sábado, 6 de março de 2010

Os Gajos Mais Odiados da Blogosfera - Episódio 1: Os Visionários

Os recentes comentários, polidos com cortesia e boas maneiras na caixa de comentários do último texto sobre Liedson, trouxeram a lume a simpatia que as nossas palavras e as nossas ideias provocam em quem nos lê. A quantidade (foram 23!, pelo menos para já) de pessoas que manifestou o seu desprezo por nós é assinalável e vem reforçar a ideia de que há pouca gente que não nos odeie. É com a intenção de retribuir o carinho e a atenção que nos dedicam esses escorreitos leitores que iniciamos esta nova temática. O objectivo é recordar o percurso deste espaço, desde a sua criação até à actualidade, as ideias defendidas desde essa altura, os episódios caricatos, as disputas intelectuais, em suma, esboçar, em vários episódios, uma Autobiografia do Entre Dez e das façanhas dos seus autores e dos seus leitores. Cada episódio será subordinado a um tema, contará uma pequena história, invocará uma citação famosa e trará à baila, pelo menos, uma das coisas que fomos defendendo ao longo deste tempo e que o tempo - soberano juiz - se encarregou de tornar irrefutável.

Episódio 1:
Os visionários

Há muitas coisas que nos definem e às quais somos associados. Os nomes de Farnerud, Pereirinha, Liedson, Pepe, David Luiz e Hulk são apenas alguns dos que maiores controvérsias têm causado. Mas questões mais profundas, como a existência ou não de talento inato, o haver ou não funções numa equipa de futebol, a concepção do golo como consequência e não como objectivo do jogo, a esterilidade do 442 clássico, etc., foram também motivo de acesa polémica. Por causa destas coisas e de muitas mais, fomos vezes sem conta apelidados de "visionários" ou de "iluminados". Eis alguns exemplos:

1) Bruno Pinto, a 6 de Novembro de 2007: "Claro que para eles, os outros é que são incapazes de acompanhar a sua inteligência suprema... Autênticos visionários..."

2) Jonnybalboa, a 7 de Janeiro de 2009: "És um romântico da bola, tu e o "pipi"...

3) João, a 26 de Fevereiro de 2009: "E sim, é muitas vezes assim que se elevam a grandes personalidades, os tais visionarios. Mas para cada visionário existem milhões de gajos como tu."

4) Bruno Pinto, a 29 de Abril de 2009: "Acho que muita gente concorda com isso e as explicações são triviais. Ai Nuno, Nuno, essa tua mania de quereres ser visionário..."

5) Miguel, a 4 de Setembro de 2009: "Fica lá com a tua opinião de pseudo-iluminado. Depois quando a bola começar a ser redonda verás que até nem dizes coisa com coisa."

Não haverá, porém, tema deste espaço mais controverso do que Liedson. São pouquíssimas as pessoas, se as há mesmo, que defendem o mesmo que nós defendemos, desde sempre, sobre o avançado do Sporting. Se há algo que nos faz, de facto, visionários, no sentido de acreditarmos em coisas em que mais ninguém acredita, são as considerações acerca do Levezinho. Enquanto que, em relação a outras temas, as nossas posições, ainda que censuradas por maior parte das outras pessoas, são motivo de discussão, quando se trata de Liedson, a outra parte da contenda raramente se interessa por argumentos, tamanha é a heresia. Não raro, o espaço saudável do debate torna-se um espaço de crenças, como se houvesse verdades que não pudessem ser colocadas em causa por via da racionalidade. Assim, tal como os crentes em Deus não podiam aceitar a discussão racional sobre o que quer que fosse que pusesse em causa os atributos da omnipotência, omnipresença e omnisciência do seu Deus, pois aceitá-la seria aceitar a possibilidade de Ele não possuir esses atributos, também aqueles que acham coisas fantásticas de Liedson não podiam aceitar um debate racional sobre a sua pretensa qualidade, pois estariam a aceitar a possibilidade de ele não ser assim tão bom. Praticamente em todas as discussões sobre Liedson, os defensores da sua qualidade agiram como eclesiásticos radicais, incapazes por vocação de aceitar a possibilidade do erro da sua doutrina. Essa semelhança faz lembrar um episódio histórico que o seguinte diálogo procura retratar com desfaçatez.

A Verdadeira História de Galileu Galilei

Galileu: Senhores, estou firmemente convencido de que o grão Nicolau Copérnico, que embora tenha alcançado uma fama imortal perante alguns, foi ridicularizado e assobiado por uma multidão infinita, pois tão grande é o número dos idiotas, tinha, de facto, razão ao afirmar que os astros giram em torno do Sol e não da Terra.
Teóricos da Época: O quê? Estais louco, Galileu Galilei?
Galileu: Não. De ora em diante, o geocentrismo deveria dar lugar ao heliocentrismo.
Teóricos da Época: O héliocen-quê?
Galileu: Heliocentrismo.
Teóricos da Época: Que é isso? Não conhecemos. Isso não existe. Estais a alucinar, Galileu Galilei.
Galileu: Ao contrário do que se pensa hoje, a Terra não é o centro do Universo; é apenas mais um corpo celeste que gira em torno do Sol.
Teórico da Época: Galileu Galilei, andais metido na droga?
Galileu: É a mais pura das verdades. Apesar de isto poder entrar em choque com as doutrinas eclesiásticas vigentes e de me ter sido aconselhado a ponderar essa hipótese apenas como isso mesmo - uma hipótese - e só porque facilita os cálculos astronómicos, tenho argumentos que sustentam que é bem mais que isso. Aliás, possuo cálculos aprofundados que o comprovam.
Teóricos da Época: Pois, Galileu Galilei, mas a nós os cálculos aprofundados não nos dizem nada.
Galileu: Mas se comprovam...
Teóricos da Época: Tende-los convosco? Podeis mostrar-los?
Galileu: Sim. Aqui estão...
Teóricos da Época: Hmmm... Isto tem um bocado de matemática a mais, não tem? E não deveríeis confiar tão cegamente nestes Pitágoras! É só teoremas, só teoremas. Achamos isto um bocado confuso, ó Galileu Galilei... Do nosso ponto de vista, estes cálculos são só especulações.
Galileu: Matemática especulativa?!?!?!
Teóricos da Época: Pois, quer-nos parecer que sim. Isto são só números e continhas de algibeira... Deveríeis passar a dedicar-vos à pecuária.
Galileu Galilei: À pecuária?
Teóricos da Época: Sim, sim. E de ora em diante, aconselho-vos a ficar caladinho. Isto se não desejardes o Santo Ofício a bater-vos à porta. Já agora, Galileu Galilei, que achais do Liedson?
Galileu Galilei: Acho-o fraquinho...
Teóricos da Época: O quê??? Tendes noção da gravidade das vossas afirmações?
Galileu Galilei: Tenho boas razões para acreditar que assim seja...
Teóricos da Época: Pá, este só vai lá queimado em praça pública. Tragam os archotes...

A nossa posição em relação a Liedson não é só uma posição essencialmente controversa; é algo que vai para além disso, pois é quase unânime que o contrário daquilo que defendemos é que está certo. São poucos os adeptos que não o acham um jogador extraordinário e poucos os treinadores que não se ajoelhariam aos seus pés. Esta vassalagem esquisita e, de acordo com aquilo em que acreditamos, absurda, faz com que todos os que nos rodeiam sejam profundos admiradores de algo que não vale assim tanta admiração. Esse comportamento geracional, similar ao comportamento hodierno de grande parte do povo perante as mais diversas formas de arte, denota um conjunto de atributos dessa mesma geração que, de certa maneira, a caracteriza fielmente e provoca em nós, entre outras coisas, um vontade irreprimível de a invectivar. É nesse âmbito que a citação deste episódio se explica.

Citação

"Uma geração que consente deixar-se representar por um Dantas é uma geração que nunca o foi! É um coio d'indigentes, d'indignos e de cegos! É uma resma de charlatães e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!

Abaixo a Geração!"

(Almada Negreiros, in Manifesto Anti-Dantas)


Depois de já ter chamado a Liedson Papa-Açorda, Saltitão, Saguim, Tontinho, Burro, Banal, Estúpido e Napoleão, eis que lhe chamo agora Dantas. É provavelmente o avançado luso-brasileiro com mais alcunhas na História do Futebol... Vamos, por fim, ao espaço em que se relembram algumas das disputas mais interessantes.

Coisinhas em que, por acaso, até tínhamos razão

Como disse acima, de entre as várias coisas que cada episódio desta rubrica trará encontra-se algo que defendemos afincadamente e que, na altura, nos motivou acesas críticas. Para iniciar esse espaço, escolhi Pelé, o fantástico médio defensivo oriundo do Vitória de Guimarães e que, à custa de olheiros que dão especial interesse a características anatomicamente relevantes em gorilas e lutadores de boxe, foi contratado pelo Inter de Milão após um mundial de sub-20 em que as suas exibições foram patéticas, embora os seus músculos e os seus truques com a bola tenham sido bastante elogiados.

De Pelé dissémos desde o início que fora sobrevalorizado. Tratava-se de um jogador fisicamente muito poderoso e com alguma habilidade. Como, nos dias que correm, ainda se vê futebol de um modo essencialmente descontextualizado, olham-se para os jogadores como soma de atributos. Pelé tinha força e tinha técnica. Que mais se poderia desejar? Desde o início que fomos peremptórios em dizer que a Pelé faltava a única coisa que interessa num jogador de futebol: inteligência. Pelé foi então para Itália. Com Mancini, ainda fez uns minutos e marcou uns golos. Apressaram-se a dizer que era a comprovação de que tinha valor. Mantivemos a opinião. Pelé não crescera, continuava extraordinariamente burro a jogar. No ano seguinte, veio o fim da linha para o jovem. Mourinho dispensou-o, Jesualdo não contou com ele, e acabou por passar por três clubes sem nunca se afirmar. No futebol adulto, os atributos que Pelé revelava eram meros acessórios. Faltava-lhe o principal. E comprovou-se que o Entre Dez, que tantas críticas ouviu, é que tinha razão: Pelé jamais iria ser um jogador de futebol a sério.

Este é apenas um exemplo, talvez um dos mais esclarecedores, de que não dizemos as coisas à toa. A nossa opinião é sempre sustentada por ideias e as nossas convicções não são somente caprichos. Quando dizemos o que dizemos sobre certos jogadores, não o fazemos apenas por embirração, mas porque esses jogadores denotam problemas para os quais o comum adepto não costuma olhar. Gaba-se em excesso a transpiração, a garra, a agressividade, a capacidade técnica, a velocidade, porque são coisas fáceis de ver. Observar e averiguar talento é muito mais difícil e só pode ser feito no contexto do jogo e com muitos dados. Maior parte das pessoas que vê futebol repara nos atributos visíveis dos jogadores. O Entre Dez vai mais longe e tenta olhar para coisas não visíveis a olho nu. É por isso que acertamos mais vezes que os outros e é por isso que, ao contrário das outras pessoas, possuímos alguma segurança para dar, acerca de certos jogadores, tantas certezas em relação ao seu futuro. De Pelé, como de muitos outros, não nos enganámos. O tempo deu-nos razão e aqueles que, na altura, tanto o defenderam e tanto nos criticaram, devem agora penitenciar-se perante a confirmação do nosso palpite.

111 comentários:

fantasma do Óculo disse...

Caro Nuno,

apesar de seguir com regularidade o Entre10, nunca aqui tinha deixado um comentário. Hoje, porém, irei fazê-lo:

"Os recentes comentários, polidos com cortesia e boas maneiras na caixa de comentários do último texto sobre Liedson,..."

Aqui aplica-se apenas o famoso ditado do "Quem semeia ventos...". Chamar mentecapto e urso pardo a quem partilha de uma opinião diferente é meio caminho andado para provocar reacções do mesmo género. Amor com amor se paga.

Liedson terá as suas limitações mas também possui virtudes. Pegar no Pelé para mostrar razão em relação a Liedson é que não me parece adequado. O historial não permite esse tipo de comparações.

Reconheço qualidade ao trabalho do entre10 e também eu fiquei espantado que malta que normalmente consegue demonstrar os seus pontos de vista de forma racional, recorra ao argumento sorte (muita) para justificar algumas acções do Liedson. Quando a sorte é em demasia, não terá de existir algo mais que a sustente? E eu sempre ouvi dizer que a sorte procura-se e dá muito trabalho.

Nuno disse...

"Pegar no Pelé para mostrar razão em relação a Liedson é que não me parece adequado. O historial não permite esse tipo de comparações."

Fantasma, não foi isso que foi feito. São duas coisas distintas. Em relação ao Pelé, estamos apenas a dizer que tínhamos razão em relação ao Pelé. Não usámos o Pelé para dizer que temos sempre razão e que isso demonstra que temos razão também no caso de Liedson. Usámos o Pelé como exemplo de um jogador sobre o qual as nossas críticas eram fundadas.

Quanto à sorte, uma vez mais não me parece que se esteja a perceber o que foi dito. Ninguém disse, por exemplo, que o Liedson dispõe de muitas oportunidades por ter sorte. Isso foi explicado. Ele dispõe de muitas oportunidades porque se preocupa essencialmente em atacar zonas de finalização, negligenciando o resto. O que dissémos é que ele tem sorte em relação a alguns dos lances que dispõe para finalizar. Dou outro exemplo. O golo frente ao Setúbal, em que o Nuno Santos lhe dá a bola por pensar que o jogo estava parado. É esse tipo de sorte. Oportunidades que lhe caem assim do céu. É inegável que maior parte das oportunidades de que dispõe não tem nada a ver com sorte. Mas também é inegável que acrescenta ao seu pecúlio lances em que a sorte lhe bate à porta. Foi isso que foi dito. E essa sorte tem um papel importante na reputação que adquiriu. Sobretudo na reputação de marcar muitos golos devido à pressão que faz. Ora, agora sim, maior parte desses golos, marcados alegadamente porque pressiona muito, são fruto não da sua pressão, mas da sorte. A única coisa que se disse é que, de entre os vários golos que marca, há um subgénero que, ao contrário do que se pensa, não são conseguidos por sua acção, mas por sorte. Só isto.

Joel disse...

Só um reparo..o significado da palavra patético pode ser mal entendido (ver dicionario)... E acho que deviam usa-la para se referir a jogadores como o Pereirinha e o Carriço por exemplo..
Em relaçao ao Galileu, havia mais dois senhores que concordavam com ele, um tal d Isaias e outro chamado, Moisés.
O liedson está para o sporting como o Pele para o Brasil... Tendo jogadores como Garrincha, valorizavam Pelé...é uma opçao

Pedro disse...

Tb acho q tu, Nuno, andas um pouco irritado ultimamente e mesmo antes de se iniciar o debate já estás a insultar quem não concorda ctg. Estás no teu pleno direito mas a partir do momento em q permitem comentários já devias saber q iriam chover comentários daquele estilo.

Vou-me repetir, acho louvável que tu não tenhas problemas em defender a tua opnião, q não tenhas problemas em ser o único a defende-la se for esse o caso. Mas acho q perdes qd te deixas engolir na onda dos insultos.

