quarta-feira, 16 de julho de 2008

Pablo Aimar: prazer e frustração...

Pablo Aimar no Benfica: a melhor notícia dos últimos anos para o nosso campeonato! Arrisco a dizer que é, desde Diego, pelo Porto, a contratação de maior luxo do futebol português. Uso o substantivo "luxo" de propósito, pois acho Lucho González, embora já tivesse algum estatuto quando o Porto o foi buscar, nunca teve o impacto que Aimar chegou a ter na Argentina ou que Diego chegou a ter no Brasil.

Maradona disse dele e de Saviola: "Adoro estes dois. É pena que joguem no River. São rapidíssimos." Não é uma designação muito concreta, mas o facto de, entre 100 jogadores, Maradona ter escolhido falar de Aimar tem de ser relevante. Para além dele e de Saviola, entre jovens jogadores que na altura despontavam na Argentina, Maradona só falou de Riquelme e de Romagnoli. Isto demonstra muito daquilo que se esperava de Aimar. Quanto a mim, vi-o no último ano de River fazer coisas que, desde Maradona, não via: slaloons impressionantes desde o meio-campo, a ultrapassar com fintas curtas todos os opositores que lhe saíam ao encalço, concluindo depois a jogada com um passe de morte, com uma cueca e um remate colocado, etc. Antes de vir para a Europa, já eu suspirava pelo futebol de Aimar. Foi por isso que, ao transferir-se para o Valência de Cúper, me deixou em êxtase. Agora, podia vê-lo com a regularidade com que antes não podia.

Os primeiros jogos no Valência deixaram-me, porém, alguma estupefacção. Aimar raramente jogava de outra forma que não ao primeiro toque. Não entendi como, numa equipa tão parca em talento, o astro argentino não pegava na bola e não fazia coisas como as que lhe tinha visto fazer nas pampas. Julguei que fosse por timidez, mas não. Algum tempo depois percebi o que se passava e, mais uma vez, Aimar surpreendia-me. Ao contrário do que seria de esperar, jovem como era, Aimar percebeu imediatamente que o futebol na Europa não era o futebol da sua Argentina. Aqui, tinha que se moldar, tinha que lapidar o seu talento para que o mesmo pudesse servir as necessidades de um futebol mais exigente. O que era verdadeiramente espantoso era que um jovem com a qualidade dele não cedesse à tentação de ir no um para um mais vezes. Aos poucos, o jovem rapidíssimo de que Maradona falava transformou-se no jovem inteligentíssimo. O seu futebol de primeiro toque permitia coisas em termos colectivos muito mais relevantes que qualquer das suas fantásticas jogadas individuais. Foi, na verdade, um dos primeiros jogadores que me fez perceber que, em futebol, é muito mais importante aquilo que um jogador faz em função do colectivo do que as jogadas individuais mirabolantes. E o seu Valência ganhou muito mais com o seu futebol discreto mas inteligente do que alguma vez ganharia com as suas arrancadas fenomenais. O jogador "rapídissimo" tornou-se "rapidíssimo a pensar".

Na altura, cheguei a pensar que Aimar era o jogador ideal para jogar no meio dos galácticos do Real. Entre tantos jogadores que gostavam de ter a bola e de se recrear com ela, Aimar seria o ponto de apoio, o jogador de toque simples que serviria de pêndulo ofensivo para os outros. Tenho a certeza que Aimar, numa equipa como o Real, teria sido de uma importância enorme. E tinha qualidade mais do que suficiente para isso, na altura. Entretanto, o mundial de 2002: Aimar era um jovem, uma fraca figura no meio dos outros jogadores de meio-campo, mas foi eleito por Bielsa para comandar o meio-campo no jogo decisivo contra a Suécia. Nos outros, já havia entrado, tendo sido, para mim, a grande figura da selecção das pampas nesse mundial. O seu futebol prometia um sucesso futuro que, no entanto, nunca se chegou a realizar. Com Ranieri e com Quique, Aimar nunca mais teve o que tinha com Cúper e o que chegou a ter com Benitez. No sistema do agora treinador do Benfica, por exemplo, Aimar era um jogador amarrado, longe dos espaços onde poderia ser genial. Ainda assim, continuou a evoluir como jogador até que, inexplicavelmente, Quique deixou de contar com ele. O percurso que se previa ascensional e que, do Valência, o deveria ter levado para um grande europeu, sofreu uma reviravolta e Aimar acabou esquecido em Saragoça. Aliás, Aimar e outro argentino de enormíssimo talento que chegou a ser falado para o Benfica: Andrés D'Alessandro.

As lesões, mas, principalmente, a coabitação num esquema táctico senil, fez com que a carreira de Aimar não fosse mais longe. Como ele, há e houve outros que, sobretudo nos últimos anos, foram preteridos por jogadores com outras qualidades. Diego, Van der Vaart e Rosicky (este entretanto acabou por ser repescado por um treinador que, no que toca a avaliar jogadores, deixa os outros a milhas) são exemplos de jogadores com características semelhantes a Aimar que, nos dias que correm, parecem não ser muito apreciados. Não tenho dúvidas, contudo, que qualquer um destes tem lugar num grande europeu e que só a teimosia em se achar que o tamanho e a agressividade são factores relevantes na apreciação de um jogador os tem mantido afastados de tal destino. Se é verdade que, no que diz respeito a Diego e Van der Vaart, há ainda possibilidades de salvarem as suas carreiras, para Aimar o tempo começa a escassear. Para mim, não ter chegado a um grande europeu explica-se sobretudo pela deficiência mental de grande parte dos treinadores mundiais, cuja competência futebolística parece teimar em não melhorar. Cheguei já a comparar Aimar com Nuno Assis, salvo as devidas proporções. São jogadores muito idênticos, com características técnicas, físicas e intelectuais muito semelhantes e que representam, para mim, o mesmo em dois panoramas diferentes: Nuno Assis é um jogador de selecção nacional que não teve o sucesso em Portugal que merecia, ao passo que Aimar é um jogador de topo mundial, que merecia ter chegado a um grande europeu e ser bem sucedido. Ambos entendem o jogo de uma forma inteligente e, por isso mesmo, são mais discretos do que as suas reais capacidades. São jogadores que oferecem ao colectivo muito mais do que o colectivo lhes oferece a eles. E, por causa de não serem recompensados por isso, ficaram aquém das suas possibilidades. Ambos abdicaram da sua capacidade individual para servirem um grupo, mas sabe-se que, em futebol, continua a dar-se maior importância a quem faz números de circo do que a quem faz as coisas correctamente. Jogadores como estes, só inseridos numa equipa colectivamente forte (como há poucas), que jogue verdadeiramente em colectivo, é que poderiam ver as suas preocupações colectivas recompensadas. Assim não aconteceu e foram sendo esquecidos.

