segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Brolin

"O poeta é igual ao príncipe das nuvens
que se ri do arqueiro e afronta a tempestade;
exilado na terra e no meio dos apupos,
as asas de gigante impedem-no de andar."

Charles Baudelaire, "O Albatroz"

Este poderia ser um texto sobre a carreira de um grande jogador, uma homenagem aos êxitos de um dos maiores jogadores da sua geração e uma forma de recordar, com prazer, o futebol alegre de Tomas Brolin. Não será nada disso. O que Maradona disse dele ilustra quase tudo o que ele foi: "um sueco com habilidade sul-americana. Pena foi que se tivesse lesionado e não tenha podido dar tudo o que tinha". Com efeito, Brolin foi uma aberração, um nórdico com pés e imaginação de sul-americano que foi uma lufada de ar fresco no seu país, que encantou o mundo do futebol até ao momento em que partiu a perna. Para muitos, esta lesão afastou-o do trilho certo e foi a principal responsável pelo seu declínio enquanto jogador. Não concordo com isto. Voltei a vê-lo jogar depois disso e ainda havia nele a antiga chama de campeão. O problema terá sido mais mental que físico.

Quem se lembra dele, lembra-se de alegria, de fantasia, de pura habilidade e, sobretudo, de uma paixão avassaladora por este desporto. Brolin não era só mais um jogador talentoso; era muito mais que isso. Ainda assim, o seu talento foi ímpar naquele país, não obstante Henrik Larsson ter sido eleito, há poucos anos, o melhor jogador sueco de todos os tempos. Aliás, lembrar que Larsson ficará na História à frente de Brolin é até a maneira mais adequada de iniciar um texto sobre o prodígio nórdico. É que, se há alguém a quem o futebol traiu, esse alguém é Tomas Brolin. Larsson é apenas dois anos mais novo que Brolin e jogou na mesma altura que ele, sem nunca atingir o patamar de excelência do primeiro. Compará-los, além de ser impossível, pois o talento de um foi inegavelmente superior ao do outro, chega até a ser sacrílego.

Disse que Brolin não foi apenas um jogador porque tinha, como poucos, uma paixão enorme pelo jogo. Isso via-se na forma alegre, jovial, pueril e desinibida com que jogava. Nenhum sueco para além dele - arrisco dizê-lo - manifestou tamanha alegria a jogar futebol. Os seus dribles, a facilidade de passe, a magia, a classe, foram únicos. Chegou a ser eleito o quarto melhor jogador de 1994 e, depois do brilhante Mundial de 94, o Barcelona pensou recrutá-lo. Tal não aconteceu e a carreira de Brolin teria uma viragem abrupta. Vítima de um desporto aviltante, da incompetência de treinadores e da estupidez vigente, Brolin não voltaria a ser o mesmo. O seu futebol, para sobreviver, precisava de se alimentar daquela paixão que sempre manifestara - essa era a sua motivação. E foi isso que Brolin perdeu.

Ao ingressar no Leeds United, Brolin encontrou um futebol onde o músculo se sobrepõe à técnica, onde o jogo estava castrado e era apenas um pretexto para medir capacidades atléticas. Em Inglaterra, a magia, a paixão, o prazer não existiam. O futebol, e tudo o que o envolvia, era em terras de Sua Majestade uma luta, um confronto, e não um jogo. Se Brolin quisesse evidenciar-se pelo seu poderio físico, teria sido pugilista. Se escolheu o futebol, foi porque o futebol é muito mais do que uma desculpa para se pôr em combate dois pares de hormonas. Em Inglaterra, encontrou uma cultura primitiva, bárbara no sentido lato de bárbaro, uma cultura para quem o futebol servia de estímulo a um espírito animalesco. Em Inglaterra, não se jogava futebol; mediam-se vontades, músculos e graus de irracionalidade. Sendo o futebol, para Brolin, precisamente o oposto, depressa se tornou desnecessário. A desmotivação foi causa e consequência do pouco uso que passou a ter. Ao mesmo tempo que ia deixando de ser opção, ia perdendo o amor que tinha ao jogo. A inteligência, a classe, e o prazer abandonaram-no, mas apenas porque o futebol, como ele o via, o abandonara primeiro.

Aos 28 anos, após mais alguns anos de pouca valia, agastado com a relação com o jogo, Brolin decidiu desistir. Não desistiu, como tantos outros, porque uma lesão o tinha incapacitado, mas sim porque o futebol o tinha enganado. Tornara-se de tal forma inteligente, de tal forma diferente daquilo que a esmagadora maioria que anda no futebol é, que não era compreendido. Sem capacidade para contrariar a incompreensão de que foi vítima, refém num mundo mesquinho, pequeno, desambicioso e estúpido, não tinha outra saída. Foi perdendo a paixão pelo jogo de forma gradual até que ela se extinguiu por completo. A 12 de Agosto de 1998, tornou oficial a decisão. Eis o canto do cisne:

"Estou aqui para dizer se vou ou não continuar a jogar futebol. Decidi desistir. Já andava a pensar desistir há muito tempo; pensava em desistir antes de assinar pelo Crystal Palace, mas eles convenceram-me a não o fazer. Estou muito contente por o Crystal Palace me ter dado a oportunidade de jogar futebol. Mas, depois da época terminar, estava ainda mais convencido a desistir. Gostaria de permanecer no Crystal Palace, mas não tinha qualquer motivação. Tentei assistir a alguns jogos do Campeonato do Mundo de França, mas não ajudou. Preferia, em vez disso, jogar golfe. Não tenho motivação para continuar a este nível."

Este foi, pois, muito mais que um texto de homenagem, um lamento. O futebol, infelizmente, continua a ser um desporto preferencialmente para selvagens e para bestas. Em futebol, ser civilizado, possuir uma inteligência acima da média, ser cordato, educado, puro, não é importante. E não o é porque, salvo raras excepções, é um desporto de gente sem escrúpulos, para incultos, para fanáticos, para cobardes, para hipócritas, um desporto que serve para libertar o ser irracional que há dentro de cada um. Dificilmente os génios teriam lugar no meio de tanto lixo...

163 comentários:

BAD-RELIGION disse...

Adorei, dos melhores textos que aqui li.

Também me revi um bocado neste texto, um gajo ao fim de tantos anos perde a vontade, também ja tive para deixar de jogar bastantes vezes, mas a vontade, aquele bixo cá dentro é sempre mais forte, é triste um gajo esforçar-se tanto e no fim quem joga é sempre o gajo que manda a "bica" mais longe ou o que derruba mais vezes o adeversário
"Mete o pé! sem medo"... pra quê? se não vou conseguir ganhar a bola...não ando aqui para bater em ninguém...

enfim, desabafos...

Abraço :)

Gonçalo disse...

Bad... Digo-te que já que o teu comentário vem muito, mas muito, a propósito...

Um abraço, e força:)

cajo disse...

Brolin, Larsson, Ljungberg e Kallstrom na mesma selecçao, já imaginaram?

Anónimo disse...

Nuno, gritaste o golo do Jorge Ribeiro?

Paulo Santos disse...

Excelente texto!
Extraordinário jogador!

Pensar que Brolin esteve a um passo do Benfica...


Grande abraço

Batalheiro disse...

Grande jogador, adorei vê-lo no euro 92 apesar de ser muito novo na altura...

No Parma jogava com o Zola e o Asprilla não era?

Compreendo perfeitamente esse desencanto, e penso que hoje em dia ainda é pior. O ano passado estava tão desinteressado com o futebol que nem vi as meias finais e final da Champions. Aquilo mais parecia mais uma jornada da premier league, e as oito equipas dos quartos de final jogavam todas da mesma maneira (mal) com a excepção do Barcelona. Penso que isto só melhora quando a UEFA introduzir a regra dos 6+5 (se o conseguir fazer), é a unica maneira de devolver justiça e interesse ao futebol europeu.

Brolin era um jogador de outro tempo, um tempo que não chegou a existir. Imaginemos um meio campo Guardiola, Brolin, Pedro Barbosa e Rui Costa...

Nuno disse...

Bad, sem dúvida, o futebol é cada vez mais dos que suam e cada vez menos dos que pensam...

Cajó, junta-lhes o Ibrahimovic.

Anónimo, gritar é para os animais irracionais.

Paulo, lembrei-me disso, mas nunca cheguei a saber se a notícia fora verídica ou se fora só um boato. Lembro-me que, na altura, o Brolin era o meu grande ídolo e que fiquei bastante entusiasmado com essa hipótese...

Sim, Batalheiro, e ganhou uma Taça das Taças, uma Supertaça Europeia e uma Taça UEFA nesse fantástico Parma. Esse meio-campo seria coisa para acabar com o futebol...

BAD-RELIGION disse...

Também ha muito que deixei de ver o futebol Português, não tenho paciencia para tanta mediocridade e para tanto Brasileiro, ás vezes penso que isto é uma liga Brasileira.

o 6+5 tem a ver com os estrangeiros? ou não tem nada a ver? Se sim também concordo. Isto é sempre assim, há clubes que não precisam de "incentivos" á formação e apostam nas suas camadas, mas ha outros que aproveitaram a cena de não haver estrangeiros para comprar tudo o que tinha 2 pernas e acertava na bola, quando esa regra era apenas para fazer com os jogadores podessem livremente jogar onde queriam, mas há quem não a saiba usar com cabeça e dá nisto...

Grande Parma, era grande fã dessa equipa! :)

Mr. Blue disse...

Entre Brolin e Larsson, escolho... Zlatan.


Parabéns pelo blog.

Anónimo disse...

Paulo, sim foi um pequeno passinho... O maior clube do mundo esteve quase quase a contatá-lo.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
cajo disse...

lol merda, eu escrevi Zlatan também mas apaguei não sei porquê...é obvio que esse entra na lista..

Anónimo disse...

mais um post à la nuno. concordo em certos passos, óbvio que Brolin era um fora de série, discordo noutros.

o futebol nunca vai ser o jogo que tu queres nuno, porque as regras do jogo não o permitem. é permitido o choque, o contacto, a "selvajaria" como dizes não é punida severamente porque está implícita no jogo. é possivel usá-la dentro de um limite legal, que se for ultrapassado aí sim é punido.

o campo largo, por muito que seja bem ocupado posicionalmente, potencia atributos físicos de velocidade, de força, em alguns pontos do terreno até mesmo a altura conta.

é claro que tudo seria mais bonito se assim não fosse, se os génios pudessem brilhar sem oposição. mas génios, não há muitos, e "lixo" como tu dizes, há. e como o futebol é uma competição profissional, onde os "lixos" que jogam em equipas "lixo" recebem dinheiro (muito dinheiro muitas vezes), é óbvio que têm de ser competitivos doutra forma. é a regra simples da competição.

e quando as regras do jogo permitem que os génios possam estar de igual para igual (no campo competitivo) com o "lixo", o "lixo" tenta fazê-lo e muitas vezes vence.

na base da competetividade, larsson foi muito mais que brolin, e nos seus processos simples, mas sem descurar lances de autentico génio que também protagonizou (ser considerado em Glasgow como o melhor jogador do mundo não é para todos, convenhamos), conseguiu mais projecção que o sem dúvida nenhuma genial brolin.

talvez seja preciso inventar um novo jogo, não competetivo ou menos competitivo, sem fins lucrativos para ninguem (porque qd ha dinheiro em jogo ha competição) e em que o futebol bonito seja potenciado. é a única forma.

Gonçalo disse...

"o campo largo, por muito que seja bem ocupado posicionalmente, potencia atributos físicos de velocidade, de força, em alguns pontos do terreno até mesmo a altura conta."

Por enquanto não tenho muito tempo para rebater algumas coisas que dizes. Mas pega no que dizes aqui em cima e explica a espanha campeã.

Eram altos? Fortes? Não...

Anónimo disse...

hmmm tinham um homem que fazia a diferença nesse ponto: Marcos Senna. Claramente daqueles casos onde a naturalização foi uma autentica maravilha. Para além da defesa ser constituída por gente que podia não ser alta, mas que às vezes joga um bocado "lixo"... Apesar das qualidades técnicas que têm, Marchena e Puyol são duros quanto baste... Marchena pisa o risco muita vez até.

Depois, tinham jogadores capazes de jogar bem, ser criativos e ser raçudos na mesma, apoiados também na excelência posicional: xavi ou fabregas são exemplos disto mesmo.

Gonçalo disse...

Ok, eu assim que puder vou "discutir" este assunto de forma mais consistente. Mas o Senna,na minha opinião, não é so força. Acho-o inteligente e de processos bastante simples, o que é muito importante para quem ocupa aquela posição.

O problema não é tanto os jogadores que são duros, mas na incapacidade de muitos treinadores se aperceberem que muitos jogadores não precisam de ser duros e jogar feio para a equipa beneficiar com as suas acções. Eu acho que podes jogar bom futebol e seres competitivo.

Acho que a nossa discussão está a tomar um rumo diferente do que foi trilhado pelo texto. Todavia, não deixa de ser uma questão interessante. Até pode ser que dê origem a um texto.

Um abraço

Leão de Quiosque disse...

Recordo-me particularmente da sua cara de miudo e da pirueta que fazia quando marcava golo, com o braço levantado.

Ricardo disse...

Brolin é um dos que guardo na minha galeria de mágicos.

Nuno disse...

"mais um post à la nuno."

Pois, anónimo, teve para ser um post à la João Ricardo, mas não deu. Fica para a próxima, tá?

"o futebol nunca vai ser o jogo que tu queres nuno, porque as regras do jogo não o permitem."