É claro q tens razão muitas das vezes. Mas não tens em algumas. Acontece. Nada de mais. Mas uma coisa as pessoas têm q vos dar crédito. Não conheço outro blog q receba tantos pedidos de opnião sobre jogadores como vocês recebem. Isso diz muito da consideração que as pessoas têm por vocês.

Por isso não precisam deste tipo de post.

Nuno o Liedson teve "sorte" no golo em Setubal pq, simplesmente, não desistiu do lance. É esse o seu mérito. E isso não é sorte.

RG disse...

Nem para cantar o rapaz serve...

http://www.youtube.com/watch?v=SO5HiDtKba4&feature=player_embedded

Só para desanuviar e dar outro ar á caixa de comantários...

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miguel disse...

1. Sobre Liedson não faço grandes comentários. Ouvi dizer apenas que é um gajo que marca(ou) que se farta. Se a equipa joga mal com ele em campo, não interessa, desde que ele continue a marcar! Se depois a equipa não sabe defender, isso é outra história... - O Jardel também era um tronco, mas sabia desviar muito bem a bola para baliza, como os sportinguistas devem recordar-se.
2.Pelé foi trocado por um craque do youtube, não foi dispensado. Será que Mourinho enganou-se em aceitar deixá-lo ir embora ou trazer quaresma? Quanto a Jesualdo, é o mesmo treinador que deixa o teu precioso Bellushi no banco, não traz de volta Hélder Barbosa e que deixa bastante a desejar em termos de escolhas de jogadores desde que chegou ao Porto. E Pelé é titular em Valladolid, o que é melhor que Pereirinha tem feito no Sporting ou Adrien. Também há o caso do Genoa onde não teve sucesso. Mas também não foi aí que um certo Diogo Tavares não fez a ponta de um corno? Ainda por cima numa 2ª divisão? E ele anda onde agora? A última vez que ouvi falar dele estava na 3ª divisão na Suíça (!) e depois pelas divisões inferiores em Itália...
3.Querer dizer que um jogador de 22/23 anos não vai dar em nada quando ainda tem a maior parte da carreira por fazer, é querer à força toda confundir desejo com realidade. E, já agora, é triste falar de um puto dessa forma.As dificuldades que ele pode ter em termos de decisão, podem ser colmatadas com o tempo. Aliás,há imensos exemplos de jogadores assim. Até posso concordar que ele tenha certos defeitos, mas acho que as qualidades que ele tem fazem com que valha a pena esperar... Abraço

João D. disse...

Desde logo acho que vocês têm um problema: são demasiado agressivos para com quem vos comenta por vezes. obviamente que o reverso da medalha acontece com mais frequência, mas já vos vi a chamar "mentecaptos" ou "estúpidos" a uma data de gente que nem sequer está relacionada com o blog. è pena.

Por outro lado vamos lá a ser sinceros: toda a gente, ou quase, que vê bola julga que o desporto tem por objectivo final marcar golos. e é um raciocínio válido já que é com golos que se ganham jogos (verdades la palisse hardcore) e campeonatos e tudo.

o liedson tem marcado bastantes golos desde que cá está. tem algumas épocas em que marca menos é certo, mas tem alguma regularidade seja lá pelo que for. mais a mais tem sido o melhor marcador do sporting nos últimos anos. e talvez isso inflaccione a sua qualidade. Mas será sempre esse o critério da maioria das pessoas ao ver futebbol: os golos são a única coisa que interessa, jogando bem ou mal.

adiante: o post de cima releva coisas importantes: onde andam diogo tavares ou yannick pupo aqui tão bem referenciados? Que lhes aconteceu? más opções ao longo da carreira? ou ainda podem chegar ao topo? são meras curiosidades somente.

continuem com o trabalho que eu pelo menos sou vosso leitor assíduo. é que mesmo tendo opiniões polémicas a verdade é que as sabem fundamentar depois. E isso é importantíssimo para a vossa credibilidade. abraço.

Ministro disse...

Epa, o Bruno Pinto, como é q tu com essa carinha ainda te atreves a meter foto no perfil? MEU DEUS! OS DEUSES DEVEM ESTAR LOUCOS!!!!

Nuno disse...

Pedro diz: "Nuno o Liedson teve "sorte" no golo em Setubal pq, simplesmente, não desistiu do lance. É esse o seu mérito. E isso não é sorte."

Não desistiu do lance como? O lance já tinha acabado. Ele já estava a regressar à sua posição. Não desistiu do lance? O lance nem sequer existe, que é diferente... Não há mérito nenhum.

RG, para ser sincero, não sei se é ele, se é o Bruno Alves, se é o Nuno Gomes que está pior no anúncio. Que infeliz ideia de os pôr a cantar. :)

Bruno Pinto, sempre que se fala em ti, cá estás batido. Admite, tens saudades de ser intelectualmente sovado, não tens?

Quanto ao Galileu, falar dele foi justificado pela parecença entre os inquisidores do seu tempo e aqueles que não admitem sequer um debate racional acerca do Liedson. Falei disso antes de começar a história; não poderia ser melhor motivada.

Miguel diz: "Se a equipa joga mal com ele em campo, não interessa, desde que ele continue a marcar!"

Pois, o bom futebol e os resultados que se lixem. O que interessa é ter o melhor marcador.

"O Jardel também era um tronco, mas sabia desviar muito bem a bola para baliza, como os sportinguistas devem recordar-se."

Pois, mas o Jardel marcava o dobro dos golos do Liedson. Ter um gajo que garantia em média 1 golo por jogo não era mau. O Liedson garante 1 golo a cada 2 jogos. É muito menos. Não vale o sacrifício.

"Pelé foi trocado por um craque do youtube, não foi dispensado."

Pelé não era opção de Mourinho. Na pré-época, nunca jogou na sua posição. Fez alguns jogos como central, por faltar muita gente à defesa. Foi incluído no negócio do Quaresma porque Mourinho não contava com ele. Isso é óbvio.

"E Pelé é titular em Valladolid, o que é melhor que Pereirinha tem feito no Sporting ou Adrien."

Em primeiro lugar, argumentar que um jogador é titular e outro não, em clubes diferentes, é uma estupidez pegada. Não depende só deles. Depois, o Pelé é titular muito recentemente. Tem apenas 7 jogos a titular, salvo erro. Depois, o Sporting não é bem o Valladolid. Depois, o Pereirinha é titularíssimo nos sub-21, coisa que o Pelé não é. Do Adrien poder-se-ia dizer algo bem parecido.

"Também há o caso do Genoa onde não teve sucesso. Mas também não foi aí que um certo Diogo Tavares não fez a ponta de um corno?"

Uma vez mais, não é bom comparar. Embora estejas enganado. O Diogo Tavares chegou ao Génova, foi titular, marcou vários golos e depois teve uma lesão grave, que o impediu de jogar o resto da época. Isto na sua primeira época de sénior, numa equipa que haveria de subir à Serie A nesse ano. Esteve na Suíça e voltou a Itália, onde joga actualmente, na segunda divisão. O que me parece estúpido é comparar 2 casos de sugestões. Acho que o Diogo Tavares tinha um potencial tremendo. Mas o tornar-se um extraordinário jogador não depende apenas disso, infelizmente. Já ao contrário, posso-te garantir que, sem talento, nada feito. E é o caso do Pelé. Quando dizemos que um jovem jogador nunca vai ser ninguém, raramente nos equivocamos, pois estamos a olhar para o ingrediente indispensável. Quando dizemos que um jovem jogador tem muitas qualidades, aí a margem de erro é maior porque não é só o talento que conta. É natural que jogadores com muito talento não venham a ser nada pelas mais diversas razões. O Diogo Tavares, por exemplo, não foi bem tratado pelo Sporting, tomou uma má opção ao desvincular-se do Sporting, teve azar com lesões, etc.

"Querer dizer que um jogador de 22/23 anos não vai dar em nada quando ainda tem a maior parte da carreira por fazer, é querer à força toda confundir desejo com realidade."

Com essa idade é perfeitamente possível perceber muitas coisas.

"é triste falar de um puto dessa forma.As dificuldades que ele pode ter em termos de decisão, podem ser colmatadas com o tempo."

Podem, se ele tivesse 12 anos. Mas não tem. Com esta idade, muito dificilmente melhora.

"Aliás,há imensos exemplos de jogadores assim."

Não me lembro de nenhum.

Nuno disse...

João D. diz: "o post de cima releva coisas importantes: onde andam diogo tavares ou yannick pupo aqui tão bem referenciados? Que lhes aconteceu? más opções ao longo da carreira? ou ainda podem chegar ao topo? são meras curiosidades somente."

João, os jogadores que referenciamos são aqueles que, nas suas idades, melhores condições apresentam em termos de talento e potencial. Infelizmente, apesar de ser o mais importante, isso não chega. Basta uma má gestão por parte do empresário, uma embirração de um treinador, etc. Referenciámos, por isso, vários jogadores que nunca virão a dar nada. Aliás, quando falei do Yannick Pupo, referi imediatamente que desconfiava que, de acordo com as suas características, não ia ser aproveitado neste nosso futebolzinho.

Ministro, não gozes com a cara do rapaz. Os pais dele, coitados, não conseguiram fazer melhor. Acontece...

R. Galeiras disse...

Prepara esses dedos Nuno...

Cacifo disse...

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Que grande galo, porra! Logo hoje, logo esta semana... porra... AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

rodri disse...

Quatro.

Sara disse...

4 dedos...já está dilatado o suficiente?

rodri disse...

Ouvi dizer que estes quatro golos são fruto da maçã com bicho que o senhor em questão comeu há dois dias atrás.

Marco disse...

Tenho de te Dizer isto , tu ate podes ser visionario , ou pensar que és , ate podes ser ou pensar que es vidente ou apenas bi-dente, a mim tanto me faz com me fez.. Mas hoje algo me fez impressão .. Como é que não preveste os 4 golos do liedson ? Foi sorte a mais que avariou as antenas ? Faz uma favor a ti mesmo .. fecha este blog : )
Cumps

Ministro disse...

Meu Deus... Isto vai aquecer LOL

Suponho só q a carinha laroca (LOL) do Bruno Pinto não apareça. Afinal, anda doente com a merda de equipa q para lá tem! Ai pera, p ele são todos bons LOL

João Pinto disse...

Estes comentarios sao uma risota... ministro, deixa-te estar que tens uma puta dum focinho... LOOOL ate tive de ler isto duas vezes "Epa, o Bruno Pinto, como é q tu com essa carinha ainda te atreves a meter foto no perfil? MEU DEUS! OS DEUSES DEVEM ESTAR LOUCOS!!!!" anedota do dia

Nuno disse...

Cacifo, Rodri, Sara e Marco, a vossa imbecilidade começa precisamente no facto de os 4 golos do Liedson não afectarem, de modo nenhum, o que digo dele. Sempre disse que marcava golos, mais do que muita gente. Não percebo, por isso, por que é que 4 golos vos satisfazem tanto. Mesmo que marcasse 10 golos ao Belenenses, nada mudaria do que disse. O problema dele não é marcar golos, é não ser bom em mais nada. E é verdade que marcou 4, mas quantos falhou? Vários. O jogo com o Belenenses é um bom exemplo. Marca 4 golos ao último classificado, mas falha outros tantos. E a verdade é que o Liedson, esta época, praticamente ainda não marcou um golo a uma equipa de jeito, a uma equipa que defenda de modo organizado. Nem ao Braga, nem ao Benfica, nem ao Porto, nem à Académica do Villas-Boas, por exemplo. Ok, marcou para a Taça da Liga, contra o Benfica, num frango do Júlio César, e marcou nos minutos finais da goleada para a Taça, com o Porto, quando o Porto já estava em modo de piloto-automático. Isto diz muito dele...

Sara, é esquisito, mas é uma falta de nível enorme uma mulher que caia na facilidade da ordinarice...

rodri disse...

Então diz-me o que fazem Falcao e Cardozo, por exemplo, para além de marcarem golos? É que, realmente, esta panóplia de birras por certos jogadores já enjoa. Mas é a tua opinião e só tenho que a respeitar.

JNF disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rodri disse...

E, já agora, primeiro é a sorte, agora é a defesa adversária. Qual será o próximo motivo apresentado por ti para os golos marcados pelo Liedson?

(mas é curioso um jogador de 32 anos marcar 4 golos e despoletar tamanha discussão)

Jedi Master Atomic disse...

Nuno,

É a primeira vez que comento por aqui. Vim cá parar através de outro blog. Não és o primeiro que "diz mal" do Liedson.

Reconheço algumas das criticas que lhe fazem aqui. Mas dizer que um avançado "é não ser bom em mais nada" não é exagero???

O Jardel era o quê??? Bem, alem de marcar golos também era bom a snifar.

O facto dele, como dizes, "esta época não ter marcado a nenhuma equipa de jeito", tem apenas esse significado, ou seja, ESTA ÉPOCA. Não esquecer que foi o nosso melhor marcador na europa e do campeonato.

Estará a perder qualidades? Talvez. Com a idade perde-se velocidade e agilidade. Mas se ele estivesse numa equipa bem estruturada desde o inicio do campeonato, fazia muito melhor. Não duvido que se ele jogasse no porto ou no benfas que tinha mais golos marcados que o Falcão ou o Cardozo.

Quanto à cena de dizer que ele marca com sorte, não comento. Só digo isto...o Jardel tinha muita sorte !!!

JNF disse...

Como disseram noutro lado, isto é a "Faculdade de Atrocidade Humana". Em termos técnicos, este blog não vale nada, mas em termos de humor é bom. Muito bom mesmo.

Virgílio disse...

Eh Pá! Isto é mesmo divertido...


Tenho que cá vir mais vezes!

Gostei da recordar a estorieta do Galilei...

Um ponta-de-lança que "só é bom a marcar golos"... FDX! Q pixote do c*r*alh*...

Mas espera lá... Assim de repente lembro-me duma assistência que permitiu ao Carlos Saleiro atirar ao poste do Bruno Vale... Caraças, o 'Proveta' tem a sorte feita num trinta e um... :)

@leo@ disse...

e o cabrão continua com sorte, ah diabo.

Cacifo disse...

Nós gastamos tantos caracteres - http://ocacifodopaulinho.wordpress.com/2010/03/07/pokeralho/ - para dizer essencialmente a mesma coisa que a inspirada Sara disse, de forma sublime. Parabéns Sara, ainda por cima o gajo é machista.

Ahahahahah

Miguel disse...

Autores do blog: Parabéns. O vosso objectivo de fazer deste blog o mais visitado está conseguido, nem que seja à base de insultos...e não estou a ser irónico.
Em resposta à tua resposta ao meu post, sugiro-te que leias outra vez o que escrevi. Se o Liedson marca isso devia ser suficiente pro sporting ganhar. Se a equipa não sabe defender é outra coisa, sendo que, apesar de tudo, o Liedson até é o primeiro defesa do sporting logo ali à frente. A equipa não joga bem com ele?...eh pa, o sporting do Peseiro não jogava espectacularmente cm os lagartos diziam? E o liedson não fazia parte dessa equipa?...é evidente que não é nenhum van basten e tb prefiro outro tipo de avançados, mas desvalorizar da forma que fazes o número de golos que ele marca...por favor...além disso, falhar golos é mais com esse monstro de área chamado postiga, ainda me lembro bem dele no fcp...classe, sem dúvida, até a marcar golos...só é pena que fossem tão poucos e não foi por falta de oportunidades...

