domingo, 15 de junho de 2008

Segunda Ronda

1. Portugal carimbou a passagem aos quartos-de-final, com mais uma exibição de qualidade. Deco é, até ver, o homem do Euro. Que exibição de sonho! Parecia tocado por uma vontade divina! Já Ronaldo, foi simplesmente horrível. Alguém que lhe explique quantos são 1+10...

2. Como é que era mesmo aquela frase feita do futebol: Nuno Gomes não presta; Liedson é que é bom! Realmente, agora faziam falta os rasgos do levezinho...

3. Assim que entrou Koller, Scolari meteu Meira. Fenomenal, a estratégia do novo treinador do Chelsea! Como ia entrar um tipo que ganha as bolas todas de cabeça, a coisa certa a fazer é pôr alguém que tente estorvar o mais possível... Patético...

4. Petit sabe o que é uma posição? Que barata-tonta!

5. Scolari disse que a Alemanha, tacticamente, é perfeita. Argumenta Scolari que os jogadores tinham as posições bem definidas. Eu cá acho que, num jogo de matraquilhos, os jogadores ainda têm as posições mais definidas.

6. A Suíça já foi. Jogava em 442 clássico. Curioso...

7. A Alemanha que, para muitos, jogou bastante contra a Polónia, fez um jogo miserável contra a Croácia. Menotti e Mourinho, para além de Scolari, gabaram a selecção germânica, pelo que este segundo jogo seria uma aberração. Não creio. Este segundo jogo veio demonstrar tudo o que achava da Alemanha. Na altura, disse que, em termos tácticos, os comandados de Low eram pré-históricos. Contra selecções que se abrissem menos e que tivessem melhores intérpretes, teriam dificuldades. O jogo contra a Croácia confirmou tudo isso. A Alemanha interpreta bem o seu 442 clássico, mas o próprio sistema obriga a um futebol simples, demasiado simples. Nunca foram capazes de combinações mais complexas e foram completamente manietados por uma selecção que, tacticamente, nem é grande coisa.

8. Modric joga tanto! Ainda bem que há malta que se apressou a dizer, depois de um primeiro jogo em que não teve tanta bola, que ele estava verde para estas andanças. É bom e vai dar mesmo muito que falar. Juande Ramos, sagaz, não hesitou em adquiri-lo antes do europeu. Por que terá sido?

9. Com Modric, Rakitic, Srna e Kranjcar, a selecção croata está aí para as curvas. Nos próximos anos, vão dar que falar. Se lhes juntarmos a promessa que é Kalinic, está em vista uma selecção com muito potencial.

10. No jogo dos tristes, Áustria e Polónia repartiram pontos. Duas equipas, tacticamente, tão senis quanto a Alemanha. Os germânicos não deverão ter dificuldades em ultrapassar os austríacos...

11. A Roménia empatou com a Itália e só depende de si para seguir em frente. Deixar Itália e França pelo caminho teria a sua piada.

12. A Holanda esmagou a França. Se contra a Itália a equipa viveu de momentos felizes, como o caso do primeiro golo, neste jogo recolheu frutos do brilhantismo estratégico de Van Basten. A França pode até ter sido superior à Holanda em alguns momentos, mas a opção pela qualidade de posse de bola e pelo talento em detrimento da combatividade é qualquer coisa com que o receio do modernismo no futebol não nos costuma brindar. A ganhar ao intervalo por 1-0, o treinador holandês tirou um dos seus médios-defensivos, fazendo entrar Robben e deslocando Van der Vaart para terrenos mais recuados. Com isso, perdeu agressividade, mas ganhou talento e frescura na frente, assim como segurança na posse de bola e ideias no meio-campo. Nessa altura do jogo, a França carregou, em busca do empate, e muitos acharam que isso fora reflexo da estratégia de Van Basten. O treinador holandês respondeu, nesta altura, novamente contra o que é convencional. A ser pressionado pela França, voltou a tirar um elemento combativo, Kuyt, e colocou em campo Van Persie, ganhando ainda mais velocidade e talento. Com a França a atacar, a estratégia de Van Basten não se poderia ter revelado melhor, com o segundo golo a aparecer logo de seguida e o jogo a ficar definitivamente encaminhado. Estava demonstrado ao mundo que, ao contrário do que é vulgar pensar, não é pela força, pela disponibilidade física, pela agressividade, pela garra e pela altura, mas sim pela posse de bola, pela inteligência e pela qualidade com que se ataca que melhor se defende. Que grande lição!

