quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O Lance que define o Jogo

Aviso: este texto é só para gente honesta! Os desonestos podem guardar as discordâncias para si, pois elas serão fruto não do que aqui vai escrito, mas da desonestidade que possuem.

A história do jogo divide-se em 2 partes, antes e depois do minuto 57. Depois do minuto 57, a eliminatória estava resolvida, e não me parece justo explicar resultados quando a desconcentração de uns e a falta de pressão a que outros passam a estar sujeitos é evidente. Para gente honesta, explicar o jogo é explicar os primeiros 57 minutos. Nesses 57 minutos, quem foi superior? Para os desonestos, mas também para os que acham que explicar o jogo é reparar nos lances dos golos, o Real foi superior, porque marcou 2 golos. Eu discordo, primeiro porque sou honesto, e segundo porque tenho argumentos para provar quer a minha honestidade, quer a minha razão. Em que é que o Real foi superior? Defendeu razoavelmente bem, sim. E mais? Mais nada. Rigorosamente mais nada. Em 57 minutos, o Real teve um único lance de perigo, o do segundo golo. O primeiro golo nem sequer se pode dizer que seja um lance de golo e só um erro infantil de Piqué o permitiu; resulta de um pontapé ao longo da linha, com o Ronaldo a receber, completamente desapoiado, de costas para a baliza, e que era fácil de defender, caso Piqué assim o tivesse desejado. Bastava ter dado a linha a Ronaldo desde início, e de não ter provocado o um para um. Quanto ao Barcelona, pelo contrário, teve 4 ou 5 ocasiões muito boas para marcar, e não o conseguiu fazer. Se o tivesse feito, em qualquer um desses lances, alguém acha que o jogo tinha sido o mesmo? O lance que definiu o jogo foi, pois, o lance do segundo golo. Definiu-o e é a melhor ilustração possível do que foi a partida. Analisemo-lo.

FC Barcelona - Real Madrid 57' Gol Cristiano... por realmadridplay

4 são os momentos do lance: um toque de calcanhar de Xabi Alonso, ao calhas, que faz a bola seguir para Khedira; um alívio sem nexo de Khedira que põe a bola na frente de Di Maria; um drible desajeitado e lento de Di Maria na sequência do qual se isola, porque Puyol escorrega; defesa de Pinto precisamente na direcção de Ronaldo, que não teve dificuldades para finalizar. A jogada define-se em 4 momentos, e em nenhum deles se pode dizer que os jogadores do Real tiveram qualquer espécie de mérito. Alguém acha que qualquer um destes 4 momentos se treina? Que qualquer uma destas coisas resultam de aprendizagem? Pedro Henriques falou da qualidade do passe de Khedira. Qualidade? Passe? Haja paciência! O alemão nem faz um passe, nem olha para onde vai pôr a bola. Miguel Prates, por sua vez, gabou a "decisão genial" de Di Maria. Decisão? Genial? Podia alguém ser mais imbecil? A jogada acabou com a eliminatória, pois o Barcelona passava a precisar de marcar 3 golos, mas, mais do que isso, ilustrou o que foi a partida: uma equipa a jogar futebol (menos bem, é certo, do que nos habituou), a criar oportunidades de golo (lance de Pedro e Messi a abrir; Fabregas falha o remate já dentro da área, sem oposição, em zona frontal, depois de um cruzamento da direita; livre directo de Messi a centímetros do poste; remate de Busquets à entrada da área para defesa de Diego Lopez e recarga de Fabregas evitada in extremis por Varane, e isto depois de dois remates dentro da área, de Xavi e de Iniesta, que batem em Sergio Ramos; remate de Iniesta, após pontapé de canto, na zona de penalty que bate em Sergio Ramos) e outra sem conseguir incomodar significativamente o adversário, que resolve a eliminatória após um erro de um defesa que raramente erra e após um lance absolutamente fortuito. Pelo que foram estes 57 minutos, há alguém honesto que consiga dizer honestamente que o Real Madrid fez por merecer esta vitória?

P.S.: Nem tudo é mau para o Real Madrid. Varane é um defesa extraordinário. Não, certamente, por aquilo que as pessoas gostam nele: a velocidade, o jogo aéreo, a virilidade, etc.. É extraordinário porque, apesar de não ser excepcional com bola, consegue aliar índices de concentração altíssimos e uma maturidade acima da média, para a sua idade, a uma inteligência notável na forma como interpreta os lances defensivos. Há um lance, hoje, que o define, e que devia servir de lição a Piqué. É no início da segunda parte. Messi recupera uma bola, vira-se e fica apenas com Varane e Sergio Ramos pela frente. Vendo que a ajuda vem a caminho (vêm 3 jogadores do Real atrás de Messi), Varane oferece literalmente a sua direita, onde faltava Arbeloa, obrigando Messi a seguir para lá. A partir daí o lance está ganho. Messi só tem aquela solução e a Varane basta acompanhar, à devida distância, o argentino, sabendo ainda que tem a cobertura do outro central à sua esquerda, caso Messi ainda passasse por ele. Muito provavelmente, se em vez de Varane fosse Pepe ou Sergio Ramos, a opção teria sido forçar o um para um, ou, quando muito, esperar pela decisão de Messi. E teriam assim aumentado as hipóteses de Messi ser bem sucedido. Varane antecipou a decisão do argentino e deu-lhe o lado antes de ele poder fazer alguma coisa. É assim que se defende um lance de uma para um, quer se tenha apoio, quer não. Se Piqué o tivesse feito, no lance do penalty, se tivesse tomado a decisão antes de Ronaldo o enfrentar, dificilmente o lance terminaria como terminou. Como no lance de Messi, Ronaldo não tinha apoio, e só poderia fazer estragos se desequilibrasse no um para um. A Piqué bastava não provocar o um para um, oferecer o seu lado esquerdo ao português, conduzindo-o para a linha de fundo, que a jogada, provavelmente, terminaria sem perigo.

P.S.2.: Há quem veja em dois maus resultados seguidos sinais inequívocos de que a forma de jogar do Barça mudou. Esquecem-se é de que, ainda há 2 semanas, no Barnabéu, só não ganhou um jogo em que cilindrou o Real porque falhou uma quantidade absurda de golos; esquecem-se é de que estão a fazer um campeonato melhor, em termos de pontos e em termos de produção ofensiva, do que em qualquer ano de Guardiola. O problema destas pessoas é interpretarem a qualidade geral da equipa, que não é muito diferente do que era, de acordo com um ou outro jogo ou até, o que é mais grave, de acordo apenas com um ou outro pormenor de um ou outro jogo.

125 comentários:

Diogo Cruz disse...

Depois de ler isto, acho que o Barcelona está provavelmente eliminado contra o Milan:

«Quando se perde é claro que pensamos em mudar algumas coisas. Planeamos jogar de outra maneira contra o Milan e introduzir no nosso jogo algumas coisas novas. É um jogo decisivo e fundamental para nós»

Quanto ao jogo, concordo com praticamente tudo o que disseste, aliando isso à estupidez do jogo directo do Barcelona. Hoje inclusivamente não vi o tiki-taka, ou seja foram raras as vezes em que o Barcelona atraiu e desposicionou jogadores do Real com tabelas rápidas.
O Barcelona hoje, inclusivamente recorreu muitas vezes a tabelas de 1ª entre o lateral e o extremo que deixavam quase sempre o Dani com espaço para correr com bola mas sem qualquer tipo de apoio o que o fez muitas vezes centrar sem grande nexo e na maior parte das vezes voltar a passar para trás.

Concordo contigo que o Barcelona começou a jogar mais directo na 2ª mão da Supertaça, talvez por falta de confiança do Tito nos seus jogadores e crença no seu sistema, mas nos últimos meses acho que o Barcelona tem precipitado o seu jogo. E isso, temo eu, deve ser influência dos treinos do Roura e destas idéias novas que ele diz que vai implementar.
Não sei se concordas, mas eu achei que o Xavi fez um dos piores jogos dos últimos 5 anos no Barça e fê-lo porque esteve muito menos envolvido na construção já que este jogo directo torna essa construção muito mais dependente da sorte e ressaltos (e da capacidade física para reagir aos ressaltos) e isso só o prejudica.

Espero que o Tito regresse rápido mas caso a doença não o deixe regressar acho que o Barcelona pode ter um problema complicado para resolver.

Mike disse...

ao definires que, neste contexto, ser honesto é explicar apenas os primeiros 57 minutos do jogo (ou seja, uma pessoa que queira discutir, por exemplo as incidências que ocorreram do minuto 10 ao minuto 70, é desonesta; uma pessoa que queira discutir o jogo a partir da estratégia dos treinadores, é desonesta; uma pessoa que se queira concentrar no que está por trás da tais desconcentrações do barça é desonesta; uma pessoa que queira discutir o resultado do jogo a partir do tamanho das bandeirolas de canto é desonesta, etc.. etc.. etc..) não achas que estás a deixar a relva um bocadinho grande para os que discordam da tua opinião?

e só uma pergunta. não estou a discutir o jogo. não tenho conhecimentos e paciência para isso.

Nuno disse...

Pois, Diogo, essas declarações são preocupantes. Mas falta saber se isso não é só o Roura a dizer o que pensa. Acho que, em termos de ideias, ainda é o Tito quem manda. Faz falta para algumas coisas, nomeadamente para chamar a atenção dos jogadores, para espevitá-los, para lhes manter os níveis de concentração altos, mas não creio que a sua ausência tenha repercussões nos treinos, nas escolhas dos onzes, etc..

Quanto ao jogo, não sei se concordo com tudo o que disseste. Sim, viu-se pouco tiki-taka, mas viu-se algum. Sim, viram-se passes longos, mas também não foram assim tantos. E, para ser sincero, vi o Barça jogar pior do que hoje em alguns jogos da era Guardiola. Para mim, a única coisa imperdoável é os desvios ao modelo (o não saírem a jogar nos pontapés de baliza, o experimentarem demasiado a profundidade, etc.). Que os jogadores depois não consigam sempre executar o que pretendem, e que se enervem e tomem algumas más decisões, isso é normal. Também não sei se concordo que os últimos meses têm sido assim tão maus. Gostei do jogo da primeira mão no Barnabéu, que só não deu goleada porque se falharam mesmo muitos golos. Na Liga, houve alguns resultados tangenciais, e exibições menos categóricas, mas também não nos podemos esquecer de que, com tanta vantagem e outras competições em vista, é natural os jogadores entrarem mais relaxados. Isto é, não sei se esta fase tem alguma coisa a ver com a ausência do Tito. Pode ter, naqueles aspectos que referi acima, mas não mais do que isso. E depois, não sei se o Roura tem assim tanta liberdade para implementar ideias. Duvido um bocado.

Nuno disse...

Mike, a única coisa que acho é que uma análise honesta ao jogo só se pode focar nos primeiros 57 minutos. Dentro disso, pode-se falar de muita coisa. Não é honesto é fazer uma análise indiscriminada que não tenha em conta que a eliminatória acabou aos 57 minutos. É só isto.

B Cool disse...

Eu pensava que remates de fora da área, ou remates que batem em defesas, bem como livres, não eram ocasiões de golo segundo a tua definição Nuno, claramente devo ter interpretado mal os textos anteriores.

Quanto ao drible do Di Maria que deixou o Puyol a fazer a espargata, acho que não é assim tão tosco como o defines.

Também posso não estar correcto e não tenho acompanhado o Barcelona o suficiente para fazer essas avaliações, mas lembro-me do Guardiola dizer que quando as coisas corriam mal, eram quando deveriam ter fé no modelo de jogo e não me pareceu claramente que o Barcelona tenha feito isso, com excepção do Iniesta que procurou sempre servir nos espaços entre linhas, ao contrário de outros jogadores.

Quanto ao jogo, todos os jogos se definem por momentos, se o Messi marca aos 2 minutos o jogo seria outro, mas não marcou e o jogo foi o que foi. Sábado há mais ...

Mike disse...

nuno, vais-me desculpar, mas eliminatória acabou ao minuto 90. não és tu que decides quando acaba um jogo de futebol. há regras para isso.

ok. é a tua opinião e eu compreendo-a. acho-a tão legitima como qualquer outra.

mas porque razão qualificas como desonestas pessoas que pensem o contrário? não achas que assim, estás a inquinar o debate? achas que todos têm as mesmas armas nesta discussão?

não achas que é justo iniciar um debate com regras morais pré-estabelecidas por quem propôs esse debate?

ou seja, quem não concordar com a premissa inicial (que foste tu a definir - só é honesto quem debater os primeiros 57 minutos do jogo) e queira debater os 90 minutos, que tipo de debate poderá fazer, sabendo que está a quebrar uma regra moral?

Nuno disse...

"Eu pensava que remates de fora da área, ou remates que batem em defesas, bem como livres, não eram ocasiões de golo segundo a tua definição Nuno, claramente devo ter interpretado mal os textos anteriores."

Sim, interpretaste.

"Quanto ao drible do Di Maria que deixou o Puyol a fazer a espargata, acho que não é assim tão tosco como o defines."

É, é. Acredita. Eu percebo de dribles.

"Também posso não estar correcto e não tenho acompanhado o Barcelona o suficiente para fazer essas avaliações, mas lembro-me do Guardiola dizer que quando as coisas corriam mal, eram quando deveriam ter fé no modelo de jogo e não me pareceu claramente que o Barcelona tenha feito isso, com excepção do Iniesta que procurou sempre servir nos espaços entre linhas, ao contrário de outros jogadores."

Quais?

"Quanto ao jogo, todos os jogos se definem por momentos, se o Messi marca aos 2 minutos o jogo seria outro, mas não marcou e o jogo foi o que foi."

Claro. Mas então por que é que a vitória do Real, para tanta gente, é incontestável? É isso que não percebo. O Barcelona teve mais oportunidades, jogou mais, mas não teve a sorte do jogo. Isto, em futebol, acontece recorrentemente. Mas os comentadores, e todos os que discutem futebol, têm a tendência estúpida para achar que tudo se explica cientificamente. Não é verdade. Muitas vezes, um simples detalhe faz a diferença. E a diferença ser feita num simples detalhe raramente não é um caso de sorte.

Nuno disse...

Mike diz: "nuno, vais-me desculpar, mas eliminatória acabou ao minuto 90. não és tu que decides quando acaba um jogo de futebol. há regras para isso."

Mike, lê o que eu escrevi. Vais perceber por que é que é desonesto analisar o jogo tendo em conta o que se passou depois do minuto 57.

"mas porque razão qualificas como desonestas pessoas que pensem o contrário?"

É desonesto porque é desonesto. Desculpa a tautologia, mas é assim. Não perceber que o segundo golo do Real desorientou os jogadores do Barcelona (porque sentiram que a eliminatória estava perdida), a ponto de concederem espaços que não tinham concedido até ali e falharem decisões que não tinham falhado até ali e não perceber que o desfecho da partida não pode ser explicado, por essa razão, pelo que se passou depois disso, é uma questão de desonestidade. Ou de pura ignorância, o que vai dar ao mesmo.

"ou seja, quem não concordar com a premissa inicial (que foste tu a definir - só é honesto quem debater os primeiros 57 minutos do jogo) e queira debater os 90 minutos, que tipo de debate poderá fazer, sabendo que está a quebrar uma regra moral?"