JML disse...

Jedi Master Atomic
"Não duvido que se ele jogasse no porto ou no benfas que tinha mais golos marcados que o Falcão ou o Cardozo."

Eu acho que vocês estão a ver mal a coisa. Eu não tenho a opinião extrema do Nuno e do Gonçalo sobre o Liedson, mas vocês analisam muito mal o que eles dizem. A questão não é se o Liedson marcaria mais golos no Porto ou no Benfica, mas se o Porto ou o Benfica jogariam melhor ou marcariam mais golos com ele na equipa. Um jogador até pode garantir 1 golo por jogo a uma equipa e ser o único da equipa a marcar, mas se a forma de ele jogar impedir a equipa de ser mais dominadora ou de marcar mais golos, qual é a vantagem? É essa a questão dos autores do blog.

Mais uma vez, não é essa a minha posição sobre o Liedson, mas aprendam a interpretar opiniões...

Pedro disse...

JML de facto é isso q o Nuno defende, q com Liedson a equipa joga mal e o Nuno aproveitou o regresso de Liedson à equipa e os resultados desportivos maus q se seguiram para sustentar essa posição. Acontece é que o sporting acaba de fazer três jogos seguidos muito bons, marcando 11 golos e não sofrendo nenhum e em todos eles o Liedson não só marcou vários golos como jogou muito à bola. E o scp tb. Parece-me q até aqui a teoria do Nuno sofreu um forte revés.

PS: Imagino o sentimento do Nuno após cada golo do Liedson. Logo nesta semana, logo após estes posts. É azar, caraças!!!!

Abraços para ti Nuno.

Pedro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Metralha disse...

Ai...

PALERMA eu? Obviamente.

E fdx a sorte de uns é o azarinho de outros. Já trabalhas Nuno?

Que risada!

JL disse...

Para quando o post sobre o correcto que se revelou o louvor ao Farnerud?

Jorge Sampaio disse...

como ficou o SCP este fds?

Sara disse...

Ordinarice? Vindo do Nuno, presumo que isso seja um elogio ou coisa parecida, certo?
Mas aproveitando uma antiga frase do bibota Fernando Gomes, aposto como o Nuno é daqueles para quem o objectivo do sexo não é o orgasmo, certo? E que quando tem a sorte de estar com uma mulher lhe passa a vida a dizer que está a fazer as coisas mal, que devia meter a mão aqui, que devia elevar o pé num ângulo de 45º, etc. Seja quem ela for, e logo no dia da mulher, é uma santa senhora, garanto-lhe.

Pedro S disse...

Bom, leio este blog, e reparo agora numa coisa, um pouco estranha decerto; ou é isso ou é das pesquisas...para quando uma análise a esse "fabuloso" jogador que é Di Maria? gostava de ler a vossa opinião, porque pode ser que no meio de tanto barulho da C.Social, estejam a aperceber-se do mesmo que eu... Por mim, que até sou adepto do SCP, vocês têm o direito á vossa opinião acerca do Liedson...Não quer dizer é que esteja completamente correcta...Um Abraço!

Vegeta disse...

Comecemos por aqui...
Ainda assim, como o disse, se isso quisesse dizer alguma coisa, duvido que haja mais que 10% de comentadores deste blogue que tenham a experiência de futebol federado que eu tenho.

Caro Nuno... Certamente que és o único com muitos anos de futebol federado neste blog...

Bem, nem sei o que dizer... Alguém que é tão iluminado e visionário como Galileu é um autêntico desperdício estar a fazer comentários e análises de bola num blog... :)

Não há relação de causalidade entre correr muito e meter muito o pé com o ganhar ressaltos.

Claro que se ele estiver paradinho a bola vem ter com ele. E como é óbvio, se ele meter o pé não tem mais probabilidade de ganhar o ressalto... Eish....

Ganha mais porque os adversários falham mais vezes com ele. E isso é tudo menos mérito dele."

Estás a dizer que o Liedson é um gajo cheio de sorte e que os defesas normalmente dão-lhe a bola para ele marcar, nada tem a ver com o facto de ele ser uma carraça. Ok, agora fiquei mesmo com a certeza que és realmente um visionário. Digo-te sinceramente, um tipo que diz que um avançado como o Liedson não é bom, apenas tem sorte e que os defesas é que lhe dão todas as bolas é uma pessoa que necessita urgentemente de um oftalmologista ou de um psiquiatra. Mas com esta referência a Galileu, penso que é mesmo de um psiquiatra.

Os ressaltos também se ganham com inteligência, sabendo-se posicionar no sítio certo, sabendo pressionar no timing exacto, pondo o pé de uma maneira relevante e não à toa.

Lá está. Ele ganha ressaltos, mas não tem timing nem posicionamento e só mete o pé à toa. Mas porque raio é que ganha tantos? Pois, é sorte, tinha-me esquecido...

Parabéns, ganhaste um leitor assíduo. Agora que o Bulhão Pato deixou as lides, estava desolado por não ter um blog de bola para me rir um bocado.

Agora a sério, admiro a tua persistência. Mesmo debitando as maiores alarvidades do mundo, és coerente. Mesmo quando o Liedson marca 4 num jogo...

Jorge Sampaio disse...

este teu complexo de superioridade chega a ser preocupante.

nasceu o galileu da bola. isto é mesmo perturbador.

Nuno disse...

Rodri diz: "Então diz-me o que fazem Falcao e Cardozo, por exemplo, para além de marcarem golos?"

Rodri, tanto o Falcao como o Cardozo procuram jogar de frente, servem de apoio aos colegas, percebem a utilidade de uma tabela, raramente tentam fazer tudo sozinhos, e conseguem encontrar, muitas vezes, a melhor solução. São incomparavelmente melhores que o Liedson a decidir. É essa a principal diferença.

"já agora, primeiro é a sorte, agora é a defesa adversária. Qual será o próximo motivo apresentado por ti para os golos marcados pelo Liedson?"

Rodri, começa a ser difícil falar com pessoas que não sabem ler. Nunca disse que tem sempre sorte, nunca disse que é sempre por causa da defesa adversária. São factores que existem, mas não é só por eles que ele marca, como é óbvio. Agora, são factores que ajudam aos números que alcança. Se não tivesse sorte, se jogasse num campeonato em que as defesas defendem de modo organizado, como em Itália, o Liedson marcaria muito menos golos. Esta época (e dou o exemplo desta época porque me preocupei em registar isso), ainda não marcou golos a equipas bem organizadas. Isso diz muito dele. Diz sobretudo que é um avançado que aproveita os erros dos adversários, mas que não é capaz de mais nada. E se voltarmos atrás, basta ver quantos golos marcou ao Porto desde que está em Portugal. Muito poucos. E falo do Porto porque foi a equipa que, ao longo dos anos, se manteve sempre bem organizada.

Jedi Master Atomic, há duas diferenças importantes entre o Liedson e o Jardel. O Jardel marcava o dobro dos golos e o Jardel, por definição, ficava entre os avançados, não participando no jogo da equipa e não o estragando como o Liedson. São diferenças grandes.

Jedi Master Atomic diz: "Não duvido que se ele jogasse no porto ou no benfas que tinha mais golos marcados que o Falcão ou o Cardozo."

Jedi, ele não jogava no Porto. Há um jogador igualzinho a ele no Porto, embora marque mais golos, que não joga: o Farías. No Benfica, nem pensar que calçava. Aliás, o Benfica tem um jogador que também marca muitos golos e que não joga há 6 ou 7 anos: o Mantorras. Um avançado tem de ser muito mais que golos. O problema do Sporting é não perceber isso. Como acham que o trabalho defensivo do Liedson é relevante, acham que ele vale mais do que golos. Mas não vale.

JNF diz: "Em termos técnicos, este blog não vale nada, mas em termos de humor é bom. Muito bom mesmo"

JNF, sem explicares por que é que, em termos técnicos, isto não vale nada, esta tua frase é só barulho. Continua a grunhir e não dês razões que não é preciso.

Virgílio diz: "Mas espera lá... Assim de repente lembro-me duma assistência que permitiu ao Carlos Saleiro atirar ao poste do Bruno Vale... "

É verdade, Virgílio. Mas tenta lembrar-te de outra sequer parecida ao longo da sua carreira. Não é fácil.

Miguel diz: "Se o Liedson marca isso devia ser suficiente pro sporting ganhar."

Depende. Mas ao mesmo tempo o Liedson marca 1 golo a cada 2 jogos. Logo, há metade dos jogos em que o teu argumento não faz sentido. De qualquer forma, parece-me que estás a dizer que o papel dele é marcar, quando é muito muito mais que isso.

"além disso, falhar golos é mais com esse monstro de área chamado postiga"

Miguel, isto é falso. O Liedson ontem marcou 4, mas falhou outros 4, pelo menos. O Postiga não tem tantas oportunidades de golo, logo falha menos.

JML diz: "Um jogador até pode garantir 1 golo por jogo a uma equipa e ser o único da equipa a marcar, mas se a forma de ele jogar impedir a equipa de ser mais dominadora ou de marcar mais golos, qual é a vantagem? É essa a questão dos autores do blog."

Exactamente. Mas há malta que, assim que vê o nome de Liedson, cega. É por isso que os comparei aos inquisidores. Não querem saber de razões. Interessa-lhes essencialmente defender a sua religião com unhas e dentes e queimar vivos os hereges...

Nuno disse...

Pedro diz: "Acontece é que o sporting acaba de fazer três jogos seguidos muito bons, marcando 11 golos e não sofrendo nenhum e em todos eles o Liedson não só marcou vários golos como jogou muito à bola. E o scp tb. Parece-me q até aqui a teoria do Nuno sofreu um forte revés."

Pedro, dizes várias coisas erradas. O Sporting não fez 3 jogos seguidos bons. Não jogou nada do outro mundo contra o Porto. Marcou cedo e depois jogou com isso, dando a iniciativa a uma equipa que é fraca quando tem de ter a iniciativa. Fez um jogo razoável, que acabou por ser pautado por três golos sem resposta. Tal como os 5-1 do Porto ao Braga não expressaram um domínio claro do Porto, os 3-0 do Sporting não expressaram um domínio claro do Sporting. Contra o Belenenses, o Sporting fez uma primeira parte miserável. Com a entrada de Saleiro, melhorou, mas não muito. Depois do primeiro golo, beneficiou do desnorte dos azuis. Não foi, de maneira nenhuma, um grande jogo. O único jogo interessante foi contra o Everton. Não há revés nenhum, pá.

Quanto ao Liedson ter marcado vários golos, é falso. Marcou vários golos ao Belenenses. Não marcou nem ao Everton nem ao Porto. É muito diferente. E não fez grandes jogos.

Metralha, e ideias, tens?

JL diz: "Para quando o post sobre o correcto que se revelou o louvor ao Farnerud?"

JL, e leres? Já disse que os jogadores louvados podem ou não podem acabar por se notabilizar. Isto porque não depende apenas da sua qualidade. Depende do treinador, das lesões, da concorrência, até da ignorância dos adeptos... O que dizes nunca pode servir para nada. Se quiseres posso-te dar vários jogadores que sempre foram maltratados e que os defendi e que agora se comprova quem é que estava certo. O melhor exemplo é o Diego. O Farnerud era um excelente jogador, mas infelizmente tinha características que não são apreciadas por quem não percebe de futebol para além do trivial.

Sara diz: "Ordinarice? Vindo do Nuno, presumo que isso seja um elogio ou coisa parecida, certo?"

Sara, acho a ordinarice estúpida, fácil e de mau-gosto. Jamais me viste fazer piadas ou insultar alguém com ordinarices. E se o é em qualquer pessoa, numa mulher ainda fica pior. Mas são opções.

Pedro S., o Di Maria é muito limitado do ponto de vista intelectual. Beneficia de estar incluído numa equipa que, ofensivamente, se desdobra muito bem. Daí estar a dar nas vistas. Nunca será um grande jogador; nunca será o que querem fazer dele. O Coentrão tem bem mais potencial que ele.

Vegeta diz: "Claro que se ele estiver paradinho a bola vem ter com ele. E como é óbvio, se ele meter o pé não tem mais probabilidade de ganhar o ressalto... Eish...."

Vegeta, isto é estúpido. O Liedson corre à parva. Claro que isso lhe dá mais probabilidades de ganhar bolas do que se não correr. Mas quem corre para os sítios certos, à hora certa, tem muito mais probabilidades de ganhar bolas ou de ser útil à sua equipa, em termos de pressão, do que quem corre à parva.

"Estás a dizer que o Liedson é um gajo cheio de sorte e que os defesas normalmente dão-lhe a bola para ele marcar, nada tem a ver com o facto de ele ser uma carraça."

Vegeta, o Lisandro, por exemplo, é muito mais "carraça" que o Liedson. Dispõe ele de tantos brindes quantos o Liedson? Não. O Liedson tem mais sorte que o Lisandro. Ponto final.

"Digo-te sinceramente, um tipo que diz que um avançado como o Liedson não é bom, apenas tem sorte e que os defesas é que lhe dão todas as bolas é uma pessoa que necessita urgentemente de um oftalmologista ou de um psiquiatra."

Porquê? É que se me conseguires explicar por que é que o Liedson é mais do que o que eu digo, podemos conversar.

"Agora a sério, admiro a tua persistência. Mesmo debitando as maiores alarvidades do mundo, és coerente. Mesmo quando o Liedson marca 4 num jogo..."

Isto porque o facto de ele marcar 4 golos não muda nada do que digo em relação a ele.

Ricardo disse...

Há coisas ridículas. As pessoas nem sequer lêem o que os outros escrevem, tal é a vontade, a raiva, o espumar de boca com que alguns se apresentam aqui.
Se tivessem lido (atenção que ler é mais do que passar os olhos pelas palavras, requer raciocínio, reflexão, o mínimo de inteligência) o que o Nuno escreveu, não vinham para aqui naquela atitude boçal do "Toma, Nuno, ontem foram 4!" pelo simples facto de que a análise feita pelo Nuno explorava precisamente essa ressalva: a de que mesmo marcando alguns golos, Liedson está longe de ser um grande avançado (ideia com a qual concordo, avanço já). Mais: o Nuno disse que não são os golos que definem um ponta-de-lança. Alguém, de entre os que aqui vieram dizer "toma, foram 4" ou "grande galo", leram isso ou alguma coisa do texto? É que só há duas possibilidades: ou não leram - e se não leram, são estúpidos, porque vieram criticar por criticar, sem quaisquer argumentos nem qualquer ideia do que era discutido; ou leram - e são estúpidos, porque vêm, achando que têm razão, dar o único ou dos únicos argumentos que para a discussão não servem (ou seja, Liedson marcar golos).

Podiam procurar vir discutir a fundo o que foi dito pelo Entre Dez sobre o Liedson, tema demasiadamente interessante para algumas cabeças de insecto.

