terça-feira, 26 de maio de 2009

David e Golias

"[...] Saiu do acampamento dos filisteus um guerreiro chamado Golias, de Gat, cuja estatura era de seis côncavos e um palmo. Cobria-lhe a cabeça um capacete de bronze, e o corpo, uma couraça de escamas, cujo peso era de cinco mil siclos de bronze. Tinha perneiras de bronze, e um escudo de bronze defendia os seus ombros. O cabo da lança era como um cilindro de tear, e a ponta pesava seiscentos siclos de ferro. Precedia-o um escudeiro. Apresentou-se diante dos filhos de Israel e gritou-lhes: «Por que é que vos colocastes em ordem de batalha? Não sou eu filisteu e vós servos de Saul? Escolhei entre vós um homem que combata comigo, em duelo. Se me vencer e me matar, seremos vossos escravos; mas se eu o vencer e o matar, então vós sereis nossos escravos e servir-nos-eis.» [...] O filisteu apresentava-se pela manhã e pela tarde, e isto durante quarenta dias. Um dia, Jessé disse ao seu filho David: «Toma para os teus irmãos um efá de grão torrado e estes dez pães e leva-os sem demora ao acampamento. Entrega estes dez queijos ao comandante e pergunta se os teus irmãos vão bem ou se têm necessidade de alguma coisa.» Eles estavam com Saul, juntamente com todos os homens de Israel, no vale do Terebinto, em guerra com os filisteus. [...] eis que o guerreiro filisteu Golias, de Gat, avançou das fileiras do seu exército, proferindo os mesmos insultos que nos dias precedentes. E David ouviu-os. Todo o Israel, à vista de Golias, fugiu, tremendo de medo. E diziam: «Vedes esse homem que avança? Ele vem insultar Israel. O rei cumulará de grandes riquezas aquele que o matar, dar-lhe-á a sua filha e há-de isentar de impostos, em Israel, a casa de seu pai. [...] David disse a Saul: «Ninguém desanime por causa desse filisteu! O teu servo irá combatê-lo.» Disse-lhe Saul: «Não poderás ir lutar contra esse filisteu. Não passas de uma criança, e ele é um homem de guerra desde a sua mocidade.» [...] O rei revestiu David com a sua armadura, pôs-lhe na cabeça um capacete de bronze e armou-o de uma couraça. Cingiu-o com a sua espada sobre a armadura. David tentou ver se podia andar com aquelas armas, às quais não estava habituado, e disse a Saul: «Não posso caminhar com esta armadura, pois não estou habituado!» E tirou a armadura. Tomou o seu cajado e escolheu no regato cinco pedras lisas, pondo-as no alforge de pastor que lhe servia de bolsa. Depois, com a funda na mão, avançou contra o filisteu. Este, precedido do escudeiro, aproximou-se de David, mediu-o com os olhos e, vendo que era jovem, louro e de aspecto delicado, desprezou-o. Disse-lhe: «Sou eu, porventura, um cão, para vires contra mim de pau na mão?» [...] Levantou-se o filisteu e avançou contra David. Este também correu para as linhas inimigas ao encontro do filisteu. Meteu a mão no alforge, tomou uma pedra e arremessou-a com a funda, ferindo o filisteu na fronte. A pedra penetrou-lhe na cabeça, e o gigante tombou com o rosto por terra. Assim venceu David o filisteu, ferindo-o de morte com uma funda e uma pedra. [...]" (1 Sm 17)

A final da Liga dos Campeões deste ano está aí e o episódio bíblico que serve de tema a este texto é aquilo que, a meu ver, melhor espelha o confronto que se aproxima. De um lado, com uma "estatura de seis côncavos e um palmo", com armas e armaduras pomposas, teremos um Golias inglês, o maior guerreiro entre o seu povo, campeão em título e representante de um futebol em que o músculo e a transpiração são os emblemas maiores. Do outro lado das fileiras, ao contrário do guerreiro filisteu, armado até aos dentes, arrogante e invencível, teremos um David minúsculo e semi-nu, "jovem, louro e de aspecto delicado", sem armadura porque não é seu hábito vesti-la e armado apenas com uma funda e uma pedra. Um gigante se precipitará contra um infante; a força bruta contra o intelecto. Nada mais a propósito. E a diferença acentua-se, se pensarmos nas ausências de Dani Alves, Abidal, Rafa Márquez e ainda na possibilidade das ausências de Henry e Iniesta. Amanhã veremos se haverá razões para Donatello e Michelangelo esculpirem novas obras-primas.

