segunda-feira, 25 de julho de 2011

Certezas (23)

A recente e, por que não, surpreendente transferência deste jogador para Inglaterra veio apressar a necessidade de escrever este texto. Dele há a dizer, em primeiro lugar, que foi o jogador que mais me impressionou no europeu sub-20 do ano passado. Senhorial, com um sentido posicional perfeito e uma simplicidade de processos ao nível de poucos, destacou-se mais pela sobriedade e pelas capacidades de liderança do que pelos atributos atléticos que também possui. Não sendo extraordinariamente alto, é no entanto muito forte fisicamente. Isso não o impede, como é hábito acontecer, de ser tecnicamente evoluído e de privilegiar o intelecto. Jogando na posição de médio defensivo, sente-se confortável com o papel posicional que desempenha, sendo especialmente forte nas coberturas ofensivas e defensivas, aparecendo invariavelmente perto dos médios mais avançados em todas as situações do jogo. Com bola, é também muito bom. Não exagera no passe à distância, nem parece ter necessidade de fazê-lo para se impor, e percebe bem as reais necessidades da equipa, a cada momento. Apesar de não usar o passe longo com frequência, tem uma facilidade de passe invejável e muito critério quando tem de entregar a bola. Percebe que a sua posição não implica apenas recuperar e entregar, e toma invariavelmente boas decisões, não deixando de procurar soluções verticais, com passes entre linhas, quando assim se exige. Antes de se confirmar que o seu futuro passaria afinal por Inglaterra, foi conjecturada a sua vinda para Portugal, para um dos três grandes. Se na altura pareceu claro que não era do interesse do seu clube um empréstimo a uma equipa portuguesa, o que fazia antever uma aposta, pelo menos a médio prazo, neste jogador, não deixa de ser para mim uma surpresa o desfecho do caso. Aliás, imaginei mesmo que, no início da época que agora acabou, pudesse vir a integrar os trabalhos da principal equipa com alguma frequência, e perspectivei que se tornasse rapidamente o substituto de Sergio Busquets, com quem o compararia, se tivesse de compará-lo com alguém. A chegada de Mascherano acabou, contudo, por lhe dificultar a ascensão, e sai agora de Barcelona, rumo a Londres, por uma quantia quase irrisória, tendo em conta o seu enormíssimo valor. Demorei este texto por querer vê-lo noutro contexto que não a selecção de sub-20 e o Barcelona B, mas a perspicácia de André Villas-Boas impede agora que continue a fazê-lo. É hora, pois, de lembrar que na Catalunha mora (ou morava) mais um incrível médio defensivo, um jogador que, apesar de possuir uma fisionomia bem diferente de Busquets ou Guardiola, muito mais condizente com um médio de choque, acaba porém por cultivar um perfil idêntico àqueles de quem herdou o talento. Pode ser que Camp Nou não venha afinal a ser o palco onde futuramente evidenciará as suas qualidades, mas isso não impedirá que Oriol Romeu venha a ter a grandeza que se lhe adivinha...

5 comentários:

Mike Portugal disse...

Veremos se ele consegue explodir em Londres, também me parece que sim.

Não sei se já viste outro jogador também bastante inteligente a jogar na mesma posição que está agora no nosso campeonato, de seu nome Rinaudo. Este vai ser uma bomba, mark my words.

Centro de Jogo disse...

Oriol é muito bom mesmo!
É um médio muito completo, e o que tem de bom fisicamente, por vezes pode fazer esquecer a sua qualidade decisional, Villas-Boas rapidamente percebeu que o seu jogo não encanta só pela componente física.

Já tinha escrito, há uns tempos, sobre outro jogador do Chelsea, do qual Villas-Boas parece também gostar, é Josh McEachran! Parece que o actual treinador do Chelsea está a querer potenciar jovens, e a pouco e pouco unir a equipa através da qualidade dos mesmos. Estes dois, daqui por uns tempos, num "meio campo a três" darão muita qualidade e garantias ao Chelsea! Sem chocar com as "grandes vedetas", a pouco e pouco vai-se ver outro Chelsea, para melhor claro!

Abraço.

Jorge D.

Nuno disse...

Mike Portugal, sim, o Rinaudo tem impressionado, sobretudo pela personalidade. Posicionalmente, parece-me que tem de melhorar bastante, mas gosto do critério em posse e da mentalidade forte que tem.

