes defender tudo e mais alguma coisa mas não podes defender um gajo fazer um passe sem olhar...principalmente qd esse passe acaba nos pés do adversário.

Nuno disse...

"É pá....podes defender tudo e mais alguma coisa mas não podes defender um gajo fazer um passe sem olhar...principalmente qd esse passe acaba nos pés do adversário."

Para vocês, nunca se deve fazer um passe sem olhar. Isso é absolutamente errado. Há situações em que não se deve olhar. Porquê? Porque simplesmente se perde tempo de execução. Quando o Katso recebe a bola, tem noção do espaço que há atrás de si, bem como do posicionamento do Petit. A partir do momento em que está preocupado em manter a posse de bola e a imaginar o destino a dar-lhe, perde o contacto com o posicionamento dos colegas, mas há uma coisa que sabe: consoante aquilo que tinha visto antes, era impossível algum adversário ocupar o espaço para onde ele mandou a bola porque não havia nenhum nas redondezas. O pouco tempo que passou em que perdeu o contacto visual com os colegas daria tempo ao Petit de se posicionar nesse espaço, o único correcto em termos de apoio. Se virem as imagens, o Petit não se mexeu, não deu uma linha de passe. Katso tem de imaginar que o Petit lhe vai facilitar a vida; é assim que funciona uma equipa. O Petit não pode esperar que o Katso resolva problemas sem lhe dar uma opção de passe. Dentro destes parâmetros, o Katso não tinha que olhar para averiguar se o Petit tinha sido inteligente ou não. Se o tivesse feito, perderia tempo para executar. Para olhar e verificar se uma movimentação básica tinha sido cumprida, Katso teria de proteger a bola de outra maneira, de dar mais alguns toques para evitar que o adversário lhe roubasse a bola. Além de poder não se sentir confortável para se desenvencilhar da situação, o que requeria alguma perícia técnica, Katso queria virar o jogo, descongestionar, o mais rapidamente possível. Presumiu que o Petit tinha feito o que era recomendado e fez o passe. Repito: se optasse por olhar, muito dificilmente conseguiria fazer circular o jogo com tanta rapidez.

"Não incorria em qualquer risco? Acho que o desenrolar da jogada diz exactamente o contrário!!! Mesmo que a culpa não fosse dele era um passe de risco porque o seu colega podia errar e não estar lá!"

Se o Petit estivesse onde devia, não corria risco nenhum. Dizeres que a jogada prova o risco do passe é o mesmo que achares que é arriscado fazer qualquer passe para o guarda-redes, pois ele pode escorregar e a bola entrar na baliza. Tens de contar com o que é provável e não com o que é improvável. Ele tem que pressupor que o Petit é inteligente e que vai cumprir uma movimentação básica. Foi o que fez. O colega errou; ele não tem que arcar com as culpas do colega.

"Nunca se faz um passe sem olhar e não há nada que possas dizer que contrarie isto!"

Ao dizeres isto, esqueces-te de que há inúmeras situações num jogo em que é necessário fazer passes sem olhar, isto é, sem perder tempo a olhar. Muitas vezes, há situações que têm de ser resolvidas o mais rapidamente possível e que o tempo que se perde a olhar pode inviabilizar o sucesso do lance. Dentro da área, rodeado de adversários, um defesa tem, muitas vezes, de executar sem pensar; um avançado, na hora de finalização, também. Um médio, numa situação daquelas, não é diferente. É para isso que as equipas treinam rotinas, para que lances como aquele possam acontecer sem que se corram riscos. Numa equipa mecanizada, o Petit estaria no sítio certo e o Katso seria penalizado se parasse para olhar e só depois passasse. O que acontece é que o Benfica não treina nesse sentido e que o Petit não possui inteligência suficiente para isso. E com isto, o Katso, por ter sido mais inteligente, é que se fode. Repito: é importantíssimo, em muitas situações, executar sem olhar, porque isso custa tempo que às vezes não se tem.

"Se o petit tivesse escorregado e tivesse no chão por exemplo?"