Pedro disse...

Nuno, já sei que nunca concordaremos neste ponto mas o Liedson de facto jogou muito bem, principalmente contra o fcp. Acho que tendo em conta o q o sporting vinha a fazer os ultimos três jogos foram uma excelente evolução qualitativa. Não jogaram á Benfica mas jogaram muito melhor do que vinham a fazer. E Liedson foi parte importante nessas vitórias.

Só para me meter ctg, o Liedson fez uma excelente assistência para o Pongolle num lance em que ele falha na cara do gr.
:)

MB disse...

Uma sugestão para todos os que vêm aqui dizer que o Liedson é o maior porque marcou 4 golos:

Se o vosso argumento, cada vez que o Liedson marca, é que ele é bom porque marcou, pela mesma ordem de ideias, cada vez que ele não marca deviam vir cá dizer que ele não vale nada.

É que neste jogo marcou 40% dos golos que leva no campeonato, em quantos não ficou em branco?

P.S. Quantos golos já não marcou o Miguel Veloso este ano? E isto jogando a médio e defesa. Se calhar devia ir para ponta-de-lança...marca golos.

Pão Metálico disse...

Caro Nuno,

Convém avisar a malta estrangeira que anda atrás do Di Maria, para o facto do potencial do Coentrão ser superior ao do argentino. Há que abrir os olhos a todos os que possam estar interessados no jogador, e não tenham a sua capacidade de observação.

Sara disse...

"Mas há malta que, assim que vê o nome de Liedson, cega."

nunca o Nuno escreveu nada tão certo nesta tasca. devia olhar para o espelho mais vezes!

Pedro S disse...

Olá de novo!

Pois obrigado pela resposta acerca do Di Maria e, curiosidade, a semelhança de opinião. Há uma coisa que visualmente me enerva no citado...com alguma capacidade e velocidade que tem, o facto de jogar constantemente a olhar para o chão...ter a tendência de também se atirar para o mesmo (futebol á moda latina...) e os "tadeias" insistirem na qualidade dos centros e passes; aconselho o visionamento do último jogo (Leixões) e, excepção feita aos golos, a quantidade de centros, passes, fintas, que este "Senhor 60 milhões" perdeu... Se o SLB (e não os jornais) o venderem por qq soma, é decerto uma mais valia...recordo o que aconteceu há alguns anos, quando o Benfica vendeu o Hélder (D.C.) ao Coruña...comentava a imprensa 2/3 jogos a seguir "Ainda se devem estar a rir na Luz".

já agora, comungo da opinião acerca do Fábio Coentrão, que, esse sim, tem consistência quer ofensiva quer defensiva, e, por norma, está bem colocado.

Discutam futebol, defendam pontos de vista, mas não ofendam ninguém!!! Para isso já basta o jornalismo que ofende a nossa inteligência!

Um abraço a todos!

Pedro S disse...

Olá de novo!

Pois obrigado pela resposta acerca do Di Maria e, curiosidade, a semelhança de opinião. Há uma coisa que visualmente me enerva no citado...com alguma capacidade e velocidade que tem, o facto de jogar constantemente a olhar para o chão...ter a tendência de também se atirar para o mesmo (futebol á moda latina...) e os "tadeias" insistirem na qualidade dos centros e passes; aconselho o visionamento do último jogo (Leixões) e, excepção feita aos golos, a quantidade de centros, passes, fintas, que este "Senhor 60 milhões" perdeu... Se o SLB (e não os jornais) o venderem por qq soma, é decerto uma mais valia...recordo o que aconteceu há alguns anos, quando o Benfica vendeu o Hélder (D.C.) ao Coruña...comentava a imprensa 2/3 jogos a seguir "Ainda se devem estar a rir na Luz".

já agora, comungo da opinião acerca do Fábio Coentrão, que, esse sim, tem consistência quer ofensiva quer defensiva, e, por norma, está bem colocado.

Discutam futebol, defendam pontos de vista, mas não ofendam ninguém!!! Para isso já basta o jornalismo que ofende a nossa inteligência!

Um abraço a todos!

Metralha disse...

Quem é que precisa de ideias, com um idiota como tu, Nuno?

A popularidade crescente que leva este blog é proporcional aos disparates que debitas aqui. Tu e o alter-ego Gonçalo.

A saga irá continuar.

Deixo-te só uma pequena ideia: eu acho que quem virou o jogo foi o Saleiro, com a sua entrada e as suas acções que fizeram o colectivo funcionar. O Liedson como grande jogador que é aproveitou como ele melhor sabe ( e como poucos o sabem) para fazer os golos.

R. Galeiras disse...

Metralha:
"Deixo-te só uma pequena ideia: eu acho que quem virou o jogo foi o Saleiro, com a sua entrada e as suas acções que fizeram o colectivo funcionar. O Liedson como grande jogador que é aproveitou como ele melhor sabe ( e como poucos o sabem) para fazer os golos."


Acho que aos poucos estás a perceber o que o Nuno tão pacientemente tem tentado explicar....

Virgílio disse...

Nuno:

Tenho que te dar os parabéns pela tua perseverança em responder a tds os comentários, coisa que mts não fazem. Tb é importante ter disponibilidade q nem sp se tem, mas pronto, esse mérito já ng to tira.

Agora, deixa-me q te diga, q essa tua sanha persecutória contra o Liedson é qlq coisa de incompreensível. Mais ainda em alguém que até me parece ser inteligente. Enfim, ‘manias’ tds nós as temos…

Que o Liedson tem defeitos ng coloca em questão, agora não vislumbrar os méritos que indubitavelmente tem e resumi-los todos à sorte e à pixotice alheia, já me parece grave...

Falcão e Cardozo são mais fortes que Liedson? Talvez... Nalguns aspectos, certamente… O colombiano tem que fazer mais umas épocas para podermos comparar. Mas há q lhe dar o mérito dos números de golos (lá está) alcançados em época de estreia. Não é para qlq um... nem paro o (agora) gde heroi lampiónico Oscar Cardozo! Cardozo, p.e., tem um arcaboiço físico que lhe permite proteger melhor a bola, segurá-la e, consequentemente, tabelar com os colegas, tem tb um gde pé esquerdo, mas olha que o direito deixa mt a desejar... Já Liedson, que é dextro desembaraça-se melhor com o dois pés. Ainda ontem fez um excelente golo com o pé esquerdo... Não me recordo assim de gdes feitos do Óscar com o pé direito…

Depois a mobilidade de Liedson é superior a ambos. E a atitude competitiva? Nc pára, esforça-se sp, dá td em campo…Do que me apercebi, mt mais que os outros dois. Isso deve ser alvo de elogios, ou não? E a defender? Qts vezes vimos o levezinho a auxiliar a equipa em labores defensivos? E o Falcão? E o Cardozo? Pois…

Qt àquilo de q os avançados vivem… Td bem que o Liedson já leva mais anos de Portugal... Mas tem um numero impressionante de golos marcados. Não sei qts anos vão por cá andar o Falcão e o Cardozo para podermos fazer uma comparação justa relativamente ao propósito fundamental dos pontas-de-lança e, assim, verificar qual dos três seria o mais… ‘afortunado’!

Qt a assistências... Bom, vou-me auto-impor novo exercício durante o visionamento dos jogos do SCP: contar as assistências de Liedson... Segundo as tuas estatísticas, o exercício não deverá ser assim mt pró… penoso. Prometo vir cá trazer a minha contabilidade… Traz tu a do Falcão ou do Cardozo, para podermos comparar (tb fazia igual exercício para esses dois, mas confesso que não tenho visto os jogos de porto e benfica).

E essa do SCP jogar melhor sem o Liedson… Há três jogos consecutivos que tal é notoriamente desmentido. Só para me reportar à presente época.

Muito já foi dito, mas mt mais haveria para dizer. Para já, fico-me por aqui.

SL!

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno disse...

O que mais admiro em ti, Monsieur Homais, é o nível dos teus insultos. É coisa de bairro fino, certamente...

J-B52 disse...

Virgilio :

Se o Liedson esta preso no campeonato portugues a tanto ano e sobretudo porque nao tem qualidade.
E um jogador banalissimo, com uma capacidade finalizadora razoavel.

Comparar esse ratito com o Falcao que e de facto um bom avançado e estupidez.

Nuno disse...

Virgílio, num jogo, haverá qualquer coisa como 50 jogadas de ataque. Resumir o papel de um avançado a 2 ou 3 lances de golo é incrivelmente absurdo. Um avançado não se mede pelos golos que faz, pelas assistências que protagoniza, pela disponibilidade física que apresenta. Mede-se por todas as acções em campo. Fazer um estudo sobre uma parte tão ínfima dessas acções quanto sejam golos ou assistências é um exercício francamente estéril e não prova nada. Não sei se leu, mas aconselho-o a ler os dois estudos que fiz sobre o Liedson, um deles sobre um jogo seu, outro comparando-o com o Postiga e o Saleiro. Pode encontrá-los se clicar na etiqueta "Liedson" ou na etiqueta "Estudos". Esses sim, são exercícios válidos. Focam as acções com bola dos jogadores e o impacto que estes têm em todos os momentos do jogo. E é assim que se deve medir a qualidade de um jogador, seja ele qual for.

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Metralha disse...

Oh Galeiras dispenso o pretenciosismo. E muito paciente estou eu a responder-te.

Máximo disse...

Boa tarde a todos,

Antes demais queria salientar duas coisas:

- Acho o Liédson um bom jogador;

- Não é por ele ter marcado ontem 4 golos que o Nuno deixa de ter razão, porque a opinião dele se baseia exactamente no facto de não ser apenas de golos que vive um avançado (o que de facto corresponde à verdade)

O Liédson tem a meu ver coisas muito interessantes. A disponibilidade para o jogo, a entrega, a luta, a relativa boa percentagem de finalização, etc. Mas tem, como diz o Nuno, pouca capacidade intelectual em termos de leitura de jogo (não é obviamente um Saviola e mesmo em termos de entrega e raça não é um Lisandro). Entendo o que aqui é dito porque de facto o Liédson estraga muitos lances ofensivos da equipa (tal como Hulk, tal como Dí Maria). Toma más decisões, opta por uma finta quando tal não é aconselhável, etc. Penso apenas que o Nuno extrema muito a sua posição. Tal como eu, provavelmente extremo a minha quanto ao Hélder Postiga, que é um jogador que o Nuno defende. Acho o Postiga o pior avançado de sempre! (é óbvio que é um exagero, mas não consigo gostar dele). Admito que se movimenta bem, procura bem o espaço vazio, sabe deslocar os defesas para abrir espaços para os demais companheiros, mas tem um aproveitamento em termos de finalização horrível (faz-me lembrar o Nuno Gomes). Aceito que colectivamente seja um jogador importante mas para ganhar um jogo são necessários golos. Só um super estudo científico poderia de facto tirar uma conclusão sobre qual é efectivamente mais útil - se Liédson pelos golos, se Postiga pela maneira como interage com a equipa. Atendendo à frieza dos números, seria Liédson. E por isso mesmo o grande público rejeita a opinião do Nuno.

Por última apenas uma consideração sobre a sorte de que o Nuno fala. Acho muito redutor atribuir os golos e os lances que o Liédson ganha apenas e só à sorte. Simplesmente porque atribuí-los á sorte é impedir que isso seja irrefutável. É claro que a sorte e o azar existem, mas parece-me mesmo muito limitativo considerar que sem a sorte Liédson não faria tantos golos. E em Portugal (e não só...) ofertas dos defesas acontecem todas as jornadas...

Um abraço desportivo

R. Galeiras disse...

Só para apimentar mais um pouco a discussão...

http://www.youtube.com/watch?v=MlF0eGSLGDo

Virgílio disse...

J-B52...

Um jogador banalissimo que tem feito história no SCP...

O Lucho e o Lisandro andaram 'presos' no campeonato português sensivelmente os msm anos do Liedson... Devem ser uns pixotes do caralho... Ou então os dirigentes do Marselha e Lyon sofrem da tal... estupidez... q tu tanto apregoas... Isto só pra utilizar a terminologia q tu aprecias.

A 'gde' diferença é q chegaram mais novos e, como tal, ainda a tempo de serem transferidos e render dinheiro ao foculpuorto.

---

Nuno:

Não li... Com tempo (q no meu caso ñ abunda) lá irei.

Bem sei que não se mede a capacidade num jogador apenas nos lances decisivos... De qlq forma foste tu que agora (nesta discussão) afirmaste que Liedosn só é bom a marcar golos (o q já não é pouco, digo eu...). Ora mais redutor que isso, não sei o q será.

O exemplo da assistência para Saleiro, visava provar, de forma simples, isso mesmo: que ele faz outras coisas bem. Apenas dei o exemplo da mais recente sem ter resultado em golo...

Qd, p.e., afirmo que ele ajuda nos processos defensivos e que nc dá um lance por perdido estou, implicitamente, a avaliá-lo noutros capítulos do jogo. Mas se os tais lances capitais não definem completamente um jogador, a verdade é q ajudam a avaliá-lo e serão sempre esses os mais escrutinados e, passo a redundância, mais importantes no definir de um resultado... Ora sendo o PRINCIPAL objectivo do futebol a obtenção de golos...E se possível mais que o adversário, jogo após jogo...

Outra coisa: o Liedson decide mal? Sim, decide. É individualista em ocasiões em que a prudência aconselha a passar a bola? Tb é verdade (às vezes pergunto-me se não é auto-confiança e/ou vedetismo a mais, ou falta de apoio outras ocasiões...)

Daí a querer colar a liedson a imagem de jogador pouco inteligente é abusivo. E digo isto, pq se Liedson fosse burro e tivesse uma leitura errada do jogo na maioria das situações JAMAIS conseguiria marcar os golos que marca. Alguns plenos de sentido de oportunidade... Uma coisa tem q se admitir: o gajo não 'é' só sorte.

SL!

SwordOfTheGods disse...

É incrível o apego das pessoas a estes "heróis". Quando vejo os media a tratarem gajos como o Liédson, o Di María, o Hulk e o Ruben Micael (suponho que estes quatro sejam os "protegidos" dos media de hoje em dia), a única coisa que posso fazer a lamentar a péssima qualidade do jornalismo desportivo (embora não seja, de forma alguma, problema exclusivo português; nós não "inventamos" a ignorância).

Um gajo como o Givanildo é tratado como o Messias do futebol quando a única coisa que sabe fazer é correrias até à linha de fundo. O Di María finta e finta, perde a bola e quando passa a bola só de quando é vez é que sai em condições. O Micael já é tratado como se fosse o Zidane, veja-se lá! Perdas de bola e passes errados que se lixem, o Porto precisa de heróis para levantarem a moral dos adeptos.O Liédson, nem se fala. Marcar golos, marca, mas isso fazem a todos os pontas de lança da Liga Sagres. As equipas têm que jogar em função dele, ele é tratado como um rei (veja-se o caso Sá Pinto) e ai do herege que falar mal do Santíssimo Levezinho! Prontamente crucificado.