13. A Espanha venceu e está nos quartos-de-final. Como não vi o jogo, não sei bem o que dizer, mas lá que esteve difícil, esteve...

14. A Grécia vai para casa mais cedo. Esgotaram-se os créditos em 2004?

15. Finda a segunda ronda, pode-se dizer que aquela ideia parva que anda um pouco na moda de dizer que os jogadores cada vez se desgastam mais ao longo da época e chegam a estas competições sem muita vontade de fazer alguma coisa de jeito é mesmo só uma ideia parva. A qualidade do campeonato, julgo, tem demonstrado precisamente o contrário: bons jogos, competitividade, emoção, etc... Ainda bem que Carlos Queirós disse, antes do torneio, que estas competições tinham cada vez menos interesse.

16. O campeonato de júniores terminou e o Sporting foi campeão. José Lima, o medíocre treinador sportinguista não merecia; já os jogadores, sendo a equipa mais fraca dos últimos anos, eram claramente superiores à concorrência e não serem campeões seria, sem dúvida, muito mau. Mas teve quase para acontecer. Depois dos pontos perdidos em casa na jornada anterior com o Leixões, com Diogo Rosado, na altura, a saltar do banco para empatar a partida, o Sporting precisava, pelo menos, de um empate frente ao Porto. Durante muito tempo, e num jogo aborrecido porque José Lima mandou a sua equipa defender atrás e com marcações homem a homem no meio-campo, manteve-se o empate que se desenhou nos primeiros 10 minutos. Mas, a meio da segunda parte, o Porto passou para a frente e o Sporting passou a estar em desvantagem. No deserto de ideias que foi a equipa em termos ofensivos, registo apenas para um passe soberbo de Diogo Rosado a isolar Marco Matias. E o jogo encaminhava-se para o fim, com o Porto já a fazer a festa. Nas bancadas, havia quem maldissesse, por exemplo, Diogo Rosado. Que era um pintas, que tinha a mania que era estrela, que era só vaidade. E depois aplaudia-se de pé a exibição miserável de Wilson Eduardo, quando este foi substituído. O futebol tem destas coisas e os adeptos leoninos parece que têm apetência por avançados burros. Outra coisa para a qual parece terem apetência é para se equivocarem. Diogo Rosado, o tal que é pintas, pegou na bola junto à linha, driblou para dentro, deixando para trás o opositor directo, tirou ainda outro adversário do caminho e, do meio da rua, com um potentíssimo e colocadíssimo remate, deu o campeonato aos de Alvalade. Já ninguém esperava, até porque o Sporting pouco tinha feito para ganhar o jogo, e talvez por causa disso, a euforia foi impressionante. Nessa altura, todos esqueceram que foi o tal vaidoso que os fez pular. Mais uma vez. Diogo Rosado despiu a camisola e viu o segundo amarelo, sendo expulso. Estávamos nos descontos e pouco poderia o Porto fazer, portanto, Rosado, sentindo que tinha a missão cumprida, abraçou o árbitro como que agradecendo a expulsão e saiu debaixo de uma chuva de aplausos. Pouco tempo depois, acabou a partida, fez-se a festa e engatou-se tudo à porrada. Diogo Rosado, como poucos, manteve-se longe disto tudo e festejou para dentro. Afinal, o título era mais dele do que qualquer um dos outros. Depois, era aquele que se mantinha à parte do grupo, a quem todos vinham, à vez, abraçar, mas festejando de uma forma diferente. Quando os jogadores alinharam para serem chamados, um de cada vez, todos os que ouviam o nome corriam a colocar-se ao lado dos colegas, virados para as bancadas. Diogo Rosado foi o único que foi a passo. Também foi aquele para quem os aplausos foram mais intensos. De repente, o patinho feio era um cisne e todos queriam agradecer-lhe. O que fica, disto, é a postura solitária de Diogo Rosado, a postura com que afinal se fez jus àquilo que se passou neste jogo. O Sporting foi campeão e está de parabéns, mas o campeonato, muito mais do que da equipa, é dele.