Achas mesmo que o Katso seria culpado por o Petit ter escorregado? Ridículo!

Esta vossa discordância com isto resulta de um pressuposto errado: para vocês, os apoios são uma coisa secundária. Para mim, são só o que de mais importante existe no processo ofensivo. Sem os apoios certos, uma equipa ataca a menos de 50% do que pode fazê-lo. Além de não me parecer que tenham consciência da importância dos apoios, não estou em crer que saibam sequer o que é um apoio, nos termos em que o defino. Digo isto porque é óbvio que o Petit está mal colocado e isso é muito mais grave do qualquer erro técnico (como seja um passe falhado).

Homais, é a segunda vez que dizes coisas sem nexo. Acusas-me de me contradizer quando nem sequer entendes o que digo; agora inventas coisas que os outros disseram e, quando to apontam, decides partir para a ofensa. Mas tens ideias ou vens cá só para dizer parvoíces e insultar a malta?

P.S. O Petit não é só culpado do mau apoio que deu. Assim que a bola é recuperada pelo jogador do Setúbal, pode fazer falta e matar o contra-ataque. Mas, embora se tenha empoleirado no adversário, deixou-o prosseguir e obrigou o Luisão a fazer uma falta numa zona mais perigosa, o que deu direito a amarelo. Nesse lance, o Petit cometeu dois erros...

pedro silva disse...

Não li a maior parte do qu escreves-te porque basicamente os argumentos são os mesmos e já disse que discordo. e pelos visto nao sou so eu.

Mas só 2 coisas:

1)LES-TE MUITO MAL: eu não disse que o se o petit escorrega-se o katso tinha culpa. Segundo tu dizes o katso sabia que o petit la estava(ou devia estar) por isso nao precisava de olhar. Se o petit tivesse escorregado ficaria impossibilitado de estar naquele sitio e como tal o katso deveria olhar para confirmar se ele de facto estava. e nesta situaçao ja nao poderias apontar a culpa ao petit.

2) "Se o Petit estivesse onde devia, não corria risco nenhum. "

A palavra SE indica um condicional. Ou seja não haveria risco SE o petit estivesse no sitio. logo HAVIA O RISCO DE O PETIT NAO ESTAR NO SITIO e curiosamente foi o que se verificou.

cumprimentos

ps. e por mim dou o assunto por encerrado pois uma coisa é discutir opinioes outra coisa é atentar aos principios basicos do jogo como olhar pra onde se passa.

Bruno Pinto disse...

Nuno, mais uma vez não te insultei, disse que tu és literalmente burro e volto a dizer. Tu não percebeste porque falei do Veloso... Se não percebeste, não te vou explicar! Foda-se! E sim, no post do Farnerud, eu disse que preferia o Moutinho ao Veloso, ao que o Gonçalo tem uma resposta em sinal de desacordo. Se não sabes vai lá e lê em vez de dizeres patetices. Tu és um autêntico personagem na blogosfera, dizes as coisas mais ridículas, mais estúpidas que se pode ler. Mas pior, é que nem sequer tens noção disso. Tenho outro prémio para ti: "És burro e gostas".

PS: Se eu acho que és burro, não te estou a insultar, simplesmente acho que és burro. Dá para entender esta ou tb está difícil?

Bruno Pinto disse...

"Se o petit tivesse escorregado e tivesse no chão por exemplo?"

Achas mesmo que o Katso seria culpado por o Petit ter escorregado? Ridículo!

Queres maior prova do que esta de que és au autêntico burrinho? Se o Petit tivesse escorregado, ninguém está a dizer que a culpa de ele ter escorregado era do Katso. Simplesmente se o Katso tivesse olhado, veria que ele estava no chão, logo se fosse inteligente não lhe passaria a bola. Foi isto que o Pedro Silva quis dizer com certeza. Depois de uma merda destas, como queres que o pessoal tenha gosto em debater contigo? Tu não percebes as coisas mais básicas que se dizem.