Essa é fácil, Mike. Que tipo de debate poderá fazer se quiser debater o jogo todo, quando debater o jogo todo é desonesto? Um debate desonesto, obviamente.

João Mendes disse...

Nuno acho que li sempre tudo o que escreveste e já concordei com muita coisa com que escreveste e já discordei com muita outra coisa...
agora de uma coisa tenho a certeza é que nem eu nem tu sempre estivemos certos, e num mundo tão global como é és só gostava de te perguntar uma coisa?

Tu que és tão perfeito, és praticamente deus (assim com minúsculas) és treinador de quem? De que clube? Onde tu chegaste? Se és bom, tão bom com realmente és porque não te vejo a treinar nenhum clube de topo?

Mike disse...

"É desonesto porque é desonesto. Desculpa a tautologia, mas é assim. Não perceber que o segundo golo do Real desorientou os jogadores do Barcelona (porque sentiram que a eliminatória estava perdida), a ponto de concederem espaços que não tinham concedido até ali e falharem decisões que não tinham falhado até ali e não perceber que o desfecho da partida não pode ser explicado, por essa razão, pelo que se passou depois disso, é uma questão de desonestidade. Ou de pura ignorância, o que vai dar ao mesmo"

nuno, certamente já viste reviravoltas impressionantes no futebol!! obviamente que neste caso seria dificílimo. mas mesmo assim, como fã do barça que sou, foi por isso que esperei. e de certa forma, desiludi-me por não ter acontecido. porque o barça, de facto, jogou melhor e merecia ter ganho a eliminatória. e já agora, porque razão de desconcentraram os jogadores do barça? não achas que isso merecia ser debatido?

quando ao resto.. que dogmatismo atroz!

"Essa é fácil, Mike. Que tipo de debate poderá fazer se quiser debater o jogo todo, quando debater o jogo todo é desonesto? Um debate desonesto, obviamente" - versão do nuno

Que tipo de debate poderá fazer se quiser debater a existência de deus, quando debater a existência de deus é desonesto? Um debate desonesto, obviamente - versão de um qualquer fundamentalista religioso

Que tipo de debate poderá fazer se quiser debater a renegociação do acordo com a troika, quando debater a renegociação do acordo com a troika é desonesto? Um debate desonesto, obviamente" - versão do passos coelho (esta não será bem assim, porque o homem já percebeu que tá entalado e não tem outra alternativa...)

é profundamente dificil debater com quem estabelece premissas morais.. ou seja... com moralistas.

Nuno disse...

João Mendes, tu que leste tudo o que eu escrevi, não leste também os comentários às coisas que escrevi? É que não foram poucos os que, como tu, querendo talvez provar que aquilo que digo só teria validade se eu por acaso mostrasse na prática o que aqui escrevo, me fizeram a mesma pergunta. Como a eles, a ti dou a seguinte resposta: não me interessa treinar uma equipa de futebol; interessa-me discutir o jogo. E ao contrário do que tu pensas, e ao contrário do que muita gente, como tu, pensa, aquilo que digo é mais ou menos válido consoante a validade dos argumentos, não consoante a sua eventual demonstração prática. Aliás, isto aplica-se a tudo. É um vício estúpido e - diga-se - um pouco despótico, achar que só quem está em condições de realizar determinada tarefa pode ter opinião sobre o modo de execução dessa tarefa. Tu tens opiniões políticas? Achas que precisavas de ser ministro para que as tuas ideias fossem válidas, ou podes ajuizar a validade dessas ideias de acordo com os argumentos que as sustêm?

Gonçalo Teixeira disse...

Concordo em praticamente tudo. Considero que o Real não mereceu ganhar 3-0, muito menos 1. Barcelona foi mais equipa até ao segundo golo, sem dúvida. Agora sou obrigado a discordar no drible do Di Maria. http://www.youtube.com/watch?v=__ue7WkI6Tk. Tens aqui o vídeo se o quiseres ver outra vez. Explica-me como isto pode ser um drible desajeitado e lento? Di Maria corre em velocidade ao lado de Puyol, posteriormente trava de calcanhar com o pé esquerdo para o meio. Puyol é obrigado a travar e Di Maria acelera de novo na direção do sprint inicial. Não entendo. Di Maria sempre q dribla parece um desajeitado. Se o vires uma vez, dizes q é sorte, agora são tantas e tantas vezes que ele faz isto q uma pessoa percebe que é mesmo o jeito dele.

Gonçalo Teixeira disse...

João Mendes essa é fácil. O Nuno nunca jogou no Futebol Clube do Porto.

Nuno disse...

Mike diz: " e já agora, porque razão de desconcentraram os jogadores do barça? não achas que isso merecia ser debatido?"

Sim, podia debater-se isso. O que disse foi que esse debate não pode servir para explicar o que aconteceu no jogo.

"quando ao resto.. que dogmatismo atroz!"

Dogmatismo porquê? Dogmatismo é dizer que sim porque sim. Eu já te expliquei 2 vezes por que é que acho desonesto usar o que se passou depois do minuto 57. Se achas que é honesto analisar a partida usando o que se passou depois do minuto 57, explica-me porquê. Eu acho que os meus leitores são inteligentes, e que é evidente que é desonesto fazê-lo, e já expliquei porquê. Já que estás tão indignado com isto, queria que me desses uma razão. Até aqui, o único dogmático foste tu.

"Que tipo de debate poderá fazer se quiser debater a existência de deus, quando debater a existência de deus é desonesto? Um debate desonesto, obviamente - versão de um qualquer fundamentalista religioso"

Boa piada. Mas não resulta. Precisamente porque já te justifiquei o porquê de ser desonesto analisar o jogo tendo em conta o que se passou depois do minuto 57.

"é profundamente dificil debater com quem estabelece premissas morais.. ou seja... com moralistas."

Eu ainda nem sequer percebi por que é que dizer que é desonesto (e explicar por que o é) usar dados do que se passou depois do minuto 57 é estabelecer uma premissa moral.

Nuno disse...

Gonçalo Teixeira diz: "Di Maria corre em velocidade ao lado de Puyol, posteriormente trava de calcanhar com o pé esquerdo para o meio. Puyol é obrigado a travar e Di Maria acelera de novo na direção do sprint inicial. Não entendo. Di Maria sempre q dribla parece um desajeitado. Se o vires uma vez, dizes q é sorte, agora são tantas e tantas vezes que ele faz isto q uma pessoa percebe que é mesmo o jeito dele."

Sim, Di Maria tem um estilo desengonçado. Mas os seus dribles, embora nesse estilo, são muitas vezes potentes, imprevisíveis e, sobretudo, tecnicamente bem executados. Não foi minimamente o caso. Estou a falar do momento em que o Puyol escorrega, ou seja, do segundo drible. Ele trava bem, mas de seguida faz uma chamada a pés juntos para o segundo drible. Para o drible sair bem, e potente, nunca poderia usar os dois apoios. Ao usar os dois, não só perdeu tempo e potência de arranque, como denunciou o que ia fazer. Repara que o Puyol já está a reagir ainda o Di Maria não tocou na bola para arrancar. Não tivesse escorregado, e desarmá-lo-ia ou ficaria sempre à frente dele para evitar o remate ou o cruzamento.

Manuel Humberto disse...

"Um drible desajeitado e lento de Di Maria na sequência do qual se isola"

Lembraste-me o palerma, não lembro quem, que há uns meses escreveu "qualquer jogador das distritais fazia (faria) o que Ronaldo fez", neste lance:

http://videos.sapo.pt/tEBHJDMZHRzGFhuT6C1q

E por acaso também recordo o mesmo palerma, não lembro quem, ter dito que Khedira nesse lance há uns meses também "aliviara" a bola, sem como nem porquê. Hoje não foi nem como nem porquê, mas aí 70% de alívio, 30% de probabilidade da bola ser aliviada para ali por acaso". Para o palerma terão sido no entanto dois alívios, por igual.

O palerma lá saberá se sim ou não ...

Mike disse...

nuno, responde-me só a uma questão, se os jogadores do barça não se tivessem desconcentrado após o 2-0, achas que o resultado final (3-1) podia ter sido diferente? eu acho que sim. não sei se o barça ganhava, mas acho que podia ter acontecido alguma coisa de diferente.

"É desonesto porque é desonesto. Desculpa a tautologia, mas é assim"

esta frase é tua nuno.

por hoje fico por aqui. regresso amanhã.

Nuno disse...

M&M's, que saudades! Antes de começarmos, as correcções de português da praxe:

"Lembrar" e "Recordar" são verbos que se devem usar com pronome reflexivo e que são regidos pela preposição "de" (é "lembrar-me de" e "recordar-me de"). Sem essas duas coisas, pareces um brasileiro a falar. Vá, vai lá treinar isso...

"Lembraste-me o palerma, não lembro quem, que há uns meses escreveu "qualquer jogador das distritais fazia (faria) o que Ronaldo fez", neste lance:"

Pois, o que o Ronaldo fez já eu vi autênticos troncos fazerem. Não é difícil. É ir a correr, levantar o calcanhar, e esperar que a bola bata no sítio certo, para a fazer ir para a frente. Qualquer pessoa faz isto, e qualquer pessoa, como de resto o Ronaldo, tem probabilidades reduzidas de sucesso. É por isso que não valorizo o lance.

"Hoje não foi nem como nem porquê, mas aí 70% de alívio, 30% de probabilidade da bola ser aliviada para ali por acaso".

Exacto. Tu achas que consegues medir a percentagem de quanto aquilo foi intencional e de quanto aquilo não foi, e o palerma sou eu. Faz sentido, sim, senhor. Como faz sentido, de resto, achar que aquilo não foi um alívio.

Hugo disse...

Como sempre quando o tema mete Barça tornas-te um taliban. Triste

Nuno disse...

"se os jogadores do barça não se tivessem desconcentrado após o 2-0, achas que o resultado final (3-1) podia ter sido diferente? eu acho que sim. não sei se o barça ganhava, mas acho que podia ter acontecido alguma coisa de diferente."

Sim, mas o que tem isso a ver com o assunto? Desorientaram-se, e isso é o que basta. Como se desorientaram, cometeram erros que não estavam a cometer até ali. É por isso que é desonesto usar o que se passou a seguir ao minuto 57, porque muito do que passou foi resultado dessa desorientação.

Mike diz: ""É desonesto porque é desonesto. Desculpa a tautologia, mas é assim"

esta frase é tua nuno."

Outra coisa que é desonesta, Mike, é usares uma frase que encabeça um parágrafo no qual se explica e justifica a tautologia a que se refere para demonstrar o meu alegado dogmatismo, dogmatismo esse que, aliás, o resto da frase desmente.

Nuno disse...

Hugo diz: "Como sempre quando o tema mete Barça tornas-te um taliban. Triste"

Os talibans são fundamentalistas. Fundamentalistas não usam argumentos. Eu dei uma opinião e argumentei a favor dela. Não a dei apenas porque tenho uma crença que me diz que tenho de dar essa opinião. Tu vieste aqui e disseste que eu sou X. Até ver, porque não me deste nenhum argumento com que justifiques essa opinião, só deste uma opinião. Quem é que é taliban, mesmo?

SportingSempre disse...

se o ridiculo matasse este blog já tinha ardido.

j+a escreveste cenas estupidas, mas parabéns porque hoje bateste todos os records.

já nem dá para levar a sério.

Hugo disse...

Valerá a pena argumentar quando já partes de premissas establecidas?
Sinceramente não me parece, por isso poupo tempo aos dois.

Manuel Humberto disse...

Os argumentos do palerma são um espectáculo: pronomes reflexivos e cíclicos. Quem poderá argumentar contra ou a favor?

Já isto é uma jóia: "é ir a correr, levantar o calcanhar, e esperar que a bola bata no sítio certo, para a fazer ir para a frente".

Lol. O mais engraçado é que falas sério. Te garanto, pronome: o mais engraçado é que falas sério. Engraçado para quem lê claro ...

Diogo Cruz disse...

O que eu acho mais engraçado é que nenhum destes comentadores a insultar o autor considerou sequer a hipótese de discutir o jogo ou apresentar argumentos contra os do Nuno.

Se o Nuno está tão errado porque não analisam o jogo e mostram o que o Real fez de relevante?

É que eu, exibições parecidas com a do Real, vi o Olhanense fazer no Dragão e não fiquei minimamente impressionado.

Mike Portugal disse...

Sim, o Barça foi melhor e teve mais oportunidades de golo.

No entanto o Real tem lá aquela máquina de desequilibrios chamada Ronaldo que assusta até os defesas mais experientes, mesmo que não faça nada.

Também contribuiu o facto de Xavi e Messi terem estado uns furos abaixo do que podem.

Não concordo quando mostras desdém pelo drible do Di Maria. Ele provocou o desequilibro que é o que ele sabe fazer bem e teve sorte pelo escorreganço, sim, mas isso é o que os dribladores fazem. Tentam provocar o desequilibro e desta vez foi bem sucedido.

Tiago disse...

És mesmo o gajo mais desonesto intelectualmente da blogosfera futebolística.
O Barça só perde quando a relva é uma merda, quando é roubado e quando as outras equipas têm sorte! Fdx, sorte! Lá voltas tu com a teoria estúpida da sorte! O Liedson ainda te atormenta os sonhos?
É quase surreal a tua estupidez.

Pedro Almeida disse...

Costumo ler este blog concordando ou não com as análises que aqui são feitas. Nunca o comentei mas hoje, por considerar que os autores são inteligentes achei que o devia fazer.

O argumento que analisar o jogo depois do minuto que o Real marca o segundo golo soa a miudo amuado e pasma-se... a desonestidade. Reduz um jogo de futebol e muda completamente o paradigma de tudo.

É desonesto avaliar o Celta de Vigo - Benfica depois do resultado estar 3-0? É desonesto avaliar a final do euro 2004 depois do golo da Grécia?

Obviamente que um golo muda completamente o jogo. O 2-0 num contra ataque com uma finta genial do Di Maria (que descobri aqui que afinal foi uma escorregadela do Puyol) mudou o jogo e obrigou o Barcelona a fazer o que não sabe: Ter um plano alternativo.

Quanto ao Varane acho que devias ser menos prepotente no que dizes. As pessoas gostam dele pelas caracteristicas que enunciaste E TAMBÉM pelo que o oferece ao jogo em termos de decisão. Um jogador que ofereça o seu lado direito (e bem) ao Messi se não tiver qualidades individuais ao nível da velocidade, antecipaçao (etc..) será ultrapassado pelo Messi na mesma. Como tu escreves parece que se o Ricardo Silva ou um cepo qualquer fossem minimamente inteligentes podiam chegar onde quisessem.

faa m. disse...

Yah, se isto é um texto honesto eu vou lá e venho.
Até por 2 simples motivos, o futebol de uma e outra equipa. O futebol do Barça é de posse enquanto o do Real é de ataque rápido. Isto dá sempre a ilusão que o Barcelona está por cima do jogo.

Mas yah, mantém essa honestidade, nota-se o quanto percebes de futebol.

Nuno disse...

SportingSempre diz: "j+a escreveste cenas estupidas, mas parabéns porque hoje bateste todos os records."