Além disso, parece-se preferir-se, hoje em dia, jogadores com outros atributos, como a capacidade de choque ou o tamanho, a jogadores de talento puro, que é um atributo intelectual. E em vez de Aimar, de Diego, de Van der Vaart, vemos Ballacks, Andersons, Stankovics nos grandes clubes mundiais. Não quero tirar o mérito de cada um destes, mas em talento ficam a anos de luz dos primeiros três. Isto demonstra que, actualmente, o talento é cada vez menos importante para os treinadores. Prefere-se a força, a velocidade, a agressividade, à inteligência, à classe, à criatividade. Aimar foi vítima disto e teve no esquema de Quique Flores a sua Torre de Babel. Num esquema que não privilegia o talento, de pouca flexibilidade, Aimar era um jogador banal. O seu talento, aí, não poderia abrir as asas. Num esquema como o de Quique, queriam-se jogadores rápidos, incisivos, objectivos. Aimar precisa de não ser nada disto para ser o verdadeiro Aimar. Assim, a vinda para o Benfica é, por um lado, a melhor coisa que um adepto de bom futebol poderia desejar, mas, por outro, para quem tem consciência das amarras a que vai estar sujeito, um grito mudo de revolta. No Benfica, vou poder apreciar aquele que é, para mim, o jogador que a nível mundial mais rapidamente executa aquilo que pensa, mas ao mesmo tempo vou ter um nó na garganta, pois sei que vai estar a jogar menos do que aquilo que poderia e que a sua carreira estará, certamente, condenada a pouco mais do que isto. Assim, a par da satisfação enorme que é ter em Portugal um dos meus maiores ídolos, vou sentir-me constantemente frustrado quando vir que não é a camisola do Real, do Barcelona, do Milan, da Juventus, do Manchester ou do Liverpool que ele está a envergar...

Apesar de tudo, porque gosto demasiado de futebol, bem-vindo, Pablo Aimar!

56 comentários:

Fernando disse...

Bom artigo Nuno. Concordo com tudo o que dizes acerca do Aimar, é (foi?) realmente um jogador fabuloso.

Só não posso concordar que metas no mesmo saco Anderson, Ballack e Stankovic! Anderson é um jogador com um talento enorme. Na minha opinião, será um jogador superior a Aimar, van der Vaart ou Diego, logo que atinja a maturidade, tanto pelo talento como também em capacidade de choque. Acho-o um jogador fabuloso.

Quanto ao Diego, é um jogador de quem nunca fui grande adepto. Sempre me pareceu um daqueles jogadores em que a equipa é que tem que se adaptar a ele e, sendo assim, só em condições excepcionais é que pode explanar todo o seu inegável, mas não muitíssimo acima da média, talento.

Cumprimentos.

Paulo Santos disse...

Sim, subscrevo muita coisa, contudo, o prazer de o ver com a camisola do Benfica supera tudo o resto para mim.


Abraço

Nuno disse...

Claro que sim, Paulo. Também é um prazer para mim. Mas o gajo é grande de mais para o Benfica... :p

Fernando, fazes parte dos que gostam demasiado do Anderson. Sempre achei que o Diego era claramente superior a ele. E continuo a achar. Acho que o Anderson tem muita coisa boa, mas talento não... Quanto ao Diego, sinceramente, não percebo. É que nunca jogou mal, nunca prejudicou ninguém nem nada no Porto. Agora, no Werder Bremen, é um Deus. Mas nem assim presta?

Fernando disse...

Nuno, uma coisa é não gostares do estilo de jogo do Anderson (o que já de si me parece difícil), outra é afirmares que não tem talento, isso é absurdo. Usa muito a força e velocidade, claro que sim, porque pode. Mas tem um talento inegável. O seu recuo para médio centro não me parece favorável mas ainda assim, ele arranjou forma de se adaptar muito rapidamente, a um nível fantástico. Sei que o deves conhecer bem, ainda assim fica aí um vídeo do miúdo (muito incompleto para o que já fez até agora): http://www.youtube.com/watch?v=eJe9JgzWv4E

"Quanto ao Diego, sinceramente, não percebo. É que nunca jogou mal, nunca prejudicou ninguém nem nada no Porto. Agora, no Werder Bremen, é um Deus. Mas nem assim presta?"
É a tua opinião. E eu não disse que não prestav, por favor... É verdade que sabe pautar o jogo e tem grande talento. Agora, os dois ritmos jogo dele, devagar e devagarinho, sempre me puseram um pouco de pé atrás.
No Werder Bremen está a jogar muito bem numa equipa feita à sua volta. Espero para observá-lo numa equipa de maior calibre ou na Selecção brasileira, que confesso nunca ter visto (talvez mude a minha opinião...). Se estiver ao mesmo nível que no clube actual e mais rápido, sem problema que dou o braço a torcer.

Nuno disse...

Pá, Fernando, essa do ritmo é daqueles argumentos de quem não sabe outros. É por isso que para muitos o Farnerud não presta, apesar de não falhar um passe e de tudo o que bom pode oferecer. Era o argumento para o Barbosa não ser bom. Já agora, e o Riquelme, também não te convence? E se ainda não for de mais, e o Zidane? Essa do ritmo é boa, é...

Quanto ao Anderson, não se trata de não gostar do estilo. É mesmo uma questão de talento. É óbvio que tem. Mas não tanto como dizem e nem de perto nem de longe o talento de Aimar, Van der Vaart ou Diego... E depois, a sua posição não é médio-centro. Ou é extremo, ou segundo avançado. Como médio-centro é banalíssimo e não concordo que tenha feito uma boa época...

pedro silva disse...

"Para mim, não ter chegado a um grande europeu explica-se sobretudo pela deficiência mental de grande parte dos treinadores mundiais, cuja competência futebolística parece teimar em não melhorar."

Que tu tenhas a mania que percbes mais de bola que o Couceiro ainda admito. Agora que aches que sabes mais que os grandes treinadores mundiais (que são os que treinam os colossos e nunca levaram o aimar para lá) é um absurdo.
Não estou a dizer que o aimar não tivesse capacidade para jogar num grande (tinha evidentemente) mas intriga-me o teu constante complexo de superioridade em relação aos melhores treinadores do mundo. Porque não tentas a tua sorte?

cumprimentos

Anónimo disse...

O Aimar é talvez o segundo maior talento chegado a Portugal na última década, a seguir ao Farnerud.

Gonçalo disse...