21 comentários:

zorg disse...

Chamar David ao Barcelona roça o ridículo. Aliás, se há favorito para a opinião pública, esse favorito é o clube Catalão. No Betandwin, por exemplo, 55% dos apostadores acham que o Barcelona vencerá a liga dos campeões, contra apenas 29% que pensam que será o Manchester.

Se há David nesta final - e não me parece que haja - não é de certeza o Barcelona.

PB disse...

confesso q n li o texto todo c atençao, mas a lógica de apelidar o Barça de David, surge pelas questões morfológicas (certo?)

Nuno disse...

zorg, a única característica do David era o facto de não ser considerado favorito? Não achas que, entre Barcelona e Manchester, aquele que revela menos características de guerreiro é o Barcelona? O único David possível aqui era a equipa catalã.

PB, sim, mas não só. O Barcelona é o David desta final por questões morfológicas, mas também por ter por armas o intelecto e não a força bruta, o músculo e a capacidade atlética.

Chumbita disse...

Esta comparação é ridícula, só serve para acentuar a tua paixão pelo Barcelona (que não é de todo criticável!).
Nesta final em concreto e com o futebol praticado por este Man Utd e por este Barça, a comparação com o confronto entre David e Golias é totalmente descabido...
Acho que vai ser precisamente um duelo "equilibrado", na perspectiva de que, cada qual à sua maneira, seja pelo estilo de jogo tão do teu agrado, seja pela qualidade dos executantes, é o melhor embate que se podia esperar para a Champions 2009.

zorg disse...

Nuno, a história do David e do Golias é uma metáfora sobre a possibilidade que os fracos e com poucos recursos, têm de derrotar os fortes e poderosos. Se fosse o Trofense a jogar esta final contra o Manchester, creio que a comparação faria sentido.

Sendo o Barcelona, que é o favorito para a eliminatória e um dos mais poderosos clubes do mundo (e o Chelsea que o diga, que sentiu esse poder na pele este ano), não me parece que faça.

Nuno disse...

zorg, quem é que te disse a história do David e do Golias é uma metáfora sobre a possibilidade que os fracos têm de vencer os fortes? É muito mais do que isso. Escolhi os passos que descreviam precisamente as características dos dois opositores: por um lado, um guerreiro respeitado, temido, arrogante, com as melhores armas e armaduras, que faz da força bruta e do tamanho as suas armas; do outro, um rapaz pequeno, magro e de figura delicada e cuja arma para vencer tão extraordinário guerreiro foi a astúcia. Não representarão estas características as duas equipas? Poderia ter falado igualmente em Ulisses e Polifemo. Ia dar ao mesmo. Não é só um combate desigual, em termos de favoritismo, que está em discussão. É uma luta entre dois estilos diferentes. David, Ulisses e Barcelona representam o guerreiro pequeno, com poucos recursos além do intelecto; Golias, Polifemo e Manchester United representam o guerreiro forte, bruto, temível. O teu problema é que estás a limitar a história ao ensinamento moral que se pode extrair dela. E estás a esquecer pormenores importantes que por acaso até são os que mais interessam para entender a analogia que propus.

Bruno Pinto disse...

Acho que vai ganhar o Manchester United.

Gonçalo disse...

Eu acho que não.

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Pinto disse...

E eis que depois de o jogo ter terminado, aparece o Mister Gonçalo, do alto da sua sapiência ímpar, a dizer, esplendorosamente, que acha que o Manchester United não vai ganhar. Gonçalo no seu melhor...

Pedro disse...