22 comentários:

Peyroteo disse...

Grande talento o Diogo Rosado. Há muito tempo que o Sporting não formava um 10 de tanta qualidade. Se o Paulo Bento tiver a coragem de o incluir na pré-época, será titular ainda este ano.

camolas disse...

Se há alguém para isso é o risca-ao-meio. Além disso,se sair o Veloso ou o Moutinho, é bem capaz de o fazer. Nunca vi o Rosado jogar, mas pelo que me dizem (não só do que leio aqui, porque aqui pelos vistos o miúdo podia cagar em campo e ser o melhor do jogo xD) é bastante bom...vamos la ver se tem futuro a nível de selecção, que é o que me interessa de um jogador do Sporting...

Anónimo disse...

lol, há muitos anos que não leio um texto de alguém que percebesse tão pouco de futebol! continua também fazes falta.

Nuno disse...

anónimo, só uma pergunta: não seria mais produtivo dizeres as coisas em que achas que está patente o facto de eu perceber tão pouco de futebol? É que assim talvez tas explicasse, uma por uma, com argumentos, e percebesses que afinal és tu quem não percebes de futebol. Mas não, preferes fazer afirmações sem as justificares. Assim também eu sou o maior da minha aldeia... É o mesmo que dizer que a tua mãe é um bocado badalhoca, sem te dizer porquê... É só insultar por insultar... E isso é perder tempo. Ainda bem que tens vida...

BAD-RELIGION disse...

Ainda perdes tempo com anónimos? oh Nuno acho que não percebes é nada de blogs... ainda é capaz de ser o que vai "destruir" o vosso blog, mas ok, acreditas em utopias liberais...

Falando de bola agora :)
1. 2. e 7. 100% de acordo

3. Por acaso as subsituições até me surpreenderam pela positiva, não mudou a tactica, só meteu jogadores mais frescos, pensei q fosse meter os defesas todos que tinha no banco... como é normal.

6. Não acho que fosse por jogar em 442 classico que a Suiça perdeu os 2 jogos... este ultimo então, a Turquia parecia a Grécia, que "cagões".

11. Como ja disse as únicas selecções a que Portugal nunca ganha são a França e Itália, e, apesar de adorar Itália, espero sinceramente que não passem, e que passe a Roménia em vez disso :)

13. Não achei a Espanha nada de especial, e teve muita sorte em marcar no último minuto...

14. A Grécia não ganha um! Ainda bem!

Anónimo disse...

1- lá está. o ronaldo na qualificação era igual. só fazia merda e depois marcava aos 90 e era o salvador da pátria. No primeiro jogo até esteve razoável. Neste esteve muito mau mesmo.

3- não concordo.

13- A espanha, tal como no primeiro jogo, não me impressionou. Troca de bola no meio campo sem ideias. Vivem sobretudo da visão do xavi e do iniesta e claro da qualidade individual dos avançados. Depois o aragonés é outra peça rara. Quando percebeu que a espanha não ia passar o muro tirou os cérebros xavi e iniesta. Não me cheira a sucesso.

14- Não percebo porque é que os portugueses odeiam tanto os gregos. Ainda em 2004 lhes demos a taça. Eles não tiveram culpa. Nós é que fomos anjinhos (como sempre). Digam o que disseram eles já venceram 1 campeonato da europa e nós continuamos como sempre nas vitórias morais (mesmo que seja 4 anos depois!)

cumprimentos

Paulo Santos disse...

Nuno, de acordo em muitos pontos e em total desacordo noutros.

3 - Foi a leitura que fizeste. Outra possível, seria a de reforçar a zona central à frente da defesa, garantindo aí a superioridade numérica (independentemente de ser Meira ou outro qualquer a entrar). Em vantagem no marcador, é uma alteração clássica. Mas este ponto entronca no seguinte...


4 - São gostos. Há vários tipo de jogadores para qualquer posição. A antítese de Petit seria uma "estaca", tipo Engelaar...
Aliás este ponto entronca no anterior. Precisamente por Petit não ser jogador tão posicional, entrou Meira, com cultura de central, para em caso de necessidade se juntar ao eixo da defesa, com evidente vantagem no jogo aéreo, face ao previsível futebol directo checo que se antevia.