Eu quero que o futebol seja futebol, tu não sei...

"o campo largo, por muito que seja bem ocupado posicionalmente, potencia atributos físicos de velocidade, de força, em alguns pontos do terreno até mesmo a altura conta."

Pois potencia. Mas também potencia atributos intelectuais. Aliás, até potencia mais estes...

"é claro que tudo seria mais bonito se assim não fosse, se os génios pudessem brilhar sem oposição"

Han?? Tu achas que eu digo que os génios deviam poder jogar mais soltos, sem selvagens? Não é nada disso, pá. Lê! Não foi por causa da dureza dos adversários que o Brolin perdeu a motivação ou por causa da dureza que considera o futebol entregue a lixo. É por se continuar a preferir músculos a cérebro. E quando se preferem músculos a cérebro, há jogadores de muito maior qualidade que têm menos hipóteses de jogar, o jogo perde qualidade e a motivação vai por água abaixo. Mas continua a preferir-se músculos. O futebol não tem nada a ver com músculos, pá...

"na base da competetividade, larsson foi muito mais que brolin, e nos seus processos simples, mas sem descurar lances de autentico génio que também protagonizou (ser considerado em Glasgow como o melhor jogador do mundo não é para todos, convenhamos), conseguiu mais projecção que o sem dúvida nenhuma genial brolin."

O Brolin era só dos jogadores mais competitivos que conheci. A sua alegria até vinha da vontade de ganhar. Larsson não foi mais que Brolin, nem pensar nisso. Conseguiu mais projecção que o Brolin como??? Onde??? A Suécia, tirando aquela final de mundial há mais de 50 anos, nunca conseguiu repetir os sucessos que teve quando Brolin era o líder da equipa. E o Larsson pertencia a essa equipa e não jogava. Onde e como é que o Larsson teve mais projecção? Nem sequer ganhou mais coisas. E não te esqueças que jogou 3 vezes mais tempo que o Brolin, que teve 5 ou 6 bons. A sério, quem comparar sequer um com o outro, não pode ter dois dedos de testa. O talento de Brolin não teve par na Suécia. Ibrahimovic será o único capaz de rivalizar com ele.

"talvez seja preciso inventar um novo jogo, não competetivo ou menos competitivo, sem fins lucrativos para ninguem (porque qd ha dinheiro em jogo ha competição) e em que o futebol bonito seja potenciado. é a única forma."

Este excerto revela: 1) Não percebeste que o texto não é a defender um futebol bonito em termos estéticos, mas sim os que melhor interpretam o jogo; 2) Não percebeste o que eu considero jogar bem e insinuas que é jogar bonito; 3) imaginas que eu quero um desporto especial para mim, quando tu achas que o futebol não é futebol, mas uma luta de galos.

P.S. A opinião de certas pessoas devia pagar imposto.

Anónimo disse...

sempre a insultar...

para já é melhor veres bem o palmarés do larsson. depois gosto mt do larsson, pq simpatizo com o Celtic, com a mística, com o tipo de jogador que é e não me parece que mereça que o metas num plano tão baixo.

depois as tuas discussões continuam semânticas. tentas rodear as palavras para mudares sentidos, algo que fazes bastante bem!

volto a dizer que sou um fã da "boa interpretação do jogo", concordo que Brolin, Pedro Barbosa (sou do SCP e sempre foi um ídolo), e outros que sei que consideras os verdadeiros interpretes.

não discordo, apenas quis dar uma visão mais competetiva do jogo, porque nem sempre a simples interpretação do jogo basta e é impensável uma equipa de Pedros Barbosas por exemplo.

volto a dizer o futebol é um jogo que gira à volta de dinheiro e os seus praticantes e treinadores são pagos e têm responsabilidades não só de "interpretar bem o jogo", mas sim ganha-lo, sempre que for preciso recorrer ao "Lixo" é mais que necessário até porque quem não tem cão caça com gato.

mas eu sei q n consegues ver meios termos, não te incomodes mais comigo.

Anónimo disse...

gonçalo: óbivo que senna não era só força! tinha um excelente sentido posicional e capacidade de sair bem a jogar. é um jogador bastante completo naquela posição e foi dos melhores do Euro.

mas sem dúvida que dava o peso necessário ao meio campo espanhol.

Anónimo disse...

sem querer polémica...tentem ler neste link...

http://pt.wikipedia.org/wiki/Pr%C3%AAmios_do_Jubileu_da_UEFA

Anónimo disse...

E os prémios são de 2003, sendo que, depois disso, participu no Euro 2004 e 2008, Mundial 2006, ganhou a Champions 2006, foi 2 vezes Campeão Espanhol, ainda jogou no Manchester...
Se fossemos a comparar os "ses", o Dani seria o mehor jogador português de todos os tempos, talento tinha muito, mas pelo currículo, Larsson é o melhor jogador sueco de todos os tempos.

DR

Nuno disse...

"para já é melhor veres bem o palmarés do larsson. depois gosto mt do larsson, pq simpatizo com o Celtic, com a mística, com o tipo de jogador que é e não me parece que mereça que o metas num plano tão baixo."

Pá, eu adoro o Larsson. Mas achar que foi melhor, em algum sentido, que o Brolin, é ridículo. Não há comparação. O palmarés de um é idêntico ao do outro, mas o Brolin jogou menos tempo e em equipas com menos possibilidades de ganhar algo. Ganhar campeonatos no Celtic não é nada. O Cadete, nesse sentido, estaria acima de um Futre, não? Pá, não faz sentido. Comparei talentos, mas também aquilo que deram ao futebol. Brolin deu muito, mas muito mais que o Larsson. Isso é inquestionável. Em termos de talento, tinha muito, mas muito mais. Compará-los não faz qualquer sentido.

"apenas quis dar uma visão mais competetiva do jogo, porque nem sempre a simples interpretação do jogo basta e é impensável uma equipa de Pedros Barbosas por exemplo."

Uma equipa de Pedro Barbosas como? É que se forem Pedro Barbosas novos, por que não? Pá, tu não sabes o que é competitividade. O Brolin, repito, era muito, mas muito mais competitivo do que qualquer jogador que tu imagines que é competitivo. E porquê? Porque competitividade não tem a ver com agressividade, com luta, com garra, com força, com destruição do jogo adversário. Competitividade é vontade de ganhar. Nisso, o Brolin era quase insuperável. Era a sua grande arma e a razão pela qual o seu futebol era tão alegre. Achar que o Pedro Barbosa, por causa de ter o estilo que tinha, não era competitivo é outra barbaridade. Cada um tenta o melhor com as armas que tem. O Barbosa era bom daquela forma e era competitivo daquela forma. Daquela forma, emprestou muito mais ao Sporting do que se corresse feito maluco. Pá, um dicionário, às vezes, era capaz de dar jeito...

DR, eu sei disso. Aliás, no texto, escrevi-o. Mas também sabes que a memória das pessoas é curta, não sabes? Diz-me onde é que estava o Larsson nos Jogos Olímpicos de Barcelona, no Euro 92 ou no Mundial de 94. Eu digo-te: no banco. A estrela era o Brolin e esse período foi só o melhor período dos últimos 50 anos da selecção sueca. Se queres compará-los justamente, compara esse tempo. O Larsson jogou mais de 15 anos, o Brolin jogou 5 ou 6 ao mais alto nível, foi eleito o 4º melhor jogador do Mundo em 1996, coisa que o Larsson nem perto esteve... Pá, francamente...

Zezé disse...

hm.tal como o nuno diz, n é possivel a comparaçao entre o talento de um e de outro. até por terem talentos bem diferentes, nao obstante jogarem na mesma posiçao. mesmo para quem nao viu brolin jogar, uma simples visita ás estatisticas de golos de larsson e de brolin, comprova isso. mas bem sei, nuno, que aqui estamos a falar de talento para um jogo que, como aqui há uns dias tu falavas, está cada vez mais entregue ao músculo.

porém, e apesar de brolin ser reconhecido como o swedish golden boy, naquela posiçao, o que fica para a historia sao os numeros. percebo-te perfeitamente nuno, mas acredito que reconheças que, para a maior parte das pessoas que aqui vem defender o larsson, o que lhes vem mais á memória sao o número infindável de golos que ele fazia.faz.

mas está um belissimo post, muito bom mesmo.

abraços


sao90minutos.blogspot.com

Nuno disse...

Eu sei que é isso que lhes vem à memória, Zézé. Mas é precisamente isso que critico. Não tarda o Tomasson é eleito melhor jogador que o Laudrup, ou o Ballack melhor que o Matthaus... Não pode ser. E no caso do Brolin e do Larsson, eles até jogaram juntos, são da mesma geração de ouro da Suécia, é até possível compará-los. E um foi muito mais que o outro, que só atingiu a fama num país em que, antes dele, o ídolo era o Cadete. Depois, como suplente utilizado no Barcelona e no Manchester, ganhou coisas importantes. Mas era suplente utilizado, nada mais. O Brolin foi o 4º melhor jogador em 1996. E o Larsson?? São incomparáveis. Mas há gente que quer à força compará-los. Não tarda estão a comparar o Vidigal com o Paulo Sousa, também...

Alvaro disse...

Concordo que são dois jogadores incomparavéis.. Apesar de gostar de larsson, não lhe reconheço um mérito futebolístico por aí alem..
No entanto, na minha opinião foi dos melhores finalizadores de cabeça que vi actuar.. A sua capacidade de desmarcação nas costas do defesa e o sentido de baliza eram fenomenais..
Agora concordo que isso não chega para fazer de um jogador o melhor de sempre, como e obvio.
O larsson foi um dos bons avançados do futebol europeu da ultima decada, e que soube potenciar ao maximo a sua melhor caracteristica, nada mais.
E claro que agora vai haver aqui gente a dizer que ele era esforçado e corria muito, mas o di maria tambem e capaz de correr o jogo todo e se formos a ver o rendimento final de toda essa correria e quase nulo..
Desculpa ter fugido um pouco do tema.

Zezé disse...

concordo Nuno. o jogador lendario esta a cair no esquecimento. fazes um excelente trabalho para combater esse esquecimento, e espero ver mais posts sobre estes jogadores.

quanto ao cadete, acho pertinente a referencia que lhe fazes. na minha opiniao, nao passou de um ponta de lanca razoavel, mas la esta, tinha o espirito das highlands, e rapidamente se tornou um Deus para os catolicos de Glasgow.

abracos, e continuacao

Anónimo disse...

Ok não era titular em 94, embora na altura o Larsson fosse ainda um jovem, pois da mesma forma que não há dúvidas do talento de Brolin também não há dúvidas que Larsson faz jeito em qualquer equipa (Barcelona e Man Utd parecem concordar comigo).

Quantos aos títulos no Celtic, podem não valer um título em Espanha ou Inglaterra, mas o que é certo é que quando Larsson chegou o Celtic não era campeão há 9 anos e magicamente passou a sê-lo sob a batuta do sueco.

Para finalizar são jogadores diferentes. Um mais talentoso, outro mais clínico e como aqui já foi dito as comparações entre eles devem ser pesadas nesta base, sem tirar méritos a qualquer um.

Quanto a competitividade, a questão é, mais uma vez, semântica. Continuas a agredir semanticamente. Quando falei em competitividade deixei de lado atributos técnicos, mentais ou físicos individuais e quis salientar competitividade geral de uma equipa. E isso é medido, acima de tudo, pelos resultados. Uma equipa de Pedros Barbosas, novos ou velhos, para mim nunca funcionaria e acho estranho sequer pores essa hipótese. Isto porque a sua forma de ser “competitivo” não se pode adequar às necessidades de todas as posições no campo (até parece estúpido estar a escrever uma coisa tão óbvia) e precisa de jogadores mais batalhadores (definição de competitividade física se assim quiseres) à sua volta. Desta forma a equipa deixaria de ser competitiva na minha noção básica, mas realista, de competitividade

A minha questão foi só esta desde o início quando quis defender um pouco o “lixo”, dando-lhe mais importância do que tu tinhas dado no post, como suplemento para os génios ou como, pura e simplesmente, jogadores menos dotados que fazem pela vida com outros meios pois são incapazes de efectuar performances geniais mas actuar doutras maneiras dentro da legalidade das regras do futebol. Fui insultado.

Mas pelos vistos a discussão acabou, uma vez que tu pões em consideração que uma equipa de Pedros Barbosas poderia ser competitiva (voltando à minha noção inicial de competitividade geral).

Nuno disse...

Anónimo, és um coitadinho. Entras aqui a pé juntos e depois queixas-te que és insultado... Fixe...

Olha, o teu problema é o de maior parte das pessoas, é achar que há jogadores para batalhar e jogadores para criar. É por isso que nunca conseguirias conceber uma equipa com Pedro Barbosas. Numa equipa, os jogadores não têm funções. Não há uns que são "suplemento para os génios" e outros que são génios. Quanto mais geniais houver, melhor, desde que ponham a genialidade ao serviço de uma ideia colectiva. Mas isso é capaz de ser demasiado para ti...

BAD-RELIGION disse...

só uma cena, para os anónimos q até tão a tentar ter uma conversa interessante, epa, em vez de anónimo metam qq cena no nome, é pk ha 2 ou 3 anónimos nos comments e chega-se a uma altura q já não sabe quem é quem :|

Anónimo disse...

a pés juntos? sem comentarios.