Se o Petit foi burro por não ter dado o apoio devido, o Katso foi burro por não ter antecipado a burrice do Petit, por ter passado a bola para trás sem olhar. E esta percebes? Ou vai um desenhinho?

Nuno disse...

"1)LES-TE MUITO MAL: eu não disse que o se o petit escorrega-se o katso tinha culpa. Segundo tu dizes o katso sabia que o petit la estava(ou devia estar) por isso nao precisava de olhar. Se o petit tivesse escorregado ficaria impossibilitado de estar naquele sitio e como tal o katso deveria olhar para confirmar se ele de facto estava. e nesta situaçao ja nao poderias apontar a culpa ao petit."

Nem ao Katsouranis.

"não haveria risco SE o petit estivesse no sitio. logo HAVIA O RISCO DE O PETIT NAO ESTAR NO SITIO e curiosamente foi o que se verificou."

Risco normal no futebol. Já te disse: é igualzinho ao risco de atrasar a bola para um guarda-redes. Ele pode escorregar e a bola entrar. É improvável, mas pode acontecer. E é tão improvável como o Petit escorregar ali. Tudo o que se faz é arriscado...

"e por mim dou o assunto por encerrado pois uma coisa é discutir opinioes outra coisa é atentar aos principios basicos do jogo como olhar pra onde se passa."

Isto é um princípio básico teu. E é errado. Um jogador tem, muitas vezes, de passar sem olhar. Por diversas razões: porque a jogada pode não se poder dar caso se perca tempo a olhar, porque o olhar denuncia a tua acção, etc. Não me digas é que não se pode passar sem olhar porque isso não é verdade...

Monsieur Homais diz:

"Nuno, mais uma vez não te insultei, disse que tu és literalmente burro e volto a dizer."

Peço desculpa. Ia jurar que me tinhas insultado. Ia jurar também que chamar burro é insultar.

"Tu não percebeste porque falei do Veloso..."

Mas tinha que perceber? Estava-se a falar do Katsouranis, do Petit e do Luisão. O Gonçalo ainda falou do Custódio. E, de repente, tu vens dizer que isto tudo demonstrava que o Veloso era inferior ao Moutinho. Qual é o nexo? Desafio quem quer que seja a interpretar o teu uso do Veloso.

"E sim, no post do Farnerud, eu disse que preferia o Moutinho ao Veloso, ao que o Gonçalo tem uma resposta em sinal de desacordo."

Isto é falso. Não vou lá ver, porque sei o que o Gonçalo pensa do assunto. É falso e estás a inventar. Eventualmente, terá dito que o Moutinho não era superior ao Veloso na posição de trinco, ou que eram posições diferentes e por isso era estúpido compará-los. Mas não disse o que tu pretendes que tenha dito. Por isso, não inventes, ok?

"Tu és um autêntico personagem na blogosfera, dizes as coisas mais ridículas, mais estúpidas que se pode ler. Mas pior, é que nem sequer tens noção disso."

Monsieur Homais, tenho consciência de que, muitas vezes, o que digo não corresponde à opinião geral. Tenho também consciência de que o que digo nem sequer é perceptível para a opinião geral, porque inteligência não é coisa que abunde. Sou personagem? Não me importo com a opinião de gente burrinha. É até natural que quem veja as merdas de forma correcta (que é muito diferente da forma comum) seja insultado. Não me afecta, porque significa que não tenho que partilhar da estupidez geral. Mas tens razão, pessoas como tu, que acham que o Maradona saiu da barriga da mãe a fintar é que são tipos inteligentes...

"Se eu acho que és burro, não te estou a insultar, simplesmente acho que és burro."

Pronto, tudo bem, isto não é insultar. Já percebi. Vê lá se é isto: se eu achar que a tua mãe é uma grande puta, também não te estou a insultar, simplesmente acho que ela é? É isto?

"Achas mesmo que o Katso seria culpado por o Petit ter escorregado? Ridículo!

Queres maior prova do que esta de que és au autêntico burrinho?"

