terça-feira, 24 de agosto de 2010

Lições de Mestre (5)

A primeira coisa a dizer é que o lance não resultou em golo. A segunda é que isso é o que menos importa, no mesmo lance. Como intervenientes, dois jogadores que se separaram esta época, apesar de, a dada altura, parecer possível que ambos rumassem a Londres. Yoann Gourcuff é o herdeiro natural de Zidane, um criativo como não há muitos no futebol mundial que ostenta não só a capacidade imaginativa do astro francês como o mesmo estilo. Marouane Chamakh, por sua vez, é um avançado móvel, versátil, mas forte a jogar como apoio vertical, inteligente e rápido a executar, que gosta da tabela e do toque curto, sentindo-se confortável em espaços reduzidos. Tanto um como outro, estou certo, irão dar muito que falar nos próximos tempos. Fica a jogada, com as reflexões possíveis mais abaixo.



O lance começa na esquerda, com o adversário bem organizado defensivamente e havendo pouco espaço de penetração. O que fazem Gourcuff e Chamakh de seguida é notável. No meio de quatro adversários, com pouquíssimo espaço, completam três tabelas de seguida, acabando por arranjar espaço, em zona frontal, para o remate do marroquino. A capacidade criativa que este lance requer é imensa, assim como a velocidade a que os jogadores têm de pensar e de executar. A execução de calcanhar de Gourcuff não é por si extraordinária. O que é extraordinário é o entendimento que os dois fizeram do lance, a capacidade para perceberem como e quando deveriam executar. O remate não dá golo, mas o lance é uma autêntica invenção de uma ocasião de golo. Demonstra que é possível fabricar espaços, mesmo nas mais adversas circunstâncias. E para que se possam fabricar esses espaços, só há uma coisa fundamental: imaginação. É por isso que a criatividade, prima da inteligência, é o atributo mais importante no futebol moderno. A criatividade é aquilo que permite a um jogador encontrar espaços onde não os há, fabricar soluções de problemas insolúveis. Criatividade não é malabarismos, não é capacidade de drible, não é execução técnica refinada; é um atributo intelectual.

Quanto ao lance em si, releva dele a importância que a bola pode ter na criação de espaços. Trata-se do engodo da bola. Por mais concentrada e por mais bem organizada que uma defesa seja, há alturas em que se desorganiza, ainda que apenas momentaneamente. Normalmente, essa desorganização temporária dá-se no momento em que se efectiva a zona de pressão. Por exemplo, uma equipa que defenda junto à sua área, efectiva uma zona de pressão nas imediações da área. Significa isto que, nas imediações da área, todo o portador da bola deve ser pressionado e constrangido. Ora, é precisamente no momento em que se dá esse movimento de pressão, esse ataque ao portador da bola, que se gera a desorganização. Um defensor pressiona, outro movimenta-se de acordo com o movimento do primeiro e por aí em diante. É, sabendo isto, que a bola pode servir de engodo. Pode entrar num espaço, arrastando um defensor para esse espaço, para imediatamente a seguir sair desse espaço, criando zonas livres de adversários pela movimentação do defensor, que foi pressionar aquele que ia receber a bola. No fundo, isto é a consequência mais comum do famoso tiki-taka catalão. Os pequenos toques para o lado, para trás e para a frente parecem inconsequentes, mas não o são. Servem para isto, para desorganizar a estrutura defensiva adversária. Se uma equipa tiver capacidade para trocar a bola ao primeiro toque, fazendo-a entrar em zonas que suscitem movimentos de defensores para logo de imediato a tirar dali, conseguirá sempre fabricar os espaços de que precisa para penetrar em defesas fechadas. É assim que se joga futebol, fazendo da bola um engodo.

Este lance exemplifica na perfeição essa potencialidade. Chamakh dá em Gourcuff, que devolve de primeira ao marroquino. Este recebe e é imediatamente pressionado por um adversário, indo no engodo da devolução de Gourcuff. Dá novamente no francês, que, com um adversário nas costas, tabela de calcanhar, para o espaço vazio. Com esta tabela, ultrapassa-se o primeiro adversário, que fica incapacitado de reagir por estar preocupado com a bola. É nesta altura que sai a Chamakh um segundo adversário, novamente atraído pelo engodo da bola. Mas antes que este possa fazer mais do que pressionar, já Chamakh jogara de primeira novamente em Gourcuff. No mesmo instante, um quarto defesa, se contarmos com aquele que se mantém nas costas de Gourcuff, sai à bola, procurando limitar as possibilidades de Gourcuff. Gourcuff, porém, novamente de calcanhar, devolve pela terceira vez a bola a Chamakh, que ocupara o espaço vazio. Com esta terceira tabela, vence-se o segundo defesa que saiu a pressionar Chamakh e cria-se o espaço decisivo na zona central que permite o remate do marroquino. Com três simples tabelas, venceram-se quatro opositores. Isto só é possível porque o recurso técnico da tabela tem a potencialidade de chamar adversários e desposicioná-los. Enquanto a bola estiver num só homem, só um adversário sai a pressionar. Mas quando a bola viaja entre dois jogadores, há sempre pelo menos dois adversários a reagir à alteração no portador da bola. Trocando rapidamente a bola entre si, dois jogadores são capazes, por isso, de destruir defesas inteiras. Isto porque o portador da bola está constantemente a mudar e a reacção dos defensores é ditada pela posição da bola. É por isso que a bola, para quem sabe o que fazer dela, é a ferramenta fundamental do jogo. Só com ela se pode atrair os adversários para onde se deseja e fabricar os espaços que se pretende. Chamakh e Gourcuff conseguiram-no, neste lance, com mestria.

9 comentários:

Samuel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Samuel disse...

Que jogada... E que jogador este Gourcuff... Não entendo como foi parar ao Lyon ao invés de se transferir para um campeonato de maior dimensão. Bem o merecia...

Gonçalo disse...

Nunca gostei deste tipo de anti-jogo!!!

T Nogueira disse...

http://footinmyheart.blogspot.com/

concorda com uma troca de links?

um abraço

Petinga disse...

Este post esta excelente - quase tao bom como o lance em questao. Parabens.

MF disse...

Boas meus caros,
Primeiro parabéns pelos bons trabalhos que vocês aqui Têm ...

segundo, Eu gostaria de vos perguntar como posso saber mais sobre tácticas e "essas coisas" que envolvem o jogo jogado, pois gostaria de saber/aprender mais sobre isso pois ainda nao percebi mto...

Gostaria de saber o que poderia fazer...

Abraços!

BAD-RELIGION disse...

O Coentrão ontem fez uma assim para o Gaitan :)

Rita disse...

Olá. Visitei o vosso blog http://entredez.blogspot.com/ e achei-o muito interessante.
Gostaria de entrar em contacto consigo. O meu email é ritamourabrito@gmail.com
Seria óptimo se pudesse entrar em contacto comigo.
Obrigada.
Atenciosamente,
Rita

Joao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.