Sim? É que eu não me lembro de um único comentário teu que não consista em dizer que o que leste aqui é ridículo. Por que é que vens cá, então? Tens ideias, ou só queres manifestar a amiba que és?

Hugo diz: "Valerá a pena argumentar quando já partes de premissas establecidas?
Sinceramente não me parece, por isso poupo tempo aos dois."

Hugo, quais premissas estabelecidas? Quais? O que eu faço no texto é justificar as minhas ideias. A única premissa de que parto é a de que o jogo tem de ser analisado apenas até ao minuto 57, e parti dela porque me parece quase auto-evidente que assim tem de ser. Mas, mesmo essa já a justifiquei na discussão com o Mike. Que outras premissas é que te fazem confusão? Sabes ao menos o que é uma premissa?

M&M's diz: "Os argumentos do palerma são um espectáculo: pronomes reflexivos e cíclicos."

Clíticos, M&M's, clíticos. São pronomes clíticos. Cíclica é a tua estupidez! Não te cansas de estropiar o português, logo tu que és tão portuguesinho, que gostas tanto da tua pátria amada? Não tens vergonha de falar e escrever tão mal?

"Já isto é uma jóia: "é ir a correr, levantar o calcanhar, e esperar que a bola bata no sítio certo, para a fazer ir para a frente"."

M&M's, se não sabes o que é talento, é natural que te entusiasmes com estas coisas. Para mim, isto é uma banalidade. É fácil de fazer e, sobretudo, depende de uma acção instintiva cujo sucesso depende do Acaso. Em 10, o Ronaldo faz 1 daquelas que resulta. Tu achas extraordinário uma banalidade porque achas que o talento é um atributo divino. É um problema de crenças, e eu não tas vou mudar, de certeza. Crês nas coisas erradas. Paciência.

Diogo Cruz diz: "O que eu acho mais engraçado é que nenhum destes comentadores a insultar o autor considerou sequer a hipótese de discutir o jogo ou apresentar argumentos contra os do Nuno."

Não vale a pena, Diogo. Estas pessoas têm ideias formadas à priori e, para elas, é muito difícil compreender ideias que as contradigam. E nem sequer se preocupam em discuti-las. Mas eu é que sou o dogmático, na opinião deles.

Mike Portugal diz: "Não concordo quando mostras desdém pelo drible do Di Maria. Ele provocou o desequilibro que é o que ele sabe fazer bem e teve sorte pelo escorreganço, sim, mas isso é o que os dribladores fazem. Tentam provocar o desequilibro e desta vez foi bem sucedido."

Mike, ele não faz sequer bem o drible. Eu não estou a criticar a decisão, neste caso. Estou a criticar a execução, que foi deficiente. E a deficiência da execução permitiu ao Puyol perceber o lance e antecipar-se. Aquele saltinho do Di Maria denuncia imediatamente o que ele vai fazer, antes de o fazer. Do ponto de vista motor, aquilo é mal executado.

Quanto ao Ronaldo, concordo. Foi o único que, ofensivamente, fez alguma coisa. Mas foi quase sempre inofensivo. Mesmo no lance do penalty, se tivesse sido bem defendido, não teria criado grandes problemas.

Tiago diz: "O Barça só perde quando a relva é uma merda, quando é roubado e quando as outras equipas têm sorte!"

Tiago, se o Barça perdesse 50% dos jogos e eu dissesse que perdia sempre por factores externos, talvez tivesse um problema. Agora, o Barça perde poucas vezes, e nos últimos 5 anos quase não o vi perder por ter sido inferior ao adversário. É isso que está aqui em causa. Sempre que me viste dizer que o Barça perdeu por factores externos, sejam eles a sorte do adversário, o estado do relvado, etc., foram jogos em que o Barça não perdeu por ter sido inferior ao adversário. E justifico-o, como hoje. Desonestidade é fazer o que tu fizeste: vir aqui dizer coisas de boca cheia e não dizer porquê. Quando aprenderes a debater, talvez percebas que tens más opiniões. Enquanto te fiares nas tuas opiniões, e evitares o debate (mesmo o debate com a tua consciência), não aprenderás nada. Serás mais um que não compreende as ideias dos outros.

Tiago disse...

"...talvez percebas que tens más opiniões"

In a nutshell, aqui está a tua personalidade bem descrita.

Postiga disse...

Posso concordar com muita coisa que disseste nomeadamente que o Barça é e continuará a ser sempre superior em termos globais a qualquer equipa durante uma % do jogo. Agora sabendo eles que dificilmente haverá melhor equipa no Mundo a jogar rápido e com qualidade em transição ofensiva não achas que foram tenrinhos no posicionamento da equipa. Sabendo que o Real tem jogado sempre assim contra eles, aliás a equipa do Real até quase já abdicou da alternância pressão alta/baixa que fez nalguns inicios de jogos contra eles.

Quanto ao minuto 57 apenas o toque do Alonso me parece ao acaso. Todos os restantes 3 momentos são intencionais e bem executados. Porque nao falar por exemplo que Ronaldo aparece solto no momento do passe do Khedira? Ou da colocação do Di Maria e do Ronaldo, dois dos jogadores mais fortes em transição que nao foram colmatados com uma boa cobertura defensiva?

Tal como quando o Barça goleou o Real o jogo só "terminou" quando terminou, ontem não foi diferente. Todos os factores fazem parte do jogo e percebendo o que queres dizer, todas as equipas têm de saber jogar com isso, principalmente as melhores do Mundo

Cumps, Vasco Coelho

Nuno disse...

Pedro Almeida diz: O argumento que analisar o jogo depois do minuto que o Real marca o segundo golo soa a miudo amuado e pasma-se... a desonestidade. Reduz um jogo de futebol e muda completamente o paradigma de tudo.

É desonesto avaliar o Celta de Vigo - Benfica depois do resultado estar 3-0? É desonesto avaliar a final do euro 2004 depois do golo da Grécia?"

Pedro, já expliquei por que é desonesto. Porque não tem virtudes explicativas. O Barça estava a fazer um jogo certinho até ao momento, e não o fez depois disso. Não o fez porque esse jogo mudou o cariz da partida. Portanto, para explicar a partida e o resultado, basta centrar a discussão no que aconteceu antes do 2-0. Isto aplica-se a este jogo em concreto, e é em concreto que isto tem de ser analisado. Noutro jogo não será necessariamente assim. Queres dizer-me por que é que achas que isto é desonesto, ou é só porque sim, porque achas que todos os lances de um jogo têm o mesmo poder explicativo?

"O 2-0 num contra ataque com uma finta genial do Di Maria (que descobri aqui que afinal foi uma escorregadela do Puyol) mudou o jogo e obrigou o Barcelona a fazer o que não sabe: Ter um plano alternativo."

Finta genial? Voltamos à discussão técnica do lance. É mal executado, do ponto de vista técnico. E permite ao Puyol adivinhar o lance.

Sobre o plano alternativo, enfim, conversa da tanga. Se o Barça desse importância a planos alternativos, nunca tinha aperfeiçoado o modelo como aperfeiçou. Faz parte do que é esta equipa não ter planos alternativos. É parte da sua força.

"Como tu escreves parece que se o Ricardo Silva ou um cepo qualquer fossem minimamente inteligentes podiam chegar onde quisessem."

Basta ver o Luisão, que é lento e duro de rins. O posicionamento e a experiência que adquiriu permitem-lhe antecipar o que vai acontecer e proteger-se dessa maneira. O mesmo com o Jorge COsta, nos anos do Mourinho no Porto. Sim, defendendo bem, não é preciso ser especialmente rápido para travar atletas rápidos. O César Peixoto foi o defesa benfiquista que melhor defendeu o Hulk. Isto devia elucidar as pessoas acerca de muita coisa.

faa m diz: "Yah, se isto é um texto honesto eu vou lá e venho.
Até por 2 simples motivos, o futebol de uma e outra equipa. O futebol do Barça é de posse enquanto o do Real é de ataque rápido. Isto dá sempre a ilusão que o Barcelona está por cima do jogo."

Ilusão? Mas és doente? O Barcelona esteve por cima do jogo porque jogou melhor, criou mais situações de perigo, e manteve o Real quase incapacitado. Ilusão de quê, pá?

faa m. disse...

Nem te vou responder.. cresce.

João Duarte disse...

Nota prévia: detesto o Barcelona (clube).

Nuno, penso que o que incomoda muita gente (a mim passa-me um pouco ao lado) é a adjectivação que fazes em relação ao Real Madrid. Ao não reconheceres qualquer mérito, inclusive ao processo defensivo do Real, soa a ressabiamento.

Como disse, passa-me ao lado. Sou capaz de muito pior para não dar mérito a um rival.

Penso que a superioridade do modelo do Barcelona é óbvia, isto apesar de Mourinho vs Barcelona ter apenas 7 derrotas em 26 jogos. Os títulos estão na vitrina.

Agora, o que não passa pela cabeça de ninguém é uma equipa ir a jogo sem treinador. O treinador desta equipa continua a ser o Guardiola, e o Barça tem ido a jogo com o adjunto do adjunto. É um pouco a mesma coisa que o Benfica ficar a ser treinado pelo Pietra.

Outra coisa que se pode começar a discutir sobre o eventual ocaso deste Barcelona, é o burnout competitivo da espinha dorsal da equipa, ie, Messi, Xavi, Iniesta e Puyol.

Se o modelo é superior, e largamente indiscutível, quem está no banco e quem está em campo continuam a ser motivos de larga discussão.

Ontem o modelo do Barça continuou a ser superior, mas a circunstância do Real foi superior porque ganhou. E tenderá a ganhar mais se o Barcelona não alterar/melhorar as suas circunstâncias e confiar que apenas o seu modelo é garante de tudo.

A Fé ajuda a subir a montanha, mas não impede que morras afogado se ficares no vale quando chega a inundação.

Agora a questão de 1 Milhão de Euros: Se o Barça não conseguisse reunir a circunstância de ter Messi, Xavi e Iniesta na mesma equipa, conseguiria o seu modelo entregar tantos títulos?

João Duarte disse...

onde está:
"Ontem o modelo do Barça continuou a ser superior, mas a circunstância do Real foi superior porque ganhou. E ..."

Deveria estar:
"Ontem o modelo do Barça continuou a ser superior, mas a circunstância do Real foi superior E ganhou. E ..."

Nuno disse...

Postiga diz: "Agora sabendo eles que dificilmente haverá melhor equipa no Mundo a jogar rápido e com qualidade em transição ofensiva não achas que foram tenrinhos no posicionamento da equipa."

Sinceramente, não. O Real tem 2 lances, os 2 dos golos. Num deles o Ronaldo está junto à linha, de costas para a baliza. Piqué está atrás dele, e há mais 2 jogadores do Barça a chegar. A equipa estava bem posicionada. No caso do segundo golo, o mesmo. O Puyol está bem posicionado e tem o lance controlado até à escorregadela.

"Quanto ao minuto 57 apenas o toque do Alonso me parece ao acaso. Todos os restantes 3 momentos são intencionais e bem executados."

Hein? O Khedira faz um balão, sem olhar. Intencional em quê? Em acertar na bola? Isso foi, de facto. Bem executada, a finta do Di Maria? Vê de novo. Ninguém minimamente decente do ponto de vista técnico executaria assim. E a escorregadela é intencional? Que disparate. E a bola ir parar ao Ronaldo depois da defesa do Pinto, quando o Jordi tinha fechado a linha de passe, também dependeu da decisão dos jogadores do Real?

"Porque nao falar por exemplo que Ronaldo aparece solto no momento do passe do Khedira? Ou da colocação do Di Maria e do Ronaldo, dois dos jogadores mais fortes em transição que nao foram colmatados com uma boa cobertura defensiva?"

Porque nenhuma dessas coisas foi decisiva. Claro que o posicionamento inicial foi intencional, mas a jogada só prosseguiu por sorte. E isso é que interessa discutir.

faa m. diz: "Nem te vou responder.. cresce."

Também não estava à espera de uma resposta. Já percebi que não te agrada muito discutir. Preferes ter opiniões infundadas. É uma opção. Mas este blogue é para seres humanos. A frigoríficos e a lulas não tenho muito a dizer.

faa m. disse...

Só não me dou ao trabalho de discutir com pessoas imparciais ainda por cima sem maneiras. Doente?

Tiago disse...

"O Khedira faz um balão, sem olhar. Intencional em quê? Em acertar na bola?"

Ao não perceberes que aquele tipo de lance pode ser perfeitamente treinado e automatizado, principalmente para obter resultados contra este Barcelona, só dás ainda mais razão às dezenas de pessoas que aqui te chamaram burro.

Nuno disse...

ahahah
maior ressabiado de sempre
lindo!!

Nuno disse...

João Duarte, claro que este Barcelona não é o do Guardiola, e há pequenas diferenças que são relevantes. Mas este Barça continua a ser bem superior a toda a concorrência. E, francamente, não consigo entender a ideia de que o Real continuará a ganhar mais se o Barça não alterar. Ainda há 2 semanas o Barça cilindrou o Real e não goleou porque não calhou. Nestes moldes, o Barça continua a ganhar mais do que a perder com o Real. Mudar o quê? Como? Eu mudava algumas coisas, sim, mas não mudava os princípios, as ideias, e o modelo. O Barça está a fazer o que está certo, e é isso que deve continuar a fazer. Fazendo-o, continuará a ganhar mais vezes.

Quanto à pergunta, e o Real, sem o Ronaldo, o Ozil, o Casillas e o Xabi Alonso, conseguia importunar tanto o Barcelona? É uma pergunta falaciosa.

Nuno disse...

Tiago diz: "Ao não perceberes que aquele tipo de lance pode ser perfeitamente treinado e automatizado, principalmente para obter resultados contra este Barcelona, só dás ainda mais razão às dezenas de pessoas que aqui te chamaram burro."

Sim, porque treinar balões para o ar é de uma inteligência. Pá, o Real treina transições, estou seguro disso. Mas também estou seguro que o Mourinho não as treina dando uma venda para os jogadores porem nos olhos. E estou seguro ainda de que ninguém ali acredita que despejar bolas à toa é um bom método de contra-atacar.

Tiago disse...

"E estou seguro ainda de que ninguém ali acredita que despejar bolas à toa é um bom método de contra-atacar"

TU achas que o bola foi despejada à toa. E como TU és o dono da verdade, TU tens sempre razão.
Eu acho que é bem possível que o Khedira saiba exactamente onde está o Di Maria antes de bombear a bola. Mas como eu, para ti, devo ser um batráquio, um frigorífico ou outra coisa qualquer com que gostas de ofender quem aqui vai ler as merdas que escreves, não devo ter razão.
TU é que tens razão, ao usares argumentos como "relva" ou "sorte" para justificar as derrotas do Barcelona.

Postiga disse...

Facilmente se percebe que o balão do Khedira até pq ele nao é um sobredotado acaba por sair bem. Agora tambem é trivial que ele sabe onde estão os dois avançados da equipa dele e quanto mais rapido meter a bola naquele espaço correndo o risco natural de poder ser cortada mas quando nao o for criará sempre perigo. Só para completar: um jogador não precisa de olhar para saber se tem lá ou não um companheiro. Isto sim são automatismos, as vezes sai bem outras nem tanto.