Verdade seja dita, por muito q me custe, o Barça joga muito.
O Nuno já escreveu e dissecou a capacidade táctica da equipa do Barça portanto nem vou entrar por aí. O q me impressiona mais nesta equipa catalã é a forma como está sempre um jogador no caminho da bola.

O United recupera bolas e muitas são imediatamente perdidas, o Barça nunca faz isso, mesmo qd um defesa faz um corte maluco a bola vai cair nos pés de um colega. Isto é soberbo. Um ou duas vezes seria uma questão de sorte, acontecer sempre é trabalho. E depois o q dizer da capacidade de passe? O United falha passes, o Barça não. São estes dois grandes pormenores q permitem depois o Barça ter sempre a bola e estar sempre em cima do adversário.

Se a primeira parte ainda foi assim assim equilibrada, a segunda só deu Barça.

Foi uma vergonha a qualificação para a final, mas este futebol, sem dúvida, q merece o trofeu.

Nuno disse...

Monsieur Homais, há meses que o Entredez andava a dizer que o Barcelona ia ganhar a Liga dos Campeões. Não viste ninguém como eu e o Gonçalo que estivesse tão certo de que isto seria o desfecho final da competição. E não viste ninguém que estivesse tão certo disto há tanto tempo (a meio da época, mais ou menos) como nós. Deixo-te aqui alguns marcos deste blogue, no que diz respeito a esta questão.

A 12 de Março, eu disse isto numa caixa de comentários:

"Eu não digo que as melhores equipas não estejam em Inglaterra. Estão. Embora este ano esteja convencido de que ninguém pára o Barcelona."

O Gonçalo, respondendo ao Pedro depois de este ter dito que o Liverpool conseguiria vencer o Barça, disse isto no mesmo dia 12 de Março:

"Pedro, esta nem o mosntruoso volume de trabalho de impede de comentar!!:D Teria que ser um dia muito bom do Liverpool, e um dia muito mau do Barcelona..."

A 3 de Novembro, já se começava a falar aqui deste Barça, no seguinte texto: "http://entredez.blogspot.com/2008/11/pouca-coisa.html"

A 17 de Janeiro, no texto "http://entredez.blogspot.com/2008/11/pouca-coisa.html", rendo-me definitivamente ao futebol do Barça e confesso que Guardiola me enchera as medidas.

Um dia antes da final, comparei o Barcelona ao David bíblico, vaticinando, por conseguinte, a vitória dos catalães.

Como vês, se há alguém que apostou bem antes na vitória do Barça, fomos nós. De forma categórica, sem hesitações e sem receios. Apostámos nisto há cerca de 5 meses. Dizeres que o dissémos depois do jogo terminar revela que não percebeste duas coisas: 1) que essa aposta já estava feita há muito tempo e 2) que a frase escrita logo após o jogo terminar foi uma forma de gozar com o teu palpite, bem como com o palpite de todos aqueles que, apesar de se dizerem confessos admiradores do futebol do Barça, achavam que o Manchester tinha mais condições para ganhar.

Nuno disse...

Só mais dois episódios para demonstrar o quanto apostávamos no sucesso blaugrana. No texto "http://entredez.blogspot.com/2009/04/coisas-que-se-passaram.html", uma semana antes do confronto com o Real Madrid, numa altura em que a equipa da capital vinha em ascensão a recuperar terreno, disse, sem qualquer reserva, o seguinte: "Vou-me armar em vidente e fazer um previsãozinha: só por azar é que a remontada não acaba já para a semana."

Mais, no texto sobre o jogo da segunda mão frente ao Chelsea (http://entredez.blogspot.com/2009/05/mentiras-sobre-o-chelsea-barcelona.html), disse isto: "Faltam duas finais para a melhor equipa do ano poder entrar para a História."

Acho que estes 2 exemplos reforçam a ideia de que estavámos bem confiantes naquilo que este Barcelona iria conquistar.

PB disse...