Todos os jogadores que falei não são o nadir do futebol, nada disso. Apenas não são os fora-de-séries que se fazem parecer. Não estamos na Índia, aqui não há vacas sagradas.

J-B52 disse...

SL :

HAHA Claro agora e a idade que fez com que o Liedson ficasse. De facto o Nuno tem razao, há malta que, assim que vê o nome de Liedson, cega.

O Liedson chegou em 2003, dois anos antes que o Licha e o Lucho que sairam este ano. Ficaram portanto 4 epocas. O brasileiro ja vai na sua setima....

O Lucho e o Lisandro so sao internacionais na pequena selecçao argentina qdo o Liedson teve de esperar pelo passaporte portugues...
Por respeito pelo esses dois belos jogadores, nao os coloques na mesma frase juntamente com o Liedson.

Enfim, essa de escrever historia no Sporting tb tem alguma graça... Qual historia meu amigo ?

Virgílio disse...

"há malta que, assim que vê o nome de Liedson, cega."

Com q então há malta que cega...

Pois, quer-me parecer que há outros nomes que cegam outra malta...


Liedson chega ao SCP a poucos meses de completar 26 anos...

Lisandro Lopez sai do fcporto pouco meses depois de completar os mesmos 26 anos.

A idade não conta?... Quem é o cego, quem é?!

"Enfim, essa de escrever historia no Sporting tb tem alguma graça... Qual historia meu amigo ?"

Optimo! Obrigado. Era mesmo essa a resposta que eu precisava! Agora posso chamar-te de ignorante com propriedade!

E antes de falares em respeito, 'meu amigo', vai aprender a saber o que isso é.

Passar bem.

J-B52 disse...

Ridiculo.

Achas mesmo que e porque ele chegou com 25/26 anos ao Sporting que ele ficou ?
Se ele fosse realemente fantastico, como tu o prentendes, ele ja tinha bazado a pelo menos 2 anos.

E um jogador banalissimo, com uma razoavel capacidade de realisaçao e que aparece bem nas zonas de finalisaçao. Nem mais, nem menos.

Agora repito, qual historia ?

Tiago disse...

Considerar que a "sorte" existe e que há gajos mais "sortudos" que outros é de uma estupidez tão atroz que fico a pensar que o autor destes posts afinal não é um escriba pretencioso, mas uma velha gaiteira de 50+ anos que lê a sorte nas cartas.
Só uma gaja histérica é que pode achar que há carreiras que se constroem à base de "sorte".

Nuno disse...

Tiago, já se disse aqui várias vezes que o Liedson não é tem só sorte, embora ela exista e ele consiga alguns lances por causa dela. Insistir, depois de tudo o que foi dito em contrário, que nós achamos que a carreira dele foi construída com base na sorte é de alguém sem capacidade racional. Lamento, mas por imposição fiscal, não me é permitido dialogar com vegetais...

Tiago disse...

"Há quem ache que ele é recompensado por aquilo que luta, pela forma felina como se mexe e pela sua frieza a finalizar. A verdade é que nada disso é bem assim. É um avançado que tem muita sorte na forma como as bolas acabam por sobrar para si. Uma quantidade considerável dos golos que marca são obtidos após ressaltos caprichosos, infantilidades dos defesas, sorte, etc."

"É um avançado que tem muita sorte e que fica muitas vezes em posição de facturar."

"Aqueles que vierem defender a extremamente parva teoria de que os ressaltos que ganha são fruto da sua atitude em campo e não apenas da sorte podem ficar desde já avisados que serão tratados como mentecaptos."

Maya, se calhar era melhor leres o que escreves antes de vires ripostar com bitaites banais.

Nuno disse...

Tiago, se calhar era melhor terminares a quarta classe antes de vires comentar coisas a um blogue.

Se achas que essas frases indicam que o Liedson é só sorte, fixe... Não sou eu que te vou ensinar a ler, de certeza...

Tiago disse...

Se achas que essas frases não indicam que és da opinião que o sucesso do Liedson tem uma grande dose de "sorte", é melhor acabares a 1ª classe ou consultares um médico.

Vegeta disse...

Vegeta, isto é estúpido. O Liedson corre à parva ...blábláblá... em termos de pressão, do que quem corre à parva.
Mas que raio... Há outro Liedson e eu não sei? Então o Liedson não sabe fazer pressão?? Corre, não corre? Mantém os defesas sempre em alerta, certo? é o primeiro da sua equipa a pressionar, certo?
Então segundo a tua opinião se ele corresse "bem" marcava 10 golos por jogo, é isso que estás a dizer?

Vegeta, o Lisandro, por exemplo, é muito mais "carraça" que o Liedson. Dispõe ele de tantos brindes quantos o Liedson? Não. O Liedson tem mais sorte que o Lisandro. Ponto final.
Não, o Liedson é mais esperto que o Lisandro, e muito melhor a pressionar que o Lisandro. Ponto Final. O Lixa faz isso 5 ou 6 vezes por jogo, e o Liedson é sempre em cima dos defesas.
E desculpa lá, isto é mesmo só estares a defender algo que disseste até a exaustão.

Porquê? É que se me conseguires explicar por que é que o Liedson é mais do que o que eu digo, podemos conversar.
Caro amigo... Avançado = golos. Ponto final. Gajos a marcar 4 golos e a desaparecer (Buenos, Pinillas e afins) há muitos.
Agora vires dizer que o Liedson é o gajo mais sortudo do mundo, só marca golos por sorte e remata para onde está virado...

Isto porque o facto de ele marcar 4 golos não muda nada do que digo em relação a ele.
Claro, nem tem que mudar. Se ele anda a marcar golos à anos e tu simplesmente achas que não presta, porque é que depois de marcar 4 não deverias continuar a defender uma opinião presunçosa e totalmente descabida? Claro, esqueci-me. Galileu e coiso...

As melhoras...

Pedro disse...

Nuno, nunca pensei que um pragmático como tu acreditasse assim tão facilmente na "sorte".

Tendo em conta discussões anteriores acho espantoso que tu aceites que X seja mais sortudo q Y. Q justificação dás para isso?

Virgílio disse...

J-B52


“Agora repito, qual historia ?”

Ridículo é reiterar na ignorância… Mais ainda quando se caracteriza e a avalia um jogador sem, para além doutros aspectos, conhecer FACTOS importantíssimos que esse mesmo jogador alcançou no clube que representa. Pior que a tua ignorância, é o preconceito que isso representa, que no teu caso é ainda agravado por outro grande defeito: o ‘clubismo’, e soa-me ser daquele tipo mais acentuado e fanático…

Mas eu faço-te uma ilustração assim com nomes e tudo que te sejam facilmente familiares para ver até onde vai a tua, como é que lhe chamas mesmo? Ah, já sei: ‘cegueira’.


O nome de Domingos Paciência diz-te alguma coisa?

Vai lá pesquisar quantos anos é que este ponta-de-lança esteve ‘preso’ (expressão tua) no campeonato português que tu tanto menosprezas, sem que te apercebas que com isso, desvalorizas os feitos, os jogadores e a história até do teu próprio clube… Adiante…

Depois desses anos todos ‘preso’ saiu finalmente, e, coincidência do caraças, antes dos trinta anos (tinha 28 anos, tal e qual como o Lucho). Coisa que, segundo a tua inaudita opinião, não tem qualquer importância… E agora presta muita atenção: saiu, apenas porque entretanto (argumentos muito utilizados pelos teu apaniguados clubísticos) chegou ao fcporto um monstro chamado Jardel… E saiu para um colosso chamado… Tenerife.

Ora bem, resumindo e concluindo: segundo o argumento q tu próprio defendes (sobre os anos de permanência de um jogador no campeonato português), o Domingos não valia a ponta dum piço…

Queres mais exemplos ou ficamo-nos por este que até jogava na mesma posição do Liedson e tb fez história no clube que representou em Portugal e que, só por acaso, coincide com o que tu apoias?


Agora, vai lá para a tua escolinha praticar matemática (para além de ajudar nas contas, parece que ajuda a avivar a memória) e não maces mais a malta que tem que trabalhar…

Aproveita a estadia para fazer mais alguma coisa de proveitoso e começa a aprender a não dar erros ortográficos. Parecendo que não, ajuda a credibilizar as tuas criticas às pessoas que te dão o privilégio de dialogar contigo nos blogues de futebol.

SL, significa Saudações Leoninas. (Sp aprendes mais qlq coisinha...)

Virgílio disse...

Só mais uma coisinha:

"De facto o Nuno tem razao, há malta que, assim que vê o nome de Liedson, cega."


Olha que qd se tem que recorrer a frases e ideias de outros para defender a nossa posição é mau sinal...

SL

Nuno disse...

Vegeta diz: "Há outro Liedson e eu não sei? Então o Liedson não sabe fazer pressão?? Corre, não corre? Mantém os defesas sempre em alerta, certo? é o primeiro da sua equipa a pressionar, certo?"

Vegeta, pressionar não tem nada a ver com correr ou com manter os defesas alerta. Pressionar só faz sentido de um ponto de vista colectivo. Pressionar é ocupar os espaços certos no tempo certo. O Liedson corre à parva. Esteja ou não esteja um colega a pressionar o portador da bola, ele vai pressionar o portador da bola. O problema disto é que, se o portador da bola consegue dar a bola a um colega, Liedson está a ocupar o espaço errado. Isto acontece muitas vezes. E acontece essencialmente porque ele não pressiona, ele corre. Há uma diferença que nunca mais acaba.

"Então segundo a tua opinião se ele corresse "bem" marcava 10 golos por jogo, é isso que estás a dizer?"

Não. Se calhar, até marcava menos do que marca. Mas a equipa jogaria bem melhor, seria seguramente mais equipa e estaria menos dependente do avançado para marcar golos.

"Não, o Liedson é mais esperto que o Lisandro, e muito melhor a pressionar que o Lisandro. Ponto Final. O Lixa faz isso 5 ou 6 vezes por jogo, e o Liedson é sempre em cima dos defesas."

Vegeta, isto é uma barbaridade. O Liedson não tem metade da esperteza do Lisandro e o Lisandro não faz isso apenas algumas vezes durante o jogo. Em termos de garra e força, o Liedson fica a milhas do Lisandro. E o argentino tem ainda a vantagem de pressionar bem e não ser apenas um tontinho a correr.

"Caro amigo... Avançado = golos. Ponto final."

Vegeta. O teu cérebro = Zero. Um avançado não tem nada a ver com os golos que marca. Tens um texto lá em baixo chamado "O que é um avançado?" em que explica o que é um avançado. Dizer que um avançado é igual a golos é perfeitamente imbecil.

Pedro diz: "nunca pensei que um pragmático como tu acreditasse assim tão facilmente na "sorte".

Tendo em conta discussões anteriores acho espantoso que tu aceites que X seja mais sortudo q Y. Q justificação dás para isso?"

Pedro, também tu? Que X é mais sortudo que Y, não duvido. A sorte existe. É um facto. É precisamente por ser pragmático que concebo a existência da sorte. Só os místicos é que acham que ela não existe, que tudo tem uma explicação, ainda que seja um mistério. Não existem mistérios. Existe sorte. Simples. E certas pessoas têm mais sorte que outras. Porque sim. Não que isso explique tudo o que há para explicar sobre o Liedson, mas que ele tem alguma sorte num tipo específico de lances, é um facto. O melhor exemplo é compará-lo com o Lisandro. Tirando o Vegeta, que não tem miolos, qualquer pessoa com bom senso acreditará que Lisandro é tão ou mais "carraça" que o Liedson. Como é que explicas que o Lisandro raramente tenha brindes dos defesas como o Liedson? Não se explica. O Liedson tem mais sorte, nesse aspecto. Claro que isto não é tudo sobre o Liedson. Mas é alguma coisa. E isso é relevante.

Tiago disse...

"Que X é mais sortudo que Y, não duvido. A sorte existe. É um facto."
"Existe sorte. Simples. E certas pessoas têm mais sorte que outras. Porque sim."

A Maya escreve num blog de futebol. Depois da capa da FHM, temos isto.

Pedro disse...

Desculpa mas escreveste mesmo isto:" É precisamente por ser pragmático que concebo a existência da sorte. Só os místicos é que acham que ela não existe, que tudo tem uma explicação, ainda que seja um mistério."???

Os místicos é q acham q ela não existe? Os pragmáticos sim? Caro Nuno é exactamente o contrário, os místicos é que acham que os mistérios são explicados por coisas "superiores" como sorte, divindades, etc. Um pragmático procura uma resposta lógica mesmo que a mesma não seja alcançada.

Bem, mas isto é outra discussão.

Tiago disse...

Pedro, acho que é exactamente a mesma dicussão. É a discussão entre pessoal como o "Nuno" e a Maya que acham que há pessoas "sortudas" e pessoal como eu e outros que escrevem aqui que acham que o Liedson PROCURA a "sorte" pela forma como joga, corre e se posiciona.

tiagobmartins disse...

O Falcão ainda no último jogo da champions do Porto contra o Arsenal fez 10,57km (segundo o site da uefa), segundo o que eu vejo por aqui alguns dizerem o Liedson fará em média quê? 30km?

PS: O que um jogador corre ou deixa de correr não é directamente proporcional à sua importância em campo...

J-B52 disse...

SL :

Quero la saber se SL corresponde a Saudaçoes Leoninas ou nao. Es o unico a assinar os teus comentarios de uma maneira tao idiota que permite te distinguir dos outros... agora o significado, nem procurei. E depois sou eu o fanatico... haha.

''FACTOS importantíssimos que esse mesmo jogador alcançou no clube que representa''
Quais ?? (se estas a falar do numero de golos marcados... nem vale a pena. E que tal o numero de defesas do redes, ou o numero de cortes do defesa...)

Eu percebo a tua amargura, tanto ano sem ganhar patavina deve certamente custar, e nao e com adeptos como tu, que consideram esse miseravel jogador como uma joia, que o teu clube vai voltar a praticar um futebol decente.


A muita rapaziada que nao tem a capacidade simples de ler um texto e de perceber o que esta a ler. Tu es um deles.
Nunca disse que os anos que um jogador evolui no campeonato portugues corresponde a sua qualidade. Isso e a tua cegeira. Foste tu que avançaste como explicaçao que o rapaz era velho quando chegou e entao ja nao pode sair... coitado.
Posso te assegurar que a razao do Liedson (este jogador, nao te estou a falar de outros) ter ficado ai em Lisboa, nao tem nada a ver com a idade, significa simplesmente que nao tem qualidade suficiente para o estrangeiro.

Falar de outros tempos, como os do Domingos tb e proximo da estupidez. Comparar o Jardel ao Liedson ainda mais.
O Jardel foi capaz de marcar ao maiores clubes europeus na liga dos campeoes, fez campeonatos seguidos com mais de trinta e tal golos no quais (os campeonatos) foi a principal figura, e o principal (nao quer dizer unico) responsavel do exito do FCP (alias no SCP tb)... nada a ver com esse ratito.

Virgílio disse...