Pedr,c alculo que optes por aceitar tudo o que qualquer treinador faça. Desde que tenha treinado as melhores equipas do mundo? E que tal pensares pela tua cabeça, e questionares aquilo que para ti faz ou não sentido? desde que o co-substancies com argumentos, nao vejo qual o problema.

Um abraço

pedro silva disse...

É evidente que penso pela minha cabeça. Mas pensa também um pouco pela tua e faz o seguinte raciocínio: eu tenho uma opinião e tal como tu gostas devidamente fundamentada. Mas olha, que chatiçe, a maior parte dos homens que mais percebem de futebol no mundo não concordam (sim porque os treinadores que treinam grandes clubes sabem muito mais de futebol que qualquer um de nós nem percebo como é que alguém coloca isso em causa). Será que são todos estúpidos ou sou eu que estarei errado. A resposta parece-me óbvia.
Treinar não é só papel, táctica e bitaites. Existe muito há volta de uma equipa e quem está com ela todos os dias sabe de certeza muito mais sobre os seus problemas e virtudes do que alguem que observa "apenas" os jogos.

Se tu tiveres a tua opinião, por mais fundamentada que esteja, e se o Mourinho disser sem mais nem menos está errada não duvides que eu acredito muito mais nele do que num "amador".

cumprimentos

cajo disse...

Por um lado tens razão, mas imagina se o Mourinho tinha optado por ser cozinheiro? Sabia muito na mesma, mas nunca tinha treinado. A questão aqui é que se estão a dar opiniões, o autor do artigo pode é ter tido um estilo mais radical nas palavras, mas até admito que tem mais piada ler "deficiência mental de grande parte dos treinadores mundiais" do que "opiniões divergentes da minha maneira de ver a realidade por parte dos indivíduos que gerem uma parte maioritária das instituições clubisticas do planeta", lol xD

Em relação ao Aimar, não há de facto muito mais a dizer, o Benfica mesmo já não tendo o Rui Costa a jogar, continua a ter a sorte de o ter a gerir, o gajo até sabe o que faz. Podia vir para o Porto =D


(um p.s.zito, espero ver muitas das "cuecas à Aimar", que é um gesto que ele usa muito, assim como o Riquelme tem aquela de calcar a bola para trás, o Aimar dá o panna quando está encostado ao gajo, vejam alguns vídeos dele xD)

abraço

Fernando disse...

Nuno, o Diego é um jogador lento! Lento a decidir, lento executar, lento a correr, lento a pressionar… Ou pelo menos era-o aqui no FCPorto. Não achas suficiente? É claro que é muito talentoso e numa equipa moldada ao seu estilo pode ser muito eficaz.
Essa do Farnerud está engraçada. Também concordo que não é tão mau como o pintam. Mas depois de me criticar por julgar um jogador pelo seu ritmo, argumentar que Farnerud é bom só porque não falha passes é engraçado, no mínimo. Que argumento vais usar a seguir? Que é certinho tacticamente?
Barbosa era um grande jogador. Ao contrário do que muita gente diz, não era lento. O estilo “pastelão” dele transformava-o num falso lento, que, não dando a devida atenção, podia ser julgado de forma injusta.
Riquelme padece do mesmo mal de Diego mas tem um talento maior. Por isso é que na Europa só se deu bem no Vilarreal numa equipa montada à volta dele e, por isso, já cá não joga.
Zidane lento? É que sinceramente... Verdade que também sofria do estilo “pastelão”. Quando era lento é porque tinha que o ser, mas sabia ser rápido quando assim o pretendia. Zidane era fantástico. O talento era tanto que qualquer equipa montada à sua volta só tinha a ganhar.

Quanto ao Anderson, também concordo que a sua posição não é de médio centro. Extremo era uma boa opção tal como médio ofensivo centro. Divergimos de opinião quanto ao resto como já referi.


Cumprimentos.

Anónimo disse...

Hmmmm,.... ainda prefiro o Pelé ao Aimar!!! E julgo que o Mourinho também!!!! Eh,eh,eh,eh...

nlandjogabonito disse...

O Anderson respira talento de manha ate s deitar e kem sabe enquanto dorme.. pelo pouco k jogou no Porto e pela época fantastica k fez no MAN UTD c apenas 20 anos.. esperem mais 2 anos e vao ver o anderson a passar pelo aimar cm 1 ferrari p 1 renault.. o anderson é o novo gullit. ja ha mt k n via ng c 1 futebol cm o dele..

Nuno disse...

Fernando, o Diego é tudo menos lento. Não podes ter visto jogos dele. Desculpa, mas dizer isso dele é o mesmo que dizer que o Zidane não era careca. Não vale a pena continuar a argumentar.

Quanto ao Farnerud, julgo que não acompanhas este blog há muito tempo, se não saberias tudo o que pensamos dele. Para mim, é dos médios do nosso futebol com mais inteligência, que melhor percebe as necessidades da equipa, que melhor gere os ritmos, que mais segurança dá as transições defesa-ataque de uma equipa. Há um estudo feito por mim sobre ele, num determinado jogo. Se estiveres interessado, basta procurares na etiqueta "Farnerud". O ser certinho tacticamente é outra das suas virtudes. No futebol como eu o entendo, isso é muito mais relevante, por exemplo, que a capacidade física, ou que o tamanho, ou disponibilidade para marcar em cima um adversário, etc. Para mim, o ano passado teria sido titular no Sporting, embora a sua melhor posição, para mim, seja a de médio-defensivo.

Quanto ao Barbosa e ao Zidane, de acordo, como é óbvio. Mas se a eles o estilo "pastelão" lhes dá direito a serem lentos, por que é que ao Diego (que não concordo que seja lento) ou ao Riquelme já não dá? Um jogador, muitas vezes, tem de fazer as coisas mais lentamente, se isso justificar os interesses da equipa. Barbosa, Zidane e Riquelme são exemplos claros de jogadores que, jogando num ritmo menos elevado em certas alturas, beneficiavam desse facto, pois ganhavam lucidez. O Diego não concordo que seja deste tipo de jogador, mas o argumento de que é lento pode ser rebatido da mesma maneira que é rebatido nos outros casos.

Quanto ao Riquelme só se ter dado bem na Europa no Villareal é das coisas mais parvas que podes dizer. E o Maradona, que também não foi grande espingarda em Barcelona e só foi feliz em Nápoles? O Riquelme teve o azar de apanhar um treinador que é demasiado rígido em termos de princípios e que não se preocupa em modificar vícios. Abdicou do talento do Riquelme porque este não fazia aquilo que ele achava que era necessário qualquer jogador seu fazer, e preferiu jogadores sem um pingo de talento, como Bogarde ou Reiziger, mas que cumpriam aquilo que ele achava que era certo. O erro de Van Gaal foi achar que o talento é incompatível com a disciplina. Mourinho, por exemplo, já não acha isto e disse, sobre o Quaresma, que seria o grande desafio da sua carreira. Ou seja, Riquelme é um jogador especial, de enormíssimo talento, que só não vingou porque infelizmente 99,9% dos treinadores não gostam de perder tempo a ensinar coisas que deveriam estar ensinadas há muito mais tempo.