é bastante óbvio e n é preciso ter um blog sobre futebol pseudo-intelecutal que num cenário idílico, numa equipa idílica queriamos ter jogadores de trabalho mas ao mesmo tempo capazes de interpretar bem o jogo e criativos. E vice versa.

mas o que não se pode de forma alguma defender é que uma equipa formada apenas e só por Pedros Barbosas (entendamos isto como um generalização deste "tipo" de jogadores) era capaz de ser competitiva, porque era impossível obrigar um jogador desse estilo a certas tarefas indespensáveis. até porque isso teria implicações no seu prórpio jogo. é muito dificil assumir que o Pedro Barbosa poderia fazer uma daquelas arrancadas em progressão com a bola se tivesse passado o processo defensivo inteiro a correr como um Gattuso atrás da bola... e não estou a dizer com isto que o Pedro nunca defendia, entenda-se.

o gonçalo falou na espanha. longe de ser uma equipa idílica, mostra tudo o que dissemos até agora. formada na sua maioria por jogadores com a furia espanhola mas com uma leitura, classe e criatividade muito muito acima da média. aí está o teu cenário desejável com o qual eu nunca discordei.

no entanto, volto a dizer que sem marcos senna (que também jogava e fazia jogar) e só com david silvas imaginemos, a espanha não poderia ser campeã.

Nuno disse...

Pá, continuas a não perceber que o problema é achares que para haver Pedros Barbosas, é preciso haver Gattusos. Achas que "há tarefas indispensáveis" e que defender é um processo individual. Presumes que uma equipa de Pedro Barbosas não defenderia bem porque individualmente não são jogadores defensivos. Mas - regozija-te com o rebuçado - defender é uma tarefa colectiva e não individual. Como tal, é perfeitamente possível ter 11 jogadores pouco agressivos do ponto de vista individual (tipo Gattuso), mas muito agressivos do ponto de vista colectivo, isto é, que defendam como equipa, ao mesmo tempo e da mesma maneira.

No fundo, achas que não é possível ter 11 jogadores brilhantes numa equipa porque presumes que eles (sendo brilhantes, vão ser defensivamente menos esforçados) não vão defender suficientemente. O teu problema é que continuas a achar que os jogadores têm tarefas individuais, ou funções. Mais um rebuçado: nem o Pedro Barbosa nem o Gattuso têm por função defender; isso é uma tarefa colectiva, como são todas as tarefas num jogo colectivo. A única função de um jogador, a título individual, é estar no sítio certo à hora certa, executar e decidir bem. Roubar bolas, defender, atacar, fazer o último passe, marcar golos, cortar lances de ataque, desarmar, etc, são funções colectivas. E essa função colectiva não tem nada a ver com a soma das funções dos 11 jogadores. Uma equipa não defende melhor se tiver mais jogadores que sejam melhores defensivamente, nem faz mais desarmes apenas por ter jogadores que fazem mais desarmes. Eu sei que isto é complicado de perceber, mas tenta, pelo menos...

Batalheiro disse...

Um jogador que não defende não é genial. Até tenho dúvidas que possa ser considerado um jogador. O mesmo vale para um jogador que não ataca.

Um jogador genial é um jogador que decide sempre bem em todos os momentos do jogo.

Anónimo disse...

nem tu acreditas no que escreves-te no post anterior.

como se alguma vez eu tivesse posto em causa que as tarefas defensivas são colectivas, mas tu usas novos argumentos para mandar abaixo. até dei o exemplo da Espanha, equipa que defendia bem colectivamente tendo senna como esteio mais posicional, e com o resto dos jogadores do meio campo criativos e trabalhadores. Ou achas que o Xavi não corre? Tanto ou mais como o Gattuso.

Quando falo em jogadores brilhantes ou geniais, estou a assumir jogadores mais ofensivos uma vez que Brolin foi o ponto de partida. é óbvio que génios existem em todas as partes do campo.

Até tive o cuidado de referir que o Pedro Barbosa tinha a sua parte no processo defensivo para que isto não acontecesse, mas aconteceu. e volto a repisar que se obrigasses um Pedro Barbosa a defender mais, perdias em frescura, perdias em clarividência com a bola.

o que dizes, volto a dizer, nem tu acreditas nuno. agora só com processos colectivos e tácticos poderias ter uma equipa de 11 jogadores não agressivos que os processos defensivos seriam imaculados. ninguem acredita nisso, nunca nenhuma equipa jogou assim, nem nunca vai acontecer até que um dia tu me possas mostrar numa equipa tua.

para finalizar, adoro o teu tom de professor irritado com os alunos que não aprendem. o problema é que a tua matéria não é novidade para ninguém que tenha assistido a uns quantos joguitos de futebol e se tenha interessado minimamente pelo jogo.

Nuno disse...

"se obrigasses um Pedro Barbosa a defender mais, perdias em frescura, perdias em clarividência com a bola."

Ao dizeres isto, só podes imaginar que as tarefas defensivas são individuais. Basicamente, estás a dizer aqui que, se obrigares um jogador a tarefas mais defensivas, ele não tem frescura para tarefas ofensivas; logo, estás a dizer que há jogadores que se devem preocupar mais com tarefas defensivas e outros mais com tarefas ofensivas. Ou sejas, estás a delegar essas tarefas para os jogadores e não para a equipa; logo, para ti, não podem ser tarefas colectivas. Quando perceberes isto, talvez percebas o resto.

"agora só com processos colectivos e tácticos poderias ter uma equipa de 11 jogadores não agressivos que os processos defensivos seriam imaculados. ninguem acredita nisso, nunca nenhuma equipa jogou assim,"

O que disse foi que 11 jogadores pouco agressivos individualmente (e uso aqui agressividade no sentido Gattuso, que tu deste, ou seja, 11 jogadores que não andem feitos cães a tentarem tirar bolas) podem estar incluídos numa equipa agressiva a defender. E digo isto porque a agressividade colectiva é a única que interessa. E a agressividade, neste sentido, não tem nada a ver com Gattusos. Tem a ver com rápida e correcta ocupação de espaços. Ser agressivo a defender é ser agressivo a ocupar os espaços certos. 11 jogadores que não sejam agressivos a sacar bolas podem perfeitamente ser agressivos enquanto equipa, desde que se movimentem bem e sejam rápidos e eficazes a ocupar os espaços. Já percebeste? O Van Gaal dizia que queria que os seus jogadores corressem o menos possível. Chega?

"para finalizar, adoro o teu tom de professor irritado com os alunos que não aprendem. o problema é que a tua matéria não é novidade para ninguém que tenha assistido a uns quantos joguitos de futebol e se tenha interessado minimamente pelo jogo."

O tom é mesmo de gajo irritado com malta que não percebe um caralho do que se diz aqui sobre futebol, mas que pensa que se está a falar de horticultura. A matéria não é novidade para ti? Infelizmente, é tão novidade que não tens capacidade para percebê-la. Voltar à escola poderia ser uma solução...

Anónimo disse...

lololol essa do van gaal já cheira mal, é desculpa para tudo.

depois voltas-te a deturpar as minhas palavras. o exemplo do Pedro Barbosa correr mais, era no caso de ser uma equipa de Pedros Barbosas. Só assim tem lógica TODA ESTA CONVERSA, porque eu próprio referi DESDE O INICIO que o Pedro Barbosa cumpria as suas funções defensivas dentro do colectivo. A questão era se tivesse de ser obrigado a mais, caso fossem todos Pedros Barbosas alguém teria de o fazer, perderia as qualidades de Pedro Barbosa.

voltas a generalizar o que eu digo, mais deturpações. é OBVIO (como tudo o que dizes) que é possível roubar a bola sem agressividade individual e com bom ocupamento de espaços (AINDA NÃO O NEGUEI HÁ 20 COMMENTS) e é ÓBVIO que quanto melhor sentido posicional mais espaços estão cobertos menos se tem de correr (van gaal?) (TB JÁ OD ISSE 100 VEZES). enfim ja estou a bater nesta tecla há mts comments e tu insites em deturpar e atribuir novos significados ao que digo.

agora mais uma vez separemos a teoria ideal da prática do jogo em si e diz-me que equipa não tem no seus onze um ou dois jogadores mais agressivos, que correm mais que os outros, que roubam mais bolas, que fazem mais faltas. e esses jogadores podem ser mais ou menos participativos na organização ofensiva, na transição para o ataque, na contemporização de jogo. quanto melhores forem nestes aspectos, melhor, mais completos serão e mais peso darão ao colectivo. mas quando só um ou duas destas características lá está, nenhum treinador deles abdica em troco de um futebol sem "lixo".

enfim, para demagogia chega a política, o van gaal e ainda te tenho de aturar a ti. como se os jogadores do van gaal, essa sumidade teórica do futebol pseudo-moderno, não corressem e ocupassem o terreno como ngm. os outros treinadores estão todos a dormir então. poupa-me.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nuno disse...

Pá, ao dizeres isto "agora mais uma vez separemos a teoria ideal da prática do jogo em si e diz-me que equipa não tem no seus onze um ou dois jogadores mais agressivos, que correm mais que os outros, que roubam mais bolas, que fazem mais faltas", dizes tudo.

Eu ainda não deturpei nada. Tu continuas a achar que há jogadores para umas coisas e jogadores para outras. Não queres aprender, não aprendas. Mas pára de chatear, então...

BAD-RELIGION disse...

Caralho que vos foda! aos DOIS! parecem dois putos a fazer birra, e eu que perdi aqui 10 minutos da minha rica vida a ler isto... ai ai

Eu cá não queria ter uma equipa só com jogadores iguais a mim, nunca havia golos de cabeça nem antecipações num jogo todo...

Ricardo disse...

No meio de alguma peixeirada, a discussão entre o Nuno e o anónimo tem pontos interessantes e leva-me a concordar, em grande parte, com o anónimo - o Nuno também concorda, mas dá ideia que, a partir de um certo momento, decidiu deturpar a ideia-base do anónimo. Os motivos, só ele os conhecerá.

A ideia de que os processos num jogo deverão ser colectivos, ou seja que todos os elementos de uma equipa deverão actuar em função de uma ideia geral e não em que cada um tem funções específicas é verdadeira, embora óbvia, e por ser óbvia nem merece ser chamada para a discussão. O que me parece também evidente é que, apesar de todos deverem funcionar para uma ideia colectiva e de todos deverem ocupar os espaços da forma mais inteligente possível, há, tanto cerebralmente como fisiologicamente, diferenças entre os jogadores. Isto não pode ser posto de parte, de forma alguma. Apanhando o exemplo da discussão: se decidíssemos colocar 11 Pedros Barbosas numa equipa, por mais que eles se esforçassem por funcionar da melhor forma colectivamente, essa equipa seria mais fraca do que outra que aproveitasse, além da ideologia geral e colectiva por que deve sempre ser guiada uma equipa, a idiossincrasia de cada jogador que a compõe. É bonita a ideia do Nuno de que o único requisito para formar uma equipa capaz de ocupar os espaços de forma inteligente e capaz de pressionar e roubar bolas e de fazer tudo o que se exige a uma equipa de top seja a de juntar 11 jogadores com neurónios acima da média e, principalmente, que entendam o jogo de forma perfeita. Mas não passa disso, de uma ideia utópica.

Nuno disse...

"A ideia de que os processos num jogo deverão ser colectivos, ou seja que todos os elementos de uma equipa deverão actuar em função de uma ideia geral e não em que cada um tem funções específicas é verdadeira, embora óbvia, e por ser óbvia nem merece ser chamada para a discussão."

Sempre achei notável a forma como as pessoas, quando não percebem uma coisa complexa, têm necessidade de afirmar que é óbvia.

"se decidíssemos colocar 11 Pedros Barbosas numa equipa, por mais que eles se esforçassem por funcionar da melhor forma colectivamente, essa equipa seria mais fraca do que outra que aproveitasse, além da ideologia geral e colectiva por que deve sempre ser guiada uma equipa, a idiossincrasia de cada jogador que a compõe."

Porquê? És capaz de explicar?

"É bonita a ideia do Nuno de que o único requisito para formar uma equipa capaz de ocupar os espaços de forma inteligente e capaz de pressionar e roubar bolas e de fazer tudo o que se exige a uma equipa de top seja a de juntar 11 jogadores com neurónios acima da média e, principalmente, que entendam o jogo de forma perfeita. Mas não passa disso, de uma ideia utópica."

Boa. Gosto bastante de tiradas de texto em que se diz que as coisas, dessa maneira não funcionam, mas nem sequer se explica porquê. É utópico? Mas porquê? És capaz de explicar? Ou é só porque te apetece? É que a mim, neste momento, apetece-me dizer que uma sociedade em que os negros têm direitos iguais aos brancos é uma sociedade utópica. Ah, espera, não é, não. Já há uns anitos que não é só utopia...

Nuno disse...

O que esta caixa de comentários tem demonstrado é que há muito boa gente que continua a preferir músculos a neurónios. Não sei se tenho paciência para discutir assuntos de futebol com árvores de natal...

Batalheiro disse...

"agora mais uma vez separemos a teoria ideal da prática do jogo em si e diz-me que equipa não tem no seus onze um ou dois jogadores mais agressivos, que correm mais que os outros, que roubam mais bolas, que fazem mais faltas."

O Barcelona de Johann Cruiff. Jogava com 3 defesas, Koeman, Sergi, Ferrer, mas ás vezes jogava tambem o Nadal. O meio campo era Guardiola, Amor, Bakero, e o ataque Romário, Stoichkov e Laudrup (mas dos 4 estrangeiros tinha de sair um)

Não vejo ali nenhum Gatuso.

Pedro disse...

Já tive a discussão de q os jogadores não tem funções com o Nuno.

A questão pode ser resumida numa pergunta: Pode uma equipa ter uma dupla de centrais composta por dois Moutinhos?