Queres maior prova do que esta de que nem sequer percebes o que se diz? Que idiota! Ó Monsieur Homais, quando digo aquilo, pretendo perguntar se, caso o Petit caísse, o Katsouranis era culpado por o passe não encontrar o companheiro? Culpado do passe, não da queda. E aprenderes a interpretar as coisas, não? Estás demasiado preocupado em encontrares defeitos num gajo que claramente vê as coisas de uma forma mais inteligente que tu e depois dizes disparates. Era facílimo de perceber o que disse, mas repito, com as letras todas, não vá Vossa Excelência não perceber. Se o Petit caísse, a culpa não era dele. Mas também não era do Katsouranis, pois ele pensou bem. Seria um azar do Petit e um azar da equipa. Só isso.

"Simplesmente se o Katso tivesse olhado, veria que ele estava no chão, logo se fosse inteligente não lhe passaria a bola. Foi isto que o Pedro Silva quis dizer com certeza."

Simplesmente se o Katso tivesse olhado, não conseguiria descongestionar o jogo. Simples. Ele não tem que olhar. O Petit é que tem de colocar-se lá. Não perceber isto é não perceber o que é jogar em apoios. E tu, Homais, não percebes, porque para ti é mais importante fazer truques, fintar os outros, marcar golos, do que tomar boas decisões. A decisão do Katso foi inteligente, a do Petit não. E eu prefiro achar que a culpa é de quem não teve inteligência. É uma coisa que eu tenho. Já tu, preferes achar que um tipo inteligente é mais culpado que o menos inteligente. É a tua opinião. É estúpida, mas é a tua...

"Se o Petit foi burro por não ter dado o apoio devido, o Katso foi burro por não ter antecipado a burrice do Petit"

Sim, o Katso tem responsabilidades porque, como é inteligente, tem de saber que o Petit não o é. Que ridículo! Katso tem de fazer o seu papel o melhor possível. Não pode limitar o seu papel porque os colegas não são suficientemente inteligentes.

E, para acabar, a tua estratégia preferida. Qual? Qual? Inverteres os papéis e criticares em mim aquilo que eu critico em ti. A saber:

"Tu não percebes as coisas mais básicas que se dizem"

Pois, sou eu que não percebo. Tu nem sabes ler, Homais. Tens uma mania incrível (daí a alcunha, a qual nem te deste ao trabalho de entender), achas que tens direito a ter opinião sobre futebol, quando não percebes nada do assunto, só falas do Porto e de uma forma facciosa até dizer chega, interpretas erradamente as frases mais simples e ainda tens moral para dizer que eu não percebo coisas básicas? Homais, volta lá para o curral, tá?

Gonçalo disse...

"é normal que tu optes por ele... ja dizia nietzsche:
O povo prefere o gesto á razão..."

Foi isto que eu disse sobre tu preeferires o moutinho ao veloso. E isto é uma critica à maneira como tu vês o futebol, não ao facto de preferires o moutinho ao Veloso, o que para mim é passível de ser criticado, pois são jogadores diferentes.
Qd eu critiquei o que defendeste foi pq baseaste essa tua opção no facto do Moutinho ser mais intenso do que o Veloso. O que uma má justificação, o facto do Moutinho ser intenso, não é isso que lhe permite manter um bom nivel. O que lhe permite estar bem é o facto de ele ser um jogador que interpreta, e pensa bem o jogo. Assim como o faz o Farnerud, ou o Pereirinha. Só que este facto, ou seja, a maneira como entendem o jogo, colocando sempre os interesses da equipa acima dos do indivíduo, retiram-lhe protagonismo. O veloso por ser ser um jogador mais extravagante, cria a sensação de uma maior oscilação, porque habitualmente gosta de assumir um maior protagonismo no jogo.
Estas oscilações fazem-se sentir com mais força na equipa, porque a equipa, habituada a que este jogador, em virtude da sua personalidade,e qualidade, assumisse um gd volume de jogo, assim como gd importância na definição da maior parte dos processos da equipa.