Rapazinho, esta tua resposta somente me causa comiseração. É o paradigma do desespero e da iliteracia. Tanto disparate junto que pergunto-me se vale a pena continuar com 'isto'... Olha está com sorte. Hoje apetece-me divertir-me um bocadito…


"Quero la saber se SL corresponde a Saudaçoes Leoninas ou nao. Es o unico a assinar os teus comentarios de uma maneira tao idiota que permite te distinguir dos outros"

Confunde saudações educadas com assinaturas. E os outros é que são idiotas...

--

“ ''FACTOS importantíssimos que esse mesmo jogador alcançou no clube que representa''
Quais ?? (se estas a falar do numero de golos marcados... nem vale a pena. E que tal o numero de defesas do redes, ou o numero de cortes do defesa...)”

Pois claro, golos, cortes.. É tudo a mesma coisa…

Mas como sou teu ‘amigo’. Vê lá se alcanças isto:

- A 22 de Outubro de 2008, Liedson tornou-se o melhor marcador de sempre da história do Sporting nas competições europeias.
- A 18 de Janeiro de 2009, Liedson tornou-se o melhor marcador estrangeiro de sempre na história do Sporting.
- É, actualmente o sétimo melhor classificado absoluto da história do Sporting com 159 golos marcados. Com francas possibilidades de melhorar a classificação.

Mas pronto já sei que a história, para ti, escreve-se com cortes de defesas… É tudo igual.

--

“Eu percebo a tua amargura, tanto ano sem ganhar patavina deve certamente custar, e nao e com adeptos como tu, que consideram esse miseravel jogador como uma joia, que o teu clube vai voltar a praticar um futebol decente.”

Pois eu sei, sou um amargurado… O meu clube pratica um futebol indecente (enfim, decência é quando existem outros condimentos associados: fruta, café, chocolate, etc e tal). Mesmo sem praticar um futebol com géneros alimentícios, chegou para ganhar ao teu clube por três secos…

--

“A muita rapaziada que nao tem a capacidade simples de ler um texto e de perceber o que esta a ler. Tu es um deles.”

Ui, ui. Olha quem fala…

--

Nunca disse que os anos que um jogador evolui no campeonato portugues corresponde a sua qualidade. Isso e a tua cegeira. Foste tu que avançaste como explicaçao que o rapaz era velho quando chegou e entao ja nao pode sair... coitado.

Ai não? E isto foi o quê? “Se o Liedson esta preso no campeonato portugues a tanto ano e sobretudo porque nao tem qualidade.” E isto: “Se ele fosse realemente fantastico, como tu o prentendes, ele ja tinha bazado a pelo menos 2 anos”

Acho que o autor é alguém que se assina por J-B32… Mas não tu, certamente…

Qt ao Liedson ser fantástico… Traz-me lá uma citação minha onde eu afirmo tal. Eu apenas contesto que ele não é Banal. Percebes a diferença? Concedo que para certas pessoas não exista meio termo. No futebol é assim: ou se é besta ou Bestial. Nesta dou-te um desconto.

(CONT)

Virgílio disse...

(CONT:)

--

“Posso te assegurar que a razao do Liedson (este jogador, nao te estou a falar de outros) ter ficado ai em Lisboa, nao tem nada a ver com a idade, …”

Primeiro: estamos na blogosfera e eu não estou em Lisboa…

“… significa simplesmente que nao tem qualidade suficiente para o estrangeiro”

Segundo: O Liedson já joga no ESTRANGEIRO!!!! Capici? Apesar do CQ ter inventado e convocá-lo para a selecção portuguesa. Burro do caraças. Esperto era o Filipão qd convocou o Deco e o Pepe…

--

Falar de outros tempos, como os do Domingos tb e proximo da estupidez. Comparar o Jardel ao Liedson ainda mais.
O Jardel foi capaz de marcar ao maiores clubes europeus na liga dos campeoes, fez campeonatos seguidos com mais de trinta e tal golos no quais (os campeonatos) foi a principal figura, e o principal (nao quer dizer unico) responsavel do exito do FCP (alias no SCP tb)... nada a ver com esse ratito.


Ai, essa tendência para o insulto desesperado. Mas uma vez até te compreendo: quando falta a força da razão, recorre-se à razão da força. Típico.

Já agora quando, onde e como é que eu comparo o Liedson com o Jardel??? Iliteracia PURA e DURA, caro… hug ‘amigo’!



Enfim... É mesmo muito disparate junto… Há que ter piedade e ser compreensivo.

Despeço-me – desta vez ‘Forever’ :) -não com SL (já vi que não aprecias) mas com um conselho: Definitivamente aproveita o ‘novas oportunidades’.

Mas, vê lá, vai com calminha… Se aquilo se chama novas oportunidades, faz como o Liedson e aproveita. Nada de tentativas frustradas de bullying como a que tentaste fazer por aqui… Cresce e aparece.

Bom, já chega de brincadeira. Abraço e boa sorte para o futuro, Carago!

Daniel MP disse...

Autores do "Entre Dez":

Entredentes vos digo que com este post, agora sim, conseguiram ofender-me a dita inteligência.
Eu não preciso destes acertos de contas de jogador de berlinde para saber quando V. Exas. acertam ou não acertam relativamente aos desígnios - ainda insondáveis - do pontapé no esférico.
A franqueza de leitor obriga-me a chamar-vos a atenção para o facto de os V. posts começarem a versar demasiadamente a diminuta capacidade cognitiva de quem V. lê ao invés de futebol. E, com sinceridade, não consigo atingir onde resida o prazer intelectual de se andar a resfregar constantemente com gente que se reputa como inferior.
Convosco percebi as limitações de David Luíz e Liédson (entre outros) não vos lendo para perceber as limitações habituais de quem comenta e discute futebol, pois essas são óbvias, e o óvio entedia, muito.

Boas reflexões.

Nuno disse...

Tiago diz: "A Maya escreve num blog de futebol. Depois da capa da FHM, temos isto."

Tiago, a sorte existe. Se lançares 100 vezes uma moeda ao ar, quase de certeza que não te calha 50 vezes cara. Isso não se explica. É sorte.

Pedro diz: "Os místicos é q acham q ela não existe? Os pragmáticos sim? Caro Nuno é exactamente o contrário, os místicos é que acham que os mistérios são explicados por coisas "superiores" como sorte, divindades, etc. Um pragmático procura uma resposta lógica mesmo que a mesma não seja alcançada."

Pedro, estás enganado. É esta estupidez de achar que a Ciência explica tudo. A Ciência admite a sorte. Aliás, funda-se nela, no acaso. Os místicos explicam tudo. Acham que aquilo que constitui um mistério é explicado por uma qualquer divindade, ou por uma vontade oculta, etc. Mas os místicos não falam em sorte, porque sorte é, por definição, arbitrariedade. Quem fala em sorte são os pragmáticos. Os pragmáticos são aqueles que sabem que nem tudo pode ser explicado. O que não se pode explicar é acidental, fortuito. É isto que é a sorte. Aristóteles explicava acontecimentos através de causas acidentais. A teoria darwiniana da Selecção Natural depende da sorte; é a arbitrariedade da sorte que explica a evolução, segundo esta teoria. Como vês, a Ciência não rasura a ideia de sorte, não parte do princípio de que tudo é explicado. Isso é, como disse, coisa de místicos.

Luis disse...

Caro Nuno, sou benfiquista pelo que faço o meu comentário livre de qualquer pretenciosismo clubístico que pudesses associar à minha análise.

Não gosto do Liedson - farta-se de marcar golos ao meu Benfas - mas daí a classificá-lo como um jogador vulgar, vai uma grande distância... Ele pode não ser um avançado digno de jogar num Barcelona, num Real Madrid, ou num Manchester United, mas é um bom avançado e dentro do nosso campeonato não há muito melhor... Concordo contigo quando referes que um avançado não se deve avaliar somente pelos golos que marca (não é à toa que o meu avançado português de eleição é o "mal amado" Nuno Gomes), mas ele também não é tão mau como o "pintas". Falando nas tomadas de decisão, ele erra, claro, mas qual é o avançado que não erra? E volto a frisar, ele pode não ser um avançado de classe mundial, mas para a nossa realidade, é um bom avançado. Já vi avançados dos grandes clubes mundiais tomarem decisões erradas (Rooney, Ibrahimovic, Eto'o, Torres), não que os esteja a meter no mesmo saco, mas eles também erram. Para me dizeres que erram menos, terias de fazer um estudo de análise quantitiva para me comprovares de facto esse argumento, mas julgo que não estarás em condições de o fazer...

Concordo contigo quando referes que um jogador deve ter um elevado nível cognitivo para aceder a um patamar de excelência, até porque no caminho para esse patamar há que ter muita cabeça para que não ocorram retrocessos indesejáveis. Ou seja, o elevado nível cognitivo deve reflectir-se tanto dentro, como fora de campo (querem melhor exemplo que Luís Figo?).

Não concordo é com a tua atitude sobranceira com que repudias quem não alinha pelo teu discurso. Então aquela situação do mentecapto e do urso pardo, nem merece comentário de tão infeliz que foi... Deves perceber que até podes ter razão, mas haverá sempre alguém que discorda de ti e tens de aceitar isso de forma natural, sem partir para o campo da ofensa. A entrares por aí perdes toda a razão que possas ter, simples...

Relativamente a Ciência, li algures num comentário deste blog, uma menção à Faculdade de Motricidade Humana. Ora, em tal faculdade Ciência é quase dogma! Não entendo como possas dizer que os pragmáticos - julgando eu que fazes a analogia a pessoas que se regem pela Ciência, já que os colocas por oposição aos místicos - aceitam a sorte... Citando um dos Professores da dita instituição "3 Passos para Ciência: observar, propor explicações e testar explicações". O teu nível cognitivo de certo que já te fez ver que erraste, mas vou reforçar o meu argumento com outra citação do mesmo Professor "A Teoria: estrutura coerente de explicação de um fenómeno; conhecimento testável sobre um fenómeno".

Caro Nuno, julgo que por muito que argumentes sobre este meu comentário, terás a consciência de que não tens razão... Pareces ser um tipo inteligente, pelo que não te custará admitir e dar o braço a torcer, ou estarei errado?...

Finalmente, termino fazendo uma questão: trabalhas em algum clube? Treinas alguma equipa? Ou nos teus horizontes está apenas a análise do fenómeno Futebol?

Espero que aproveites o nível cognitivo que tens para fazer posts interessantes, deixando de lado a convicção de que as tuas opiniões estão mais certas que as dos outros. São as tuas opiniões e terás sempre seguidores e opositores, tens de te habituar a isso.

Tiago disse...

"Tiago, a sorte existe. Se lançares 100 vezes uma moeda ao ar, quase de certeza que não te calha 50 vezes cara. Isso não se explica. É sorte."

Não cromo, isso não é sorte e explica-se facilmente. Aliás, se te calhasse 50 vezes cara é que era uma "sorte do caraças".
E se fizesses 100 vezes esse teste e te saísse sempre mais vezes Cara, também não era "sorte". Era sim derivado do formato da moeda, do modo como a lançavas, da altura que ela subia, etc.
Sorte é algo que não existe.

Mas fico surpreendido por ver que malta tipo Zandinga e Alexandrino agora também anda nas lides no bitaite no blog.

Nuno disse...

Luis, acho que é visível a olho nu, isto é, sem serem precisos estudos, que esses jogadores que referes erram menos vezes que o Liedson. Mas sobre o Liedson já há estudos. Tens dois neste blogue sobre ele. E ele, por jogo, toma cerca de 30% de boas decisões. Achas mesmo que os outros avançados de que falaste têm uma taxa tão baixa?

Quanto à posição da Ciência face à sorte, acho que estás a cair num erro. A Ciência não nega a existência da sorte, embora não a pretenda explicar. É esse o meu ponto. A Ciência admite a sorte. E de tal maneira a admite que todo o estudo científico tem uma margem de erro. O método em Ciência é testar o mais possível uma hipótese porque quanto mais testes se fizerem, menos os resultados podem ser afectados pela sorte. Isto é precisamente indicar que a sorte existe. Acho que anda muita gente equivocada em relação a isto. Grande parte dos fenómenos que ocorrem no mundo têm uma ocorrência arbitrária. A Ciência sabe isto.

"trabalhas em algum clube? Treinas alguma equipa? Ou nos teus horizontes está apenas a análise do fenómeno Futebol?"

Não trabalho em clube nenhum e não está nos meus horizontes próximos trabalhar. Quem sabe, talvez um dia. Mas aquilo que me agrada, neste momento, é o jogo, a teoria.

Tiago diz: "Não cromo, isso não é sorte e explica-se facilmente. Aliás, se te calhasse 50 vezes cara é que era uma "sorte do caraças"."

Exacto. Não há sorte, mas se me calhasse 50 vezes era sorte. Boa, miúdo...

"E se fizesses 100 vezes esse teste e te saísse sempre mais vezes Cara, também não era "sorte". Era sim derivado do formato da moeda, do modo como a lançavas, da altura que ela subia, etc.
Sorte é algo que não existe."

Tiago, tu não controlas o modo como lanças. Ao lançares a moeda, tanto pode sair cara como coroa. Ou seja, ficas dependente da sorte. Assim, é natural, pela lei das probabilidades, que quantos mais lançamentos fizeres, mais próximo seja o número de ocorrências de cara e coroa. Mas é algo que não controlas e o resultado final pode ser bem diferente de 50/50, que é o que a probabilidade diz. Isto demonstra que a sorte existe, que a Ciência pode apenas tentar atenuar a sua importância mas jamais erradicá-la. Todo o teste científico que se preze tem uma margem de erro. A margem de erro é essencialmente para considerações de sorte. A evolução das espécies, segundo Darwin, depende extraordinariamente da sorte. É a sorte que determina que, de entre milhões de mutações possíveis, uma determinada mutação numa bactéria lhe possibilite resistir ao antibiótico que mata todas as outras bactérias das quais foi gerada. É a sorte que permite que, enquanto as outras bactérias morrem, essa sobreviva e se reproduza, tornando as futuras gerações imunes aos efeitos do antibiótico que matou as restantes. A Ciência contempla a sorte. Isto não quer dizer que faça dela explicação. Mas a Ciência distingue-se do Misticismo precisamente neste aspecto, por considerar a arbitrariedade do mundo como algo que existe. Os místicos é que não acreditam que haja coisas que não se podem explicar. Aliás, um dos argumentos dos Creacionistas contra a teoria darwiniana da selecção natural é precisamente o não acreditarem que tamanha sorte pudesse ocorrer, que de entre tantas possibilidades de mutação, ocorra uma que permita, precisamente, a sobrevivência de determinada espécie. São os místicos quem não acredita na sorte. Os cientistas acreditam. E dependem dela. Ignorar isto é que é estúpido. E mais estúpido ainda é tentar comparar esta posição à de um astrólogo. O astrólogo é precisamente aquele que não acredita na sorte, é aquele que tenta explicar a sorte com a posição dos astros. O engraçado disto é não perceberes que eu não tento explicar a sorte e comparares a minha posição à da Maya ou à do Alexandrino, quando na verdade, ao dizeres que a sorte não existe, estás a ser muito mais parecido com eles do que eu. Brilhante, rapaz. A estupidez das pessoas surpreende-me cada vez mais...