O Nuno vai dizer q sim pq não são os Moutinhos que têm q defender mas sim a equipa como um todo. É verdade q a equipa tem q defender como um todo, mas no confronto directo com o adversário não é a equipa q defende mas sim o jogador A ou B.

O Nuno pode continuar a defender a sua teoria, desprezando os atributos físicos dos jogadores e defender uma equipa composta por Moutinhos pq são jogadores inteligentes e q funcionam como colectivo na perfeição. Esse colectivo conseguirá fazer frente a uma equipa forte fisicamente nos lances de bola parada?

É evidente q um jogador tem q ser inteligente, tem q jogar para a equipa, tem q olhar para o colectivo e não para o individual. Tem q pôr a sua genialidade ao serviço da equipa. Isso é lógico e o Nuno tem toda a razão.

Mas tb é lógico q cada equipa precisa de ter jogadores com peso e físico para poder enfrentar determinadas situações de jogo.

Batalheiro disse...

Então uma dupla de centrais Gamarra/Baresi seria de uma eficácia nula?

Ricardo disse...

Nuno,

se, lendo as minhas palavras, ainda pedes explicações, então fica facilmente perceptível quem é que anda a fazer de árvore de natal aqui. Aliás, diria que "o que esta caixa de comentários tem demonstrado" é que tu aqui sofres de um processo de imbecilização que consiste em transformar o nuno inteligente e conhecedor de futebol que escreve os textos no nuno petulante e totalmente incapaz de debater um tema com quem dele discorde. É pena mas, enfim, não será nada que abane o mundo.

Ricardo disse...

Batalheiro,

presumo que o exemplo dado seja por serem os dois bastante baixos, para o que é normal vermos na estatura de um central. A questão, no entanto, não será apenas de estatura (ainda que ela, num central, seja, regra geral, uma característica dominante, embora não fundamental), mas de toda a forma como um jogador encara o jogo. Gamarra e Baresi faziam o trabalho de centrais como nunca Moutinho o faria, por várias razões, entre as quais as tais caracteristicas faladas anteriormente - cerebrais, fisiolgicas, tácticas e físicas. A discussão prendia-se com a possibilidade de colocarmos em campo 11 jogadores de características exactamente iguais (não parecidas, atenção, iguais, porque seriam, por absurdo, 11 elementos que seriam a mesma pessoa), sem quaisquer diferenças que fossem adaptadas às várias posições específicas em campo. Não se prende tanto com darmos exemplos de centrais baixos ou de alas ou médios criativos altos - é verdade que esses exemplos contrariam a normal ideia que é tida de certas necessárias características para posições especificas, mas apenas e tão-só isso.

Nuno disse...

Ricardo, o Barbosa destacava-se por quê? Pela classe, pela inteligência e pela técnica. Como é óbvio, 11 Barbosas não existem. Se aceitei que uma equipa com 11 Barbosas pudesse existir, estava a pensar numa equipa com 11 jogadores com esses atributos: técnica, inteligência e classe em detrimento de raça, querer, espírito de luta, tamanho, disponibilidade física, etc. E nesse contexto, sim, é possível uma equipa com 11 jogadores do estilo do Barbosa.

Sobre centrais, o Córdoba e o Cannavaro têm quantos centímetros a mais que o Moutinho? E são 2 dos melhores centrais do mundo. Não é por aí. Tem a ver com atributos mentais...

Anónimo disse...

estou de volta:

bad-religion: era isso mesmo que queria dizer quando referia que não podes obrigar o Pedro Barvosa a certas funções. Desvirtuava o jogador, perdia as qualidades que pode oferecer à equipa.

batalheiro: já responderam quanto aos centrais baresi/gamarra.

quanto ao Barcelona, não há nenhum gattuso nem é preciso. Se tivesses lido com atenção o que eu defendo, é tudo menos a estrita necessidade de ter um gattuso. Comparei com Xavi o empenho de Gattuso, e disse que Xavi corre tanto ou mais, mas de forma mais inteligente, menos fulgurante, mas igualmente agressiva competitivamente. Nesse Barcelona, que me recordo ver jogar, mas não posso aferir com total exactidão, vejo, pelo menos, Amor como um jogador capaz de fazer, de alguma forma, o que disse que Xavi fazia.

Quanto ao resto, eu já nem pegava em força física. Voltando a Xavi, é baixo e pouco forte. Mas preenche bem os espaços e corre mt, mas mt por jogo. É suficientemente agressivo e batalhador. Empresta muito mais defensivamente que outros jogadores, mas sem perder a classe com bola, a criatividade. Isto será o desejável num jogador, mas nem todos podem ser assim infelizmente.

Por outro lado, Xavi e Iniesta têm tido SEMPRE o apoio de músculos capaz de fazer o heavy work que eles não podem fazer: na Espanha marcos senna, no barça toure e agora keita. E não estou a dizer que Xavi deverá ter apenas certas funcionalidades e keitá outras, isso é a dinâmica de jogo que quanto maior for melhor.

Colectivamente poderá haver um número enorme de desmultiplicações no terreno que não obrigam keitá a ter esta ou aquela função ou Xavi outra. Mas keitá será de extremo valor a fazer certas funções que Xavi não pode e vice versa. Por isso se constroem equipas com cabeça, por sectores, por ideologias de posicionamento táctico e de transições, escolhendo perfis de jogadores para ocupar lugares na dinâmica colectiva. Porque as características de cada um são importantes para poder potenciar a competitividade geral da equipa.

Enfim, ou os treinadores, nós, a população portuguesa somos todos burros Nuno, ou vejo tem ti uma teoria que não passa disso: teórica.

Anónimo disse...

lolol agora baseiam-se só na altura? o moutinho tinha de engordar uns quilinhos e ir pa musculação primeiro. dois moutinhos contra o adriano do inter. era engraçado.

para além do cannavarro ter uma impulsão que mete medo. tas a ver? chama-se atributos físicos.

haja paciencia.

Nuno disse...

"Por outro lado, Xavi e Iniesta têm tido SEMPRE o apoio de músculos capaz de fazer o heavy work que eles não podem fazer: na Espanha marcos senna, no barça toure e agora keita. E não estou a dizer que Xavi deverá ter apenas certas funcionalidades e keitá outras, isso é a dinâmica de jogo que quanto maior for melhor."

Han? Tu viste o Yaya Touré a jogar alguma vez? É por ser preto que é um jogador de músculos ou vais atrás do que dizem os outros? O Touré não é um jogador de choque, para fazer trabalho de sapa. E o Edmilson, que lá estava antes dele, muito menos. Com Rijkaard, o Barcelona nunca teve jogadores no meio-campo para fazer o "heavy work" de que falas. Nenhum jogador precisa que outro faça mais trabalho defensivo se as tarefas defensivas se dividirem por todos. É isso que defendo.

"Por isso se constroem equipas com cabeça, por sectores, por ideologias de posicionamento táctico e de transições, escolhendo perfis de jogadores para ocupar lugares na dinâmica colectiva. Porque as características de cada um são importantes para poder potenciar a competitividade geral da equipa."

Evidentemente. Mas essas características importantes de que falas são psicológicas. As características físicas não têm peso nisso. Ou seja, podes ter centrais altos ou baixos, extremos rápidos ou lentos, etc. O que define a posição dos jogadores são as suas características intelectuais. As características físicas são sempre secundárias. Se um jogador como o Essien tem força, isso é um acréscimo. Aquilo que define a sua posição em campo é a sua personalidade, a forma de ver o jogo, a predisposição para estar em jogo em determinadas alturas do jogo, a cultura e os hábitos de jogar numa posição durante muito tempo, etc...

"Enfim, ou os treinadores, nós, a população portuguesa somos todos burros Nuno, ou vejo tem ti uma teoria que não passa disso: teórica."

Diz isso ao Mourinho. Essa teoria tão teórica já ganhou quantos títulos?

Nuno disse...

Tu achas que o Marcos Senna ou o Paulo Assunção andam ali atrás dos médios mais virtuosos para fazer um determinado trabalho para eles, mas o que acontece é que eles jogam ele pura e simplesmente porque essa é a sua posição. Dão cobertura aos Xavi e aos Iniestas da mesma maneira que os Xavis e os Iniestas dão coberturas aos que estão mais à frente. Ninguém anda ali a fazer trabalho para outros. Andam ali porque essa é a posição onde devem estar...

P.S. Falar para espantalhos torna-se estúpido, às vezes.

Anónimo disse...

LOLOL és ridiculo. uma pessoa tenta explicar e tu dizes coisas que já disse. enfim, és burrinho e teimosos, como os velhinhos.

o mourinho??? aquele que jogava com o costinha e com o makelele? tu ainda n percebes-te que o único ponto aqui desde o inicio foi defender os não génios que tratas-te como lixo? ou aquele mourinho que quando precisava chamava o SUPER LIXO robert HUTH para auxiliar a defesa ou até o ataque? LOLOL és muito burrinho.

ainda não percebes-te que já se disse mil vezes que os processos de uma equipa são colectivos, mas que é necessário perfis para cada posição no terreno? ainda não percebes-te que toda a gente já percebeu o que tás a dizer, mas que nos vamos aos arames quando tu desvirtuas as nossas palavras e dizes coisas como:

1- moutinhos a centrais é bom;
2- 11 pedros barbosas funcionavam;

n percebes que aqui o ridiculo és tu?

Batalheiro disse...

Os melhores centrais não são altos e fortes (Baresi, Nesta, Cannavaro, Ricardo Carvalho, etc) São inteligentes e bons tecnicamente.

Os melhores médios também, e os melhores avançados também.

Os atributos fisicos são secundários.

Anónimo disse...

contradizes-te, fazes birra, insultas és RIDICULO!

o costinha devia ser um homem que construía bue jogo. e agressividade? ZERO ele e o maniche, não davam pau nem agrediam ninguem. o mourinho correu logo com eles!!! e o pedro mendes ali a interior direito? xi n corria nada, n defendia nada, parecia que tava la o van gaal a pedir para ele correr menos.

enxerga-te.

Anónimo disse...

ngm NUNCA disse que os atributos físicos estão em primeiro. mas eu SEMPRE disse que de alguma forma ou de outra têm que ser implementados pelo colectivo, senão adeus filho.

Anónimo disse...

e deixa-me que te diga há aí exemplos estranhos. o ricardo carvalho ganha sobretudo pela leitura e antecipação, mas porque tem a velocidade, força e coragem sugficiente para fazer os cortes que faz.

como eu digo, demagogia não.

Pedro disse...

Vamos a um exemplo extremo: Uma equipa composta por 11 jogadores com o perfil fisico e intelectual de João Moutinho.

Não nego q saberiam defender, posicionando-se bem no campo, antecipação, etc.

E nas bolas paradas? A inteligência consegue vencer essa "luta"?

Nuno disse...

Pá, anónimo, quem aqui não está a perceber o que se está a dizer, és tu. Continua a achar que o Makelelé ou o Costinha existiam para o Lampard e o Deco terem que fazer menos defensivamente, que eu deixo. No dia em que abrires os olhos, avisa... Agora volta lá para o teu curral com as tuas ideias pré-históricas e com a tua inteligência de pedra pomes e pára de chatear, pá...

Anónimo disse...

MAS EU NUNCA DISSE ISSO!!! LOLOLOL

só digo que fazem falta na dinâmica da equipa, não por acaso é q la estão e n é por acaso é q o mourinho os usava e não punha la 4 jogadores como o lampard. POR ISSO É Q N PODIAM JOGAR 11 LAMPARDS 11 DECOS 11 PEDROS BARBOSAS! LOLOLOLOL

Não é uma questão de estarem lá para os outros existirem, é uma questão de gestão de equilíbrios, de dinâmicas de transições ofensivas e defensivas, é uma questão de atributos técnicos e físicos (Costinha era óptimo no jogo áereo e não era muito alto) tudo isso conjungao para que a equipa funcione como um bolço para defender e atacar. Lampard defende, Deco defende, todos os jogadores fazem o seu papel defensivo ou ofensivo. Mas é inegável que Lampard ataca mais q makelele e makelele defende mais que lampard.

E é obvio que se lampard tivesse mais recuado no terreno e mais esforçado na recuperação, não poderia decidir tanto ofensivamente.

tens palas nos olhos como os burrinhos

Nuno disse...

Pedro, tens noção de que, na Espanha, jogavam Xavi Iniesta, Silva e Villa, todos eles de alturas semelhantes ao Moutinho? E sabes que eles defendiam as bolas paradas à zona e tiveram muito sucesso, não sabes? Portanto, a inteligência pode atenuar e muito essa "luta"... Como é óbvio, nas bolas paradas, seria sempre preferível ter gajos mais altos. Mas à custa do resto? E, havendo maneiras de contrariar isso, não é um handicap tão grande.

Mas não está em causa o tamanho. Há jogadores altos muito inteligentes. Se conseguirem conciliar as duas coisas, tanto melhor. Agora, o que não pode faltar é inteligência, cultura táctica, boas decisões, técnica, classe, etc. É nesse sentido que jogadores que não tenham isso, que tenham apenas a força bruta, a capacidade de luta, o espírito de sacrifício, são lixo. E não me chateia que existam. Chateia é que maior parte dos treinadores prefiram esse tipo de jogadores aos do outro tipo, com os quais, se trabalhassem como deve ser, ganhariam muito mais. Escreveu-se aqui num post há pouco tempo que os jogadores criativos ajudavam a superar problemas imprevistos. Parece haver um estigma qualquer contra a coabitação na mesma equipa de muitos jogadores criativos, de muitos jogadores capazes de resolver os problemas mais complexos e normalmente só se quer um ou dois deste tipo. O que defendo aqui é que isso é errado e que, quanto mais jogadores criativos (ou seja, capazes de melhores decisões), mais uma equipa tem a ganhar. É só isso que está aqui em jogo...

