quinta-feira, 28 de julho de 2011

Lições de Mestre (7)

Para muita gente, o lance capital do jogo de ontem da Luz foi o segundo golo do Benfica, da autoria de Gaitán. Com efeito, o remate é extraordinário, a bola entra na gaveta, e parece ter propiciado maior espectacularidade do que qualquer outro lance do jogo. Não estou de acordo, porém, que esse tenha sido o lance mais interessante da partida. A meu ver, há no primeiro golo um momento francamente superior a esse, um momento que passou praticamente despercebido, o que muito me espanta. O remate de Nolito, de facto, não é tão vistoso como o de Gaitán, mas não é pela finalização do lance que creio que ele mereça verdadeiro destaque. Já o passe de Aimar é das coisas mais sublimes que já se fizeram nos relvados portugueses. Numa altura em que parece que cada vez mais se gosta de arrancadas de pessoas incríveis, de lances individuais extraordinários, de grandes aberturas, de gente que corre feita doida, de malabarismos e excentricidades de putos de rua, as pessoas deviam pôr os olhos neste lance aparentemente trivial. Quando se diz que há poucos que conseguem resolver os jogos sozinhos, esquecem-se de quem consegue fazer coisas destas. Sem exagero algum, aquele passe equivale a uma arrancada em que se tiram quatro ou cinco jogadores da frente e se deixa um colega isolado frente ao guarda-redes. Aquele passe é puro génio. Em tudo, na execução, que é dificílima, mas sobretudo na concepção, transformando um lance totalmente inócuo numa ocasião clara de golo. Não é para todos.



O Benfica não jogou bem e só justificou a vitória após o primeiro golo. Até aí, além de dar muitíssimo espaço e de ter os sectores excessivamente separados, em momento ofensivo, e em momento defensivo, mostrou poucas ideias colectivas. Talvez isso se deva à fase da época em que se encontra, e que por isso seja injusta a acusação. Talvez. Mas pouco importa. O Benfica não fez um bom jogo, mas Aimar apareceu no momento certo. Não é também exagero dizer que resolveu o desafio, e provavelmente a eliminatória. E ninguém parece ter dado por isso. Tal como ninguém parece ter dado por ele na primeira parte, repetindo as alarvidades que António Tadeia ia proferindo no comentário ao jogo, dizendo que estava desinspirado e desaparecido da partida, só porque não o via fazer coisas perto da área adversária. Aimar fez uma boa primeira parte, ao contrário do que essas parvoíces todas fizeram crer, e fez também o que mais ninguém em Portugal tem competência para fazer: resolveu um jogo sem que percebessem que o fez. Sem que nada o fizesse prever, sobretudo porque Nolito fora desarmado e a jogada parecia condenada a voltar ao início, Aimar sacou um coelho da cartola e isolou o espanhol. Com um passe inesperado, com a parte de fora do pé e sem o equilíbrio mais adequado para o fazer, num gesto técnico ao alcance apenas dos predestinados, concebeu a melhor ocasião de golo dos encarnados até à altura. Mas, mais do que essa execução soberba, fenomenal foi a percepção que teve do lance. Nolito iniciou a desmarcação, sim, mas era de todo improvável que se criasse um espaço tão favorável no seio da defesa turca. O problema é que os turcos não esperavam que alguém, na posição em que Aimar estava e virado como estava para a linha lateral, fosse capaz de colocar a bola com tanta facilidade, e de primeira, no coração da área. Relaxaram, imaginando o cenário mais provável de Aimar rodar para trás, reiniciando a construção ofensiva, e não previram a possibilidade oposta, a de que, com um só passe, um jogador transformasse um lance perdido numa ocasião soberana.