Quanto ao Diego, não tem nada a ver com o Riquelme. Foi o melhor jogador que passou pelo Porto nos últimos tempos e nunca concordei com o facto de não ser um jogador de entrega. Aliás, raramente concordo que um jogador seja condenado por não pressionar, como tu o condenas. Já te disse que a pressão é uma coisa que só faz sentido como acção colectiva. Um jogador por si só não tem que pressionar nada nem ninguém. O Diego, por exemplo, não era mau tacticamente como diziam que ele era. Quanto ao ser lento, francamente, isso só pode ser má vontade. O rapaz era velocíssimo, ágil como poucos. Tirar-lhe a bola era mentira; definia quase sempre bem as suas opções, dava uma qualidade impressionante ao jogo ofensivo da equipa. Não lhe consigo apontar um único defeito.

Finalmente, o Zidane. Vê o filme "Zidane, un portrait du XXIème siècle". Vê bem quanto é que ele se mexia num jogo. E depois vem-me dizer que não era lento. O teu problema (e o de muita gente) é que, como é o Zidane, já não faz mal ser lento e fazer as coisas devagarinho. A verdade é que não faz. Mas não é por ser o Zidane.
Tens coisas predefinidas na tua mente, como seja o facto de um grande jogador ter de ter todos os atributos ao máximo; logo, como o Zidane foi incontestavelmente um grande jogador, nunca poderia ser lento. Isso só poderia ser uma heresia. Mas não é. Zidane era lento, fazia as coisas devagar. Mas era de uma inteligência acima da média. E era essa inteligência que lhe permitia fazer as coisas devagar. Aliás, fazer as coisas devagar era até uma necessidade, para que a sua inteligência se revelasse. Por isso, o argumento de que um jogador é lento ou não tem intensidade de jogo, é dos argumentos menos válidos para avaliar a qualidade geral de um futebolista...

Nuno disse...

nlandjogabonito, podemos esperar. Ou então posso já dizer-te que estás errado. A época dele no Manchester foi banalíssima. Viveu da sua disponibilidade física e da entrega a acções defensivas. Foi muito pouco importante na manobra ofensiva do Manchester. No Porto, fez meia-dúzia de jogos e foi logo posto num altar. E nesses jogos não revelou nada. Achar que aquilo que o Anderson tem é talento é burrice. Tudo o que ele faz é baseado nas suas qualidades físicas. Tecnicamente e, sobretudo, atleticamente, é fortíssimo. Mas o talento é uma coisa intelectual. É a capacidade de improvisar, a capacidade de sair de situações de forma intuitiva, a capacidade criativa. Anderson não tem nada disto. Tem alguns truques, velocidade e força, mas falta-lhe magia, génio. Como aliás falta ao Cristiano Ronaldo, mas isso é outra história.

Mister D disse...

Nuno:

Concordo a 100% com a tua opinião acerca dos treinadores mundiais.

A pergunta que faço é:

Não achas que este último Europeu foi a prova desse declínio?

Quanto ao Aimar, nada a dizer...

Nuno disse...

Acho, Mister D. Para mim, salvou-se Hiddink.

pedro silva disse...

Essa do europeu pra mim não pega. Quantos dos treinadores que estavam no europeu eram treinadores com provas dadas? Pois.

Tens uma data de selecções com treinadores jovens, sem qualquer experiência nem qualquer prova dada na carreira (Van basten, donadoni, low,bilic, piturca) depois tens 3 Monos tácticos a comandar 3 das melhores selecções (Scolari, Aragonés e domenech) por aí adiante.

Treinadores com algum curriculo no euro tinhas apenas o Scolari, o Hiddink, o Beenhakker e o Fatih Terim (embora ligeiro e sem sucesso) e o campeão europeu Rehhagel.

Ora de todo este lote apenas considero que hiddink está ente os grandes treinadores mundiais. Até porque para se ganhar uma competição destas não é preciso ser bom treinador. Basta ver até onde scolari levou portugal apenas com motivação entrega e talento individual. Ou então o Arágones que é mais crítico ainda.

cumprimentos

Nuno disse...

Pedro Silva, se dizes isto:

"os treinadores que treinam grandes clubes sabem muito mais de futebol que qualquer um de nós nem percebo como é que alguém coloca isso em causa"

como é que podes pôr em causa Van Basten, que está num dos maiores clubes do mundo? Ou Fatih Terim, que já esteve? Ou Benhakker, que também já esteve? Ou Scolari, que está? Não percebo...

Rui Silva disse...

É pá! Agora não resito:

1) "Quanto ao Farnerud... a sua melhor posição, para mim, seja a de médio-defensivo."

Como é que achas que a melhor posição é médio defensivo se ele nunca foi aí utilizado?

2) "Para mim, não ter chegado a um grande europeu explica-se sobretudo pela deficiência mental de grande parte dos treinadores mundiais"

Se bem percebo, aqui, podem englobar-se não só os treinadores do Valência, mas todos aqueles que alguma vez o puderam comprar. Ou seja, praticamente todos os treinadores que passaram por clubes endinheirados nos últimos 5 anos são "deficientes mentais"?


Explicas-me isto? é que posso estar perante um génio incompreendido e não quero perder oportunidade!

Nuno disse...

1) Quem te disse? O Farnerud é médio-defensivo de origem. Só a estupidez que grassa entre os treinadores de futebol, que ao verem que o rapaz era dotado de boa técnica e qualidade de passe o "puxaram" para zonas mais ofensivas do terreno, é que impediu que ele continuasse a jogar onde jogava. A posição dos jogadores dever ser definidas tendo em conta apenas os atributos intelectuais do jogador. São estes e só estes que devem determinar a posição mais adequada para um jogador. Ou seja, não é por ser baixo que um gajo não pode ser defesa, ou não é por ser lento que não se pode ser ala. Nesse sentido, conhecendo as características de Farnerud, estou em condições para dizer que ele renderia mais nessa posição. Posso ou não me deixas?