Anónimo disse...

ya nas bolas paradas zonais da espanha quem estava nas zonas de maior perigo eram esses jogadores e não marchena, puyol,sergio garica, torres, capdevilla.

RIDICULO a desvirtuação das coisas continua mais a seguir...

Batalheiro disse...

Panucci, Baresi, Cannavaro e Sergi. Guardiola, Brolin, Pedro Barbosa e Rui Costa. Del Piero e Raul. Media de alturas 1,50m.

Não é uma equipa imbativel?

Nuno disse...

"é inegável que Lampard ataca mais q makelele e makelele defende mais que lampard."

Foda-se! Dizes que não estás a dizer que uns servem para umas coisas e outros para outras, mas depois dizes isto. Não percebes que esta merda é uma contradição?? O Lampard não ataca mais que o Makelelé, nem o contrário. Atacar e defender são coisas que a equipa, enquanto conjunto, faz. O Lampard ataca e defende tanto quanto o Makelelé: só o fazem em zonas diferentes do terreno. Quando perguntaram ao Cruijff quem era o jogador mais importante da sua equipa, ele disse que era o Romário. Mas não, como estarás à espera, por ele fazer a diferença. Era o mais importante porque era o primeiro a começar a defender e a equipa iria defender consoante a forma de defender do Romário. Ninguém defendia mais ou menos que o Romário. Defendia todos o mesmo, mas em zonas do campo diferentes. Se o Romário começasse a defender mais atrás, o resto da equipa teria de defender também mais atrás, mas todos tinham que defender de igual forma e em quantidades iguais.

"E é obvio que se lampard tivesse mais recuado no terreno e mais esforçado na recuperação, não poderia decidir tanto ofensivamente."

Este pedaço então é maravilhoso. Ou seja, quanto mais recuado, mais tem de defender e menos de atacar, né? E depois dizes que não há uns para defender e outros para atacar? Que puta de contradição! Quanto mais recuado, mais esforçado na recuperação? Quem é que te disse isso? Se calhar o gajo menos esforçado do Chelsea era precisamente o Makelelé... Claro que se o Lampard estivesse mais recuado, não iria decidir tanto ofensivamente. Mas isso não é porque ele gastaria as energias a defender. Gastaria tantas quanto se tivesse mais à frente. Não iria decidir tanto ofensivamente porque iria estar mais longe da zona de decisão. Só isso, pá...

Tu ainda não percebeste o que é jogar colectivamente, mas continuas a mandar bitaites e a achar que isto que eu estou a dizer é muito óbvio. E eu é que tenho as palas...

Nuno disse...

anónimo, quais são as zonas de maior perigo? Tendo tu 4 gajos baixos e mais 2 ou 3 não muito altos (Puyol, Sergio Ramos e Marcos Senna), é natural que houvesse gajos com pouca estatura em zonas frontais. Lembro-me, por exemplo, que o segundo poste era de um dos jogadores mais altos: Capdevilla. Tirando o primeiro poste e dois gajos que ficassem na frente, ainda havia pelo menos 1 baixote e 3 assim-assim nas zonas a que tu chamas perigosas. As bolas paradas, defendidas à zona, tem muito mais a ver com a agressividade com que se ataca a bola do que com a altura. Ao homem, é verdade, a altura poderia fazer diferença. À zona, faz, mas faz muito menos...

Batalheiro disse...

O problema é pensar-se que existe momentos defensivos e momentos ofensivos, quando as duas coisas coexistem simultaneamente. E cada vez mais é assim...aliás o futebol 11 está a ficar parecido com o futsal, onde cada momento é decisivo, onde muitas vezes um erro "ofensivo" dá origem a um golo adversário e vice-versa.

Rui Silva disse...

Brolin foi um génio do futebol mundial como o Farnerud um génio do futebol nacional!

E não me venham com o habitual, "ah e tal, se não fossem as lesões". Que idade tens pá? Viste o Brolin jogar, jogo após jogo? Ou pegaste numas cassetes do Euro92 ou Mundial 94?

Brolin só foi titular no Parma antes de este ser uma grande equipa. Quando chegou o Asprilla ele passou a aquecer o banco ou a jogar adaptado em posições que não as suas.

Em 94 ele ainda jogava algumas vezes no Parma, depois partiu o pé e quando voltou o Parma tinha uma equipa boa demais para ele e acabou por nunca mais se afirmar porque não tinha qualidade e não porque tivesse qualquer lesão crónica.

Aliás, o problema do Brolin foi nunca ter lidado com o facto de ter sido preterido pelos sucessivos treinadores e não qualquer tipo de lesões crónicas. Não tinha uma atitude profissional, estava sempre com peso a mais e nunca mais se motivou para jogar. Ainda hoje é uma anedota em Inglaterra.

Claro que no "teu mundo" tudo foi diferente!

Pedro disse...

E colocando-te então mais dificuldade em cima, Nuno, pq é q achas q os treinadores não optam pelo estilo de jogo q defendes? É q nem os melhores treinadores do mundo aplicam o q defendes.

Tu qd dizes q cada jogador defende mas fá-lo em zonas do campo diferentes tens toda a razão. Mas tb é verdade q cada um fá-lo de forma diferente. O Romário pode ser o primeiro defensor mas não defende da mesma forma q um trinco ou um central o irá fazer.

Anónimo disse...

la estas tu a interpretar mal.

o problema no caso do lampard jogar recuado era não poder aparecer com tanta facilidade nas zonas de decisao, onde é fortissimo e onde o makelele é muito mais fraco, compensando com outros atributos. defender mais ou menos no seus espaço de acção é outra questão.

isto é óbvio e é infinitamente explorado por pseudo-comentadores para opinarem sobre, por exemplo, a melhor posição para aimar, carlos martins ou kastouranis como têm feito para o slb. porque jogar em diferentes zonas do campo implica diferentes atitudes pró-equipa.

isto porque cada zona implica diferentes acções individuais e colectivas, o que não põe em causa a intensidade defensiva em cada zona.

mas tu na parte final do teu comentario parece que consegues atingir o que queria dizer.

no entanto, e como é obvio, quanto mais recuado mais cuidados defensivos tens de ter e haverá mais carga defensiva num jogador nessas posições. é uma questão de equilíbrio.

Nuno disse...

Anónimo, finalmente disseste coisa mais ou menos acertadas.

"o problema no caso do lampard jogar recuado era não poder aparecer com tanta facilidade nas zonas de decisao, onde é fortissimo e onde o makelele é muito mais fraco"

Exactamente. E não por gastar energias a defender, como disseste antes...

"pq é q achas q os treinadores não optam pelo estilo de jogo q defendes?"

Pedro, três treinadores: Mourinho, Van Gaal e Cruijff. Chega?

Rui Silva, és uma anedota. Se tivesses lido a caixa de comentários, terias visto que escrevi que o Brolin era o meu ídolo em 94. Depois, se tivesses lido o texto, terias percebido que eu não concordo que tenham sido as lesões que o prejudicaram, mas sim a crescente falta de motivação, por não jogar e por o preterirem por jogadores claramente mais burros, mas com argumentos de outro tipo.

"Brolin só foi titular no Parma antes de este ser uma grande equipa."

"Quando chegou o Asprilla ele passou a aquecer o banco ou a jogar adaptado em posições que não as suas."

Han?? Diz lá outra vez... Ele e o Asprilla jogavam sempre os 2. Até porque o Brolin não jogava na mesma posição que o colombiano, ora jogando no meio, ora à direita. O Asprilla jogava ou na esquerda ou na frente.

Mas és parvo ou és parvo?? Brolin esteve no Parma de 90 a 95, voltando mais tarde, já depois da lesão (só nesta altura é que não teve protagonismo na equipa). O Parma, nesta altura, ficou 2 vezes em 3º, 1 em 5º, 1 em 6º e 1 em 7º. Ganhou uma taça de Itália em 91-92, uma taça UEFA em 94-95, uma Taça das Taças em 92-93 e uma Supertaça Europeia em 93. Achas que isto não foi o melhor período da História do Parma? Prolongou-se mais uns anos, mas começou nesta altura. E nesta altura o Brolin era, juntamente com o Zola e o Asprilla, a estrela da equipa.

"Em 94 ele ainda jogava algumas vezes no Parma, depois partiu o pé e quando voltou o Parma tinha uma equipa boa demais para ele e acabou por nunca mais se afirmar porque não tinha qualidade e não porque tivesse qualquer lesão crónica."

Não, amigo. Em 94 ele era titularíssimo do Parma, fez um Mundial espantoso e foi eleito o 4º melhor jogador do ano. O Barcelona mostrou-se interessado e o Parma ainda rejeitou uma proposta do Arsenal. Lesionou-se depois disso e só a partir daí é que começou o seu declínio. Ainda assim, ainda fez alguns bons jogos no Leeds.

"Não tinha uma atitude profissional, estava sempre com peso a mais e nunca mais se motivou para jogar. Ainda hoje é uma anedota em Inglaterra."

Atitude profissional? O Brolin foi dos jogadores mais competitivos que vi jogar, mas a dada altura perdeu o gosto pelo futebol. A partir daí, sim, deixou de ter uma atitude muito profissional. Mas apenas porque perdeu o gosto por um jogo ao qual tinha dado tudo. Foi traído pelo jogo. É uma anedota em Inglaterra porque em Inglaterra qualquer gajo minimamente inteligente não presta. Quer-se é pernas partidas e mocadas. Sabes quem é que não é anedota em Inglaterra? O Roy Keane e o Paul Gascoigne. Se esses são os teus exemplos de jogadores de futebol, parabéns, és um calhau com pernas...

"Claro que no "teu mundo" tudo foi diferente!"

No meu mundo, gosto de ver futebol praticado por malta com talento. Se preferes lutas de galos, luta greco-romana e colisões de camiões TIR, fixe, é contigo...

Anónimo disse...

eh pa o nuno acho q ja tinhamos chegado aquela conclusao que nenhum treinador aplica na prática as tuas teorias...

Gonçalo disse...

"dava o peso necessário ao meio campo espanhol."
Ok, então o problema está relacionado com a compleição atlética dos jogadores? O senna não chega a ter 1,80.

"Uma equipa de Pedros Barbosas, novos ou velhos, para mim nunca funcionaria e acho estranho sequer pores essa hipótese. Isto porque a sua forma de ser “competitivo” não se pode adequar às necessidades de todas as posições no campo (até parece estúpido estar a escrever uma coisa tão óbvia) e precisa de jogadores mais batalhadores (definição de competitividade física se assim quiseres) à sua volta. Desta forma a equipa deixaria de ser competitiva na minha noção básica, mas realista, de competitividade"

Ok, então jogadores como o Redondo, R. Carvalho, Xavi, Baresi, Blanc, Guardiola, Zidane, P. Sousa, etc., deram(dão) nas vistas porque foram(são) "jogadores mais batalhadores "? Não me parece.

"A minha questão foi só esta desde o início quando quis defender um pouco o “lixo”, dando-lhe mais importância do que tu tinhas dado no post"
Acho que não percebeste bem o que é o "lixo".
Não se pede que os jogadores sejam todos geniais. Defende-se, isso sim, que devia-se priviligiar o intelecto à força. E qd isso acontece, independentemente da posição ocupada, o futebol é, sem dúvida, muito melhor. O problema reside na visibilidade que o jogador que depende apenas do físico possui. Os que utilizam preferencialmente a astúcia e a inteligência actuam de forma muito mais "limpa", não assumindo por isso tanto protagonismo aos olhos do público em geral.

"lololol essa do van gaal já cheira mal, é desculpa para tudo"

Esse gajo percebia alguma coisa de bola?


E nem tenho paciencia para mais nada... Fdx... Nuno e Batalheiro, bem hajam pela perseverança.

Um abraço

Gonçalo disse...

eh pa o nuno acho q ja tinhamos chegado aquela conclusao que nenhum treinador aplica na prática as tuas teorias"

Então? mas estamos a falar da maioria dos treinadores? Ok, sem dúvida. Mas o problema reside na falta de qualidade da maioria dos treinadores... Ou não?

Rui Silva disse...

Confesso, Nuno, não leio a caixa de comentários inteira...

Agora vê os números de Brolin na Serie A (34 jogos possíveis e inclui utilizações como suplente):

90/91: 33
91/92: 34

92/93: 22 (chegou Asprilla que passou a formar dupla com Alessandro Melli - nem deves conhecer! Brolin era suplente ou jogava no meio campo. Na frente, só quando 1 dos 2 não estava)

93/94: 29 (chegou Zola. Brolin jogava só no meio campo e sobre a ala, quando era titular)

94/95: 11 (lesionou-se e só voltou no final da época)

95/96: 4 (completamente recuperado mas sem lugar numa equipa demasiado boa para ele)

Depois foi para Inglaterra e tornou-se no famoso "Tubby". Acabou aos 28 anos depois de falhar treinos e mesmo jogos por falta de profissionalismo. Tornou-se numa anedota e hoje joga Poquer.

Ficam 2 imagens deste talento:

Uma em 96... magrinho porque era muito profissional

e outra

Na sua verdadeira vocação, o Poquér!

Por falar em camiões TIR, estavas-te a referir ao Brolin? Que indelicado...

Batalheiro disse...

Já agora para quando um post mais completo sobre o Redondo?