Repito, este lance devia ser colocado na mesma prateleira de jogadas individuais em que se tiram quatro ou cinco jogadores da frente. Isto porque, na verdade, Aimar ultrapassou sozinho quatro jogadores, aqueles que ficaram batidos pelo passe maravilhoso do argentino. Para muitos, ser criativo é ter um leque de fintas vasto, ser capaz de se desembaraçar individualmente de vários adversários, fazer macacadas com os pés, etc.. Agora pergunto: há alguma coisa que demonstre melhor o que é verdadeiramente a criatividade do que inventar uma jogada com um só gesto técnico, como foi o caso? Criatividade é isto, é ser capaz de imaginar uma coisa que mais ninguém imaginou. Termino com uma afirmação controversa, sobretudo para os que gostam de músculos e remates de meio-campo: Aimar é o melhor jogador a jogar em Portugal. E não estou certo de me lembrar de outro que, no passado, tenha sido tão bom quanto ele.

P.S.: No final da partida, Jorge Jesus justificou a timidez em apostar em Nolito, neste início de temporada, dizendo que o espanhol opta excessivamente pelos lances individuais, e que precisa de perceber melhor o jogar da equipa. Francamente, não me parece que Jesus esteja a avaliar bem as competências de Nolito. Sim, tem facilidade de drible e até procura bastante o um para um. Mas não o faz mais do que Gaitán, por exemplo, e sobretudo não o faz em ocasiões em que não deve necessariamente fazê-lo, como o argentino. Mas nem é por aí. Ninguém, à excepção de Aimar e Saviola, que são de outra galáxia, a esse respeito, é tão forte sem bola, em momento ofensivo, como Nolito. A forma como percebe o momento certo em que deve procurar a desmarcação e a forma como tem a preocupação constante de fornecer uma linha de passe ao portador da bola, coisas que certamente o modelo catalão em que jogava potenciou, dão-lhe competências colectivas que poucos jogadores no plantel possuem. Ao dizer o que disse, Jesus parece estar unicamente preocupado com acções com bola. Se é verdade que, nas suas acções com bola, Nolito pode ainda melhorar as suas competências colectivas, embora não me pareça que, para já, elas sejam excessivamente erráticas, aquilo que faz sem bola justifica amplamente a sua titularidade. O que me leva para outra questão, com que termino: por que ordem de ideias é que se começa a gerar o consenso de que Alex Witsel será titular desta equipa? Acredito que venha a ser muito útil, sim, mas titular? No lugar de quem? Aimar? Gaitán? Nolito? Isto sem contar com Carlos Martins, Bruno César e Enzo Pérez. A época é longa e o belga terá certamente muitos minutos de utilização, mas não me parece, pelo menos para já, apesar de lhe reconhecer qualidades, que seja imprescindível no Benfica mais forte.

20 comentários:

Ricardo disse...

Excelente texto.

Desespera-me a incompetência da generalidade dos comentários em Portugal. Tal como o que criticas a Jesus, passa-se o mesmo com os comentadores: vêem bola e só bola; não vêem os movimentos a dar apoios, a procura pelos espaços, a forma como alguns, poucos, se movimentam de forma soberba. Aimar e Saviola, claro, mas também, como dizes, Nolito (a escola catalã não engana), Amorim e Witsel.

Acrescento ao que escreveste sobre o lance genial do Aimar a qualidade do Nolito em manter-se no lance em vez de abdicar dele ou procurar voltar à linha. É que para que um lance destes resulte convém que a bola chegue a alguém que, se não acredita verdadeiramente que ela vai lá chegar, ao menos pense nessa possibilidade.

O Witsel para mim é titular neste Benfica. Mas obviamente nunca pelo Aimar, até porque o belga não me parece ter características de 10. Punha-o, em 4132, à direita do meio-campo (Pérez não serve como interior) ou, em 433, como 8. Aliás, parece-me que o Benfica teria muito a ganhar com o 433.

Em vez do Gaitán, Nolito. E poria o argentino, em 4132, ao lado do Saviola, que é onde sempre me pareceu ser o seu lugar de eleição: avançado móvel.

joão bobe disse...

A essa assistência sublime, o tadeia chamou de "recuperação de bola"... inacreditável tamanha insensibilidade para o jogo de um comentador pago

PB disse...