2) À pergunta "Ou seja, praticamente todos os treinadores que passaram por clubes endinheirados nos últimos 5 anos são "deficientes mentais"?" respondo: Não. Claro que "deficientes mentais" é uma hiperbóle, mas havia outras opções e não se pode ter apenas em conta o jogador, mas a idade, etc. Considero, por exemplo, o Anderson inferiro ao Aimar, mas percebo que o Manchester queira apostar num jovem e não num jogador mais velho. Mas há inúmeros exemplos de opções erradas: Quando o Benitez preferiu, para o seu Liverpool, levar Luis Garcia, por exemplo. Mas, sei lá, olha para o plantel de grandes equipas mundiais e diz-me se o Aimar não tinha lugar, por exemplo, no Inter, onde não há ninguém com as suas características há anos, na Juventus, no Real do tempo dos Galácticos, no Liverpool, no Bayern, etc...

pedro silva disse...

Nuno, não faças perguntas óbvias. Mas eu respondo na mesma.

Van Basten? Grande clube? qual? o Ajax? Está bem. Mesmo considerando que é um colosso ele é um treinador sem provas dadas ainda e não pertence a nenhum lote restrito. Não o considero um grande treinador (até ao momento só treinou a holanda e nas selecções não se revela tudo). O tempo dirá se será tão bom fora como dentro.

O Terim esteve num grande clube? É verdade. Quanto tempo? meia dúzia de meses. Pois. E nunca mais voltou a outro.

O Beenhakker é um excelente treinador (o seu currículo fala por si) e não é um europeu mau que faz dele um mau treinador. O Trap também ficou na fase de grupos em 2004!

O scolari? A mesma coisa que o Terim. Chegou vamos ver quanto tempo se aguenta. Até hoje ainda não esteve em nenhum clube grande e chega lá apenas por curriculo em selecções.

Pareces aqueles putos da escola a tentar aranjar exemplos estúpidos pa dizer que a professora não tem razão. Quando falo dos Melhores trinadores do Mundo falo dos que treinam os grandes clubes constantemente não são os que estão lá às vezes. Ancelotti, Lippi, Mourinho, Capello, Wenger, rafa, trap etc. e por aí adiante.

E ser treinador não é só perceber de futebol. Isso é apenas uma parte. Pra ti parece que o futebol é só tactica, apoios e inteligência. Há treinadores que podem não saber tanto disso mas têm outras armas fundamentais que faz deles bons treinadores também mesmo não tendo tanta cultura táctica.

cumprimentos

Pedro disse...

Boas Nuno e Gonçalo tudo bem? Tenho estado fora da caixa de comentários mas não do vosso blog.

Nuno pá..tirando Liedson e um ou outro jogador temos opniões e posturas muito semelhantes. Concordo em tudo com o q dizes de Aimar (um sonho realizado vê-lo de manto sagrado vestido) e de Nuno Assis q é um jogadorzaço claramente mal apreciado pela maioria dos benfiquistas (tal como Moretto mas adiante).

Tu falas com aquela arrogância de quem sabe do q fala, arrogância de quem sabe q tem razão e não precisa q os outros concordem com ele para a manter. E sabes q isso cria muitas inimizades pq se vamos contra o q a maioria opina é pq estamos errados. Somos muito parecidos nesse aspecto com a diferença q eu tenho razão na questão Liedson e tu não.
:)

Mantêm essa tua postura q é de salutar. O q não falta por esses blogs fora são carneirinhos incapzes de pensarem futebol por eles próprios, vão por aquilo q dizem os jornais e mais nada.

Já sei qual a tua opnião sobre Pepe e concordo ctg e agora tb concordo com o q pensas sobre Anderson. Este ainda é pior q Deco. É q Deco ainda fez qqr coisa no porto já o "prodigio" brasileiro não fez NADA de relevante no porto para ter tanta fama e foi com espanto q o vi jogar tanto no United. Mas com um grande pormenor q fez toda a diferença: jogou no United mais recuado. E aí a sua capacidade fisica e tecnica permitiu fazer uns bons jogos. Mas não mais q isso. Por alguma razão acabou a época a fazer poucos jogos e passar mais tempo no banco. Não ponho em causa q tem potencial para ser um belíssimo jogador, possui fisico, velocidade e técnica para isso. Pode crescer e tornar-se melhor jogador mas ainda não fez NADA q lhe mereça tantos elogios. NADA mesmo. Mas claro, os jornais apelidam-no constantemente de prodigio, de maravilha q ai de quem diga o contrario.

Bem o q importa é q o Aimar é o nosso 10. Deixas nas entrelinhas q não confias muito em Quique? Pode-se deduzir isso das tuas palavras?

Não deixa de ser engraçado q foi com Quique q Aimar começa a perder fulgor e agora Quique tenha pedido com tanta força a contratação de El Mago...

Já agora com as aquisições do SLB como vez q iremos jogar esta época? Quem será para ti o 11 e qual a táctica?

E vocês q acompanham o futebol jovem o q podem dizer de Fellype Bastos? Pessoas em quem confio em termos de apreciação de jogadores dizem-me q está ali um fenomeno de jogador.

Anónimo disse...

Foda-se, Este Pedro, para dizer tanta merda junta, mais valia estar calado e debitar a merda lá na pocilga dele!

Rui Silva disse...

Tenho de te confessar que a tua resposta foi uma desilusão para mim.

- Sobre o Farnerud. Dizer:

"O Farnerud é médio-defensivo de origem"

e

"conhecendo as características de Farnerud, estou em condições para dizer que ele renderia mais nessa posição"

É completamente diferente.
Retiro das tuas palavras que não conheces o percurso do Farnerud porque em França ele jogou sempre em posições identicas às do Sporting. Ou descaido na ala ou atrás dos ponta de lança. Mas podes fazer o que quiseres, não precisas da minha autorização.

Reparei, entretanto, que também o Paulo Bento é um "deficiente mental" (é uma hipérbole, claro) e que pensas conhecer melhor as características do Farnerud do que qualquer outro treinador que o treinou, apesar de teres visto apenas em competição e nem saberes se alguma vez foi testado em treinos na posição que dizes, com tanta certeza como pouca fundamentação, ser a sua posição de origem.

Está bem visto que só podes ser um génio...

Pedro disse...

ora aí está o q eu dizia...
hehehehehehe

pedro silva disse...

pedro não percebo qual é o teu problema. Achas que "vocês" são seres superiores é isso?

Achas que o Nuno conhece melhor o farnerud que qualquer treinador que tenhas treinado com ele? Eu não gosto do Bento, mas de certeza absoluta que ele conhece melhor o farnerud que o Nuno não duvides. E mesmo partindo do princípio que o Paulo Bento é anormal e não o sabe avaliar, se o Nuno consegue em escassos minutos avaliá-lo porque é que ainda nenhum clube grande o veio buscar? Ou um mediano? ah, já me esquecia, os treinadores são todos uns atrasados mentais é isso.