Foi um dos meus idolos dos anos 90, comprava-o sempre no Sensible World of Soccer (ainda hoje é o meu jogo preferido eheh)

Nuno disse...

batalheiro, um dos primeiros textos deste blogue, da autoria do Gonçalo, foi sobre o Redondo. Tens as etiquetas do lado direito, se quiseres espreitar.

Rui Silva diz: "92/93: 22 (chegou Asprilla que passou a formar dupla com Alessandro Melli - nem deves conhecer! Brolin era suplente ou jogava no meio campo. Na frente, só quando 1 dos 2 não estava)"

Conheço o Melli, conheço. Já te disse que adorava esse Parma e que o Brolin era o meu ídolo na altura. O Brolin nunca jogou na frente em Parma. Ou era médio ala direito, ou médio ofensivo. Daí que o Asprilla nunca lhe tenha tirado o lugar.

"93/94: 29 (chegou Zola. Brolin jogava só no meio campo e sobre a ala, quando era titular)"

O Brolin fez 29 jogos, mas não era titular. Maravilhoso, pá! Até 94, o Brolin foi das maiores estrelas a jogar em Itália e nesse ano ficou em 3º com a Suécia no Mundial e foi eleito o 4º melhor jogador do mundo. Continua a achar que era suplente. Deus não podia dar massa cinzenta a todos...

Depois, é mentira que ele, ao chegar a Inglaterra, tenha sido imediatamente mau profissional. Lembro-me de ver bons jogos dele no Leeds e de achar incompreensível, noutros, que não jogasse. Foi ficando cada vez mais desmotivado e, aí sim, deixou de trabalhar bem. Mas isso não invalidade os 5 ou 6 excelentes anos que a sua carreira teve.

Quanto ao estar gordo, isso significa o quê? É que o maior de todos os tempos já esteve o triplo do Brolin...

Por falar no maior de todos os tempos, quando teve que escolher 100 jogadores para falar, escolheu apenas 40 não sul-americanos. O Brolin foi um deles, o único sueco, por sinal. Teve a honra de ser falado ao lado de Beckham, Laudrup, Del Piero, Gascoigne, Platini, Zidane, Van Basten, Butragueño, Keegan, Best, Cruijff, Schuster, Matthaus, Rummenigge, etc. Mas pronto, não devia prestar...

Batalheiro disse...

sim sim, eu vi...mas um mais completo tipo este do Brolin.Mas se calhar era redundante...

oh Nuno as opiniões do Maradona valem o que valem ehehe, mas não deixa de ser curioso que ele o tenha destacado.

pedro silva disse...

fds.. este blog já não é saudável.. Um gajo depara-se com 1000 comentarios perde a vontade de comentar.

Só uma cena nuno, a espanha podia não ter bichos e ganhou. Sem dúvida a inteligência é uma grande arma. Mas o físico também é. E teras sempre grandes jogadores cuja grande arma será a intelgência e outros que será o poder físico. é inegável.

cumprimentos

ps espero que isto melhore.

Batalheiro disse...

"E teras sempre grandes jogadores cuja grande arma será a intelgência e outros que será o poder físico"

Dá-me um exemplo...

Rui Silva disse...

- O Brolin fazia parelha com o Melli antes de lá chegar o Asprilla

- Na eleição para melhor do mundo em 94 ficou em 9º com os mesmos votos do Mauro Silva e a milhas de, por exemplo, Hagi.

- Brolin foi 4º em 94 foi para a revista France Football mas essa era uma nomeação só para jogadores Europeus

- 3º no mundial foi o Kennet Anderson e nunca foi um craque mundial.

- O Maradona disse que o Romagnoli seria o seu sucessor...

- Deixas muito a desejar em conhecimentos futebolisticos para quem passa a vida a insultar os outros

Anónimo disse...

Gonçalo vens atrasado aos meus comentários, tudo o que desses-te já foi mais que visto e revisto por todos nós.

Quanto à falta de saúde do blog, é verdade. Mas a culpa não é minha. Tentei simplesmente defender o extremismo contra, chamemos-lhe assim, os não génios, apelidados de lixo pelo Nuno, o que me pareceu infantil e redutor (algo em que o Nuno consegue cair um sem numero de vezes).

Depois avançamos por um discussão basicamente baseada na tentativa do Nuno deitar abaixo tudo o que eu dizia através de interpretações de português duvidosas e, na minha opinião, frase bombásticas como a dos dois Moutinhos a centrais.

A culpa n é minha, tentei sempre explicar o meu ponto, e pelos vistos o batalheiro percebeu-o, concordando mais ou menos cmg, mas percebendo. O Nuno não só não quis perceber, como ridicularizou, insultou, mas no fim de contas ridicularizou-se a si próprio.

A culpa deste blog ser assim é vossa e não mais. Demagogos, extremistas, teóricos, insultuosos, querem que o pessoal diga o que? Sim professor?

Tenham juizinho.

Anónimo disse...

A discussão volta a centra-se no binómio força/inteligência. Pelo amor de deus, já se percebeu que a inteligência, a leitura de jogo, a criatividade se sobrepõem Às
questões físicas.

No entanto, a parte física não pode ser nunca descurada (e acho q ngm aqui pensa o contrário). Muitos dos vossos exemplos de jogadores inteligentes, são também jogadores fortes fisicamente.
Logo a começar nos centrais que referem: alguém aqui tem dúvidas do poder físico (englobem todas as características físicas numa única grandeza) de Cordoba de Cannavaro ou do r carvalho? Alguém aqui ainda acha que o Pedro Barbosa era lento? Ou, volto ao Xavi, que o Xavi não se farta de correr e de batalhar pela bola?

O erro é pensar que o poder físico é ser estilo Fernando Aguiar.

Anónimo disse...

rui Silva, n tens mais do que fazer do que vir ridicularizar o nuno no seu proprio blog?

ja nao e a primeira vez que usas factos para o desmentir quando nao e sobre factos que ele esta a falar.

nuno, nao da para impedir este gajo de vir aqui? e que tipos como este poem em causa o que escreves?

Anónimo disse...

bem o último anónimo não foi o anónimo que tem escrito neste post... só para não me insultares nuno, eu até gosto, mas às vezes cansa.

pedro silva disse...

Luca Toni por exemplo Batalheiro.

cumprimentos

Nuno disse...

"O Brolin fazia parelha com o Melli antes de lá chegar o Asprilla"

Pá, o Brolin não jogava no ataque.

"Brolin foi 4º em 94 foi para a revista France Football mas essa era uma nomeação só para jogadores Europeus"

Não, amigo, não era. Era para jogadores a jogar na Europa.

"O Maradona disse que o Romagnoli seria o seu sucessor..."

Não, não disse. Disse isto: "O rapazito fascina-me. Faltam-lhe pernas, físico, músculos, tudo, mas sobra-lhe coragem para fintar. O resto consegue-se num ginásio". Acho que é ligeiramente diferente.

"Deixas muito a desejar em conhecimentos futebolisticos para quem passa a vida a insultar os outros"

Depois destas três calinadas que deste, já posso pressupor que quem não tem conhecimentos futebolísticos és tu? E insultar-te, já posso?

Anónimo diz: "Tentei simplesmente defender o extremismo contra, chamemos-lhe assim, os não génios, apelidados de lixo pelo Nuno, o que me pareceu infantil e redutor"

Isto demonstra que nem sequer percebeste o texto. Não chamei lixo aos não génios, nem sequer falei em Gattusos, jogador que até aprecio. Tu é que pressuposeste que eu estava a tratar tudo o que não fosse génio como lixo. A única coisa que quis dizer era que no futebol, muitas vezes, os melhores jogadores são incompreendidos porque se preferem tipos esforçados. Foi só isto. E tipos esforçados, para mim, são lixo. Agora, há bons jogadores que não são geniais, mas que têm boas qualidades e, sobretudo, conhecem as suas limitações. Gattuso é um exemplo.

"A culpa deste blog ser assim é vossa e não mais. Demagogos, extremistas, teóricos, insultuosos, querem que o pessoal diga o que? Sim professor?"

Eu de ti não quero nada. Ou apontei-te uma pistola à cabeça e obriguei-te a vir ler o texto? Se vens cá, és tu quem parece que quer provar alguma coisa.

"No entanto, a parte física não pode ser nunca descurada (e acho q ngm aqui pensa o contrário). Muitos dos vossos exemplos de jogadores inteligentes, são também jogadores fortes fisicamente."

Claro, mas já disse isso mil vezes. Se houver características físicas, tanto melhor. Mas não podem é ter o mesmo peso que as características intelectuais. Ou seja, um jogador muito bom intelectualmente será sempre melhor que um jogador muito bom atleticamente. A capacidade física terá de ser sempre um acrescento, nada mais.

"ja nao e a primeira vez que usas factos para o desmentir quando nao e sobre factos que ele esta a falar.

nuno, nao da para impedir este gajo de vir aqui? e que tipos como este poem em causa o que escreves?"

Anónimo, não percebi se era ironia ou não. Se era, sinceramente o Rui não apresentou nenhum facto que fosse verdade. Disse 3 mentiras e não há factos que provem que o Brolin não foi um dos melhores jogadores europeus entre 90 e 95. Se não era ironia, não acho que o Rui seja suficientemente importante para impedir que venha aqui dizer disparates.

Quanto ao Rui, ele é estúpido o suficiente para continuar a vir dizer merda. Gosto especialmente dos dados que retira da net e que faz passar por memória sua... O problema é quando se tem que livrar sem apresentar estatísticas roubadas em sites; quando tem que argumentar qualquer coisinha, fica quietinho. Em relação a este post, veio cá apenas dizer que o Brolin foi horrível e que só eu, porque tenho um mundo diferente, é que poderia achar que ele tinha sido bom. Mas ele é que foi o único a achar que o Brolin não prestou. Já houve mais de 10 comentários a elogiá-lo e ele ataca-me precisamente em algo que é consensual. Será porque a sua única motivação é chatear? É capaz, é...

Nuno disse...

pedro silva, o Luca Toni, embora tenha feito um europeu menos bom, não é só o poderio físico. A capacidade de segurar e soltar a bola na hora certa, permitindo que a equipa suba, é a sua melhor característica e faz dele um dos melhores avançados do mundo a jogar de costas para a baliza. O Toni, portanto, não serve...

Batalheiro disse...

O Luca Toni não é genial. É jeitoso.

Nuno disse...

Peditório...


Malta, vamos tentar chegar aos 100 comentários num post absolutamente óbvio com comentários que, obviamente, demonstram o quão óbvia é a ignorância e a vacuidade do cérebro de quem contesta tão óbvios assuntos...

Vamos a isso?? É óbvio que vamos...

Rui Silva disse...

Nuno, para além de ignorante e arrogante és casmurro:

Só a partir de 1995 é que o Ballon d'or passou a incluir jogadores não europeus (nacionalidade Uefa).

Por isso é que em 94 o Romário não esteve nos melhores e por isso é que o Maradona ou Pelé nunca ganharam esse prémio. Percebeste ou queres que te faça um desenho?

Isto é só um exemplo da forma ridicula como respondes às pessoas mesmo quando estás a dizer coisas falsas (bacuradas, na tua terminologia). Serve de exemplo para muitos outros casos...

Já agora, o Brolin ficou em 2º numa escolha do Times para o pior jogador de sempre da Premier. Por acaso não votaste, não?

Anónimo, desculpa lá os factos, não volta a acontecer!

Gonçalo disse...

"Já agora, o Brolin ficou em 2º numa escolha do Times para o pior jogador de sempre da Premier. Por acaso não votaste, não?"

Fdx... Isto demosntra mt do que se pode esperar deste bípede...

Tiago e Postiga... Só para mencionar os casos mais recentes.

"Anónimo, desculpa lá os factos, não volta a acontecer!
"
Isto de um gajo falar com ele próprio tem a sua piada...

pedro silva disse...

Eu não disse que o Luca Toni era genial. É um dos melhores avançados do mundo.

Nuno, eu sei que o Toni não é só poderio físico. Mas é a sua principal arma.
"A capacidade de segurar e soltar a bola na hora certa..." achas que se ele tivesse 1,60m conseguia segurar a bola como faz sempre? Não me parece. O Toni serve sim como exemplo.

cumprimentos

Batalheiro disse...

Rui Silva a premier league é um campeonato tão mau que obrigou o Matthew Le Tissier a jogar a carreira toda no Southampton.

O Luca Toni não é bom porque é forte... é bom e é forte.

Rui Silva disse...

Gonçalo, companheiro, a lista não fui eu quem a fiz foi o Times. Eu também não votei.

Quem disse que tinha visto um bom Brolin na Premier foi o nosso amigo. Eu nem quero discutir isso porque não sei que jogos é que ele viu do Leeds em 96 e também não sei quando é que ele acha que o Brolin engordou... Ele chegou em 96 a Inglaterra e a foto que coloquei é do mesmo ano. Talvez ele ache que aquilo era o Brolin magro... não sei...

Um Abraço e aguardo mais análises tuas (para quando um blog independente do Nuno?)

Anónimo disse...

mas este blog é de mais alguém?

Anónimo disse...

Não gosto dos exageros em que cais sempre, principalmente quando é para criticar, mas gostei do texto. Também gostei bastante do Brolin como jogador e foi pena a sua falta de adaptação a novas realidades...

Não concordo com a denominação de "inteligência" quando se quer referir aos atributos mentais de um jogador. Inteligência é muito mais do que saber jogar futebol.

Gonçalo, "bípede" somos todos nós... Espero.
Parabéns pela tua postura, sem ironias.