Boas Nuno, bem, acabo de ler o texto agora mm. Tanta coisa parecida com o que escrevi :)

Mas,garanto-te que só agora mm li o teu texto.

Qt ao Witsell, parece-me q o JJ com a tesão dos extremos junto à linha, vai encaixar o witsell com o Javi, e o Aimar vai paulatinamente sair da equipa.

Nao concordo minimamente c essa ideia do JJ, mas se ele se lembrar de mm assim, meter o Aimar a jogar os ultimos 35,40 min, parece-me que vai ser bem sucedido, e que o proprio Aimar, mm jogando menos, continuará a ser o mais determinante do Benfica.

Vamos lá ver...

E sim, axar q o Nolito é demasiado individualista, qd a referencia é o Gaitan... Oh Deus!

Máximo disse...

O passe é soberbo e ainda melhor ao ver pela televisão (isto porque me encontrava no sentido oposto, deu para perceber que era excelente mas não na totalidade)!

A alarvidade do comentário do Jesus em relação ao Nolito é gritante, quando como dizes, não o diz em relação a Gaitán e por exemplo em relação a Jara!

Com a capacidade impar de Aimar e Saviola, mais Nolito, prevejo coisas muito bonitas este ano. Assim a época lhes corre de feição.

Abraço

Centro de Jogo disse...

Boas Nuno,

Aimar é o melhor jogador que alguma vez O SL Benfica teve, pior é que os mesmos hoje em dia são apelidados de "Atletas", Aimar não o é, é JOGADOR, da classe que hoje em dia tanto escasseia.

Tadeia continua a dizer barbaridades como se nada fosse! Depois de elogiar Emerson durante toda a primeira parte, que só conhece duas acções, "esticar" e "jogar no D.Central"! Este, não deu uma única bola a Aimar entre linhas na primeira parte, quase sempre sujeito a marcação individual, arrastou sempre a marcação, despovoando o meio, mas vai lá Emerson entender isso? Pode ser que JJ o consiga fazer perceber! Disse ainda que Aimar fez uma primeira parte muito má!Há coisas que não entendo mesmo.

De Salutar ainda a acção de Nolito, não teve a melhor decisão antes de partir para o 1x1, mas teve ainda inteligência para perceber que a bola poderia entrar onde entrou, recuperou espaço para não cair em fora de jogo, e conseguiu receber a mesma para o golo!

Noutro programa, depois do jogo, na da sic noticias, o qual nem sei o nome, Joaquim R. e companhia disseram ainda que Aimar neste momento é jogador de banco, e que Gaintan foi o melhor em campo, enfim!!!

Concordo como o Ricardo, Witsel encaixa bem no lado direito, pode até fazer um tipo de jogo parecido com o que fez Ramires quando jogou no SL Benfica.

Na bola que Saviola mandou ao poste, Tadeia não reparou na combinação entre Aimar e Nolito, isso já não consegue ele perceber. JJ só tem a ganhar colocando esses três em campo e deixando-os jogar, apenas isso, eles farão o resto.

Abraço.

Jorge D.

SwordOfTheGods disse...

Isto é o pão nosso de cada dia no nosso burgo. O Aimar joga que se farta, nunca o vejo a jogar mal, mesmo que só se conte as acções com bola, mas os génios dos comentadores passam o tempo a dizer que "passa ao lado do jogo" ou está "desinspirado". E não é só a besta do Tadeia, são todos.

Acho Nolito um excelente jogador, mas dizer que o gajo é individualista, quando se tem o Gaitán a arriscar quando não deve, e o Jara a fazer "fuçar" que nem um puto dos iniciados, é do catano. Para mim Nolito era titular sempre, a equipa com ele parece ter sempre mais ideias.

apenasfutebol disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
apenasfutebol disse...

Grande NUno,

Congratulo-te por mais este exercício de enorme lucidez. Ontem quando cheguei a casa e liguei na Sic Notícias para ver os golos, deparei-me com um conjunto de fala-baratos que, entre outras disparatadas afirmações, diziam que o Benfica não pode sustentar o seu futebol num jogador "fisicamente débil" como Aimar, e que o argentino deveria ser suplente neste Benfica...