Jorge D., não conheço o McEachran, mas a tua opinião faz-me acreditar que sim, que estará aí um jogador promissor. Agora, penso que ainda falta ao Chelsea adquirir 2 ou 3 jogadores-chave, um deles um criativo para o meio-campo. Falou-se muito no Modric e hoje fala-se no Pastore. O argentino seria a melhor aquisição possível. Num meio-campo a 3, com o Oriol, ele e o Ramires (ou Lampard), o Chelsea seria bem diferente do que foi em anos anteriores.

Depois, tenho alguma curiosidade para saber se Villas-Boas vai optar pelo 433. Se sim, precisará de se reforçar para os flancos. Mas é na posição de ponta-de-lança que maior curiosidade tenho em perceber o que vai acontecer. Villas-Boas não deixará certamente de querer aproveitar o talento de Torres, mas o que fazer com Drogba? Não saindo, e tendo o peso no balneário que parece ter, será difícil gerir a situação, caso não seja a primeira opção. Uma solução possível passaria por jogar em 442 losango, com os dois na frente. Mas essa seria uma novidade nas equipas de Villas-Boas, e implicaria, além disso, modificações de outro tipo no colectivo, como o reforço das laterais. Por tudo isto, e por ter o treinador que tem, o Chelsea é a equipa que, neste momento, maior curiosidade me suscita.

Centro de Jogo disse...

Boas Nuno,

Tenho a mesmo opinião quanto a Rinaudo, até já o tinha referido no "Lateral Esquerdo". Tem potencial, gosto principalmente da forma como limpa o jogo (jogar para fora da pressão ou contra o sentido da mesma), em contenção e recuperação defensiva consegue recuperar a posse sem a perder, ou seja, dá continuidade a esse momento, utilizando muito as linhas de cobertura. A pressionar, ocupa rápido o espaço, embora por vezes em espaços desnecessários, desposiciona algumas vezes, até agora tem dado sempre, mas com adversários mais fortes pode comprometer a organização defensiva, mas é um comportamento que facilmente pode melhorar.

Acho que numa fase inicial VB optará pelo 1.4.2.2 losango, mesmo por isso, para não chocar com o "vedetismo" de alguns jogadores. Embora pense, que a pouco e pouco, vá "camuflando" o sistema num 1.4.3.3, que é o seu preferido claramente.
Entre Patore e Modric, também prefiro o primeiro, embora também goste do segundo.
Quanto a McEchran, tens de o ver, tem acções parecidas às de Wilshere, um pé esquerdo fabuloso e uma qualidade e velocidade decisão muito acima da média.

Uma pergunta que nada tem a ver com o texto! Não achas que Cani e Valeron, mereciam um clube bem melhor? Não que joguem em maus clubes, mas tinham capacidade para ter outra visibilidade. Se bem que Valeron, já não é agora que o deverá conseguir (sempre foi fiel ao Deportivo, e na idade em que está já não se torna fácil).

Abraço,

Jorge D.

Nuno disse...

Olá Jorge, desculpa a demora em responder.

Sim, claro. Do Valeron gosto há já muitos anos. Apesar da idade e de algumas capacidades físicas já não serem as melhores, merecia estar inserido num futebol de outro tipo, em que pudesse traduzir em rendimento toda a qualidade que tem. Infelizmente, cada vez parece ser menos assim, e jogadores notáveis, do ponto de vista da imaginação e da inteligência, como é o caso, que poderiam ter um prazo de validade muito maior do que os outros, acabam por ser marginalizados de igual modo quando as pernas começam a ceder. É pena, porque é um enormíssimo jogador, ainda hoje. Também não teve sorte com as lesões.

Quanto ao Cani, é já de alguns anos o jogador que mais me agrada no Villarreal. Tem andado amarrado a uma linha, naquele 442 da idade da pedra, mas é o jogador mais esclarecido do plantel. Este ano, o Borja Valero surpreendeu-me, mas o Cani é francamente melhor, ainda assim. Melhor também, por exemplo, do que o Cazorla, que, apesar de ter melhorado com a experiência e com a idade, foi sempre mais jogador de rasgos individuais do que um criativo como o Cani. Merecia outra projecção, que infelizmente não conseguiu porque no futebol não se presta atenção às coisas certas.

Abraço!