Isto, por si só, não faz do Veloso pior jogador, mas faz com que se sinta a falta de um jogador como o Custódio, e não do moutinho, não só para colmatar as oscilações individuais, no rendimento da equipa, como para permitir que um jogador cm o veloso continue o seu processo evolutivo, e de aprendizagem, com um dos jogadores que melhor entende a posição que ocupa.
Para quem tiver dúvidas, Custódio, é sem dúvidas dos jogadores mais inteligentes, que passaram pelos palcos nacionais, nos ultimos 10 anos. O problema é que não é um jogador muito exuberante, do ponto de vista fisico. O que não lhe retira gd importância nas equipas por onde passa, mas retira-lhe visibilidade. E é isso que maior parte dos adeptos nao compreende, que não é o que corres que interessa, mas sim cm corres. Ser intenso, ou abnegado, é que menos interessa, e o Moutinho, não é bom, ao contrárioio do que tu pensas B. Pinto, por ser mt intenso,mas sim por ser inteligente. Dai ter citado nietzsche. perecebeste agora? Ou vai um quadro? Acho que uma vez falaste em desonestidade intelectual, qd te dirigiste ao Nuno, agora dp de tentares deturpar o que eu disse, percebo que apenas procuravas alguém como tu. Desonesto, bem... não é neste bolg que o vais encontrar...

Bruno Pinto disse...

Bem, eu começo a pensar que o Nuno e o Gonçalo são o mesmo cromo, de tão parecidas que são as estupideses que dizem e a forma como não percebem o que se diz. Vontade de rir... Ainda não percederam (percebeu?) patavina do que eu disse do Veloso e do Moutinho. Não percebem... O Veloso e o Moutinho são os dois inteligentes. E não percebem porque eu prefiro um ao outro. É que não percebem. E depois ainda acham que percebem de futebol... Epá...

Bruno Pinto disse...

Chamar burro é insular? Se tu podes chamar burro ao J.Pacheco, porque não te posso chamar burro a ti, se tens menos um neurónio que ele? Olha a coerência... Eu não acho que chamar burro é insultar e, por isso, o, faço porque és burro! Agora se achas que é insulto, porque insultas os outros nos teus textos? Um burro é um gajo sem inteligência. Não é insulto.

Bruno Pinto disse...

Tu no meio de tanto disparate, ainda vais dizendo coisas acertadas:

"Há quem diga que Deus goza com os seres humanos."

Nuno disse...

Homais, pronto, chamar burro não é insultar. Fica lá com o autocolante e com a sandes de paio.

Ao contrário do que pensas, percebi de imediato por que é que preferes o Moutinho ao Veloso. O que não percebi é por que é que vieste comparar esses dois jogadores num post em que se estava a falar do Petit, do Katsouranis, do Luisão e do Custódio. Além de não ter nada a ver, deu sempre a entender que aproveitaste o mau momento do Veloso para provares que tinhas razão quando preferias o Moutinho. Isso é estúpido.

Mas pronto, continuas a insistir no facto de eu e o Gonçalo não percebermos aquilo que dizes quando tu é que não percebes o que nós dizemos. Insistes em criticar o que nós criticamos em ti, da mesma maneira que insistes em fazer a piada dos prémios (uma vez chegava, não?), piada essa baseada em algo que eu fiz. Se me achas tão burro, por que é que te dás ao trabalho de me imitar? Só mais uma evidência de que não entendes o que se diz: não entendeste o que o Gonçalo criticou no facto de gostares mais do Moutinho do que do Veloso e pensaste que ele gostava mais do Veloso. Boa, Homais...

Pedro disse...

"Para quem tiver dúvidas, Custódio, é sem dúvidas dos jogadores mais inteligentes, que passaram pelos palcos nacionais, nos ultimos 10 anos."

Credo....as coisas q se lêem neste blog
:):):)

Gonçalo disse...

Então Pedro, não me digas que achas que ele é mais inteligente dos últimos 50 anos?