Penso que este texto seria uma excelente resposta aos ditos cujos, não obstante, o mais certo ser a redundância no famoso dito do "dar pérolas a porcos".

Quanto a Witsel, do que vi até agora, parece-me muito interessante - excelente sentido posicional e leitura de jogo, competência nos momentos defensivos e ofensivos - um "box to box" de que o Benfica ficou órfão aquando da saída de Ramires...agora jogar no lugar de Aimar, nem pensar, contudo, no lado direito do meio campo, à semelhança (lá está) de Ramires, com Gaitán ou Nolito (mais até o espanhol)na esquerda, e seria potencialmente a aproximação ao futebol de há duas épocas.


Nuno, envia-me uma sms sff, para ficar com o teu numero outra vez

Abraço

apenasfutebol disse...

Só agora li os comentários anteriores aos meu, e reparei na concordância entre a minha opinião e a do Ricardo. Gaitán, como segundo avançado, ou mesmo como opção alternativa a Aimar na posição 10!

Já agora Nuno, a tua opinião sobre Garay? Eu sou fã do tipo desde os tempos do Racing; sempre o achei um central muito interessante e folgo em vê-lo no meu clube.

Abraço

BAD-RELIGION disse...

Há lá uma desmarcação a rasgar do Nolito para o (cepo) do Cardozo que é fabulosa, mesmo ao estilo Barcelona :)

Nuno disse...

Ricardo, o Benfica teria talvez bastante a ganhar com um 433, com o Witsel ao lado do Aimar. Mas não me parece que o Jesus esteja para aí virado, e tal como não me parece que o Witsel tenha características de 10, também não me parece que sirva para jogar como médio-direito, que não é interior no modelo do Jesus. Vamos ver.

João Bobe, é incrível, o Tadeia.

PB, se essa for a intenção do Jesus, enfim, nem sei que diga. O Witsel tem qualidade em posse, parece inteligente, mas não me parece minimamente criativo nem ter capacidade de jogar entre linhas.

Jorge, o Tadeia, o Joaquim Rita e companhia são repelentes. Mas eu até gostei dos primeiros minutos do Emerson, em que não precipitou e procurou uma ou outra solução no meio. Depois rebentou e não apresentou grande coisa. Talvez melhore.

Se o Benfica jogasse em losango, o Witsel encaixaria bem como interior. Neste esquema, não sei se o Jesus está preparado para perder explosão e intensidade ofensiva nos flancos, fazendo o Witsel alinhar ou pelo Pérez, ou pelo Gaitan, ou pelo Nolito. De qualquer modo, não creio que o Witsel seja parecido com o Ramires. Tem sido dito que ele viria para fazer o mesmo que o brasileiro, mas não os acho minimamente parecidos, embora a melhor posição para ambos coincida. O Ramires era especialmente forte na forma como unia os sectores em transição. O Witsel não é tão rápido a fazê-lo, nem me parece que tenha um tempo de chegada à área por aí além, mas em contrapartida parece mais seguro e inteligente com bola, capaz de tabelas e de encontrar soluções verticais. Veremos o que acontece.

Paulo, é como o Barcelona, também não pode sustentar o seu jogo nos "fisicamente débeis" Maxwell, Busquets, Iniesta, Xavi, Messi, Bojan. Há idiotas que nem o Barcelona veio educar.

Quanto ao Witsel, também acho que tem qualidades bastante interessantes. Agora, utilizá-lo implica perder coisas. No lugar do Aimar, perde-se o jogador com maiores competências para inventar coisas nesta equipa. No lugar de interior, perder-se-á algo que não me parece que o Jesus esteja preparado para perder, ou seja, uma dinâmica de corredor que o Witsel não dará. Não o acho assim tão parecido com o Ramires, mas de facto aproximaria o Benfica daquilo que foi há 2 anos. O problema é quem sai. Se não for Aimar, como sugere o PB que possa ser, restam Gaitan, Nolito, Saviola e Cardozo.