Quanto ao drible do Di Maria, tambem facilmente se percebe que a queda do Puyol se deve à variação do sentido do drible do argentino a meio da jogada. Chamar sorte a isso ou azar é pouco relevante porque o remate iria sair sempre: poderia ser golo directo, poderia dar canto, poderia agarrar a bola, poderia sobrar para um jogador do Real ou do Barça sendo que estava 3x3 e 2 do Barça ( 3 com o redes) estavam no chão.

Não gosto nem fica bem mas és livre de dizer que tudo o que as outras equipas fazem bem contra o Barcelona é pura sorte e que tudo o que o Barcelona faz mal contra as outras é azar.

Mike disse...

o teu dogmatismo vem do facto de dizeres que "Se achas que é honesto analisar a partida usando o que se passou depois do minuto 57, explica-me porquê".

ou seja, na tua opinião, eu não posso analisar esta partida livremente. eu não posso analisar a desconcentração do barça e partir daí para uma análise mais profunda do resultado sem ser desonesto. se isto não é dogmatismo eu não sei o que é. eu, Mike, não preciso de explicar o que é desonesto ou honesto neste contexto porque para mim isto é apenas um jogo de futebol. tu é que introduziste esses conceitos no debate (logo no início do mesmo), qualificando de desonestas as pessoas que não concordassem contigo. o facto de explicares o que para ti é honestidade e desonestidade apenas confirma o teu dogmatismo. apenas serve para inquinares mais o debate a teu favor.

eu poderia dizer que é profundamente desonesto analisar este jogo sem incluir a desorganização do barça após o minuto 57, mas aó estaria a excluir a pressão que os jogadores sentiram por estarem em desvantagem, por exemplo. estás a perceber? tu no fundo não queres debater o jogo, queres debater aquilo que para ti é a superioridade incontestável do barcelona, e para isso apenas utilizas os primeiros 57 minutos porque os outros.. atrapalham-te um bocadinho.

sinceramente, eu, como mero observador, gostava de perceber essa desconcentração. até porque acho que o resultado final se deveu sobretudo a isso, à desconcentração do barça que se calhar começou antes.

mas tu não. "Desorientaram-se, e isso é o que basta. Como se desorientaram, cometeram erros que não estavam a cometer até ali".

ou seja, a partir do momento em que os jogadores do barça se desorientaram, o jogo acabou, não merece análise. é desonesto analisar.

ok.

que raio de análise..

João Duarte disse...

Nuno, larga a discussão do modelo. Ele está certo e o Barcelona não deve mudar nada aí.

O problema do Barcelona é outro. São as circunstâncias. Jogadores cansados dos mesmos desafios, ausência de treinador, jogadores velhos, contratações falhadas, plantel desequilibrado, lesões em catadupa e problemas no balneário. Já são agudos? Não, mas estão a ganhar forma e a menos que o clube atue imediatamente sobre estas circunstâncias do jogo, o Real ganhará mais.

Por muito bom e completo que seja o modelo, ele é interpretado em campo por pessoas (muito novas..), com as suas motivações problemas e ambições do momento. Creio que o somatório desses momentos na equipa do Barcelona é mau, e só não tem resultados piores por que o modelo é bom.

Mas e quando surgir a altura que a troco de vitórias circunstanciais irão abdicar do modelo?

Blessing Lumueno disse...

Na edição passada da copa do Rei, dirias então que a eliminatória acabou aos 45 minutos? Pois tendo perdido 1-2 em casa e a perder 2-0 ao intervalo fora, o Barcelona matou por completo a eliminatória, pois o espaço de tempo era muito curto para virar e fazer 3 golos? O argumento da eliminatória ter acabado aos 57 é parvo e não pega, não cola. O Real nesse jogo fez 2-1 aos 68! 2-2 aos 72! De repente faltavam 18 minutos e a eliminatória estava viva, bem viva!!!!! Num jogo digamos que o Real desperdiçou só na primeira parte 5 ocasiões para fazer golo e que se tivesse marcado, o jogo não teria sido o mesmo! Claro que não teria, os golos mudam sempre os rumos dos jogos!!!!

Concordo com a análise que fazes do jogo, mas com uma diferença. Não acho que o Barcelona tenha jogado bem, não acho que tenha feito por ganhar o jogo.
Os erros individuais, também o Madrid os cometeu durante muito tempo, e se defines assim o erro do Piqué eu diria, da forma como catalogaste da última vez que falei numa burrice do Sérgio Ramos, então tens mesmo a certeza de que se o Piqué lhe desse a linha, Ronaldo não faria uma mudança de direcção para vir dentro de forma a atacar a baliza? foi o que respondeste no lance do Ramos e do Iniesta, curiosamente os dois deram penalty.
Este Barcelona, não me convence, nunca me convenceu, nem nunca o vai fazer. Este Barça é fraco defensivamente por não ser, já, tão forte colectivamente... Escrevi-o no início da época... Escrevi, porque a análise não foi baseada nestes últimos jogos, que perderam, mas sim nos princípios de jogo que a equipa apresenta.

Ps: Não gosto deste Madrid, acho que não joga nada, não entendo a proposta de jogo deles, inclusive acho que defensivamente fizeram muitos erros, nomeadamente Coentrão e Di Maria sistematicamente... Não gosto deste Barça, porque com os mesmos jogadores produz, não em termos pontuais (porque tu não te apoias nesse tipo de análise), mas em termos de jogo, muito, muito, muito menos do que aquilo que pode.

Ps2: Faltou Messi, nestes momentos em que a equipa não consegue, ele com a capacidade criativa, podia ter ajudado se as condicionantes o permitissem. Mas o acerto, de Ramos, Varane, Arbeloa, Khedira sempre na saída quando ele estava de costas e nas coberturas não o ajudou.

Abraço

Ricardo disse...

ahahahhahahaa o post mais absurdo que li nos ultimos tempos!!

Guardo no entanto esta pérola:
"Quanto ao drible do Di Maria que deixou o Puyol a fazer a espargata, acho que não é assim tão tosco como o defines."

É, é. Acredita. Eu percebo de dribles."

AHAHAHAHHAHAHA priceless

Blessing Lumueno disse...

Pra finalizar o segundo golo do Real é mesmo pra rir, DISTRITALEX puro e duro! Acho que como treinador, já sofri dezenas de golos destes, dezenas looool

Mike disse...

"O argumento da eliminatória ter acabado aos 57 é parvo e não pega, não cola. O Real nesse jogo fez 2-1 aos 68! 2-2 aos 72! De repente faltavam 18 minutos e a eliminatória estava viva, bem viva!!!!!"

eu aqui a gastar o meu latim, tentando provar que a premissa inicial deste post é demagógica, moralista e, em última análise, absurda, quando me bastava uma breve pesquisa na net para o provar... enfim..

seria sempre muito difícil ao barça dar a volta ao jogo, mas como observador, sinceramente, foi o facto de nem sequer se ter vislumbrado uma reacção (fruto da tal desconcentração... cuja análise é desonesta...) que mais me incomoda e que poderá ter influenciado definitivamente o desfecho da eliminatória..

segue jogo!

Manuel Humberto disse...

Tiago, ele achou (caso não tenha mudado de opinião) que o lançamento de Khedira para o 2º golo de Ronaldo na supertaça foi um "alívio", no lance (de Ronaldo) "que qualquer jogador das distritais faria".

Quem acha isto não pode saber o que está a ver. Ele apanha uns padrões ao nível de movimentação mas no fundo não percebe nada do que está a ver, e agarra-se a esses padrões para construir mil e uma teorias estapafúrdias que desmontadas vão ter sempre aos mesmos 2 ou 3 elementos. Porque o Nuno fala sempre das mesmas coisas, mesmo quando olha para equipas / jogos / treinadores / jogadores diferentes. E é por isso que ele nunca decifra o que acontece. Antes, versa sobre o que não acontece por ser diferente do pouco que ele conhece / capta.

É como aqueles meninos que quando pegam num brinquedo diferente e perdem 5 ou 10 segundos sem conseguirem perceber como aquilo mexe, no lugar de pedir ajuda a quem sabe frustra-se, amua e diz "o meu brinquedo abre para a direita e este abre para cima ou não abre sequer", atira-o para o chão e diz "não presta", ainda que tenha uma coisa valiosa entre as mãos. O Nuno é no fundo um labrego, e é por isso que acusa os outros de "estúpidos", "portuguesinhos". É a testemunha de Jeová ressabiada e carrancuda lá do rebanho, ou a típica prostituta dorida que fala muito mal de TODAS as mulheres e apelida-as TODAS de prostitutas só porque ela (Nuno) dá o cu.

Sem querer vulgarizar a discussão, este é o retrato fiel da realidade em que o Nuno vive.

Ele não sabe nem tem talento para decifrar. E depois claro usa muito o termo "argumentos" quando os argumentos são "escorregou", "mandou um balão", "não vale nada", "quando se acabar a sorte começará a perder", "não percebe nada" e vai ao ponto de comparar o Ronaldo a jogadores de distritais ou escrever como escreveu há semanas "Vitor Pereira tem 1 ou 2 coisas interessantes mas não é nada de especial", ou como há 1 ano 1/2 também escreveu "Jesus nunca mostrou nada de especial".

Há algumas semanas, "Villas-Boas não aprendeu nada com Guardiola".

É ridículo, mas o Nuno é assim, basicamente por não perceber nada que vá além dos 2 ou 3 padrões pequenos que capta e a partir dos quais constrói tudo. Quando ao mesmo tempo é muito complexado e tem severos problemas de auto-estima, entra nos cíclicos e nos pronomes e nos portuguesinhos e nos patriotazinhos. Mas sobre isso tens razão Nuno (não tem muito a ver com a meia-final da taça do Rei mas vá), amo muito a minha pátria - PORTUGAL hoje e SEMPRE, e não me importo com os cíclicos nem pronomes indeferidos porque em nada machucam o meu amor pela PÁTRIA MÃE e com orgulho sou PORTUGUÊS ATÉ MORRER. Viva Cristiano Ronaldo e espero que José Mourinho dê uma lição naqueles Espanhóis todos ... e tu se não gostas bem que podes foder-te. Emigra, palhaço. Os verdadeiros Portugueses cá estarão para reconduzir a nação valente e imortal rumo às vitórias, contra tudo e contra todos, não somente contra os canhões.

Tiago disse...

O Messi está com febre!
Coiso, junta aí à lista de desculpas: "relva", "sorte", "febre do menino"

Pedro disse...

Como sempre uma discussão sobre o Barça faz a caixa de comentários "explodir".

Nuno, parece-me muito exagerado dizeres q o Barça foi muito superior ao Real. Até pode ter sido mas acho que o Real esteve muito bem em anular o jogo do Barça e conseguir aplicar a sua arma letar do contra-ataque. E o facto do Barça poder ter marcado e ter azar em não o conseguir não altera nada. Acho que o Real imprimiu uma pressão extraordinária ao portador da bola do Barça, conseguiu reduzir espaços, conseguiu impedir o tika taka habitual. O Barça esteve uns furos abaixo do normal? Esteve mas se calhar o Real foi a causa disso.

O lance do segundo golo é óbvio que é um chutão do Khedira. Óbvio. Mas tb é possível que seja um chutão com algum sentido de saber que está ali alguém. Não estou a dizer que foi, apenas aceito essa possibilidade. Por exemplo, o Milão fez muito uso do chutão mas era claramente táctico pq sabia q estava lá um jogador da equipa e era ver se entrava.

Não vou discutir o drible do Di Maria se é tosco ou não mas que o escorregão do Puyol faz toda a diferença lá isso faz. Como o lance do primeiro golo do fcp nos 5-0 ao SLB em que o David Luiz escorrega na marcação ao Hulk. Se não escorrega nem o Hulk ganhava o lance nem o Di Maria passava pelo Puyol e tudo seria diferente. Talvez.

Acho curioso essa ideia de que só percebemos de futebol se formos treinadores. Só somos bons condutores de automóveis se formos pilotos profissionais??? Não faz sentido nenhum...mas é um argumento batido. Enfim.

Diogo Cruz disse...

Lol só faltava o argumento do patriotismo.
Manuel, eu considero-me um verdadeiro portuguÊs e apoio o Barcelona. És mais portuguÊs que eu por causa disso?

E já agora, o Besiktas, o Cluj, etc, não te entusiasmam? Ou há portugueses bons e portugueses maus?
Não me digas que só gostas de portugueses nascidos na Madeira e em Setúbal.

Blessing, este tipo de golos tem sido também os que mais se vêem no Dragão. Rio Ave e Olhanense marcaram da mesma maneira: perda de bola do Porto, chutão para a frente e um avançado a correr sozinho. E nesses 2 golos, também como nos do Real, os defesas do Porto falharam (uma vez o Mangala lê mal a jogada e começa a correr para o jogador e não para a baliza e outra o Maicon falha completamente o posicionamento).

Diogo Cruz disse...

Já agora a questão do minuto 57 a mim parece-me simples. Acho que o Nuno não está a dizer que não podiam ter sido marcados mais golos ou que a eliminatória não podia ter mudado depois do minuto 57.
O que ele está a dizer, ou melhor o que eu interpreto, é que o Barcelona acabou aí, desistiu, baixou os braços. E portanto, tudo o que aconteceu depois não é relevante para a disputa da eliminatória. Por acaso o Barcelona até marcou 1 golo depois disso, mas nessa altura já a intensidade, a concentração e a motivação não existiam.

Não percebo a polémica por causa dessa afirmação. Aliás quem referiu os 7-0 ou os 5-0 do Porto podia dizer o mesmo. Quando o Porto ganhou por 5 ao Benfica, o jogo acabou com a expulsão do Luisão. A partir daí o Porto passeou e o Benfica arrastou-se em campo até ao final. Ter acabado 3-0, 4-0 ou 15-0 seria exactamente a mesma coisa.

Blessing Lumueno disse...

Pois, mas o futebol não nunca só ser analisado pelo espaço temporal temporal que nos interessa! E a catalogação de desonestidade não faz sentido... O que eu interpretei também foi isso, mas uma equipa de futebol, a melhor equipa do mundo, acabar um jogo aos 57? Só podemos estar a brincar... E mais, a análise do jogo nunca pode ser feita dessa forma. O jogo é um todo e tudo que acontece é sempre relevante para o desfecho final. Se o Real tivesse marcado mais, o resultado não tinha ficado 3-1 tinha ficado 5,6 e isso é bastante diferente de ter ficado 3-1, independente de para eliminatória o resultado ser a passagem do Real Madrid em qualquer um dos casos. O facto é que ainda fica futebol por jogar. E 30 minutos é muito, muito tempo... O Barcelona não tem a confiança que tinha antes. As transições defensivas do barça (imediatamente após perda de bola) estão caóticas! Sai toda gente a bola, ninguém fica nas coberturas. O Real que até gosta de jogar rápido e sair depressa, muitas das vezes viu-se obrigado a retirar de pressão primeiro, porque de facto ficava muito espaço descoberto... Pah Diogo, o Barcelona já nem ataca como fazia... Extremos a provocarem no espaço, a esperar pelos apoios, a criar zonas de atracção... Iniesta e Xavi e até Busquets a aparecerem no espaço, onde Alba aparece muitas vezes, Arriscar no espaço central e insistir nisso, de forma a aproveitar saídas de pressão nas costas do jogador em apoio. Muita coisa Diogo, muita coisa! Até ao bater de cantos directos e pontapés de baliza... Isso mata princípios...