Cumprimentos a todo!

pedro silva disse...

Não foi o que eu disse batalheiro. Ele é bom e a sua principal arma é o físico!

cumprimentos

Anónimo disse...

Só para contribuir para o peditório do senhor nuno. o que não vale escrever merda!!! Este blog é dos grandes lixos da blogosfera, já de si outra merda...

Anónimo disse...

Arranjem uma puta duma vida, caralho!!!

Gonçalo disse...

"Gonçalo, "bípede" somos todos nós... Espero."

Eu ás vezes exagero... e peço "demais"...

Um abraço

Anónimo disse...

" Este blog já não é saudável "

Alguma vez foi?????

Anónimo disse...

Mais um comentário...

Anónimo disse...

Próxima meta: 200 comentários.

Anónimo disse...

Toca a comentar. Ajudem este blog.

Anónimo disse...

O nuno é um gajo fixe.

Anónimo disse...

O gonçalo tb,

Anónimo disse...

110º comentário. Só faltam 90. Va lá ppl...

Anónimo disse...

..........

Anónimo disse...

;-)

Nuno disse...

Rui, tens razão, o Brolin engordou 20 quilos do dia para a noite. Aliás, neste vídeo, tenho a certeza que o facto de ele estar magro é apenas ilusão de óptica.

http://www.youtube.com/watch?v=wV3XdxgO2HI

Como vês, também sei pesquisar coisas na net com as quais parecer muito culto. Lamento informar-te, mas não é um talento só teu. Agora, bonito, bonito, era argumentares as críticas que fazes, que isto de vir dizer mal por dizer é giro e tal, mas é estúpido. Já te disse várias vezes que seria o mesmo que eu dizer que a tua mãe, aos Domingos, era um bocado puta.

Batalheiro, o exemplo do Le Tissier é excelente. O gajo era uma máquina e nunca passou da cepa torta.

Nuno disse...

Pedro Silva diz "achas que se ele tivesse 1,60m conseguia segurar a bola como faz sempre? Não me parece. O Toni serve sim como exemplo."

Claro que o tamanho ajuda, mas não é por ser grande que o Toni faz o que faz. Tens exemplos de gajos grandes que não fazem nada disso: Makukula, Koller, Hugo Almeida. O Toni fá-lo porque é inteligente e não porque é grande. O que se pedia era jogadores cuja maior arma fosse o poder físico e que fossem bons, logo jogadores como o Drogba, o Toni, o Ibrahimovic e o Adebayor não contam. Mas tens gajos que são mais pequenos que ele ou que não têm o poder físico dele e que são muito melhores que ele a fazer isso: Berbatov, Kanoute e Van Nistelrooy são bons exemplos. Não tem a ver com o tamanho, mas com a capacidade intelectual e técnica do jogador. A maior arma do Toni não é o poder físico, é a inteligência. Aliás, uma das razões, a principal, talvez, para que ele não tenha feito um bom europeu foi o facto de não ter feito aquilo em que é bom, que é segurar a bola e entregar de frente, e de ter apostado demasiado nos duelos individuais baseando-se na sua capacidade física. Sem inteligência, sem saber usar proveitosamente o seu tamanho, o Toni não é nada...

Nuno disse...

Anónimo, não tens um blog com a tua cara de parvo no frontispício com o qual te entreteres?

Pedro disse...

"Berbatov, Kanoute e Van Nistelrooy "

É pá...ó Nuno isso são gajos pequenos!?!??!

Se falasses de um Owen ou de um Saviola...

Anónimo disse...

Ate 95 a bola de ouro era unica e exclusivamente disputada por jogadores europeus a jogar na europa.. Toda a gente minimamente informada de futebol sabe isto..
O nuno não sabe, e ainda goza quem sabe.. Ridiculo.

Anónimo disse...

pedro, essa é a falácia do nuno. para ele, poder físico é ser grande e msontruoso.

o nistelrooy é uma besta física, uma máquina. o berbatov idem aspas. o kanoute noutro estilo também impõe o seu físico.

por outro lado se falassemos do owen e do saviola, outra característica física emergia: velocidade.

é impossível dissociar em qualquer desporto de contacto (e até em outros, n é por acaso que na fórmula 1 há teinos físicos intensivos) a parte física da compreenseão e interpretação do jogo. porque os jogadores também são atletas.

Peyroteo disse...

O Berbatov está longe de ser uma "besta física". Apesar de não ser um jogador pequeno (nem acho que tenha sido isso que o Nuno disse), ele destaca-se sobretudo pela sua inteligência, tanto nas movimentações como no jogo com bola, pois tem uma excelente visão de jogo e é extraordinário a jogar de costas para a baliza. Marca golos mas o seu futebol é muito mais que isso. Gostava de o ver jogar em Espanha ou em Itália...

Anónimo disse...

ainda lançava mais discussão. mourinho, supostamente um treinador com a visão do nuno, escolheu para o seu chelsea que tipo de jogadores?

ballack, mikel, drogba, kallou, etc. a equipa do mourinho era, sobretudo, uma equipa extremamente possante fisicamente, onde talvez detoasse o pequeno e virtuoso joe cole. não que estaja a dizer que os outros eram cepos, nem que mourinho os esoclheu apenas e só pelo físico, mas que eram jogadores muito assentes no poder físico eram.

Zezé disse...

Makukula e o Almeida concordo que entrem no teu exemplo, mas o Koller não. Nem é preciso explicar porquê, basta ter visto alguns jogos da Rep. Checa nos últimos anos. Considero-o um jogador muito inteligente.

Anónimo disse...

joga ao lado do berbatov e vais ver peyroteo.

Nuno disse...

Anónimo diz: "o nistelrooy é uma besta física, uma máquina. o berbatov idem aspas. o kanoute noutro estilo também impõe o seu físico."

O Van Nistelrooy é uma besta física?? O Van Nistelrooy???? E o Berbatov, apesar de alto, achas que tem força acima da média?? Pá, caga nisso. Acabou a conversa. É o mesmo que estar a falar com um gajo que acredita que o mundo não é redondo.

"mourinho, supostamente um treinador com a visão do nuno, escolheu para o seu chelsea que tipo de jogadores?"

Antes de dares os exemplos, respondo-te já: jogadores do tipo inteligentes.

"ballack, mikel, drogba, kallou"

Tirando os extremos (e a contratação de Quaresma é um exemplo disso) Mourinho quer sempre jogadores com uma cultura táctica acima da média. Mikel é inteligentíssimo, Essien e Drogba idem.

"a equipa do mourinho era, sobretudo, uma equipa extremamente possante fisicamente, onde talvez detoasse o pequeno e virtuoso joe cole. não que estaja a dizer que os outros eram cepos, nem que mourinho os esoclheu apenas e só pelo físico, mas que eram jogadores muito assentes no poder físico eram."

Errado, o que destoava era a inteligência. É por isso que não percebes por que é que o Mourinho é bom. E no Porto: Carlos Alberto, Alenitchev, Pedro Mendes, Maniche, Paulo Ferreira, Nuno Valente, qual destes é que era forte fisicamente??

"Makukula e o Almeida concordo que entrem no teu exemplo, mas o Koller não. Nem é preciso explicar porquê, basta ter visto alguns jogos da Rep. Checa nos últimos anos. Considero-o um jogador muito inteligente."

Zezé, tem a virtude de tentar fazer algumas coisas de forma inteligente, como seja soltar a bola rapidamente, mas a capacidade para fazer isso não é boa e acaba por valer essencialmente por aquilo que o seu tamanho oferece à equipa.

Nuno disse...

Pedro, a questão era gajos com poder físico. Nem o Berbatov nem o Van Nistelrooy são gajos possantes. O Kanoute talvez seja mais um pouco, mas raramente o vez utilizar a força e ganhar lances no choque. São gajos que são muito inteligentes com a bola nos pés...

Anónimo disse...

nuno de facto se tu achas q o nistelrooy não é possante... meu deus algo se passa. tens mesmo de rever o q é um jogador possante.

quanto ao chelsea, eu disse logo no meu post que não foi unicamnete pela qualidade fisica que mourinho os escolheu, por isso não percebo a tua resposta.

Anónimo disse...

é incrivel como tentas dissociar poder físico com compreensão de jogo (porque como disse o outro ser inteligente é mais q saber jogar futebol).

sendo um pouco psicólogo, cheira-me a trauma enquanto jogador. eras fraquinho e achavas que tinhas uns pézinhos de génio?

pelo amor de deus

Anónimo disse...

Entâo nuno? a questão da bola de ouro ficou engasgada foi?lol

Anónimo disse...

e sim maniche pedro mendes (não é por acaso q se deu bem nas ilhas britanicas) nuno valente e paulo ferreia são jogadores fortes, que não viram a cara ao choque (talvez o ferreira menos forte desta lista).

não são nenhuns animais mas têm poder de choque e é isso que tu n percebes enquanto poder físico, quanto ser possante. maniche pode encostar em júlio baptista e vencer no corpo a corpo.

tão simples qt isto.

os outros eram jogadores virtuosos, assim com joe cole, a questão é q no porto mourinho possuia mais alternativas desse género.

Pedro disse...

Os argumentos descambam qd se defende q Nistelrooy ou Berbatov não têm pode físico. Deixem-se lá disso.

São jogadores fantásticos, bons tecnicamente mas q usam o fisico q têm para melhorar o jogo. A capacidade de choque deles não tem comparação com a capacidade de choque de um Owen ou Saviola. E é por isso q se encontram num patamar acima, pq conseguem disputar certos lances q os outros não conseguem. Owen e Saviola são virtuosos, grandes jogadores, mas apresentam limitações óbvias nos duelos directos com os adversários.

Mourinho quer jogadores inteligentes mas não abdica da capacidade fisica por isso foi buscar Essien e agora o Muntari. São jogadores q sabem jogar mas q têm disponibilidade física. Se fosse só o "saber jogar" tinha ficado com o Tiago...

Nuno disse...

"nuno de facto se tu achas q o nistelrooy não é possante... meu deus algo se passa. tens mesmo de rever o q é um jogador possante."

Pois, se calhar tens...

"quanto ao chelsea, eu disse logo no meu post que não foi unicamnete pela qualidade fisica que mourinho os escolheu, por isso não percebo a tua resposta."

Ya, disseste, mas disseste que tinham sido escolhidos principalmente pelo físico e isso não é verdade. O físico era secundário. Se não fossem inteligentes, não teriam sido contratados.

"sendo um pouco psicólogo, cheira-me a trauma enquanto jogador. eras fraquinho e achavas que tinhas uns pézinhos de génio?"

É isso, é...

"Entâo nuno? a questão da bola de ouro ficou engasgada foi?"

Não, não ficou. Qual é o problema? Enganei-me! E então? Isso faz com que o 4º lugar numa lista de jogadores europeus é mau?? E não te esqueças que quando o Rui disse isso, disse outras duas coisas erradas. Acertou nessa, falhou nas outras duas. Continua a ter falhado mais do que acertou.

"e sim maniche pedro mendes (não é por acaso q se deu bem nas ilhas britanicas) nuno valente e paulo ferreia são jogadores fortes, que não viram a cara ao choque"

Foda-se! O que não percebes é que não é isso que os destaca. Pedro Mendes é um jogador inteligentíssimo; Maniche destacou-se pela capacidade (intelectual) de preencher espaços no meio-campo, Nuno Valente era inteligente, Paulo Ferreira idem. O que está aqui em causa é que, se não fossem inteligentes, como o Pelé, o Mourinho não os teria querido para nada...

"é incrivel como tentas dissociar poder físico com compreensão de jogo (porque como disse o outro ser inteligente é mais q saber jogar futebol)."

Tento dissociar? Acho que são duas coisas diferentes. Tu não? Agora, é evidente que, tendo tu poder físico, podes ser capaz de fazer certas coisas com mais ou menos facilidade. O Toni pode conseguir segurar melhor a bola do que se fosse mais pequeno, mas também de certeza que é tecnicamente inferior e menos ágil do que seria se fosse mais pequeno. Agora, o que se faz com certos atributos, como é óbvio, não é dissociável do intelecto, mas ainda assim, porque há jogadores que, com o mesmo físico do Toni, não conseguem fazer o que ele faz, pode-se dizer que o intelecto é dissociável do poder físico. O que é evidente é que poder físico, por si só, não faz nada: Makukula, Koller, Hugo Almeida. Já o intelecto, sem poder físico, dá boas coisas: Nistelrooy, Berbatov, Kanoute, Morientes, etc.

Nuno disse...

"A capacidade de choque deles não tem comparação com a capacidade de choque de um Owen ou Saviola."

Mas onde é que tu viste o Berbatov ou o Nistelrooy a ir ao choque??

"Mourinho quer jogadores inteligentes mas não abdica da capacidade fisica por isso foi buscar Essien e agora o Muntari. São jogadores q sabem jogar mas q têm disponibilidade física. Se fosse só o "saber jogar" tinha ficado com o Tiago..."

Foda-se! Se puder juntar as duas coisas, tanto melhor. Mas se tivesse que abdicar de uma, seria da componente física. No Porto, como não tinha capacidade financeira relevante, não conseguiu ter jogadores ao mesmo tempo inteligentes e atleticamente fortes. Preferiu os inteligentes e ganhou o que ganhou. Sim, foi buscar o Muntari, mas para médio defensivo, que é uma posição na qual ele diz que precisa de gajos que saibam trocar a bola, pôs lá o Stankovic e não o Vieira ou o Pelé. Isso é uma pista. Através disso, talvez percebesses que ele privilegia a qualidade de jogo, isto é, jogadores rápidos a pensar e a executar, a jogadores de choque. A parte atlética dos jogadores do Mourinho é sempre um acrescento, nunca uma prioridade.