Quanto ao Garay, confirmou a vaga impressão que tinha dele. Tem muita qualidade, sobretudo com bola, e oferece algo que só o Sidnei oferecia, capacidade de "queimar" linhas com um passe vertical. Vamos ver que espaço de manobra o Jesus lhe vai dar, em termos ofensivos, e se confirma a segurança defensiva que até agora parece dar.

Quanto à sms, segue já de seguida.

Bad-Religion, é verdade, foi uma grande abertura, até porque só uma grande abertura permitiria ao Cardozo chegar àquela bola à frente do defesa, em condições de rematar.

Centro de Jogo disse...

Boas Nuno,

Sim, Emerson pode melhorar, parto do princípio que o treino sirva para isso mesmo, reproduzir comportamentos que têm como objectivo a melhoria da decisão. O mesmo acontece com Garay, que defensivamente “desalinha” demasiadas vezes, acompanha movimentações de AV’s quando não precisa de o fazer, algo que é normal, é comportamental, o treino tratará, decerto, por o fazer evoluir nesse tipo de decisão.

Quanto a Witsel na direita, penso que pode fazer um tipo de jogo parecido ao de Ramires, através de meios diferentes, unidos então pelo mesmo objectivo. Quando o referi, era mesmo no âmbito de jogar mais como interior. Nessa perspectiva, JJ poderia aproveitar a qualidade de desmarcação de Saviola para dar profundidade na lateral, assim como o jogo em apoio de Cardozo, que curiosamente é mais forte a faz-lo do lado direito, variando assim, e muito, a forma como ataca. Witsel sairia assim da posição para entrar em posse por dentro, que aí sim, tem acções bastante interessantes. No fundo era só uma posição de partida, jogando no mesmo sistema, mas colocando o mesmo de forma “assimétrica” na sua saída, algo que não acontece agora. Optaria também, nesta fase, por retirar Gaitan da equipa, abria com Nolito na esquerda, pois com esta dinâmica o mesmo poderia aproveitar o espaço criado com a movimentação dos AV’s, e entrar em combinação com estes mais Aimar e witsel, que assim conseguiriam chegar mais perto de zonas de definição. Permitindo depois isso mesmo que dizes, ligar melhor os sectores em transição. Isto com o mesmo sistema, também acho que teria muito a ganhar em alterar para um 1.4.3.3! Não sei se foi essa a ideia que ficaste, mas logicamente não veria o Witsel como um Extremo, que JJ agora, sem se perceber bem o porquê, teima em utilizar.

Outra coisa, Witsel vai ter de entrar no 11 titular, mesmo que demore um pouco, a obsessão que JJ tem com jogadores com este tipo de perfil morfológico fará com que isso aconteça, embora o mesmo não sirva de nada se não existir inteligência táctica, mas isso já é outra história!

Abraço,

Jorge D.

PB disse...

A tesão do JJ com os extremos, que me parece que só chegou o ano passado, qd começou a ganhar jogos atras de jogos c o Salvio e o Gaitan (n tinha plantel, para jogar de outra forma, com a lesao do Amorim), vai acabar por matar o Benfica. E agora a forma q vai arranjar de equilibrar é tirar o melhor jogador, p meter o witsell mais perto do Javi, aproximando-se mais do 442 classico, do que do 442 que ele sp utilizou ate à epoca passada...

parece-me...vamos lá ver.

PB disse...

Fdx...já tinha escrito isso lá em cima :S Nao tomei os comprimidos, só pode...

PB disse...

mas ja agora. 433, com Aimar e Witsel à frente de Javi, era bem capaz de ser o melhor meio campo de que tenho memória em Portugal. Depois com Enzo, Nolito e Gaitan para 2 lugares de extremos... Inacreditavel como o Jesus n considera essa hipotese...

Centro de Jogo disse...