Tiago disse...

És tão burro que nem percebeste a "sorte do caraças" entre aspas. Enfim.

Achas então que se o Liedson atirasse a moeda ao ar 100 vezes, saia-lhe a face que ele escolheu mais vezes. Ou nessa tua teoria extraordinária defendes que o Liedson só tem "sorte" a jogar futebol?
A "sorte" também se define por departamentos? Posso ter "sorte" a jogar às cartas e "azar" a jogar roleta?
Este teu discurso está cada vez mais brilhante.

E dizer que a teoria de Darwin defende que a evolução depende da "sorte" é demasiado pateta.
A ciência não admite a "sorte". A ciência admite o "acaso" (embora, na realidade, o acaso seja algo provocado por infinitos factores e, por isso, não ser ainda explicado e considerado "acaso").
Se não diferencias "sorte" de "acaso" então boa sorte e boa viagem porque estou farto de discutir com idiotas.

Pedro disse...

Arbitrariedade não é o mesmo que sorte.

E os cientistas defendem q tudo tem explicação. Mesmo que ainda não se saiba qual. Por isso é que se constroem Teorias. A sorte não existe, pelo menos na forma como tu estás a defender. Ninguem tem mais sorte que outro, isso não existe.

Nuno disse...

Tiago, teres precisado de todo este tempo para perceber que, quando estou a falar de "sorte", estou a falar de "acaso", diz muito de ti. Usei, como se usa vulgarmente, os termos "sorte" e "azar" para distinguir "acasos favoráveis" de "acasos desfavoráveis". E não o fiz sem o dizer. Vais aos comentários e vês que usei termos como "acaso", "arbitrariedade", "acidente", tudo para designar a mesma coisa. Se te sentes mais confortável a usar o termo "acaso", é contigo. Agora, o único culpado de teres imaginado que eu estava a falar de "sorte" em termos místicos és tu.

Agora que já percebeste do que se trata, podemos discutir aquilo que verdadeiramente interessa. A Ciência admite a sorte, ou o acaso, se preferes, ou seja, admite aquilo que não é explicável. Logo, posso falar de coisas inexplicáveis para retratar ocorrências. E posso facilmente falar das causas das coisas reportando-me às suas causas acidentais, ou seja, à sorte. Aristóteles tem um exemplo extraordinário, para retratar isto. Uma pessoa come comida picante, fica com sede, sai à rua e vai à procura de um poço para saciar a sede. Infelizmente, ao chegar ao poço, encontra uns assassinos que o matam. Qual foi a causa da morte dessa pessoa? Aristóteles admite várias causas, entre elas as acidentais. E como admite várias causas, pode explicar a morte dessa pessoa como tendo sido causada pela sede. Para Aristóteles, o ter tido sede foi uma causa acidental da sua morte, mas ainda assim uma causa. Repara, a sorte, o acidente, o acaso, teve um papel determinante na sua morte. Não é certamente a causa primária da morte, mas é ainda assim uma causa. Ou seja, as coisas também se explicam pela sorte, pelo acaso. Esse homem morreu, também, por falta de sorte. Considerar que a sorte não existe, que o acidente não existe, é que é uma patetice. E então ignorar o peso que a sorte tem na teoria da evolução de Darwin e ainda achar que os outros é que são patetas é muito estúpido...

Nuno disse...

Pedro diz: "E os cientistas defendem q tudo tem explicação."

Não, não defendem. Defendem que tudo no campo físico tem explicação. Mas admitem o domínio metafísico. É o domínio do inexplicável. Por exemplo, como explicar o que é o infinito? Em termos científicos, não faz qualquer sentido.

"A sorte não existe, pelo menos na forma como tu estás a defender. Ninguem tem mais sorte que outro, isso não existe."

Pedro, quando te saem 55 vezes cara e apenas 45 vezes coroa, podes dizer que a sorte definiu que saísse mais vezes cara. O mesmo podes dizer das pessoas. Quando jogas um jogo que depende quase exclusivamente da sorte, como um jogo de dados, por exemplo, por mais que queiras, vence quem tiver mais sorte. A lei das probabilidades diz-nos que, no limite, entre três jogadores, as probabilidades de vencer são iguais para todos. Mas podes jogar 100 jogos e um desses jogadores nunca ganhar. Isto é tão possível como ganharem 33 vezes cada um. Isto porque é o acaso que o define. Se fores fazer uma estatística dos números do Euromilhões que costumam sair, garanto-te que há números que saem mais vezes que outros. Isto não tem nada de místico. Nem estou a dizer que existe explicação para isto. É acidental. Mas acontece. E acontece porque é assim. E a Ciência contempla e aceita isto. É das coisas mais naturais do mundo.

Virgílio disse...

Nuno:

O Levezinho é o novo sobrinho do Tio Patinhas...


Passo a explicar: é uma mistura de Donald (trapalhão) com o Gastão (sortudo). E pronto, está tudo explicado! Next!

Aliás, acho que depois de Liedshow, Levezinho, 31 das defesas adversárias, a próxoma alcunha, ou 'middle name', do Liedson deveria ser Gastão.

Liedson 'Gastão' de Sousa Muniz. Até soa bem e tudo. ;)

Abraço.

Tiago disse...

Enfim, está dificil.

"Sorte" = "Acaso Favorável"

Pessoas "sortudas" ou a quem ocorrem mais "acasos favoráveis" não existem.
Dizer que o Liedson ganha mais ressaltos porque é uma pessoa a quem acontecem mais "acasos favoráveis" é estúpido.

Nuno disse...

Que grande argumento, Tiago! É pena é ser facilmente destruído. Não existem porque não queres que existam?

Pessoas que já ganharam a lotaria mais do que uma vez. Ou pessoas que ganham a lotaria na primeira vez em que jogam, enquanto pessoas que jogam todas semanas nunca ganharam. Estas pessoas existem. Os "acasos favoráveis" estão presentes em tudo, pá.

Vegeta disse...

Vegeta. O teu cérebro = Zero. Um avançado não tem nada a ver com os golos que marca. Tens um texto lá em baixo chamado "O que é um avançado?" em que explica o que é um avançado. Dizer que um avançado é igual a golos é perfeitamente imbecil.

Nuno, até me ia dar ao trabalho de continuar a argumentar contigo, mas depois de uma resposta destas, está visto que necessitas mesmo de um psiquiatra.

Além de te comparares a Galileu (lol), remetes a definição de avançado para... um post teu! Vou ser sincero, li o post, mas tive mesmo para parar de ler logo aqui: Um Avançado Não serve para fazer Golos. Deu para perceber que embora gostes de escrever, não o sabes fazer. Nem tão pouco tens noção da realidade do futebol, embora gostes de pensar que sim.
E claro, "se calhar era melhor terminares a quarta classe antes de vires comentar coisas a um blogue" e "podem ficar desde já avisados que serão tratados como mentecaptos." são dos melhores argumentos que vi até agora.


Parabéns, não percebo como é que continuas a escrever num blog.... Já deverias ter tirado o lugar ao Tadeia, pois um iluminado como tu faz falta ao futebol.

Considera-me convertido. Como é que nunca antes tinha visto a luz? O Liedson não sabe pressionar, é burro, só prejudica a equipa, ganha ressaltos estúpidos, os defesas que jogam contra ele são todos coxos, estúpidos e burros, é o maior sortudo ao cimo da terra e deveria ser rapidamente proibido de jogar futebol, pois só anda a fazer com que pseudo-comentadores-que-tem-blogs me façam perder tempo a responder a argumentos tão ridículos como fascinantes. MORRA O LIEDSON, MORRA! PIM!

Luis disse...

Desculpa Nuno, mas como podes fazer uma análise de um jogador pela observação de um/dois jogos? Ainda para mais numa época em que é reconhecido por todos que o nível de rendimento do Sporting está muitos furos abaixo do que tem sido habitual nos últimos anos. Nesses estudos que invocas, encontro várias lacunas que acabam por deturpar muito os resultados obtidos. Na determinação da qualidade das acções do Liedson não consideras algumas variáveis que têm influência directa no desenrolar da acção. Por exemplo, um mau passe endossado ao Liedson que ele não consegue dar o melhor seguimento. Culpa exclusiva dele? Não me parece… Tipo de oposição que ele encontra. Se o treinador definir como estratégia defensiva a marcação individual ao Liedson e à zona ao Saleiro/Postiga, as condições de acção serão iguais? Não me parece… Se após receber a bola nenhum colega do Liedson fizer uma desmarcação em apoio ou de ruptura e ele decide-se pela jogada individual. Má opção? Neste contexto não sei se será assim tão linear…

Depois, julgo que anda aí uma grande confusão na questão dos conceitos “sorte”, “ciência”, “arbitrariedade” e afins. Quando falas em margem de erro num estudo científico, estás com certeza a referir-te à fiabilidade/replicabilidade do estudo. Nunca encontrei menção ao facto da Ciência admitir o factor “sorte”, seja em que contexto/experiência for. Mas se já leste essa afirmação em algum lado, agradeço que me indiques a referência para me elucidar.

Por fim, admito que tens qualidade no teu raciocínio, mas julgo que o trabalho no “campo” te faria bem! Irias perceber que temos de ser mais flexíveis e que as coisas que por vezes vêm descritas nos livros têm condições de aplicabilidade que acabam por nos fazer adaptar e adquirir uma nova abordagem a determinada temática/situação. Manter humildade e espírito aberto são condições essenciais para evoluir, seja em que campo da vida for. Porque reconhecer o erro também é uma prova de inteligência.

Carlos Almeida disse...

Nuno,

É a primeira vez que aqui escrevo, pois apenas recentemente tive a oportunidade de consultar o "Entre Dez".

Discute-se futebol, porém o nível de insultos e de respeito não iguala a qualidade de alguns argumentos utilizados pelo autor e por alguns comentadores.

Concordo com a análise que é feita ao Nuno Assis. Foi uma autêntica burrice do SLB terem mandado o rapaz embora (digo-o sem qualquer pretensiosismo pois sou sócio do clube). É um excelente jogador!

A análise que, no entanto, é feita ao Liedson subvaloriza-o em demasia. Subscrevo na íntegra os comentários do Luís. Para além disso, foram realizadas análises quantitativas do jogador em situação de jogo que, à luz da ciência, podem ser dúbias. A variável "qualidade da tomada de decisão" (boa ou má) não aparenta estar bem definida e, como o Luís referiu, pode ser influenciada por um outro conjunto de terceiras variáveis que condicionam a consistência da análise (e.g., nível dos opositores, plano estratégico-táctico da equipa adversária, etc.). Por outro lado, no futebol, como em qualquer outro JDC, há boas decisões que não trazem efeitos práticos como, ao invés, há más decisões que resolvem campeonatos do mundo. O campeão não foi o tipo que passou quando deveria passar, mas o outro que rematou quando tinha um adversário na sua frente e, por sua vez, impeliu a bola a tomar uma trajectória contrária ao do seu GR. Quanto a isso não há nada a fazer!

Saudações!

Nuno disse...

Luis diz: "Desculpa Nuno, mas como podes fazer uma análise de um jogador pela observação de um/dois jogos? Ainda para mais numa época em que é reconhecido por todos que o nível de rendimento do Sporting está muitos furos abaixo do que tem sido habitual nos últimos anos."

Luis, em primeiro lugar, os dois estudos referem-se a épocas diferentes. Depois, são a verificação prática daquilo que empiricamente se assiste em praticamente todos os jogos. São, obviamente, limitados ao jogo em questão, mas na verdade não fogem ao que é normal.

"Na determinação da qualidade das acções do Liedson não consideras algumas variáveis que têm influência directa no desenrolar da acção. Por exemplo, um mau passe endossado ao Liedson que ele não consegue dar o melhor seguimento. Culpa exclusiva dele? Não me parece…"

Luis, isso está contemplado. Quando refiro o lance, tento retratar o que se passou. Aliás, pelo contrário, uma das grandes diferenças deste estudo é que tem em conta esse tipo de coisas. Por exemplo, numa bola de difícil recepção, não vou condenar o jogador por a perder. Não tens razão nesta. Qualquer passe para o Liedson que entendesse ser mal feito, não era ao Liedson que imputava as culpas.

"Tipo de oposição que ele encontra. Se o treinador definir como estratégia defensiva a marcação individual ao Liedson e à zona ao Saleiro/Postiga, as condições de acção serão iguais? Não me parece…"

Não percebo onde queres ir com isto. Estás a dizer que a marcação individual dificulta mais o trabalho a um jogador. És capaz de não estar certo. Mas, por outro lado, o estudo prende-se com boas tomadas de decisão e não com duelos ganhos. Repara que, em lances em que tem de ganhar no choque e não ganha, ou que tem de ganhar de cabeça e não ganha, é pouco importante. Interessa-me mostrar como, quando tem condições para fazer algo com bola, normalmente define mal os lances. Esta questão das marcações é ridícula.

"Se após receber a bola nenhum colega do Liedson fizer uma desmarcação em apoio ou de ruptura e ele decide-se pela jogada individual. Má opção? Neste contexto não sei se será assim tão linear…"

Isso foi tido em conta. Quando falo de má opção, não sou linear. Olho para a jogada em questão e vejo quais as soluções que tem em cada lance. Se não tiver apoios e tiver de ir no um para um, não creio que isso seja um problema. Mais uma vez, o estudo está imune a isso.

"Nunca encontrei menção ao facto da Ciência admitir o factor “sorte”, seja em que contexto/experiência for. Mas se já leste essa afirmação em algum lado, agradeço que me indiques a referência para me elucidar."

Luis, qualquer pessoa que pense um bocadinho percebe o que estou a dizer. A Ciência não tenta explicar a sorte. Isso não significa que não a conceba. Concebe, assim como concebe muitas outras coisas. Por exemplo, o conceito de infinito. É fulcral para a matemática, para a física, para a biologia, etc. E no entanto não faz parte dos seus horizontes explicá-lo. É um conceito metafísico. A sorte, ou a arbitrariedade, é igualmente um conceito metafísico. Algo que rege o mundo físico no qual a Ciência se move, algo que a Ciência autoriza, mas que não precisa de explicar. O acaso é a coisa mais normal do mundo. E presumir que a Ciência tem a pretensão de, um dia, acabar com todos os acasos é quase imbecil.

Nuno disse...

Carlos Almeida diz: "Para além disso, foram realizadas análises quantitativas do jogador em situação de jogo que, à luz da ciência, podem ser dúbias."

Claro que podem ser dúbias. A análise não se baseia em factos. Baseia-se naquilo que entendo serem boas decisões. Como é óbvio, não entendo isso ao calhas. Há, no meu pensamento e neste blogue, um sem fim de argumentos a sustentar o que são essas boas decisões. Mas se há algo que, de facto, serve para avaliar isentamente o desempenho de um atleta são as boas decisões.

"A variável "qualidade da tomada de decisão" (boa ou má) não aparenta estar bem definida e, como o Luís referiu, pode ser influenciada por um outro conjunto de terceiras variáveis que condicionam a consistência da análise (e.g., nível dos opositores, plano estratégico-táctico da equipa adversária, etc.)"