Anónimo disse...

n disse nada disso, n usei a palvra principalemente nunca qd me referi às escolhas de mourinho.

só um tapado pode achar que mourinho não dá imoprtância à questão física em quantidades consideráveis (O Q N QUER DIZER Q PROCURE AMBAS AS COISAS).

n percebo... primeiro brolin n consegue vingar por culpa da linga inglesa, agora pedro mendes consegue vingar pq é inteligente. em q é q ficamos? a liga inglesa é po kick and rush ou não?

dps é ÓBVIO que nistelrooy (principalemnte) é um jogador bastante possante. enfim 1,88m e 80kg num jogador atlético, treinado e profissional, n me cheira que seja de descurar. mas não, é fraquinho e só joga inteligentemente.

lololol

Anónimo disse...

o muntari foi outra, nada físico. médio defensivo gajos que trocam a bola, tipo costinha não?

esquece nuno, n defendas coisas que ´nem tu acreditas, n te percas por argumentações contraditórias, n baralhes factos e insultes pessoas (aquela do melhor jogador europeu foi boa), enfim, cresce.

BAD-RELIGION disse...

Eu posso ter 2 metros e meio e não ir ao choque, o gattuso é pequeno mas é possante e usa o corpo... é tão simples quanto isto.

Bem isto chega aos 200, também mais vale este que ainda se tira uma ideias interessantes, do que ás vezes outros que é só gente a ofender e em 30 comentários não se nenhuma palavra sobre futebol.

Mas também acho que já abriam outro tópico, porque este já chateia :|

Nuno disse...

"n percebo... primeiro brolin n consegue vingar por culpa da linga inglesa, agora pedro mendes consegue vingar pq é inteligente. em q é q ficamos? a liga inglesa é po kick and rush ou não?"

Sabes o que é que aconteceu ao Pedro Mendes nos últimos 2 anos, não sabes? Pá, o Fabregas é jogador de choque? E o Carrick? E não vingaram? Não vinga só quem é um touro. Para a frente, contudo, preferem-se jogadores rápidos e fisicamente possantes. Brolin, sendo um médio ofensivo, além de não ter lugar num 442 clássico, era o contrário do que se precisa.

"dps é ÓBVIO que nistelrooy (principalemnte) é um jogador bastante possante."

Não, não é, Homais. A menos que a cara de parvo no frontispício do teu blogue até seja, segundo padrões estéticos alternativos, uma cara laroca. Assim compreende-se que aches que o van Nistelrooy é um jogador principalmente físico. Há bons oculistas, hoje em dia... E cirurgiões plásticos, também...

"o muntari foi outra, nada físico. médio defensivo gajos que trocam a bola, tipo costinha não?"

O Muntari surpreendeu-me. Pensei que fosse só capacidade física (daquilo que conhecia na Udinese), mas tem ideias. Logo, concilia as duas coisa. O Costinha raramente entregava mal uma bola, era inteligentíssimo a nível posicional e dava qualidade na primeira fase de construção. Achar que o Costinha era um jogador para destruir é verdadeiramente estúpido. Mas estás a pôr em causa uma coisa que o Mourinho disse, o que é ainda mais palerma. Eis o que Mourinho disse sobre essa questão, que é para não seres anormal:

Mourinho em "http://www.youtube.com/watch?v=vomzGHi6sNs"

E: Prefere Stankovic em posições centrais ou encostado à esquerda?
M: "Muitos pensam que o jogador mais posicional à frente da linha defensiva deve ser um jogador muito defensivo. Eu não penso assim. Penso que esse jogador deve ser um jogador com boa capacidade para jogar a bola, com qualidade, com visão, com tranquilidade, para ser quase como o homem que inicia a construção de jogo nessa zona. E o Stankovic é um jogador com experiência que pode jogar aí. Se tivermos Cambiasso para jogar na sua posição normal, obviamente que Stankovic será uma opção para jogar um pouco mais à frente, mas penso que ele pode jogar nessa posição, sim."
E: Um jogador como Pirlo?
M: "Não conheço a ideia de Carlo Ancelloti com Pirlo. Não, agrada-me um jogador de futebol, não me agrada um jogador que destrói o jogo do adversário. Gosto, nesta posição, de um jogador que joga e o Cambiasso joga e Stankovic joga e temos alguns outros que podem jogar nesta posição."

Pronto, vai lá para dentro, vai...

Anónimo disse...

n disse q o mourinho n tinha dito nada disso, mas isto chega:

"Se tivermos Cambiasso para jogar na sua posição normal, obviamente que Stankovic será uma opção para jogar um pouco mais à frente, mas penso que ele pode jogar nessa posição, sim"

só isto chega. quanto a costinha, apenas o estava a comparar em termos de construção de jogo, pq mais uma vez apontas o óbvio: costinha tinha um excelente sentido posicional, raramente perdia bolas e ainda era forte no jogo aéreo. n estava em causa a valia do jogador.

faz-me lembrar qualidades boas para um médio defensivo,, tas a ver? aquelas que um Pedro Barbosa nunca tinha, sabes?

és ridiculo

Anónimo disse...

ah e o meu principalmente era pa destacar nistelrroy de berbatov e kanoute e não para dizer q era principalemnte físico.

tu és óptimo a distorcer opiniões, todas as tuas respostas são assim, TODAS

pedro silva disse...

Nuno o facto de haver gajos do mesmo tamanho que o Toni que não sabem usar o corpo não é um argumento útil. O Toni é inteligente sem dúvida mas a sua principal arma não é a inteligência mas sim o físico. Podes por exemplo comparar com o zlatan que tem o mesmo poder físico, e apesar de usar muito e bem, a sua melhor arma é a inteligência e a técnica. Parece obvia a diferença entre os 2.

Tu dizes que a principal arma do Toni é segurar a bola para os colegas? Então e 39 golos que ele marcou na época passada? Isso sim é onde ele é mais importante. E grande parte desses golos foram obtidos através do seu poder físico. Golos de cabeça onde o seu físico manda. Mesmo muitas vezes que ele aparece sozinho é obra da sua inteligência A USAR O FÍSICO, com um simples encosto num defesa ou um ligeiro choque deixa qualquer um fora do lance e ganha o espaço que precisa. Agora é evidente que tens de ser inteligente a usar o físico.

cumprimentos

Gonçalo disse...

"faz-me lembrar qualidades boas para um médio defensivo,, tas a ver? aquelas que um Pedro Barbosa nunca tinha, sabes?

és ridiculo"

Oi? Então? O Barbosa nunca poderia jogar a "trinco"? Então?

O barbosa poderia jogar a trinco, sem qualquer tiopo de problemas. Podemos questionar a sua utilização nessa posição se por exemplo tivermos um jogador como o Costinha, Farnerud, Custódio, Mikel. Estes jogadores são, sem duvida, muito fortes nesta fase de construção. Porém, não osão noutras fases, ao contrário do Barbosa, que era simplesmente fantástico em todas elas. O barbosa se ainda hoje jogasse, jogaria em qualquer posição, e adimto que se acontecesse com ele o que aconteceu com outros: que fosse recuando no terreno, podendo até terminar a carreira dele como central. Alguém se lembra do Carlos Xavier?

"Se tivermos Cambiasso para jogar na sua posição normal, obviamente que Stankovic será uma opção para jogar um pouco mais à frente, mas penso que ele pode jogar nessa posição, sim"

Isto quer provar o quê?

Gonçalo disse...

Pedro, independentemente de ele( Luca Toni) saber utilizar bem o poderio físico, só quem não está muito atento a ele pode presumir que a principal caracteristica dele é o poder físico e não a inteligência e leitura colectiva de jogo. Por esse ponto de vista o Makukula e Hugo Almeida teriam de ser jogadores do nivel dele. Porque tambem sabem "utilizar o corpo".

Um abraço

Gonçalo disse...

"Mas também acho que já abriam outro tópico, porque este já chateia :|"
ya, é verdade. Mas também é veradde que enquanto o Nuno se deter a "chover no molhado" com assuntos tão óbvios como este, não vai ser possível ter tempo para outras coisas.

E como eu mal tenho tido tempo para passar por aqui... Fica complicado abrir outro tópico.


Ah espera! Já sei: Vamos todos falar do 4231 do Atletico de Madrid!! Ai espera... Afinal é um 442 clássico...

Batalheiro disse...

Os grandes jogadores jogam em qualquer posição. O Matthaus era medio ofensivo e acabou a libero.

O Coluna era ponta de lança e jogou no campo todo até chegar a central no fim.

Epa não batam mais no 442 classico senão vou mesmo ser obrigado a criar um blog so para explicar a minha tese acerca desse sistema... :|

pedro silva disse...

Estamos em desacordo então Gonçalo. Lá por haver jogadores que são grandes e não sabem usar o físico isso não significa que o físico seja uma arma poderosíssima. Se eu tiver uma caçadeira e não a souber usar não me serve de nada, mas não deixa de ser uma arma letal.

cumprimentos

Batalheiro disse...

Pedro Silva,

Se tiveres a pescar a caçadeira não te serve de nada

Gonçalo disse...

Eh eh. Batalheiro, desta vez estava só a brincar, não estava a bater no teu sistema predilecto:P

Descansa que qd eu puder... Vou te confontar com as razoes que me levama "desconsiderar" esse sistema...:)

Pedro não é tanto a questão do fisico ser, ou não, importante. Óbvio que se fores inteligente, e tiveres um bom poder fisico, melhor. Mas se apenas souberes utilizar o fisico de forma inteligente e não tiveres uma boa precepção colectiva do jogo, o facto de venceres muitos duelos individuais não vai trazer tantos beneficios à equipa como um jogador que não sendo tão forte individualmente tem uma maior capacidade de "ler" e decidir as suas acções segundo as necessidades colectivas.
Um abraço

pedro silva disse...

Sim Gonçalo já percebi o teu ponto de vista e tu já percebeste o meu. Mas não podes descurar nunca os duelos individuais porque quer queiramos quer não são muitas vezes esses que decidem os jogos. Principalmente as disputas de bola que é algo muito importante no futebol.

Batalheiro acredita que o físico serve e muito para o futebol.

cumprimentos

Anónimo disse...

o nuno é um gajo tão otário e escreve tanta merda que as pessoas que vêm cá para gozar com ele são bem mais que as que ele julga que vêm. então toca a confundir os anónimos uns com os outros e a achar que os anónimos são os Homais deste mundo!!!! És mesmo abécula!!!

Gonçalo disse...

"o nuno é um gajo tão otário e escreve tanta merda que as pessoas que vêm cá para gozar com ele são bem mais que as que ele julga que vêm. então toca a confundir os anónimos uns com os outros e a achar que os anónimos são os Homais deste mundo!!!! És mesmo abécula!!!"

Tu pertences a que categoria?

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nuno disse...

"as pessoas que vêm cá para gozar com ele são bem mais que as que ele julga que vêm. então toca a confundir os anónimos uns com os outros e a achar que os anónimos são os Homais deste mundo!!!!"

O facto de teres percebido essa do "Homais" indicia claramente que és o Homais que eu pensava que eras... Além de teres cara de parvo e de fazeres questão de a mostrar, ainda és ridículo ao ponto de continuar a vir aqui anonimamente fazer não sei bem o quê... Que boa vida, a tua!

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

já viram o mourinho? fdx nuno o gajo pensao mesmo como tu dizes!

entao não é q contra o milan pus o cambiasso e o vieira ao mesmo tempo?

e eu a pensar que era o stankovic lá sozinho porque é mais inteligente...

BAD-RELIGION disse...

em que planeta é que o stankovic é mais inteligente que o cambiasso e o vieira ??

Nuno disse...

"entao não é q contra o milan pus o cambiasso e o vieira ao mesmo tempo?

e eu a pensar que era o stankovic lá sozinho porque é mais inteligente..."

Foda-se! Há malta a quem Deus deu cérebro apenas para colorir... O Stankovic podia jogar? Não podia, pois não? Então está calado. O que é que tem o Vieira e o Cambiasso ao mesmo tempo? É que nem sequer percebi a tua insinuação. São inteligentes, por isso tenho razão. Que idiota!!!

Anónimo disse...

olá nuno, é um dos anónimos, sabes? Mas, não n sou o anónimo anterior!!

O anónimo anterior provou n ter cérebro e tu provaste ser otário pk o stankovic podia jogar! tanto podia jogar q entrou na segunda parte...

Dizer menos asneirada, não? Já calavas a matraca.

Anónimo disse...

Procuram-se 2 cérebros! Alguém tem para doar?

Nuno disse...

"O anónimo anterior provou n ter cérebro e tu provaste ser otário pk o stankovic podia jogar! tanto podia jogar q entrou na segunda parte..."

Da mesma forma que o Liedson também podia jogar? Pá, o Stankovic tinha regressado de lesão. Não podia jogar os 90 minutos. Ponto final.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Nuno Bragado disse...

Vao me desculpar só uma pequena opinião. Eu nao gostava de jogar com 11 Moutinhos ou com 11 Pedros Barbosas, mas se pudesse jogar com 1 GR e 10 de qualquer de um dos jogadores apontados, não hesitaria. Jogadores inteligentes como o Joao Moutinho duvido que um jogo tivesse menos de 80% de posse de bola, o que é meio caminho para se ganhar um jogo.

Nuno disse...

Pois, nuno, mas há malta que prefere 10 Materazzis...