Quanto ao Anderson só me deu vontade de rir. Claro os jornais portugueses apelidam-no de prodígio (o que é um exagero) mas a julgar por ti, o Fergusson deve ser um totó e deve fartar-se de ler os tablóides portugueses porque o punha a jogar. E se jogou menos no fim da época não foi por nada disso. Foi porque o Scholes voltou da lesão prolongada e reclamou o seu lugar de volta.

"Este ainda é pior q Deco."

Que tem o Deco? Também é mediano?

cumprimentos

Pedro disse...

"Achas que "vocês" são seres superiores é isso? "

Não. Eu poderei ser um ser superior. O Nuno enquanto não rever a sua opnião sobre Liedson não pode entrar nesse estrito grupo transcendente...
:)

Não comento Farnerud. Do pouco q vi dele pareceu-me banal.

"Claro os jornais portugueses apelidam-no de prodígio"

Pois...mas claro pq? Essa é q é a grande questão. O Scholes reclamou sem dificuldade .... Não me leste a dizer q o Anderson não presta. Simplesmente não é tão bom, pelo menos ainda, como vocês querem pintar. Mas digo sem problemas q esteve muito bem nesta primeira temporada no United mas afirmo q a posição em q jogou, mais recuada, o ajudou.

"Que tem o Deco? Também é mediano?"

Mão é mediano mas não é um génio como os jornais avençados se fartaram de propagandear. É um jogador bom. Nem mais nem menos. Apenas bom. Por alguma razão Mourinho, por duas vezes com dinheiro à disposição, não o quis... Mas não era nesse aspecto q eu comentei "Este ainda é pior q Deco.". Estava-me a referir à propaganda da imprensa em torno do jogador. Deco ainda fez qqr coisa de relevante no porto, o Anderson não fez nada e teve à mesma a orgásmica imprensa do seu lado. Era a isso q me referia. Pior q Deco nesse sentido.

La Caldera del Diablo disse...

Hola, muy bueno tu blog.
¿Te interesaría cambiar links?
Saludos

Emiliano
La Caldera del Diablo
www.lacalderadeldiablo.blogspot.com

jp disse...

Se o Deco ñ assinou pelo Chelsea primeiro e pelo Inter agora, ñ foi porque o Mourinho ñ quisesse. Quando o Mourinho foi para o Chelsea tentou contratar o Deco, o Chelsea ofereceu inclusivamente mais € de ordenado que o Barça, mas o Deco quis o Barça. O motivo era simples, ñ queria que dissessem que ele apenas era bom com o Mourinho. Agora com a ida do Mourinho para o Inter, houve uma primeira aproximação ao Deco, que provavelmente esbarrou no mesmo motivo, uma vez que o Deco sai por “baixo” se fosse para o Inter de Mourinho muita gente ia dizer que ele apenas com o Mourinho era bom, e iam esquecer as primeiras épocas em Barcelona, que foram fantásticas, onde o RijKaard chegou a dizer que ele era o jogador mais importante para a equipa, isto na altura que o Ronaldinho estava em grande.

Dizer que o Deco é apenas uma jogador bom, é no mínimo demonstrativo de fraca capacidade para avaliar as qualidades de jogadores. O Deco é se calhar o jogador mais inteligente a jogar futebol que me lembro de ver jogar em Portugal. E em termos mundiais está certamente entre os mais Inteligentes. O Deco tem uma capacidade de se adaptar às necessidades da equipa fora de série, e isso é pura inteligência, além das inegáveis capacidades técnicas que tem. Isso pode ser visto pela mudança de atitude do Porto para o Barça, onde moldou a sua postura em campo. O Deco de Barça era muito mais um jogador de equilíbrio da própria equipa, que de desequilíbrio da adversaria como no Porto.

De qualquer modo Deco sempre foi muito bom em tarefas defensivas, no ano em que o Porto ganha a liga dos campeões ele foi um dos jogadores com mais faltas cometidas, se ñ mesmo o com mais faltas cometidas, quase todas elas sempre que a equipa estava descompensada em termos defensivo e era necessário travar a equipa adversaria, esta capacidade de avaliação e atitude é muito rara num médio atacante, geralmente é o médio defensivo que assume este papel, claro que admito que terá sido Mourinho o principal impulsionador das qualidades de Deco, no entanto nem todos têm a mesma capacidade de aprender (inteligência).

A qualidade de Deco ficou bem visível neste Euro, onde para mim foi sem duvida o melhor “Português”. Nem Cronaldos nem afins chegaram aos calcanhares de Deco. Isto quando vinha de uma época com muitos sobressaltos.

Deco é muito bom, não será um génio, mas talvez um jogador genial.

Em relação ao Aimar, o meu Benfiquismo não me deixa ficar frustrado por ele vir para Portugal. :D Sem duvida um grande jogador, mas para mim o Benfica tem grandeza para tudo ;) Só é pena é o resto das equipas, Porto B, Porto C, Porto D….Porto 496.

Pedro disse...

jp, na boa. Não discuto o Deco. É impossível fazê-lo tal a protecção desmesurada q ele teve da imprensa e comentadores durante anos e anos. E neste Euro voltaram os orgamos a cada passe certo de 2 metros ao mesmo tempo q eram ignorandas as várias perdas de bola infantis,etc etc. Tu achas o Deco um jogador genial. Tens esse direito, vivemos em liberdade de expressão. Claro que ao dizeres "Dizer que o Deco é apenas uma jogador bom, é no mínimo demonstrativo de fraca capacidade para avaliar as qualidades de jogadores" será para muitos o mesmo que dizer que és um ser superior acima de todos os comuns mortais...
:):):)

Achas mesmo q se Mourinho quisesse levar o Deco com ele q não o levava? Acreditas mesmo q o Deco é q recusou ser treinado por Mourinho preferindo ser treinado por Rijkaard e Scolari?

Gonçalo disse...

"Retiro das tuas palavras que não conheces o percurso do Farnerud porque em França ele jogou sempre em posições identicas às do Sporting. Ou descaido na ala ou atrás dos ponta de lança. Mas podes fazer o que quiseres, não precisas da minha autorização."

Fdx... O Farnerud sempre foi trinco, todavia, como era bastante evoluido tecnicamente,e num claro sinal de ignorância, achou-se que era um desperdicio ele evoluir numa posição tão recuada, e optaram por coloca-lo noutras posições. Vê se descobres em que posição é que ele jogou no Monaco, nos primeiros anos, inclusive em 99/00, ano em que ele foi campeão com o monaco.