Quanto ao golo, agora me lembro que também eu fiz um igual! LOL, estava colocado como avançado na linha dos defesas, os meu colegas fazem o alívio, e de repente estou isolado 1x0 para GR loool, é um golo horrível... Não há mérito nenhum, nem sequer se pode falar da colocação dos jogadores porque isso não se treina. Isso é anedótico pensar que se treina isso. Normalmente esse posicionamento dos jogadores não é para procurar profundidade se essa bola sair. É para procurar segurar e esperar pelos apoios, ou profundidade, caso o colega saia com a bola controlada. O alívio saiu bem, os defesas do Barcelona estavam relativamente bem colocados e até reagem bem, pois acompanham o lance... Depois claro, há mérito do Di Maria no drible e azar com o escorregar do Puyol... Enfim, juro que só me apeteceu rir quando o vi.
Sim o Rio ave e Olhanense fizeram isso... E isso demonstra toda força que o Porto tem no panorama Nacional! Tal como a força do Barcelona no internacional, postura total de submissão das outras equipas ao futebol deles, porque o acham impossível de anular! Então defendem o melhor que podem e fé em deus... O desacerto do Barça e as mudanças na equipa técnica (Guardiola, Tito, Roura) não ajudam em nada também...

Manuel Humberto disse...

Diogo Cruz,

"Não te cansas de estropiar o português, logo tu que és tão portuguesinho, que gostas tanto da tua pátria amada? Não tens vergonha de falar e escrever tão mal?"

Foi o palerma do Nuno quem o escreveu. A não ser que aches que eu sou portuguesinho e gosto tanto da pátria amada só porque tenho olhos na cara e vejo que Khedira não se limitou a "aliviar" quer no lance de ontem quer no lance da supertaça nem o golo de Ronaldo na supertaça seria imitado por qualquer jogador das distritais.

É que só falei disso. Em troca tive a resposta do portuguesinho e do patriota, como se o palerma estivesse a par do meu patriotismo ou falta dele.
Dão-se ao trabalho de ler o que ele escreve? Às vezes não parece

Blessing,

Nos distritais, nos jardins públicos ou nos vãos de escada não vês também muitos golos como os do Messi, tipo um Lionel Saraiva qualquer driblar meia equipa adversária e entrar com a bola na baliza? Achas mesmo que aquele 2º golo do Ronaldo há uns meses seria feito por um jogador das distritais, ou que Di Maria driblou Puyol tal como um chouriço qualquer nos distritais driblaria Puyol naquele lance?

Mike disse...

diogo, como já disse, acho a opinião do nuno legítima. o problema é que ele considera que a minha não é. e pior que isso, mesmo antes de eu a partilhar, já era desonesto, a não ser que a minha opinião fosse ao encontro da sua premissa moral: só é honesto quem analisar apenas os primeiros 57 minutos do jogo.

isto é o mesmo que, numa hipotética discussão sobre fé, alguém definir previamente que só se pode discutir o conceito de fé, ou a religião, ou deus, de acordo com o que está escrito na bíblia porque quem fizer o contrário é desonesto. inquina completamente o debate.

repara, eu acho que podes perfeitamente discutir este jogo apenas tendo em conta o que se passou nos primeiros 57 minutos, como já disse e repito, é legítimo. tal como é legítimo e lógico tentar perceber o resto do jogo.

e isto vale para todos os jogos.

Diogo Cruz disse...

Concordo Blessing, já tinha dito aqui ao Nuno que tinha visto o Barça a fazer pouco "tiki-taka" ou seja a trocar pouco a bola e a precipitar demasiado os ataques, sem apoios, sem desmarcações para aclarar espaços.
Aliás fala-se do desaparecimento do Messi neste jogo e eu acho que ele até foi dos melhores do Barcelona. Sempre que recebia tentava atrair 1 ou 2 jogadores e depois libertar no espaço que tinha criado. Mas Iniesta, Fabregas, etc, não os vi a dar apoio, a desmarcar-se.
O Iniesta aliás, porque raio estava ele ontem a tentar remates de fora de área tão frequentemente? Isto tem que ser ordem do treinador.

Manuel Humberto disse...

"Não há mérito nenhum, nem sequer se pode falar da colocação dos jogadores porque isso não se treina. Isso é anedótico pensar que se treina isso".

Di Maria e Ronaldo estão ali por acaso? Que merda de treinador és tu afinal?

Daniel Santos disse...

Na mitica manita do barcelona ao real em 2010 o jog ate foi pareceido com este...aos 45 segundos de jogo, este encontrava-se num equilibrio absoluto, apos uma enervante de posse do arcelona de mais 20 segundos seguidos desconcentrou mentalmente os jogadores do real, logo tudo que se possa comentar após o minuto e 5 seguntos é intelectuamente desonesto. Finalmente vejo alguem que percebe isso e concorda com a minha analise de que aquel foi um jogo equilibrado...embora os 5-0 nao o demonstem...

Daniel Santos

Blessing Lumueno disse...

Um que vai salvar o teu clubito do abismo...
Jovem tem calma contigo e tenta pensar um pouco...

Respondendo a tua questão senhor Manuel, com educação pois não te conheço de lado nenhum : Não sei que merda de treinador sou, mas sei que merda de treinador o Mourinho não é!
Tenho para mim que Mourinho é um treinador genial, que é um treinador que percebe que futebol é mais que sorte. E tu ao acreditares na intencionalidade daquele lance, estás a dizer que Mourinho acredita na sorte e nem sequer pensas que essa crença implica que Mourinho é um treinador de merda!
Mourinho percebe muito de futebol e perceber de futebol é muito mais difícil do que toda gente julga. Muitos falam sobre futebol, mas também eu falo de culinária com a minha mãe e pouco percebo disso.

Então vou explicar o porquê de aqueles jogadores estarem ali : estão ali para garantir que a equipa fica com a bola e cobertura ofensiva no caso de a equipa a recuperar. Estão ali porque em caso de ganho de bola, ou alívio fazem duas coisas : ficar com a bola e esperar que equipa suba, tocando no apoio vertical para sair rápido ; sair rápido e garantir profundidade caso um companheiro saia com a bola controlada.

Portanto o que aconteceu foi sorte e foi tanta sorte que em dez lances iguais sai um, porque a bola nunca sai nas melhores condições, ou porque os defesas interceptam ou porque os avançados não reagem a tempo... Etc etc etc...

E Mourinho sabe que 10% é nada... E Mourinho não acredita na sorte... E Mourinho sabe que um lance destes é um desperdício de tempo. Claro que se surgir há que aproveitar... Mas isso é bastante diferente de o treinar! Os posicionamentos não têm intencionalidade de aproveitar o lance, têm outro objectivo, mas eu percebo que tu não o percebas ;)

Diogo : não estou em casa estou na rua e fica difícil por ter o jogo gravado a demonstração, mas quando chegar, mostro dois lances que define, para mim, este Barcelona. E foram curiosamente no início do jogo. Ainda estava 0-0.

Blessing Lumueno disse...

Um dos lances é precisamente esse Diogo o primeiro remate do jogo... Iniesta...

Blessing Lumueno disse...

Sim na minha resposta está lá escrito que há mérito do Di e azar do Puyol filho é só ler ;)

Tiago disse...

Blessing,

O Barcelona sofre 3 golos muito semelhantes em momentos cruciais de jogos importantes:
- ontem
- supertaça
- golo do Torres o ano passado

É mesmo apenas sorte e acaso?

Blessing Lumueno disse...

Tiago, em quantos lances? 400 000? 3 golos? Em quantos jogos? 300? Não achas que me estás a dar razão?

Tiago disse...

400.000? 300?
O Barcelona já esteve a perder em 300 jogos a eliminar?

Blessing Lumueno disse...

Tiago estamos a falar de futebol ao mais alto nível... Real Madrid e Milan e Chelsea ... Achas que treinam pontapé pra frente sem ter bola controlada, para desmacar um avançado nas costas da defesa? Sem olhar sequer para demarcação? Sem olhar para movimento dos adversários? Não acredito que penses isso

Tiago disse...

Mas porque insistem no "sem olhar"? O treino não serve para isso? Para automatizar processos e não precisar de "olhar" antes de executar?

Blessing Lumueno disse...

Não mas o Barcelona em 4 anos de Guardiola fez esse número de jogos... E se é redutor falar de um jogo e limitar aos 60. Minutos, é redutor também pegar numa amostra de jogos redutora que não explane a real percentagem... Então pega nesses três golos, mete nos jogos que o Barcelona fez o ano passado, soma os deste ano... E faz a tua análise estatística, já que exagerei por excesso para perceberes...

Tiago disse...

Ainda não percebeste. Este tipo de lance faz sentido numa altura em que o Barcelona está a perder e a forçar tudo para recuperar. Ou seja, está mais balanceado para a frente e vulnerável atrás.
Por isso, não, o Barcelona não teve de resolver este tipo de lance 400 mil vezes.

Blessing Lumueno disse...

Lol! Ya o treino serve para isso, dependendo do nível a que estás a trabalhar e dependendo do treinador que tens... Estamos a falar de Mourinho! Ele não treina nada disso com toda certeza do mundo, porque ele sabe, e acredita que o treino não serve para automatizar por saber que as situações de treino e jogo são todas diferentes... Mas isso são coisas que já foram escritas aqui, em outros posts e no lateralesquero e no centrodejogo

Daniel Santos disse...

Posto isto concordo completamente com o nuno, porque o barceloana atacou mais, rematou mais, teve mais posse de bola, mais jogadas perigosas, a passeia a bola com mais criterio(muito em voga actualmente).

Infelizmente para o barça, o objectivo deste jogo ainda é marcar mais golos que o adversario...

Blessing Lumueno disse...

Tu te esqueceste é que o Barcelona quando tem bola independente do resultado está sempre balanceado na frente, está sempre com apenas e às vezes nem isso dois jogadores a garantir cobertura defensiva,...

Tiago disse...

Não vale a pena discutir com um gajo que tem toda a certeza do mundo.
Tu e o Coiso divirtam-se a admirarem as certezas absolutas um do outro.

B Cool disse...

Nuno, voltando ao tema das oportunidades de golo, não me parece que todas as que descreveste neste jogo correspondam a :

"oportunidades boas, em que o finalizador tem boas condições para finalizar."

quer porque aparecem defesas pelo meio dos remates, quer porque marcar livres tanto podem dar golo como não e a percentagem que entram é bem pequena.

Quanto ao drible, acho que o escorregar do puyol é devido a ter sido enganado pelo primeiro movimento, ter querido corrigir a posição e ter-se desequilibrado, ou seja, o drible atingiu o objectivo.

Quanto aos jogadores parece-me que os laterais procuraram pouco movimentos interiores mas antes a profundidade no corredor, que o xavi e o busquets não apareceram tanto nos espaços criados pelo messi e pelo iniesta e tanto o pedro como o fabregas não se movimentaram entre linhas como costumam.

Eu costumava ver a bola ir à lateral como forma de desposicionar a defesa para depois rodar depressa e bem para os espaços abertos no centro pelos movimentos dos médios/avançados, nos quais entravam outros médios/avançados e não foi isto que vi ontem.

Além disso pareceu-me que quando as coisas saíam mal ao Messi, ele não estava tão agressivo como costuma (por vezes pareceu-me conformado com as perdas de bola).

Foram as sensações com que fiquei.

Blessing Lumueno disse...

Tiago se te desses ao trabalho de ler um bocadinho do que o Mourinho diz sobre treino, também irias perceber. Até lá...

Blessing Lumueno disse...

Boas sensações, concordo quase na íntegra contigo

Bujix disse...

que palhaçada de texto... nem vou mais longe, classificar o que o dia maria faz ao puyol como "sorte" e ainda completar o ramalhete com "acredita eu percebo de dribles" é das coisas mais pequeninas que já ouvi...
mas pronto, a tasca é tua, foi a primeira vez que cá entrei e será a última. boa sorte e um abraço

Pedro Almeida disse...

"Queres dizer-me por que é que achas que isto é desonesto, ou é só porque sim, porque achas que todos os lances de um jogo têm o mesmo poder explicativo?"

É desonesto porque é obvio que um golo mudará sempre uma partida. Neste caso se fosse a ti analisava a partida até ao momento do primeiro golo do Real.

"Finta genial? Voltamos à discussão técnica do lance. É mal executado, do ponto de vista técnico. E permite ao Puyol adivinhar o lance."

Mas estamos a falar de natação sincronizada ou de futebol? Apesar de não ser um movimento muito harmonioso é de facto uma finta genial. O Puyol fica completamente sem rins e quase estatelado no chão. Fosse o Messi a fazer isto ao Sérgio Ramos e estarias a apelidar este lance de genial.

"Sobre o plano alternativo, enfim, conversa da tanga. Se o Barça desse importância a planos alternativos, nunca tinha aperfeiçoado o modelo como aperfeiçou. Faz parte do que é esta equipa não ter planos alternativos. É parte da sua força."

Essa força viu-se ontem, viu-se em São Siro (duas vezes) e viu-se também em Camp Nou num dia que tiveram de ligar a rega mais cedo.

"Basta ver o Luisão, que é lento e duro de rins. O posicionamento e a experiência que adquiriu permitem-lhe antecipar o que vai acontecer e proteger-se dessa maneira. O mesmo com o Jorge COsta, nos anos do Mourinho no Porto. Sim, defendendo bem, não é preciso ser especialmente rápido para travar atletas rápidos. O César Peixoto foi o defesa benfiquista que melhor defendeu o Hulk. Isto devia elucidar as pessoas acerca de muita coisa."

O teu problema principal é não saberes reconhecer ou sequer por em causa que a tua opinião pode estar errada. O Ricardo Rocha também foi quem melhor defendeu o Ronaldinho Gaucho isso prova alguma coisa? O futebol não é uma ciência, dias menos inspirados acontecem a todos.

Eu por mim fico por aqui. O Barcelona ontem foi genial e a imprensa de todo o mundo está errada. Obrigado por me abrires os olhos, foram de facto muito superiores e o Real Madrid teve sorte de com um treinador péssimo ter saido bem tudo o que fizeram ao calhas.

Abraços

SportingSempre disse...

foste enchovalhado e muito bem.

este texto é de um garoto.

já o ultimo foi de um puto a chorar que a relva estava alta e os maus fizeram batota, este ainda é pior. hahahahahahahahahha

Gito Bastos disse...

"O problema destas pessoas é interpretarem a qualidade geral da equipa, que não é muito diferente do que era, de acordo com um ou outro jogo ou até, o que é mais grave, de acordo apenas com um ou outro pormenor de um ou outro jogo."

Este Barcelona continua a ser uma equipa de grande nível, é certo!

Mas…
“…a qualidade geral da equipa, que não é muito diferente do que era…” Será?

A qualidade geral da equipa, hoje em dia, está, já, algo longe da qualidade geral da equipa de Pep.