Não, não pode. Boa decisão é uma boa decisão, quer seja contra o Arrentela, quer seja contra o Milão, quer esteja a equipa a jogar de um modo ou de outro. Se um jogador tem um colega com quem jogar de frente e tenta virar-se, tendo opositores atrás de si, é sempre uma má decisão.

"Por outro lado, no futebol, como em qualquer outro JDC, há boas decisões que não trazem efeitos práticos como, ao invés, há más decisões que resolvem campeonatos do mundo."

Claro. O que é óbvio. Óbvio também é que de certeza absoluta que más decisões constantes não produzem melhores resultados que boas decisões constantes. Logo, no limite, e apesar de numa ou noutra situação uma má decisão poder produzir efeitos positivos, são as boas decisões que conduzem às vitórias e às conquistas. Quanto a isso é que não há nada a fazer...

Carlos Almeida disse...

Caro Nuno,

Se uma análise não for baseada em factos concretos, então continua a ser uma mera opinião. E, como sabes, as opiniões não possuem valor científico. Valem o que valem.

Eu concordo contigo quando afirmas e reafirmas que a acção táctica é fundamental no futebol de alto rendimento. No entanto, não é o único factor determinante para o rendimento de um jogador. Um jogador pode ser exímio a tomar decisões, se não as executar correctamente ou se não tiver potencial atlético para ser regular ao longo do encontro, o seu desempenho será, decerto, inferior.

Isto tudo para chamar a atenção de que fazer uma análise de um jogador não é um processo para ser desenvolvido de forma simplista, como me parece que foi o caso, até porque desconsidera a complexidade que o jogo. Numa configuração instantânea de jogo, há múltiplas “boas opções” e “más opções”. Nem sempre é possível “prever” o que uma “boa opção” ou uma “má opção” pode gerar.

Em suma, basear-se no factor “tomada de decisão” para caracterizar um jogador é simplista e muito redutor e não traduz a sua qualidade real, visto haver muitas outras variáveis que não foram analisadas e que influem, conjuntamente, na performance em situação competitiva.

Nuno disse...

Carlos Almeida diz: "Se uma análise não for baseada em factos concretos, então continua a ser uma mera opinião. E, como sabes, as opiniões não possuem valor científico. Valem o que valem."

Carlos, por isso é que te disse que a minha opinião acerca de "boas decisões" não é algo ao calhas. É algo que é baseado em muito pensamento, reflexão e argumentos. E quando um atleta tem um colega de frente e tenta virar-se, tendo um adversário à ilharga, é praticamente um facto que tomou uma má decisão. Isto é, só um imbecil é que contestará isto. Como já tive oportunidade de dizer noutras ocasiões, esses estudos são feitos de modo imparcial. Quando tenho dúvidas acerca de um lance (acontecerá em 3 ou 4% dos lances), tento dar o benefício da dúvida alternadamente, atenuando assim a tendência do resultado. Como é óbvio, o estudo não se baseia em factos verificáveis. Mas baseia-se em ideias, e em ideias argumentadas e praticamente inatacáveis. Baseia-se naquilo que é uma boa decisão. E posso-te garantir que, na maior parte dos casos, sei dizer-te qual é a melhor opção a tomar. Poderias contestar a validade do estudo de outro modo, alegando por exemplo que os movimentos sem bola não são contemplados. Agora, atacar por aí, procurando invalidar a coisa apenas porque não se pode verificar, não é boa ideia. É que é mais ou menos o mesmo que duvidar que a água evapora a 100ºC. Tu sabe-lo, mas não porque o saibas mesmo. Sabe-lo, como sabes 99,9% do que sabes, por caridade, porque aceitas o que te foi dito. Sempre que vês vapor de água não vais verificar se a água está mesmo a 100ºC, pois não?

"No entanto, não é o único factor determinante para o rendimento de um jogador. Um jogador pode ser exímio a tomar decisões, se não as executar correctamente ou se não tiver potencial atlético para ser regular ao longo do encontro, o seu desempenho será, decerto, inferior."

Evidentemente. Mas estamos a falar de alta competição. Conheço muito poucos jogadores, a este nível, que não consigam executar aquilo que pensam. Estão preparados, porque são atletas de alta competição, para reagir física e tecnicamente bem, pelo menos dentro de um mínimo aceitável. E depois há outra coisa. Um jogador que não tenha um mínimo de técnica nunca será bom a tomar decisões. Isto porque uma coisa possibilita a outra. Sem uma capacidade de execução assinalável, dificilmente conseguirá pensar se o que faz é bem ou mal feito.

"Isto tudo para chamar a atenção de que fazer uma análise de um jogador não é um processo para ser desenvolvido de forma simplista, como me parece que foi o caso, até porque desconsidera a complexidade que o jogo."

Carlos, muito pelo contrário. Quando se olha para um estudo desta natureza, olha-se sempre para factos, para os golos, assistências, desarmes, cortes, recuperações de bola, bolas perdidas, etc. Este estudo não olha para o que aconteceu, mas para o COMO aconteceu. E olha para as Decisões, que é o que está na base de tudo. É por isso que é muito mais complexo do que qualquer outra coisa. Parece-me grave que imagines que isto é algo simplista, quando não o é, de maneira nenhuma.

Nuno disse...

"Nem sempre é possível “prever” o que uma “boa opção” ou uma “má opção” pode gerar."

Claro que não. Mas isto é argumento que se ponha? Ninguém disse que uma boa decisão conduza sempre a um bom efeito. Mas no limite, bons efeitos dependem de boas decisões. E garanto-lhe que as melhores equipas e as mais vencedoras são, por norma, as que tomam melhores decisões. Não significa que, num caso ou noutro, boas decisões não conduzam a maus resultados. Mas várias boas decisões garantirão certamente melhores probabilidades de êxito.

"Em suma, basear-se no factor “tomada de decisão” para caracterizar um jogador é simplista e muito redutor e não traduz a sua qualidade real, visto haver muitas outras variáveis que não foram analisadas e que influem, conjuntamente, na performance em situação competitiva."

Simplista não é, de certeza, até porque não há nada, que eu conheça, sequer parecido. Redutor também não, pelas mesmas razões. Que há outras variáveis, há, de facto. Mas nenhuma mais importante que esta. Nenhuma. Nem sequer perto.

Carlos Almeida disse...

Nuno,

Se tiveres lido algum estudo científico (publicado em revistas internacionais de renome) sobre a "Tomada de Decisão" nos JDC, atenta nas metodologias dos mesmos e nas recomendações dos autores.

Verás que a avaliação das "decisões" são baseadas em tudo menos na interpretação de um observador acerca do acoplamento "decisão-execução". A maioria dos estudos evoca variáveis como distâncias (entre jogadores da mesma equipa ou entre jogadores adversários), velocidades, níveis de prática, mecanismos de pesquisa visual para alcançar conclusões válidas, ainda que restritas, sobre os processos de tomada de decisão dos jogadores.

Sair deste nível de análise para dizer que esta ou aquela decisão é "boa" ou "má", para mim, é simplista e redutora e não traduz o valor de um jogador.

Este é o meu ponto de vista. Apresentei argumentos e NUNCA recorri a insultos ou ironias para classificar outro ponto de vista, ao contrário do que tem sucedido noutros "posts". Mesmo que não aceites outra perspectiva, o mínimo que podes fazer, enquanto pessoa inteligente que me pareces ser, é respeitá-la.

Vais ver que só ficarás a ganhar com isso. Saúde!

Luis disse...

Carlos, não gastes mais o teu latim com este rapaz que dá pelo nome de Nuno. Infelizmente, porque como já referi anteriormente, reconheço-lhe um bom nível cognitivo, ele padece de um grave problema gástrico, "tem o Rei na barriga".

Não interessa que provemos ter razão contra a opinião dele, porque simplesmente ele não tem a HUMILDADE para reconhecer que a opinião dele pode não corresponder, exactamente, à realidade.

Imbecilidade não é não ter a mesma opinião que tu Nuno, é antes, não aceitares que outros possam ter uma opinião divergente da tua e apresentem argumentos válidos que a fundamentam.

Alguma consideração que poderia ter por ti, mesmo não te conhecendo, desvaneceu-se no exacto momento em que vi a tua forma arrogante e prepotente com que tentas argumentar contra quem não pensa como tu. Onde está escrito que és um supra-sumo na análise do futebol ou que a tua forma de pensar é a correcta? Tens algumas boas ideias, um bom português escrito, mas isso não faz de ti um ser superior imune ao erro.

Uma última questão: se a própria Ciência deixa espaço ao erro, como poderás tu, um simples ser humano, não colocar a hipótese de erro? É que ainda não vi uma única linha escrita por ti a assumir que erraste, ou a colocar a hipótese do teu pensamento não estar totalmente correcto...

Tiago disse...

Que sortudo do caraças que é o Liedson, não percebo como não se dedica a ganhar o Euromilhões todas as semanas.
A forma como fecha os olhos e chuta em frente no golo que marcou hoje é incrível.

Nuno disse...

Carlos Almeida diz: "Se tiveres lido algum estudo científico (publicado em revistas internacionais de renome) sobre a "Tomada de Decisão" nos JDC, atenta nas metodologias dos mesmos e nas recomendações dos autores."

Carlos, nunca li nenhum. Gostava que me recomendasses algum, então. Mas olha, isto não tem a pretensão, nem nunca teve, de ser um estudo científico preciso. Tem a pretensão de olhar para as coisas certas. Fazer um estudo científico preciso exigiria horas que não tenho. E os resultados não seriam muito diferentes. Aquilo onde o estudo não é preciso é o que pode dar a margem de erro. E essa margem, como te disse, dificilmente seria acima dos 5%.

"Verás que a avaliação das "decisões" são baseadas em tudo menos na interpretação de um observador acerca do acoplamento "decisão-execução". A maioria dos estudos evoca variáveis como distâncias (entre jogadores da mesma equipa ou entre jogadores adversários), velocidades, níveis de prática, mecanismos de pesquisa visual para alcançar conclusões válidas, ainda que restritas, sobre os processos de tomada de decisão dos jogadores."

Não entendo o que cada uma destas coisas tem a ver com a tomada de decisão. Em cada lance, observo isso tudo empiricamente. Vejo as possibilidades de execução, o tempo, a distância entre jogadores, a facilidade/dificuldade do gesto. Vejo isso tudo e tenho isso tudo em conta. Será assim tão diferente?

"Sair deste nível de análise para dizer que esta ou aquela decisão é "boa" ou "má", para mim, é simplista e redutora e não traduz o valor de um jogador."

É engraçado que insistas neste ponto. Então não podes senão reconhecer que quando se diz que o Liedson é bom porque marca golos e corre muito ainda é uma análise mais redutora. É que tem em conta muito menos variáveis e é uma observação francamente tendenciosa, a olhar apenas para 2 aspectos do seu jogo. Eu nunca disse que este estudo era cientificamente irrevogável. Digo é que é algo que vai muito mais fundo do que qualquer análise estatística. E disso, penso, não pode haver qualquer dúvida.

Luis diz: "Não interessa que provemos ter razão contra a opinião dele, porque simplesmente ele não tem a HUMILDADE para reconhecer que a opinião dele pode não corresponder, exactamente, à realidade."

Luis, ninguém aqui provou nada contra a minha opinião. E sempre que se deram argumentos minimamente relevantes, procurei dialogar. Não sou humilde é contra cabeçudos que combatem argumentos com caprichos e observações falaciosas. Não tenho que ter respeito por pessoas que acham que estão a argumentar contra mim usando os 4 golos que o Liedson marcou, quando o meu argumento não tem nada a ver com o facto de ele marcar muitos golos. Isso é gente burra. E de gente burra estou eu farto.

"Imbecilidade não é não ter a mesma opinião que tu Nuno, é antes, não aceitares que outros possam ter uma opinião divergente da tua e apresentem argumentos válidos que a fundamentam."

Há argumentos válidos e há patetices. Aceito os primeiros, não aceito os segundos. Tu, infelizmente, não percebes a diferença entre estas duas coisas. E achas que as pessoas que aqui vêm apresentam argumentos válidos quando na verdade nem sabem o que é um argumento.

Tiago diz: "Que sortudo do caraças que é o Liedson, não percebo como não se dedica a ganhar o Euromilhões todas as semanas.
A forma como fecha os olhos e chuta em frente no golo que marcou hoje é incrível."

Tiago, insistes em ser palerma. A execução do Liedson é muito boa. Infelizmente, ele só marca porque teve novamente sorte. Não é ele que recupera a bola, é o defesa que lha dá. Achar que ele não tem sorte neste tipo de lances, quando continuam a acontecer, é que a mim me faz confusão.

Tiago disse...

Claro, o Liedson mais uma vez tem "sorte". O jogador do Guimarães perdeu a bola devido a um "acaso favorável" ao Liedson. Não tem nada a ver com a colocação, pressão e velocidade do Liedson. Nada. É só "sorte". Tratou-se dum "acaso favorável".
Claro. E o palerma sou eu e não tu, meu grande palerma.

Nuno disse...

Tiago, o Liedson nem sequer vai pressionar, propriamente dizendo, o defesa. Vê o lance. Se achas que a acção do Liedson tem o que quer que seja de decisivo no erro do defesa, a conversa acaba aqui. Não me apetece falar com camiões-cisterna...

Tiago disse...

Para ti, autocarro da Carris, o Liedson estava deitado na relva. O jogador do Guimarães agarrou na bola, deu-lha e disse-lhe "Toma. Leva por ali e marca golo."
O Liedson abriu os braços ao céu e clamou "Mais um acaso favorável! Eu sou do caralho!"
Correu, fechou os olhos e pimba, pode ser que entre.

És dos maiores otários que já li. E escondidinho atrás do anonimato que este blog de merda te dá, és o maior a ofender quem não partilha das tuas (estúpidas) opiniões.

Nuno disse...

Não, Tiago, sou o maior a ofender quem não pretende senão ser ofendido e quem não tem capacidades intelectuais para tentar discutir algo minimamente complexo... Lamento. Viesses cá com outra atitude e com ideias...

Tiago disse...

Considerares-te intelectualmente superior e depois defenderes que o Liedson é um tipo "sortudo", diz muito dessa tua superioridade.

Luis disse...

Desde quando me viste defender as minhas posições om argumentos "marcou quatro golos"? Nem sequer defendi quem o fez. Agora digo-te eu, lê bem o que eu escrevi em cada comentário que coloquei e vê lá se não estás outra vez enganado...

Eu critico é a forma como tu tratas as pessoas que não partilham da tua opinião, independentemente, de serem mais ou menos eruditas na forma como a expõem. Ou ainda, se são argumentos que primam pelo vácuo... Tu insultas as pessoas, com termos que não são de bom tom. Vi que em algumas situações não foste tu a iniciar as provocações, mas noutras foste...

Acharias correcto se um teu professor, te insultasse por tu não argumentares correctamente sobre determinada temática? Achas que isso contribuiria para melhorares? Se talvez tivesses outra abordagem às opiniões que se opõem a ti, poderias fazer essas pessoas ver as coisas pelos "teus olhos" e estarias a propiciar um clima de apredizagem profícuo.