E é impressionante como voçês paratem do principio que tudo é linear, que não há factores decisivos na evolução de um jogador como a sorte... O Pirlo, por exemplo. Para mim, muito provavelementye o melhor trinco do mundo. Todavia, se não tivesse a sorte de uma onda de lesões ter deixado o Milan sem trincos, ainda numa fase de pré-epoca, a esta hora era mais um que tinha talento mas que não o soube aproveitar.
Por isso, se o Bento não o aproveitou como trinco, não quer dizer que ele seja "burro" como tu dizes, mas porque não houve uma serie de condições que lhe permitisse a utilização dele nessa posição. Queres que te lembre o que é que ele dizia do Miguel Veloso, há pouco mais de um ano e meio? Exacto, que era central, poderia ocupar a posiçao de trinco, mas que era a central que ele contava com ele. Agora, e depois de o Veloso ter tido oportunidade para demosntrar que era mesmo bom era a trinco, ningume pensa nele para outra posição que não esta.

E mal do futebol nem é que voçês, adeptos, aceitem tudo o que vos "impingem", mas sim, pessoas com responsabilidades, e com hipoteses de fazer alguma coisa na bola, não penssem pela cabeça deles e aceitem tudo o que é vigente, apenas para poder fazer parte do meio.

"Treinar não é só papel, táctica e bitaites. Existe muito há volta de uma equipa e quem está com ela todos os dias sabe de certeza muito mais sobre os seus problemas e virtudes do que alguem que observa "apenas" os jogos."

Pois não Pedro, também é estudar, absorveres o amior numero possivel de informação que te permita eneteder o futebol como um todo, perceber cmo, e de que maneira tu vais operacionalizar, e sistematizar o teu modelo de jogo, etc. Não é só conviver com as pessoas que tem influência no meio, e ter experiência do jogo. Mas pelo menos em Portugal, a grande maioria funciona assim. Até que ponto não se passa da mesma forma no resto do Mundo? Podes assegurar que não é assim?

Pedro:
"neste Euro voltaram os orgamos a cada passe certo de 2 metros ao mesmo tempo q eram ignorandas as várias perdas de bola infantis,etc etc."

Não vi assim tantas perdas de bola como isso, e depois, um passe de dois metros, pode ser na realidade genial. Dependendo do que se consegue alcançar com essa opção. Mas admito que nem toda a gente perceba que um passe genial não tem de ser, obrigatoriamente, um passe de grande dificuldade de excução, mas sim de um grande discernimento, alcançando aquilo que ninguém conseguia prever.

Jp, daqui a bocado estás a dizer que mais importante que um jogador ser evoluido fisico/tecnicamente, é ser inteligente... Isto há com cada maluco...

Um abraço

pedro silva disse...

Subscrevo interiramente sobre o Deco. É um jogador fenomenal. Controlo de bola, visão de jogo e qualidade de passe não vejo muitos jogadores que estejam ao seu nível. É um artista autêntico!

Pedro, se o Mourinho não quisesse levar o Deco não teriam surgido propostas do Chelsea (quando ele foi para o Barça) e agora sondagem do Inter (não chegou a haver proposta). E porque havia o deco de querer treinar com o Mourinho? Não pode querer outras aventuras?

"E neste Euro voltaram os orgamos a cada passe certo de 2 metros"

Primeiro que tudo o deco fez passes que por si só valiam o preço do bilhete. E escusas de fazer vista grossa porque é impossível não ver (só alguém que não gosta de futebol). Já agora, uma das razões pelas quais o Nuno ama o Farnerud é porque ele faz 10000 passes de 2 metros para o lado por jogo por isso.

Quanto ao anderson, eu não o acho nenhum monstro já disse e é perfeitamente normal que o scholes seja titular. Porque é que os Jornais o fazem um deus? Para vender, Pedro. Para vender.

cumprimentos

pedro silva disse...

Gonçalo, não me parece que os treinadores que mencionei, que ganharam tudo o que havia para ganhar, tenham vencido tudo isso com "experiência de jogo" e contacto com "gente influente". O Futebol português é miserável nem há possível comparação.

Pedro disse...

Eu Deco só discuto "in loco" ou seja, sentadinhos num sofá a ver um jogo dele na TV. Para poder comentar convosco os lances no imediato. Fiz isso com um Deco-fã amigo meu no primeio jogo e coitado, até tive pena dele.
:)

Tu não viste perdas de bola eu vi muitas. Mas é natural q não as tenhas visto pois não tiveram relevo nenhum.

Há um lance do Deco q os comentadores e adeptos atingiram o Nirvana em q ele faz um passe de primeira do meio campo para a ponta esquerda da grande área adversária. Foi apoteótico e durante o dia seguinte nos blogs só se falava daquele passe do "mágico". O Petit fez dois parecidos...alguem se lembra? Pois...

Volto a dizer, não acho Deco um mai jogador. Ele é bom. Mas é apenas isso.

Surgiram propostas do Chelsea? Tal como surgiram propostas do Inter pelo Bruno Alves né?
:)

pedro silva disse...

Sim esse passe do Deco foi simplesmente soberbo e o Petit não fez nem de perto nem de longe nenhum passe daqueles.

E sim o deco nesse jogo perdeu 3 ou 4 bolas a meio campo. E então? É natural que alguem que recebe a bola e procura de imediato fazer passes de rotura nem sempre encontre solução e por vezes perca a bola. A equipa que usa essa estratégia tem de estar preparada para lidar com isso (por isso é que essas perdas não deram em nada!) da mesma maneira que o Porto está perfeitamente moldado para lidar com as perdas de bola do Quaresma. E o Quaresma perder bolas faz dele pior jogador? Não! Se o Quaresma não quisesse perder bolas passava-as todas e nunca resolveria jogos dum momento para o outro como vemos tantas vezes. O Deco igual. Pode até perder 2 ou 3 bolas mas depois num passe acaba com o jogo.

Pff essa do Bruno Alves no Inter é um fiasco total. O Deco houve sim propostas do Chelsea.

Cumprimentos

jp disse...

Pedro não sei há quanto tempo acompanhas futebol, de certeza que não é há muito… 2 anos talvez?? A proposta do Chelsea pelo Deco foi pública, o Mourinho admitiu que tentou contrata-lo. E há bem pouco tempo o Mourinho falou de 3 jogadores, se não estou em erro podiam ser 1 ou 2 mais, que para ele gostaria sempre de os ter na sua equipa, mas que claro, não cometeria loucuras para os ter, era o Lampard, o Deco e penso que o Drogba. Claro que o Mourinho também não percebe muito de bola, e como nunca treinou o Deco pode estar equivocado e o Deco ser mesmo um jogador qualquer.