Aqui fica um pequeno dado que mostra isso mesmo:

2011-2012 ---- 48 golos sofridos (ÉPOCA COMPLETA-64 jogos)

2012-2013 ---- 48 golos sofridos ( ATÉ HOJE - 42 jogos)


2011-2012 ---- 131 Golos marcados (jogos realizados ate ao dia 26-02-2012 44 jogos)

2012-2013 ---- 118 golos marcados (jogos realizados ate ao dia 26-02-2013 - 42 jogos)
*Só jogos oficias

Parece-me uma diferença significativa, principalmente nos golos sofridos.

Será isto obra do acaso? Será azar? Terão sido só 2 ou 3 jogos? Hummm, acho que não

Manuel Humberto disse...

Blessing, desculpa o que disse. De forma sentida, desculpa. Pela pergunta / acusação imbecil mas sobretudo pela má educação.
Sobre o lance: não se está a dizer que aquilo que foi programado para sair exactamente daquela forma. Agora dizer-se que é sorte ou acaso não faz sentido nenhum.

"Estão ali porque em caso de ganho de bola, ou alívio fazem duas coisas: ficar com a bola e esperar que equipa suba, tocando no apoio vertical para sair rápido; sair rápido e garantir profundidade caso um companheiro saia com a bola controlada".
Isto é completamente diferente do que disseras mais acima, "não há mérito nenhum, nem sequer se pode falar da colocação dos jogadores porque isso não se treina".

Então estão ali por algum motivo, certo? E é claro que percebes muito mais do assunto que eu, estranho seria se fosse diferente. Mas por isso é que fez-me confusão o que disseste e quer-me parecer que só o disseste para concordar de forma cega com a tese de "sorte". Assente então não se tratar de "acaso" também não é coincidência serem os 2 mais rápidos da equipa. Sequer os mais adiantados porque quando o Real sai é Di Maria e Ronaldo que já lá estão, e não Gonzalo Higuaín, os 2 mais rápidos porque os que dão mais garantias caso a equipa naqueles lances procure a profunidade. E tu prevês o "alívio" mas já não prevês que estão ali para aceder a uma solicitação que não seja alívio? Que sentido tem isso? O Chelsea o ano passado na meia-final derrotou o Barcelona em Londres com um golo de drogba também em transição onde Lampard lançou Ramires. Foi ou não foi? E não estou a dizer que os golos são iguais.

O que separa a "sorte" da "intencionalidade" não é então a posição de Di Maria e Ronaldo porque essas não são garantidamente casuais, mas sim: Khedira. Falaste no posicionamento dos outros 2 "não há mérito nenhum, nem sequer se pode falar da colocação dos jogadores" só para concordar com o Nuno, não foi? E por isso chateou-me a tua intervenção; não foi "honesta". Não quis nalgum momento insinuar que és mau treinador ou que sei mais de futebol a esse nível do que tu. És treinador. Eu não sou nada. Óbvio que sabes incomensuravelmente mais.

Indo então ao momento onde se determina o "acaso" ou intencionalidade (Khedira), saibas que não foi a primeira. Khedira não se limitou a despejar a bola e ele não precisa de olhar para que a jogada saia. Não significa que sairá sempre ou aquilo se programou daquela forma. Significa que o jogador tem a noção do espaço e não é acaso ter "aliviado" para ali e não para a bancada nem para a linha lateral ou outro sítio qualquer.

Concordas? Não foi acaso.

Seja como for é uma discussão inconsequente porque o autor deste texto já considerara a assistência de Khedira no jogo da supertaça um alívio.

Tens aqui o lance:
http://www.youtube.com/watch?v=SAfzF0wS6ls

Achas também que foi alívio ou dirás que sim só para concordar com o que ele escreveu na ocasião?

Manuel Humberto disse...

E podes já agora dizer se concordas que o Ronaldo nesse lance fez "o que qualquer jogador das distritais faria". Desde a assistência de Khedira à forma Ronaldo ganha o lance a Piqué aquilo à velocidade a que se faz de distrital não tem nada. Pouco surpreendentemente, dado o palco. A coisa mais parecida com "distrital" nesse lance é o "frango" de Valdés já que a bola é disparada com muita violência mas sai à figura.

Blessing Lumueno disse...

Boas Manuel,

Vou começar pelo final, mas só porque é mais curto.
Lance do Golo do Ronaldo da super-taça, vai a caixa de comentários deste blog, e vê o que digo dele... Podes é talvez ficar surpreso por eu discordar no Nuno, ao que parece pensas, mal, que nunca o faço. Não o faço é poucas vezes... Só que tento sempre, fundamentar as minhas opiniões. Quando concordo, naturalmente não é necessário, pois estou, normalmente, a dirigir os comentários a ele. A não ser que surja algum comentário a outra pessoa, mas aí cito o nome, sempre antes. Passe super intencional do Khedira, segue a movimentação do Ronaldo e depois o que Ronaldo faz ali, é pura técnica! Aqui há intencionalidade.

Lance do Chelsea Lampard a lançar o Ramires: http://www.youtube.com/watch?v=RifNvNF99EQ

Mais intencional que isto, impossível... Vê a colocação do colega, vê o movimento, vê a equipa do Barcelona partida e basculada na zona da bola, e mete no corredor oposto... Tudo fácil... Tudo intencional, sorte 0!

Quanto ao lance em questão, é pena não te lembrares da jogada toda, onde começa e como acontece. Eu tenho o jogo gravado, se quiseres que faça um exercício igual ao do lateralesquerdo, pois não encontro nenhum vídeo depois envio as fotos por e-mail, entretanto vou explicar o lance... É canto a favor do Barcelona, e nos cantos, o Real coloca Di Maria e Ozil e cobrir a saída do Barça para o canto curto, como colocou e o resto dentro da área com Ozil a entrada para saída rápida. Ronaldo estava dentro da área, tal como Higuain... O canto é batido e curiosamente é Ronaldo que desvia... A bola sobra para os jogadores do Barça, na zona onde estava Higuain, Iniesta chuta contra a defesa e a bola sobra para uma zona onde Varane tenta atacar a bola, tal como Alonso e Ramos que corta, com Higuain por perto. A bola depois sobra pra Ozil e aí começam a subir Di Maria, Ronaldo e Higuain, porque Ozil ia ficar com a bola controlada. Sofre falta, o árbitro não marca, Piqué segue com a bola e Higuain fica a protestar a falta, tal como Di Maria, o único que não vejo na imagem da TV é o Ronaldo nesse momento, porque estava-se a desmarcar do lado direito e não sei como reagiu. O Barcelona tenta combinar e Ramos corta o passe de Busquets com a bola a ficar alta, Alonso faz um corte deficiente pois a bola não vinha nas melhores condições e a bola sobra para Khedira que dá um chutão na frente... Entre o Ozil ter perdido a bola e o chutão do Khedira, passaram 9 segundos! 9 Segundos. 9 Segundos que não deixaram os jogadores mais avançados do Madrid recuperar, que corriam os três pra frente pois Ozil ia ficar com a bola controlada e ainda por cima o posicionamento do Higuain e Di Maria, deve-se ao protesto aquando da perda de bola do Ozil, nada intencional... Não reagiram a perda de bola e ficaram ali só a olhar. 9 Segundos onde Khedira não tirou os olhos da zona da bola, portanto nunca teve tempo para ver se estavam lá os colegas, pois no início do lance, como disse não havia lá ninguém... Como pode ele de costas para o lance, sempre a olhar pra bola, ter percebido sequer que estavam lá os colegas???

Estás a vontade para explicar... E se tiveres razão vou entende-lo com toda certeza...


Blessing Lumueno disse...

E sim a minha intervenção foi do mais honesta possível... Pois o lance foi do mais casual que pode acontecer, foi isso que me pareceu, e continua a parecer. Quando tenho de discordar de algo não preciso que alguém me diga, já discordei várias vezes e aliás ainda sobre este mesmo texto discordei sobre algumas partes dele que me parecem de discordar, mas explicando o porquê...

Por exemplo não olhei muito para alguns erros, mas o Nuno diz que o Real só criou uma ocasião, e eu vi mais... Só que não me interessa discutir isso... Tal como não me interessa discutir o lance, mas sim o jogo, e o fraco rendimento do Barcelona!

Nuno disse...

Enfim, havia muito a dizer, mas entretanto a conversa andou para a frente e não me apetece responder a todos. Aliás, tirando 2 ou 3 pessoas que estão interessadas em discutir, as outras não vieram cá senão para disparatar, portanto não deixo muita gente decepcionada.

Apesar de tudo, este post serviu para uma coisa. Quando se escrevem textos mais teóricos, sobre assuntos mais complexos, as pessoas não vêm cá, ou falam deles pela rama. Quando se escreve um texto em que se mostram que as ideias preconcebidas das pessoas não estão certas, fica tudo com os cabelos em pé. Ainda não houve uma única pessoa que tivesse conseguido dar uma boa razão para que o Real tenha, de facto, merecido ganhar, ontem, mas está tudo muito indignado com as minhas afirmações, algumas delas tão auto-evidentes que me faz confusão que haja quem não as compreenda. Basicamente, este texto serviu para mostrar como as pessoas lidam muito mal com a própria estupidez. E lidar mal com a estupidez é o sintoma mais claro dessa estupidez.

Pedro Almeida disse...

Nuno, a melhor resposta que te posso dar é esta:

Entre os 57 e os 88 minutos o Real jogou muito. Quem quiser analisar o jogo fora deste prisma é desonesto. Se alguem me explicar que o Barcelona jogou melhor nesse periodo entao dou o braço a torcer.

Manuel Humberto disse...

Blessing, obrigado: era so mesmo isso. Nao te posso demonstrar que o lance de Khedira nao e "acaso", so no Khedira, bola que sai dos seus pes, mas tambem nao e isso que me importa. O meu primeiro comentario serviu para dizer que a mesma pessoa que viu neste lance "acaso", vira no anterior (supertaca) igualmente "acaso".

Era so isso. Um completo disparate relacionado ao lance de ha uns meses.

O mais foi a sua (autor do texto) resposta com os pronomes, referencias bacocas e algo xenofobas aos Brasileiros, ciclicos e declaracoes de patriotismo que tambem nao me interessam.

"Como pode ele de costas para o lance, sempre a olhar pra bola, ter percebido sequer que estavam lá os colegas???" Nao precisa de saber, mas alivia para uma zona jogavel. Dai ter referido no comentario 7/10 duma e 3/10 de outra. Isto sao coisas simples.

Nuno disse...

Pedro, jogou muito? Ou o Barça falhou muito? Pá, qualquer pessoa honesta discute o jogo até ao minuto 57. Está explicado porquê, mas digo-to outra vez. O Barça desconcentrou-se. Isso é notório e demonstra-se pela completa diferença entre o que tinha acontecido até aí e o que aconteceu depois. Essa desconcentração fez com que cometessem erros que não tinham cometido até então. Não me parece honesto falar do que se passou depois disso não porque não me apeteça, mas porque os primeiros 57 minutos mostram que o jogo foi muito diferente. Isto é honestidade. Se fores honesto, percebes facilmente que isto é assim. Aliás, nem precisaria de to explicar. Se queres falar do que se passou depois, então és desonesto. E não me interessa falar com gente desonesta, desculpa.

M&M's, tu não sabes nada de futebol. Tu não sabes o que é por acaso e o que não é. Tu não sabes distinguir o que é um recurso técnico de um coice. Deixa, se faz favor, de poluir o ambiente com o barulho, que aqui as pessoas agradecem. Dedica-te à pecuária, talvez seja melhor. De futebol, não percebes, não insistas.

Mike disse...

"Não me parece honesto falar do que se passou depois disso não porque não me apeteça, mas porque os primeiros 57 minutos mostram que o jogo foi muito diferente. Isto é honestidade" - honestidade de acordo com o nuno, falar apenas do que lhe convém. reparem que ele até tem vontade de falar, mas como o que se passou depois do minutos 57 (a desconcentração do barça, que aparentemente aconteceu por geração espontânea, não houve mérito do real madrid nessa desconcentração) contradiz a teoria da superioridade eterna e universal do barcelona sobre todos aqueles cujos pés ousaram tocar numa bola de futebol (ou numa lata de coca-cola, ou numa pedra da calçada, ou em qualquer coisa que fizesse lembrar, por breves instantes, uma bola de futebol e que permitisse simular, sem grande desconforto, um jogo de futebol), é melhor não falar sobre o assunto.

honestidade de acordo com o dicionário (priberam.pt)
1. Qualidade daquele que é honesto (o nuno).
2. Decoro, modéstia; pudor; castidade. - definição de nuno
3. Honradez, probidade. (probiquê? pode ser, é o nuno!)

"Todos nós sabemos o que é uma acção desonesta, mas o que é a honestidade, isso, ninguém sabe." - honestidade de acordo com tchekov

"Que patifes, as pessoas honestas." - honestidade para o emile zola (mas que grande jogador este zola!)

"Nos manicómios faltam ainda celas para homens honestos." - honestidade para este tipo que não sem quem é nem me interessa - Emanuel Wertheimer

"Se o desonesto soubesse a vantagem de ser honesto, ele seria honesto ao menos por desonestidade." - socrates (depois de zola, socrates.. os futebolistas sabem muito sobre honestidade!)

isto tá tudo no citador.pt.

*

ó nuno, aceitas uma brincadeira, ou isto é para levar tudo a peito?

XXI disse...

Também posso dizer que é "desonesto" analisar a época futebolística do Sporting?
É que desde o início da época que os jogadores entram em campo "desconcentrados", por isso cometendo erros que "nuna situação normal" não cometeriam...

O Barça não deixou de ser a melhor equipa do mundo por ter perdido 1-3 com o Real Madrid.
Aliás, no meu ver, o Real foi melhor neste jogo. O jogo não se pode reduzir a remates que batem nas pernas dos defesas. Nem tão pouco a 57 minutos.
Se formos por aí, o Sporting foi muito superior a todos esta época até ao minuto 10 da primeira jornada. Quem discordar não é "honesto", pois o Sporting depois daquele remate falhado ficou "desconcentrado" para o resto da época...

LaCulebra

Felipe Cordelini disse...

Nuno, penso que colocação é incorreta, ela parte de um entendimento limitado acerca das possibilidades do futebol.

Espero que não leve como ofensa, veja meus argumentos e os conteste.

Bem, atualmente o Barcelona perdeu sua vantagem estratégica sobre as equipes que costumava vencer até 2011. Isto aconteceu quando José Mourinho percebeu que não era possível jogar meramente defendendo-se em seu campo - o que permitia ao Barcelona segura posse de bola e ter controle total sobre os elementos dinâmicos do jogo.

O Barcelona tinha controle total das partidas e concedia pouquíssimos ataques ao adversário, o mantendo em um estado de perpétua letargia, com um toque de bola enfodanho, para de repente realizar um ataque com Messi ou algum lançamento desde a intermediária.

Mourinho percebeu que teria que alternar a defesa em linhas com momentos em que a marcação seria feita em zona adiantada. Percebo que este momento pode ser assinalado como o jogo da volta na Champions de 2011, desde esta partida o Madrid tem sem conseguido destruir estrategicamente o Barcelona.