Bem, eu lembro-me de uma sondagem feita à imenso tempo aqui no blog, ainda decorria a fase de grupos, e ja nesse momento votei Barcelona, assim como na epoca passada desde mt cedo me pareceu q seria o M Utd a vencer.

Há épocas em q o melhor se destaca de tal forma, q as probabilidades de vencer, sao realmente altas.


Entre o Bruno Pinto e o prof Bambo...vou pelo Bambo!

António disse...

Fazes bem PB!

Mas olha q duvido q todos os estereótipos sobre moçambicanos sejam verdadeiros.

MB disse...

Desculpa lá mas a comparação do David com o Barça e do Manchester com o Golias não pega.
Pegando na tua interpretação daquilo que representa o Golias e que representa o David, no máximo dira que Golias (forte, atlético, cheio de recursos, respeitado, arrogante) era o C.Ronaldo e David ("rapaz pequeno, magro e de figura delicada e cuja arma para vencer tão extraordinário guerreiro foi a astúcia") o Messi.

Se dissesses isso no caso do chelsea, ainda poderia concordar, mas assim.

Seja como for, no desporto desde sempre se associa a luta de David e Golias ao jogo entre o grande favorito e aquele que tem hipóteses mínimas, e ignorar isto é (pelo menos) discutível.

Nuno disse...

MB, em comparação, o Barcelona era a equipa de gajos pequenos cujo único recurso é o intelecto, enquanto o Manchester é a equipa atleticamente mais perfeita da prova, a par talvez do Chelsea.

Quanto ao resto, o facto de se associar, em futebol, a história de David e Golias a jogos entre grandes favoritos e equipas com hipóteses mínimas, faz com que não possa associar a história a outras coisas? Evidentemente que não. A história tem muitas particularidades. Uma delas é que um desconhecido que ninguém dava por ele venceu um gigante reputado e forte. Outra é que um rapaz delicado, pequeno e desarmado, recorrendo à astúcia, venceu um gigante reputado, forte e armado. Aliás, de onde achas que vem a história de David e Golias? É precisamente um "retelling" do episódio de Ulisses e Polifemo. E neste caso, também, é um homem pequeno, desarmado, encurralado, que vence, pela astúcia, um gigante poderoso e antropofágico. As duas histórias encerram esta mesma ideia. Discutível é não perceber, depois de todas as explicações, que posso fazer a analogia que fiz, porque a história contempla essa possibilidade. E discutível é também que não se saiba ler para além do óbvio.

MB disse...

Nuno

Obviamente que podes fazer as analogias que quiseres.

Como também é óbvio que quem as esteja a ler, ainda que perceba a analogia, nao a considera a mais adequada. E se tens um blog aberto a comentários, presumo que é porque queres, ou nao te importas, que as pessoas também mandem os seus bitaites.

Mas como tudo é aberto a interpretaçoes. O que é ser atleticamente perfeito? Messi, Xavi e Iniesta podem ser baixos e pouco corpulentos, mas têm capacidaes fisicas que Rio Ferdinand, Piqué ou Vidic nao têm. E por acaso Xavi costuma ser dos jogadores que mais corre durante os jogos.

Por outro lado, penso que Giggs e Rooney (apesar do seu aspecto de hooligan) ou Carrick, por exemplo, nao têm propriamente um QI baixo, futebolisticamente falandp.

No fundo o que quero dizer, é que nem fisicamente, nem intelectualmente existiam diferenças tao grandes que se possa chamar ao jogo um "David-Golias".

O que há, isso sim, é uma grande diferença entre a qualidade de futebol do Barça e a do Manchester. Mas isso é normal, até porque o Barça deste ano é provavelmente a melhor equipa da história e seguramente a melhor que vi jogar.

P.S. Se alguém perguntar ao Guardiola se achava que era um jogo do estilo David-Golias, o que achas que ele diria?

Nuno disse...

MB, vários equívocos.

Ser atleticamente perfeito é ter características atléticas boas. Estou a falar de velocidade, força, capacidade de ir ao choque, etc.