É pá e o convite de ver o jogo no sofá contigo…Deixa tar…A menos que te chames Soraia Chaves e estejas a mentir no nome, acho que não vai dar pa mim.

Pois Gonçalo há com cada maluco a dizer que inteligência num jogador é importante…Toda a gente sabe que isso não interessa!! Aliás muitas vezes até é uma desvantagem, que depois os jogadores ainda se lembram de jogar futebol em vês de atletismo ou Karate!! :)

Pedro disse...

Sim..o Mourinho tb disse coisas boas do Bruno Alves...

Não admira q vocês "comam" tudo o q é dito sobre o Deco...

hehehe

Anónimo disse...

Eu logo vi: o que este Pedro quer é ver um jogo com um gajo, sentadinhos num sofá...

Vai lá vai!! É mouro e chega!

Hernâni Silva disse...

Esse Deco é mau n é? Esse gajo n joga nada é o Binya portugues. Não é ?
O q tu queres sei eu pa. És um paneleiro k quer é um gajinho pa ver o jogo no sofá . Panão.

jp disse...

Pedro, vai a site

http://www.goal.com/en/Articolo.aspx?ContenutoId=742305

Tem lá as palavras do Mourinho, se achas que isto é o mesmo que dizer que o Bruno Alves é um bom jogador depois de lhe perguntarem o que acha dele, diz-me só uma coisa... Quem é que te abriu o frasco???

Pedro disse...

lololol

Rui Silva disse...

É pá!

Agora aparece um Gonçalo a responder por um Nuno! Tens procuração?

Acho curioso vires falar de liberdade de pensamento quando pareces ter um pensamento decalcado do teu companheiro de blog (ou vice versa). Podiamos estar a falar de coisas vulgares, mas vocês devem ser os únicos com liberdade intelectual suficiente para achar que o Farnerud é um médio defensivo de origem. O resto do mundo, que viu o Farnerud a jogar, de facto, em França, sempre pensou o contrário. Provavelmente uma ilusão de optica...

Este blog é mais divertido do que pensava!

Nuno disse...

Rui Silva, o Farnerud é sueco, logo não nasceu em França. E também não começou a jogar em França. Na Suécia e, depois, durante algum tempo no Mónaco, era médio-defensivo. Nas últimas épocas no Mónaco e no Estraburgo já foi diferente, mas na origem, Farnerud era médio-defensivo.

Divertido é nem saberes do que estás a falar.

Gonçalo disse...

Pedro, eu não disse que os treinadores que sugeriste se incluiam nesse lote, apenas expliquei que por não ser treinador de nenhum clube de nivel mundial, não quer dizer que não tenha legitimidade para critica-los, desde que o defenda de forma coerente e fundamentada.

Um abraço

Rui Silva disse...

Ok Nuno.

Ficamos então todos a saber que acompanhavas (tu e o Gonçalo, claro) os jogos do Farnerud no Landskrona BoIS antes de 1998.
Se te estás a referir a esse tempo, eu não sei em que posição jogava, admito!

Quero deixar claro que eu acredito que tu (e o Gonçalo - peço desculpa por mais esta redundancia) acompanhavam o Farnerud em 1997 e 1998 no Landskrona BoIS. Dúvido é que consigas convencer mais alguém...

Desculpa ter-te acusado de forma tão injusta de estares a inventar!

Nuno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno disse...

Desculpas aceites, Rui...

pedro silva disse...

Claro que sim Gonçalo, concordo plenamente. Agora como sabes eles têm certos conhecimentos que nós não podemos ter e por isso nem sempre podemos julgar bem determinadas situações como por exemplo o do caso explanado. Evidentemente um treinador que acompanhe todos os dias um jogador sabe muito mais sobre ele e tem muito mais informação do que qualquer um que "apenas" veja os jogos. Isso parece-me evidente.

cumpriemntos

ps. Nuno sabichão, o farnerud jogava antes na suécia é verdade, mais propriamente no Landskrona. Não sabia que eras espectador assíduo desse clube nas épocas que o Farnerud lá esteve (96 a 98). Onde vias os jogos já agora?
E os do Mónaco?

Gonçalo disse...

Já te paravas de armar em parvo e já explicavas como é que só se optou por colocar o Pirlo como trinco, por defeito, ou seja, porque não havia mais ninguém.
Pq, segundo a tua maneira de pensar, ele devia ter sido colcado como trinco assim que não estivesse a conseguir demonstrar todo o seu talento noutra posição. Mas a verdade é que se não fosse o azar dos outros, ele a esta hora não era trinco, e, mais uma vez, passava ao lado de muita gente um fantástico jogador.
Vá, pede o cérebro emprestado a alguém para responderes a isto. Anda lá...

Gonçalo disse...

Pedro, consegues deduzir? Isso é uma cena gira, que a malta gosta de fazer. Eu nunca vi o Franerud no Monaco, sei que jogou nessa posição no Monaco, e foi nessa altura, em que jogava como trinco, que teve o seu periodo mais "brilhante".
Mas não preciso de o ver a jogar a trinco para perceber que tem todas as condições para ser um excelente jogador naquela posição. Da mesma maneira cm não preciso de ver o Djaló a interior para saber que ele não vai ser grande coisa nessa posição. Se queres que te explique as razões para tal raciocinio, procura o post dos "mal-amados", que já estou a perder a peciência para tanta parvoice.

Abraço

pedro silva disse...

Eu? Farnerud? Esse assunto não é comigo Gonçalo. Eu só disse que há coisas informações que os treinadores tem muito mais sólidas do que nós e por isso nem sempre os podemos julgar.

Eu não sei, nem quero saber qual é a posição do farnerud (aliás nunca leste nada meu sobre isso de certeza). Só perguntei onde o Nuno via os jogos porque sinceramente duvido que tenha visto sequer um jogo dele no mónaco quanto mais no Landskrona.

cumpriementos

ps. nunca vi o Farnerud a jogar mas se esse período a trinco no mónaco fosse assim tão brilhante como dizem não creio que tivesse saído... para o Sporting.

cumprimentos de novo

Anónimo disse...

Quando acabam com este blog? As conversas que aqui se têm parecem de putos de 10 anos a dizer: eu sei mais que tu!! FODA-SE! É só cromos.

Nuno disse...

É amanhã, anónimo. Amanhã acaba! Queres vir ao encerramento? Há pastelinhos de bacalhau e, mesmo no final, é servido um Porto de honra. Que te parece?

Anónimo disse...

um blog q até era bom , transformou-se num parque infantil. Desculpa dizer-vos mas é a verdade. Deviam repensar o conceito.

Anónimo disse...

Ó palhaço afinal esta espelunca não acabou!!! Esqueceste-te dos pastelinhos de bacalhau?