Como fazer isto ? Simples, pressionar a frente, dando ao Barcelona a possibilidade de ataque em velocidade. O Barcelona simplesmente não realiza contra-ataques, fora alguns lances de Messi. O time sempre arma seu ataque lentamente ocupando as duas pontas e a intermediária com no mínimo 7 jogadores no todo.

Tanto Milan quanto o Madrid alternaram defesa adiantada com a defesa mais atrás e colheram ótimos resultados ante uma equipe que não ataca rapidamente, pois não tem força física e velocidade para isto.

Para reter a bola o Barcelona prefere jogadores baixos e rápidos, porém que são incapazes de defender bolas alçadas tanto quanto atacar. Apenas Puyol, Busquets e Piqué cabeceiam neste time.

O time do Barcelona possuia a vantagem estratégica da segurança da posse de bola - isto desapareceu por meio da pressão adianta criada por Mourinho e os defeitos se tornam evidentes, o jogo do Barcelona é tão sólido quanto um queijo suiço.

Termino lembrando que o Futebol é decidido pela marcação de gols e não disputa de quantos passes inúteis se realiza. Mourinho pode ter perdido as primeiras batalhas, mas acaba por criar teoria para o futebol e provavelmente vencerá a guerra.

Nuno disse...

Felipe Cordelini diz: "O Barcelona tinha controle total das partidas e concedia pouquíssimos ataques ao adversário, o mantendo em um estado de perpétua letargia, com um toque de bola enfodanho, para de repente realizar um ataque com Messi ou algum lançamento desde a intermediária."

Felipe, começo por esta afirmação, porque esta afirmação enquina todo o seu pensamente e denuncia imediatamente o preconceito que tem com este Barcelona. Toque de bola enfadonho??? Pois, claro. De resto, a ideia de o Barcelona deixar o adversário num estado de letargia é tão estúpida quanto dessiminada. Há muita gente que pensa que isso é o que Barcelona faz. Estão todos errados. O toque de bola do Barcelona atrai marcações, desposiciona coberturas, arranja espaços; não adormece ninguém. A não ser, talvez, o Felipe. Por fim, o Felipe acha mesmo que o jogo do Barcelona se caracteriza por andar a trocar a bola calmamente até pode fazer um passe para o Messi ou um lançamento longo? Ou não vê jogos do Barcelona, ou não sei o que lhe diga.

Tudo isto, obviamente, enquina o seu raciocínio, que está todo errado.

"Mourinho percebeu que teria que alternar a defesa em linhas com momentos em que a marcação seria feita em zona adiantada. Percebo que este momento pode ser assinalado como o jogo da volta na Champions de 2011, desde esta partida o Madrid tem sem conseguido destruir estrategicamente o Barcelona."

Falso. O primeiro jogo em que Mourinho optou por pressionar alto foi a final da taça desse mesmo ano. Nesse e nos jogos seguintes, o Real jogou assim, com o Pepe no meio-campo, aliás. Perdeu 1 jogo, empatou outro, ganhou um no prolongamento, e perdeu uma eliminatória. Resultados positivos? Não me parecem substancialmente diferentes dos anteriores. E depois disso, o Barça de Guardiola venceu a supertaça e venceu o jogo da liga, na primeira volta, só perdendo em Camp Nou, na segunda. Acha mesmo que a estratégia do Real fez com que os resultados fossem muito diferentes? Este ano, na supertaça, o Barça ganhou o primeiro jogo, que só não resolveu a eliminatória porque, no último minuto, o Valdez ofereceu um golo ao Di Maria, e o Real ganhou o segundo. Em Camp Nou, para a Liga, empate. No Bernabéu, há 2 semanas, para a Taça, empate e domínio claríssimo do Barça, a desperdiçar inúmeras ocasiões de golo, e agora, vitória do Real. Acha mesmo que os resultados demonstram que o Barcelona já não se consegue superiorizar ao Real??

Como já disse várias vezes, as pessoas acham que 2 maus resultados (com 2 exibições fracas) são sinais inequívocos de tendências. Estão enganadas.

Nuno disse...

"Como fazer isto ? Simples, pressionar a frente, dando ao Barcelona a possibilidade de ataque em velocidade. O Barcelona simplesmente não realiza contra-ataques, fora alguns lances de Messi. O time sempre arma seu ataque lentamente ocupando as duas pontas e a intermediária com no mínimo 7 jogadores no todo."

Felipe, está a partir do princípio de que, pressionando à frente, o Barça é forçado a jogar em contra-ataque, o que é um erro. O Real pressiona à frente, mas à medida que o Barça vai conseguindo escapar à pressão, o Real vai tendo de baixar as linhas, e formar a zona pressionante onde a bola estiver. E, de resto, se houve coisa que o Real não fez, neste jogo, foi pressionar à frente. Passou o jogo encolhido atrás, como aliás tem feito noutras ocasiões. É falso que o Real, desde esse jogo para a Taça em 2011, tenha utilizado sempre a mesma estratégia. Umas vezes pressiona mais alto, outras vezes mais baixos. E outras vezes altera a estratégia ao longo do jogo.

"Tanto Milan quanto o Madrid alternaram defesa adiantada com a defesa mais atrás e colheram ótimos resultados ante uma equipe que não ataca rapidamente, pois não tem força física e velocidade para isto."

Comparar o jogo do Milan com este é desonesto porque o estado do relvado teve uma influência enorme. De resto, em 90 minutos, o Milan defendeu com 9 jogadores atrás da linha da bola. Pressionar a saída de bola com 2 atletas não é pressionar coisíssima nenhuma. O Milan, como aliás o Real neste jogo, defenderam com o bloco muito baixo.

"Para reter a bola o Barcelona prefere jogadores baixos e rápidos, porém que são incapazes de defender bolas alçadas tanto quanto atacar. Apenas Puyol, Busquets e Piqué cabeceiam neste time."

E vê-se, a diferença que faz ter muitos jogadores bons de cabeça. Que idiotice!

"O time do Barcelona possuia a vantagem estratégica da segurança da posse de bola - isto desapareceu por meio da pressão adianta criada por Mourinho e os defeitos se tornam evidentes, o jogo do Barcelona é tão sólido quanto um queijo suiço."

Claro, claro. O Barça continua a mandar nos jogos, continua a ter percentagens de posse de bola acima dos 60%, continua a criar mais oportunidades do que os adversários, mas a sua solidez foi-se. Eu não percebo mesmo o raciocínio de certas pessoas.

"Mourinho pode ter perdido as primeiras batalhas, mas acaba por criar teoria para o futebol e provavelmente vencerá a guerra."

Qual guerra? Se houve guerra que o Mourinho perdeu, foi a que veio ter para Espanha. Ganhou 1 campeonato a jogar nos limites, e este ano vai ter até dificuldades em ficar em segundo. Se houve alguém que ganhou umas batalhas, mas perdeu a guerra, esse alguém foi Mourinho.

João Duarte disse...

Mourinho vs Barcelona, apenas teve 7 derrotas em 26 jogos.

Se me parece exagerado considerar Mourinho como o Barça Hunter, tb não vejo ninguem com uma probabilidade superior de obter um bom resultado contra o Barcelona, e não vejo o Barcelona a esmagar Mourinho.

Penso que a equipa do Barcelona atingiu o ponto de inflexão já há algum tempo.

O modelo continua insuperável, mas os jogadores já não estão "lá" como estavam.

Futebol é muito mais do que treino, modelo de jogo e jogo.

Quem já liderou equipas como eu liderei, pode asseverar que as circunstâncias de cada individuo (não controladas pelo grupo) pode ter um impacto decisivo na performance do grupo.

E é óbvio quais são as circunstâncias. Guardiola saiu esgotado, sem novos objectivos. E o resto da equipa?

Guardaremos na memória aquelas épocas fantásticas, mas daqui para a frente só assistiremos a uma sombra.

Felipe Cordelini disse...

Respondo as afirmações do Nuno pois com elas não concordo, tendo em vista serem um ponto de visto equivocado por sentimentos, buscando vincular o futebol com um senso estético que nem sempre é necessário ao sucesso. No futebol vence quem marca mais gols.

“...Há muita gente que pensa que isso é o que Barcelona faz. Estão todos errados. O toque de bola do Barcelona atrai marcações, desposiciona coberturas, arranja espaços; não adormece ninguém...”

R:O toque de bola do Barcelona é quase sempre realizado em zonas em que possui superioridade numérica, mantém a posse de bola, porém não busca a gol até que a defesa se enerve – por ficar tanto tempo recompondo o posicionamento – aí então buscam a Messi para abrir a defesa com uma jogada individual.
O Barcelona não tem alternativas utilizando bolas aéreas e não tem como Forçar um gol, algo evidente nos duelos perdidos contra a Inter de Milão, Chelsea, Milan e Real Madrid.




“...É falso que o Real, desde esse jogo para a Taça em 2011, tenha utilizado sempre a mesma estratégia. Umas vezes pressiona mais alto, outras vezes mais baixos. E outras vezes altera a estratégia ao longo do jogo.”

Acredito que estás enganado neste ponto. Realmente após o Barcelona escapar a pressão adiantada a defesa é forçada a se reagrupar atrás para o contragolpe.

Na final da Copa do Rey de 2011, o Real Madrid utilizava Pepe, Xabi e Lass no centro, porém não existia ainda o conceito de adiantar todas as linhas, este surgiu na segunda partida da Champions pois Mourinho já tinha a vaga como perdida e resolveu arriscar tudo, insisto em que reveja a partida.

“Comparar o jogo do Milan com este é desonesto porque o estado do relvado teve uma influência enorme. De resto, em 90 minutos, o Milan defendeu com 9 jogadores atrás da linha da bola. Pressionar a saída de bola com 2 atletas não é pressionar coisíssima nenhuma. O Milan, como aliás o Real neste jogo, defenderam com o bloco muito baixo.”

O Real Madrid defendeu grande parte do jogo atrás, porém em muitos momentos do jogo quebrou o domínio estratégico do Barcelona através de uma defesa alta agressiva, esta é a chave que você não conseguiu perceber: o Barcelona perdeu a sua chave estratégica que era poder dosar como quisesse o ritmo do jogo, o domínio psicológico da situação, isto acabou !

O Milan venceu merecidamente e avançou sua marcação nos últimos 20 minutos, podendo até mesmo ganhar de 3x0. A grama ou relvado, como queira, não foi elemento prejudicial tão marcante assim havia buracos devido ao frio, mas nada demais.
O Barcelona não conseguiu realizar troca de passes devido sim a compactação do Milan que inteligentemente Cedeu os espaços laterais, ciente de que não levaria um gol com jogadas aéreas – o Barcelona não faz gols de cabeça nunca.

“Qual guerra? Se houve guerra que o Mourinho perdeu, foi a que veio ter para Espanha. Ganhou 1 campeonato a jogar nos limites, e este ano vai ter até dificuldades em ficar em segundo. Se houve alguém que ganhou umas batalhas, mas perdeu a guerra, esse alguém foi Mourinho.”

Mourinho tem uma das equipes mais fortes do mundo, diversos jogadores na casa dos 23 a 27, equipe para mais 5 anos, já o Barça está se dissolvendo.
O Real Madrid tem ganho a maioria dos clássicos e o provável é que siga vencendo pois sabe como fazer para anular o ataque tiki-taka, ao contrário o Barcelona não possui meios para deter os contra-ataques, muito menos a bola áerea de um Madrid com média de altura de 1m83. Altura e físico contam muito para o futebol, queiramos ou não é um jogo físico.

Mourinho, Mourinho, o velho sábio de Setubal perdeu a batalha, engoliu o acidente dos 5x0, mas está a destruir o legado tiki-taka ao provar que há sim alternativas para anular e destruir este tipo de futebol, eis sua maior vitória e também a nossa.

Diogo Cruz disse...

"Mourinho tem uma das equipes mais fortes do mundo, diversos jogadores na casa dos 23 a 27, equipe para mais 5 anos, já o Barça está se dissolvendo."

Ai está?
Valdés-31 (de saída) vs Casillas -31
Dani-29 vs Arbeloa - 30
Alba - 23 vs Marcelo ou Coentrão-24
Puyol- 34 vs Pepe - 30
Pique - 26 vs Ramos - 26
Busquets - 24 vs Alonso - 31
Xavi - 33 vs Khedira - 25
Cesc - 25 - Ozil - 24
Iniesta - 28 vs Cristiano - 28
Pedro - 25 vs Di Maria - 25
Messi - 25 vs Benzema - 25

Ou seja, posição a posição, o Barcelona só tem jogadores mais velhos em 3 e numa delas é de 25 para 24 anos. Além disso só 2 jogadores que são Xavi e Puyol estão realmente em final de carreira.
Ainda, o principal jogador do Barcelona tem 25 anos e o do Real tem 28.

Quanto a equipas B e formação, no mínimo a do Barcelona é tão boa como a do Real (mas pronto, é melhor todos sabemos disso). Quanto a estabilidade, Mourinho sai esta época e provavelmente Kaká, Benzema, Coentrão, Marcelo, etc, etc, etc podem seguir-lhe os passos.
O Barcelona vai perder o redes, ponto.

Isso de desejar o fim de ciclo do Barcelona é diferente dele realmente acontecer.

Diogo Cruz disse...

"Mourinho, Mourinho, o velho sábio de Setubal perdeu a batalha, engoliu o acidente dos 5x0, mas está a destruir o legado tiki-taka ao provar que há sim alternativas para anular e destruir este tipo de futebol, eis sua maior vitória e também a nossa."

Já agora, informo-o que o Barcelona tem 16 pontos de vantagem na principal competição entre os 2 clubes e que vai ganhar o 4º título em 5 anos (o 3º em 4 anos de Mourinho). Informo-o também que o Real conseguiu defender o título por 2 meses no máximo e acabou por ter que entregar completamente as fichas e dedicar-se a outras competições. Este jogo deste fim-de-semana vai ter tanta importância como um amigável de pré-época porque o Barcelona já é campeão, até pode perder por 500-0.

Digo-lhe também que aqui por Portugal, quando o meu clube não ganha o campeonato e ganha só a taça fico muito triste (felizmente, tal como o Barcelona, só perde um campeonato de 5 em 5 anos).

Mas a do Rei deve ser especial, mas só em anos em que é o Mourinho a ganhá-la.

Ricardo disse...

Compreendo a ideia do Nuno, mas talvez fosse interessante também discutir os últimos 37 minutos precisamente por aquilo que aqui é defendido: um certo acomodamento e perda de qualidade no jogo catalão. Não me parece que o Barça das outras épocas tivesse "desistido". O facto de ser o adjunto do Tito ajuda a explicar, mas não convence totalmente.

Blessing Lumueno disse...

2 título do Barcelona em 3 anos... Só para corrigir

Nuno disse...

"Mourinho vs Barcelona, apenas teve 7 derrotas em 26 jogos."

Estamos a falar de equipas diferentes, quer do Mourinho, quer do Barça. Parece-me um bocado forçado querer concluir alguma coisa com isto. Contra o Barça do Guardiola, que é substancialmente diferente do Barça anterior, o pecúlio do Mourinho é muito diferente.

"O modelo continua insuperável, mas os jogadores já não estão "lá" como estavam."

