sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A avalanche

Há quem fale em crise, quem diga que o Barcelona, este ano, está mais fraco, e patetices parecidas. Acredito que as pessoas que o dizem não têm visto os jogos e que, olhando para os resultados, e comparando-os com os de épocas anteriores e, sobretudo, com os do Real Madrid, achem que há qualquer coisa de inferior. Não há. Aliás, exceptuando o desafio perdido em casa frente ao Hércules, o Barcelona tem sido sempre superior e nunca teve uma vitória em causa. Em vários jogos, e sobretudo porque Guardiola começou a época a gerir esforços, a equipa tem preferido ser menos massacrante e mais cautelosa e ponderada. Mas, quando é preciso passar 90 minutos a jogar à rabia com os adversários, o Barcelona continua impecável. Na semana passada, a goleada imposta ao Sevilha revela isso mesmo. Mais do que a goleada, a forma quase humilhante como os sevilhanos foram vergados é elucidativa. As pessoas esquecem-se que o Real Madrid só ainda jogou contra dois dos primeiros dez classificados da Liga Espanhola, Mallorca e Espanyol. Esquecem-se igualmente que, dos 9 jogos do Barcelona no campeonato, 5 foram contra equipas de entre esses mesmos dez. Esquecem-se, por fim, que o Barcelona já jogou e venceu, em casa, o Valência e o Sevilha, e que já passou incólume nas deslocações dificílimas ao terreno do Athletic de Bilbao e do Atlético de Madrid. Uma revisão do calendário talvez não fizesse mal aos papagaios que pensam que podem descobrir os mistérios do universo olhando simplesmente para resultados.



Fica o vídeo dos primeiros 4 minutos do jogo frente ao Sevilha. As imagens deverão ser esclarecedoras. Se não forem, diga-se ao menos que foram 4 minutos de atropelamento, com o Barcelona a jogar, a trocar a bola cada vez mais perto da baliza adversária, a progredir no terreno, a criar oportunidades de golo, e o Sevilha a correr atrás da bola. A avalanche foi de tal modo intensa que, quando o golo surge, a sensação de inevitabilidade era óbvia. Quando houver outra equipa com a capacidade para fazer 4 minutos tão demolidores como estes, ainda por cima jogando quase a passo, avisem.

P.S. A forma como Sergio Busquets antecipa o que os adversários vão fazer e a forma como se coloca em campo e como reage ao modo como os adversários atacam é genial. É o exemplo máximo de inteligência em momento defensivo. Tem a perfeita noção de quando deve atacar o lance e de como o deve fazer. Com pezinhos de lã, está no sítio certo à hora certa para impedir a transição, para fechar espaços, para roubar bolas. É de longe, mas de muito muito longe, o melhor médio defensivo da actualidade.

10 comentários:

Pedro Fernandez da Silva disse...

"P.S. A forma como Sergio Busquets antecipa o que os adversários vão fazer e a forma como se coloca em campo e como reage ao modo como os adversários atacam é genial. É o exemplo máximo de inteligência em momento defensivo. Tem a perfeita noção de quando deve atacar o lance e de como o deve fazer. Com pezinhos de lã, está no sítio certo à hora certa para impedir a transição, para fechar espaços, para roubar bolas. É de longe, mas de muito muito longe, o melhor médio defensivo da actualidade."

É absolutamente genial! A sua evolução na reacção à perda e a forma como não tem medo de arriscar no momento de pressionar a transição adversária tornaram-no ainda mais forte. Peca ainda por alguns erros infantis ainda que bastante pontuais.

cumprimentos

Ricardo disse...

Totalmente de acordo. Algumas notas:

- Sem dúvida que Busquets é muito, muito bom. E tem vindo a melhorar de forma espantosa - por exemplo, se compararmos este com o do ano passado, vemos uma diferença de qualidade assinalável, apesar de já antes ter revelado toda a sua qualidade. Mas há algo no jogar deste Busquets que não é nem pode ser indissociável da qualidade que ele tem`ao seu redor, ou seja, os excelentes jogadores que o acompanham e que percebem na perfeição a sua forma de jogar. Este Busquets, capaz de ir em pressão até à área adversária, resulta de forma sublime porque tem lá gente chamada Iniesta, Xavi e companhia. É um todo, é isso que maravilha.

- O Iniesta - não me canso de dizer isto - é o melhor jogador do Mundo.

- O génio do Messi, naquela simulação. Divino.

- A qualidade do comentário argentino. Ela já é muito boa por natureza, então quando comparamos com as aventesmas que aqui comentam jogos, é de ir às lágrimas.

João Pinto disse...

Outra vez arroz?... eu ainda ca venho, nao porque enfim. O blogue e teu e quem quiser poe na beira do prato, mas... nao queres escrever sobre outra coisa que nao Barcelona/Guardiola e Liedson/Postiga?

João Pinto disse...

Outra vez arroz?... eu ainda ca venho, porque enfim. O blogue e teu e quem quiser poe na beira do prato, mas... nao queres escrever sobre outra coisa que nao Barcelona/Guardiola e Liedson/Postiga?

Luis disse...

Sinceramente, este posts são úteis para quem não percebe minimamente espanhol, ou não encontra o link do Paradigma Guardiola...

Nuno disse...

João Pinto, ninguém te obriga a comer outra vez arroz. Há por certo iguarias deliciosas por essa blogosfera fora...

Luís, a única coisa que o post tem do Paradigma Guardiola é o vídeo. O conteúdo do texto é meu. A legitimidade do teu comentário é, por isso, nula.

João Pinto disse...

E porque não um comentário ao clássico e ao Sporting-Vitória?

Gonçalo Correia disse...

De facto, comparar Busquets com Javi(como muitos benfiquistas fizeram o ano passado, antes do Mundial) chega a ser sacriigioso..

Schmeichel disse...

E diz o Paulo Sérgio que a jogar com 10 contra o Barcelona durante 15 minutos, não sofria nenhum golo! LOL (penso que ele queria dizer "o Barcelona a jogar com 10" e não o contrário)

Reyes6 disse...

LOL, e eu pensava que esse senhor percebia alguma coisa de futebol, mas dizer que Busquets é o melhor médio defensivo da actualidade é algo de muito bom, ainda não parei de rir.

Sem pensar muito encontro Song, Yaya Touré, Cambiasso, De Rossi e Xabi Alonso.

É verdade que tem evoluído bastante e tem jogado a um nível bastante bom nesta época que findou conseguindo mesmo acompanhar esta equipa do Barça coisa que sinceramente não estava à espera mas daí a ser o melhor médio defensivo da actualidade ainda vai alguma distância.

Agora se falarmos das suas qualidades teatrais já pode ser que nos entendemos melhor, que aí muitos poucos batem o gajo, assim de repente só vejo Pedro e Messi.