Nuno,

Para quando uma "Certeza" sobre Tiago do Barcelona. Joga que é uma coisa indescritível. Não só pelos golos, aliás, nele isso é só um extra. Fabuloso mesmo.

Abraço,

Jorge D.

Nuno disse...

Jorge, será para breve. Andei a adiá-lo durante muito tempo, sobretudo porque fazia mais sentido, para mim, escrever primeiro sobre o Oriol Romeu, que me impressionou mais do que o Thiago no europeu de sub-20 o ano passado. Mas escreverei brevemente, até porque tenho coisas a dizer sobre a sua utilização neste Barcelona. Acho o Thiago muito bom, mas tem de melhorar consideravelmente em um ou outro aspecto. Por exemplo, acho o Jonhattan mais forte que o Thiago a encontrar soluções de passe curtas, e vejo no Thiago alguma precipitação e uma tendência algo excessiva em procurar o último passe. Agora, tem uma facilidade de drible muito boa, e isso é uma vantagem grande. A meu ver, e sobretudo porque se tem falado de que talvez o Barcelona não precise de Fabregas, já que o Thiago tem de entrar nas contas de Guardiola para o meio, a melhor posição, a meu ver, para ele, é a de 10, como suplente do Messi. Falarei disso melhor quando escrever sobre ele.

Abraço!

Nuno disse...

Já agora, Jorge, e principalmente para ti, por causa daquela coisa dos cruzamentos só porque sim. Por acaso não viste o que o Pereirinha fez, no último lance do jogo contra o Valência, no sábado, não? Pensei imediatamente naquilo que escreveste sobre cruzar só porque se chegou à linha de fundo. E depois pensei: "Como é que possível alguém dizer que este rapaz é banal?" Às vezes, dou por mim a desculpar as pessoas que não apostam nele, com o argumento de que o Pereirinha é tímido e não arrisca tanto quanto podia, mas depois ele faz aquilo e volto ao que era. Não dá para desculpar a estupidez das pessoas. Quem tem capacidade para fazer aquilo tem lugar em qualquer equipa em Portugal. Ele é o verdadeiro caso do artista incompreendido. Está tão à frente do seu tempo que só para aí no Barcelona é que lhe dariam algum valor. Em qualquer outra equipa do mundo, e para quaisquer outros "olhos", ele é banal.

Ulrich Haberland disse...

"há alguma coisa que demonstre melhor o que é verdadeiramente a criatividade do que inventar uma jogada com um só gesto técnico, como foi o caso? Criatividade é isto, é ser capaz de imaginar uma coisa que mais ninguém imaginou. Termino com uma afirmação... Aimar é o melhor jogador a jogar em Portugal. E não estou certo de me lembrar de outro que, no passado, tenha sido tão bom quanto ele." ISTO!!!!

Não tinha ainda reparado neste blog, mas vai passar a constar da minha rota normal.

Estou convencida que o JJ vai fazer uma equipa que conjugue Witsel e Aimar (algo na onda do SLB versão 2009/10)


Saudações

PS - Eu adoro o JJ por ele adorar jogadores como o Aimar e Saviola.

PS2 - Meu melhor onze do SLB: Artur, Maxi, Luisão, Garay, Cap, Javi, Witsel, Aimar, Gaitan, Saviola, Nolito em 4-3-3

Joan Carles disse...

Eu só descobri o blog. Você não sabe o que eu lamento não ter feito muho antes. Eu sigo Aimar desde a sua chegada em Valência. Agora o Benfica. E então li tudo o que eu sempre pensei e ouviu de seu futebol, sua inteligência, a frustração levou à incompreensão dos treinadores. A imagem da Argentina tropeçou ridículo porque ninguém quer se lembrar dele, inexplicavelmente incluídos Maradona que abdicou após a genialidade de Paul levou a Copa do Mundo .... e agora, finalmente, eu o vi sorrir e desfrutar de um jogo de futebol há anos. E eu acho o blog acima. A partir de hoje eu serei um fiel.