Concordo. E acho que isto se nota, sobretudo, nos detalhes, nos momentos decisivos, na capacidade de se superarem. O Barça está mais regular do que nunca (mais do que em qualquer outra época do Guardiola, sobretudo porque a rotatividade da equipa é menor), mas já não é capaz de uma supremacia tão categórica e, sobretudo, não é capaz do tipo de superação de que, em alguns momentos, talvez precisasse. Acontece, e penso que é inevitável que assim seja. O que parece errado é concluir que, sendo assim, a equipa já não é forte. Continuo a não ver ninguém que seja capaz de os destronar, o que não implica que as probabilidades de vencerem sempre não sejam agora inferiores.

Felipe Cordelini diz: "O toque de bola do Barcelona é quase sempre realizado em zonas em que possui superioridade numérica, mantém a posse de bola, porém não busca a gol até que a defesa se enerve – por ficar tanto tempo recompondo o posicionamento – aí então buscam a Messi para abrir a defesa com uma jogada individual."

Isto é tão redutor. O Barça é muito mais do que isso. Para já, é, de muito longe, a equipa que conheço que mais tempo e com mais qualidade troca a bola dentro do bloco adversário. Trocar a bola dentro do bloco adversário é difícilimo de fazer, e não tem nada a ver com um tipo de posse passiva e inofensiva, como muitas vezes se quer fazer passar.

"O Barcelona não tem alternativas utilizando bolas aéreas e não tem como Forçar um gol"

Pois não. E ainda bem. É isso que faz deles a equipa que são. Quando se fala em planos B, em modos alternativos de chegar à área, etc., esquece-se de que isso faria com que a equipa não fosse tão perfeita no tipo de jogo que cultivam. Faz parte de quem são e do modo como jogam não fazerem o que a maioria das equipas fazem.

"O Real Madrid defendeu grande parte do jogo atrás, porém em muitos momentos do jogo quebrou o domínio estratégico do Barcelona através de uma defesa alta agressiva, esta é a chave que você não conseguiu perceber:"

Sim, eu é que não percebi, claro. O Real só pressionou alto em pontapés de baliza, porque é fácil fazê-lo nessas situações. Nunca pressionou alto em jogo corrido. Nunca.

"O Milan venceu merecidamente e avançou sua marcação nos últimos 20 minutos, podendo até mesmo ganhar de 3x0."

Sim, sim. Ou 4. Era perfeitamente justo, dada a qualidade que apresentou (sobretudo na forma como aliviou bolas) ter goleado o Barcelona. Justíssimo.

"A grama ou relvado, como queira, não foi elemento prejudicial tão marcante assim havia buracos devido ao frio, mas nada demais."

Felipe, o relvado foi decisivo. Foi-o porque aliado à estratégia do Milan. Se o Milan tivesse jogado de outro modo, se houvesse mais espaço, obviamente que o estado do relvado não seria tão influente. Mas quanto menos espaço há para jogar, maior a influência do estado do relvado.

"Mourinho tem uma das equipes mais fortes do mundo, diversos jogadores na casa dos 23 a 27, equipe para mais 5 anos, já o Barça está se dissolvendo."

O Diogo já respondeu a isto. De qualquer modo, por todas as coisas que disse, percebe-se facilmente que você não tem ideias. Tem crenças. Não é capaz de conceder uma única coisa porque quer que este Barça seja destruído. Enfim...

"O Real Madrid tem ganho a maioria dos clássicos"

Wishful thinking, uma vez mais. Têm ganho mais nos últimos tempos do que nos últimos anos, é verdade. Daí a andarem a ganhar mais, enfim...

"Altura e físico contam muito para o futebol, queiramos ou não é um jogo físico."

Não, Felipe, não é. Dizem que é, mas não é. E foi precisamente o Guardiola quem o demonstrou.

faa m. disse...

Até que minuto podemos analisar o jogo de hoje sem perder a honestidade ?

Nuno disse...

Podes fazer o que quiseres, que dificilmente perderás honestidade. Não conheço muitos casos de quem perca uma coisa que não tem.

faa m. disse...

Falas como se já me conhecesses há anos. Nota-se que para além de um grande conhecimento sobre futebol, consegues manter um bom conhecimento sobre todas as pessoas que comentam cá. Estás de parabéns ;)

Nuno disse...

Não é preciso grande conhecimento. Basta o que fizeste nesta caixa de comentários.

faa m. disse...

Claro, fui contra as palavras do menino e ele sentiu-se triste. ohh :(

Nuno disse...

Se o teu mal fosse ir contra as palavras de alguém, estavas muito bem...

Mike disse...

foi um jogo interessante porque o mourinho estava a pensar na champions. tirando isso, foi uma merda.

essien a lateral direito é.. como dizer, um ganda cepo!

aquele morata é capaz do melhor e do pior. nunca o tinha visto jogar, mas não fiquei particularmente impressionado.

o pepe a trinco só serve para dar porrada! varre tudo o que lhe aparece à frente. acho que até o modrid tava com medo dele.

o kaká jogou?

o barça jogou a 5 à hora, e assim é difícil ganhar a quem quer que seja. não sei se estavam a pensar na champions também, mas se jogarem assim contra o milan, perdem.

na parte final o árbitro passou-se da carola e sou faltou vestir de branco. ainda falam mal dos árbitros portugueses!!

segue jogo.

Diogo Cruz disse...

Mike, eu já estava á espera que o Modric marcasse um canto e aparecesse o árbitro a cabecear para golo. Só faltou isso :D

Diogo Cruz disse...

Quanto ao jogo, gostei da 1a parte do Barça, alguns momentos de classe e boa posse, mas Villa está miserável em tudo! Neste momento não tem lugar no plantel, decide mal, tem reacções 50 vezes mais lentas que os outros jogadores em campo, é pouco mais que inútil.
Aquele lance em que o Messi o isola nos pés do antigo Villa era golo certo.

Depois o Alexis não sei o que está a fazer no plantel, porque não tem técnica, não tem classe, decide mal, não tem qualidade de passe, não vejo diferença entre estar lá ele e o Obikwelu...

Cuenca faz tanta falta!

Nuno disse...

Diogo, o desaparecimento do Cuenca é das coisas que melhor ilustram a diferença deste Barça para o antigo. É que o Cuenca só podia ser valorizado por alguém que compreendesse o que era o antigo Barcelona. De resto, parece-me sobretudo difícil associar este jogo ao que quer que seja. Mesmo na primeira parte, o Barça jogou q.b.. Na segunda, então, não lhes apeteceu. Hoje, ao contrário do que aconteceu na terça, puseram-se a jeito. Estavam confortáveis com o empate, e aceitaram o risco de, num lance fortuito, perder o jogo. Foi o que aconteceu.

Não foram inferiores ao Real, mas também não foram muito superiores, como tinha acontecido na terça, em algumas alturas do jogo. Hoje só gostei da paciência com que jogaram a seguir ao 1-0, sem se precipitarem, procurando os espaços certos para atacar. Assim que empataram, deixaram de fazer as coisas certas, e só melhoraram nos primeiros 10 minutos da segunda parte.

Caio Fernandez disse...

Quero ver o que o Nuno vai dizer hoje...

Bem, o modelo não funciona mais, já é conhecido e foram criadas estratégias para combatê-lo.
Funcionou até 2011 e foi um belo acréscimo ao futebol, porém também o é sua refutação.

Não tenhamos crenças meu caro, o Barcelona tem um belo estilo, porém muito falível.

Marco o enterro deste Barcelona de Guardiola para o jogo da volta contra o Milan, no qual serão eliminados com certeza. Depois disto sairão Valdez, Piqué, Puyol, Xavi... o fim será quando contratarem o peladeiro Neymar, aí pode fechar o caixão.

Hala Madrid !

CONTRA A FORÇA NÃO HÁ RESISTÊNCIA.

Nuno disse...

Caio, está dito no comentário anterior. Dá jeito ler, antes de comentar.

Unknown disse...


Fiquei fiel a este blog há algum tempo, depois foi diminuindo o "fluxo de escrita" e passei a só vir cá de vez em quando para ver se havia novidades, normalmente nem há... Mas tenho reparado que de uma defesa inteligente, razoável e normal (mais do que justificável na minha opinião) à qualidade do Barcelona passou para uma defesa pedante. Por acaso não perdeu a razão (o Barcelona continua a ser a melhor equipa, uns furos abaixo dos que nos habitou em termos futebolisticos), perdeu apenas a razoabilidade...

Começar um post com o aviso de que "quem discordar é porque é desonesto" não fica bem, mesmo que a melhor equipa tenha efectivamente sido o Barcelona. Saber muito de futebol não significa ser a única pessoa que sabe de futebol. por melhor equipa que o Barcelona seja, futebol também é defender (por todos os meios permitidos e não permitidos - porque os cartões existem para isso). Defender bonito, feio, bem ou mal, é futebol. Sim, o Pique esteve mal no primeiro golo e o Real teve sorte no 2.º golo. é assim o futebol e o Real ganhou. nem sempre a melhor equipa ganha, se assim fosse não tinha graça nenhuma acompanhar este desporto, eu diria que é por isso que todos adoramos este desporto.

Gostava que voltasse a ser um bocadinho mais humilde ou não conseguindo, pelo menos tente ser mais razoável no que escreve, vai ver que tem mais graça e o exercicio vai-lhe fazer bem à tensão... até pode dizer que se eu não gosto não preciso de voltar, é verdade, mas permita-me que responda que se não quer opiniões contrárias retire os comentários e se a sua opinião é a única que conta não escreva um blog, fale sozinho, o efeito é sensivelmente o mesmo.

aquele abraço

Coluna disse...

Rage mod on

daniel duarte disse...

"Eu percebo de dribles."...
Disso não duvido, tal a forma como driblaste o comentário acima...

daniel duarte disse...

"Eu percebo de dribles."...
Disso não duvido, tal a forma como driblaste o comentário acima...

Coluna disse...

olé

Diogo Cruz disse...

Tanta viola enfiada no saco!

Nuno disse...

Caio Fernandez diz: "Marco o enterro deste Barcelona de Guardiola para o jogo da volta contra o Milan, no qual serão eliminados com certeza."

Então e o que é que tu e os outros patetas todos que se preparavam para o enterro fizeram hoje? Choraram com a ressurreição? Ou ficaram outra vez assustados?

Signori disse...

A minha opinião é que para fazer frente a este Barça só mesmo assim, com uma estrutura pacientíssima, a jogar sincronizada, a controlar os espaços, sem se desequilibrar,com concentração ao máximo durante o jogo todo e agressiva quando houver chance de recuperar a bola, e aí tem que seguir o plano estipulado: com desdobramentos ofensivos rápidos, automáticos, mas sempre com equilíbrio para não se desposicionarem caso o Barça volte a recuperar rapidamente a bola. É a única forma que imagino, com as equipas que existem actualmente. posso estar enganado, mas desde que este "tipo" de Barça existe, ninguém foi capaz de dividir a posse de bola,e se estiver errado por favor digam-me qual o jogo. PArece-me ser tarefa impossível actualmente, e daí a estratégia que referi deverá ser a mais eficaz. Aliás, não consigo vislumbrar alternativas viáveis para destronar este Barça, se considerarem outro tipo de plano de jogo que possa lhes fazer frente gostava de o discutir. Deixo o desafio

Signori disse...

Quando se é mais fraco, o nosso plano de jogo tem de ser, em boa parte, estipulado consoante os pontos fortes do adversário. Obviamente que há sempre retoques a dar, mesmo que os valores das equipas sejam mais equivalentes. Recordo o JJ referir-se ao tridente atacante do Leverkusen, que se posicionava em zona de ninguém , entre o central e o lateral, e isso levou a que, no plano de jogo, fosse contemplada especial atenção a esses movimentos e a esse espaço. Mas uma coisa são acertos, e outra é fazer alterações mais profundas, em termos de descida do bloco, maiores cuidados com a posição (em momento defensivo ficar em igualdade numérica ou inferioridade contra o Barça é a morte do artista,por exemplo, daí a transição ofensiva ter que ser bastante inteligente). Por exemplo, a Grecia no Euro 2004. Sim, que futebol pouco atraente. Mas desafio qualquet treinador a ambicionar vencer o Euro, com aquela equipa, com outro tipo de futebol. Nunca poderei criticar aquela equipa, seria pouco inteligente procurar um futebol mais arriscado - e possivelmente mais atraente-com aquele plante. Com aqueles jogadores, e tendo em conta os adversários, foi o futebol mais inteligente e com maior possibilidade de eficácia que poderiam praticar. Claro que nas qualificações contra um Luxemburgo tudo muda, é uma questão de procurar o modelo,plano de jogo e estratégia que possa ser mais eficaz tendo em conta as peças que temos e as valências do adversário.

Mario Graca disse...

Descobri o blog há pouco tempo pq li um comentário teu no LE com o qual me identifiquei e pela resposta do Baggio, creio, cheguei aqui. Pena não ter descoberto na altura em que escrevias mais e bem, mas para isso está o arquivo. Até chegar aqui já li muito, aprendi, tb discordei, claro e diverti-me bastante nesta caixa de comentários, que é priceless!
Quanto a este lance, tens razão em relação ao calcanhar desajeitado, por ser por instinto e ao "alivía Casa Pia" do Khedira, mas não concordo totalmente com a tua visão da finta do Di Maria. Sabemos bem que aquele é o estilo dele e por isso é tão desconcertante e imprevisível. Percebo o que queres dizer com o saltinho no momento da 2ª finta e que isso deu para perceber que ele ía mudar de direção, mas se reparares bem, nesse momento o Puyol fica com as duas pernas abertas e pior, com os apoios no chão. A minha visão é que mesmo que não escorregasse, nunca conseguiria parar o Di, precisamente por estar com os dois pés na relva. Acho que já não dava tempo, mesmo que a finta fosse lenta, como tu referiste.
Tb achei piada a um user que veio mandar umas pedrinhas e usa como "argumento" um lance passado com dois dos protagonistas deste. Neste caso, é charuto pq é feito com o pé esquerdo e o Kedhira é tudo menos canhoto. Sou canhoto e mesmo que não soubesse que ele não o era, vía logo que era destro. Eu até acho que ele viu o Ronaldo lá ao longe, mas aquilo foi um confiar na sorte com o pé que tinha mais à mão, como dizia o outro. O calcanhar do Cristiano calhou bem e só isso, o dominar mal a bola depois e o remate na direção do guarda-redes, são coisas que qq jogador da distrital pode fazer. Quem consegue ver um lance de génio nisto, nunca jogou futebol na vida e se jogou, não chegou a perceber nada.
O mesmo digo a quem acha que certos jogos não "acabam" em momentos choque como foi o minuto 57. Joguei alguns anos e sei o que se pode sentir em certos momentos que arrasam não só um ou dois, mas sim toda a equipa. O desespero altera tudo, principalmente o discernimento e a concentração, que são quase tudo.
Podem ser os mais bem pagos do mundo e os mais bem preparados, mas são humanos, logo...
Um dia destes recuo uns anos para ver como é que isto começou.

Abraço e obrigado.

Nuno disse...

Mário Graça, obrigado! Neste momento, o ritmo de publicação no blogue é muito baixo. Espero mudar isso daqui a uns meses, quando tiver mais tempo para lhe dedicar.