O Xavi é dos que mais corre?? Como assim? Correr tipo com as pernas? O Xavi raramente faz um pique, raramente vai ao choque, raramente usa as suas capacidades atléticas porque elas não são o seu forte.

"No fundo o que quero dizer, é que nem fisicamente, nem intelectualmente existiam diferenças tao grandes que se possa chamar ao jogo um "David-Golias"."

Pois, não percebes o que é o Barcelona. Queres comparar a capacidade atléticas do Ronaldo, do Rooney, do Carrick e do Anderson às do Eto'o, Messi, Xavi, e Iniesta? Como?? Os primeiros 4 não serão muito mais fortes atleticamente? E queres comparar a inteligência do Xavi à do Giggs, ou a do Iniesta à do Rooney? Ou a do Messi à do Ronaldo? Os únicos jogadores no Manchester cujas principais virtudes são a inteligência são o Carrick e o Berbatov. Mas eu nem sequer estava a comparar jogador a jogador. Estava a comparar estilos. O estilo do United privilegia os atributos físicos, e mesmo que o Carrick seja forte intelectualmente, a sua utilidade não advém daí. O Barcelona é o oposto. E é pelo privilégio do intelecto que a equipa joga o que joga. A diferença a nível físico e a nível intelectual é abismal, entre as duas equipas. É por isso que faz todo o sentido comparar uma equipa a um gigante forte e outra a um pequenote inteligente.

MB disse...

Nuno

Vários equivocos:

Correr muito náo é correr rápido. Nao estou a dizer que o Xavi é o Bolt. Nao estou a dizer que corre que nem um desalmado. Estou a dizer que corre para criar linhas de passes para os colegas e corre para as cortar aos adversários. E corre para aparecer na área para finalizar. Estou a falar de resistência.

Penso que existem outras capacidades fisicas que ignoras e que sao importantes: capacidade de arranque, capacidade de mudar de direcçao rápidamente (Iniesta e Messi sao insuperáveis nesse aspecto).

Diz-me ao menos que achas que o Etoo é rápido, ou nao?

E Pique, Touré, Puyol, Busquets nao têm também capacidades fisicas que atribuis aos ingleses? (altos, fortes, e que vao ao choque-ok o Busquets ainda tá a gaanhar peso, mas vai sempre ao choque e normalmente ganha as bolas divididas).

Penso que limitas muito aquilo que defines como capacidades atléticas.

Nao acho que o Rooney ou o Giggs sejam tao "estúpidos" como deixas transparecer no teu comentário. Claro que penso que o Iniesta (o meu jogador preferido) ou o Xavi sao superiores. Nao estamos é a falar do Einstein contra o "emplastro"(ou o Cristiano Ronaldo).


Agora vou ver se encontro o Messi pelas ruas de Barcelona, ainda bebâdo da noite anterior. Nao sei se viste a festa, mas o Messi tava irreconhecivel. Parecia um puto de 15 anos a apanhar a sua primeira buba. Foi lindo!

Nuno disse...

MB, tu estás a falar das características dos jogadores, eu estou a falar do uso que lhe dão. O Piqué é tão grande como o Ferdinand. Achas que é igual? Não achas que um, o inglês, vale-se muito mais da sua capacidade atlética do que o Piqué, cuja virtude reside no intelecto? O Messi e o Iniesta são bons no que dizes, mas vê-los ter jogadas individuais? Vês os jogadores do Barça valerem-se da velocidade, da força, da agressividade? Achas que o Touré é mais agressivo que o Anderson, apesar de ser maior? Não. Claro que não. Também não acho o Rooney e o Giggs estúpidos, mas naquela equipa, do modo como jogam, as suas características mais relevantes são as físicas. Não tanto do Giggs, porque já não pode. Mas é essa a diferença. Não estou a falar de características absolutas. Estou a falar das características que são postas ao serviço do colectivo. E aquilo que os jogadores do Barça, sem excepção, põem ao serviço do colectivo, é a sua capacidade intelectual. Já o Manchester põe a força, a velocidade, a intensidade, a agressividade, o empenho e a determinação. E isso faz toda a diferença.