6. Não me parece que o problema fosse o sistema táctico...ou pelo menos não me parece realista, reduzir o sucedido, unicamente a esse factor.


10. O jogo dos tristes até acabou por ser um jogo bem agradável de seguir. Nem tudo é táctica no futebol.

13. Mas devias ter visto. Provavelmente moderarias as tuas convicções acerca do 4-4-2 clássico. A Espanha é um bom exemplo de como a dinâmica incutida pelos jogadores e suas características pode disfarçar a debilidade (teórica) do seu posicionamente de base no terreno de jogo.

14. Sinceramente não entendo o regozijo português com o insucesso dos gregos...
A Grécia nunca ganharia um concurso de beleza futebolística, é certo, mas ganharam o último europeu com todo o mérito. Isto parece-me mais que óbvio. No dia em que a finalidade do jogo não passe exclusivamente por introduzir a bola o maior número de vezes possível na baliza adversária evitando que essa mesma bola entre na própria baliza e lhe juntem um júri que faça uma espécie de avaliação técnica, então talvez possamos questionar o triunfo grego, e muitos outros alcançados na história do futebol.


Quanto aos restantes pontos, partilho da tua opinião.

Abraço

JNF disse...

13. Esteve difícl? Pois, percebe-se que não viste o jogo. A segunda parte foi um autêntico passeio e na primeira houve apenas 10 minutos de Suécia ofensiva.

Nuno disse...

Paulo, em relação ao Petit, acho-o bastante limitado em termos posicionais, mas gostei muito do primeiro jogo. Esteve quase sempre bem posicionado, talvez por não cair nenhum adversário na sua zona, arrastando-o. Neste jogo, isso não aconteceu. O Petit esteve sempre fora da sua posição, porque se preocupou em marcar ao homem. Vi muitas vezes Deco e Moutinho alinhados numa primeira linha de pressão e Petit encostado a Bosingwa ou a Paulo Ferreira porque ia atrás do adversário que por ali passava. Aconteceu, com isso, que o espaço entre Deco e Moutinho e os defesas ficou sem ninguém. Contra a Alemanha, por exemplo, isto seria um problema, porque Podolski e Ballack aparecem muito bem nesta zona. Contra os checos acabou por não ser, embora tenha havido jogadas derivadas desse mau posicionamento. Lembro-me, por exemplo, de um lance em que Petit estava junto a Paulo Ferreira e um checo recebe a bola quase na sua zona. Resultado, teve Ricardo Carvalho de sair disparado para evitar que o checo avançasse, o que possibilitou que a bola entrasse entre si e o Paulo Ferreira, aparecendo aí Sionko a cruzar, com bola a passar à frente da baliza e Bosingwa, ao segundo poste, a ceder canto. Infelizmente, pelo que demonstrou na segunda metade da época no Sporting, Miguel Veloso também me parece incorrecto em termos posicionais, neste momento. Quanto ao Meira, as rotinas de central não fazem dele um bom médio-defensivo em termos de posicionamento. É um jogador que vale, nessa posição, pelo jogo aéreo e pelo físico, mas não me parece uma boa alternativa a Petit. Quanto à entrada dele em campo, não chegou a ser nociva, mas foi errada. Por várias razões. Primeiro porque a altura não se combate com altura, sobretudo se for a altura do Koller. O Koller ia ganhar as bolas de cabeça, quer fosse o Meira a marcá-lo, quer fosse o Petit ou um dos centrais. Exigia-se, sim, um jogador que fosse rápido a ocupar os espaços para impedir as segundas bolas. Se a ideia era tirar Moutinho, a melhor alternativa seria Raul Meireles. Segundo, porque ao tirar um homem de meio-campo e colocar um a marcar directamente o Koller, a equipa recuou, ficando apenas Petit e Deco no meio-campo, perdendo-se um elemento nesse espaço de terreno.

6. Como é óbvio, não se reduz tudo ao sistema. Aliás, a Suíça até não foi inferior, em termos de volume de jogo, aos dois adversários que apanhou. Mas numa equipa que não tem individualidades que façam a diferença o 442 é sempre mau. Como equipa de poucos recursos, a Suíça teria de apresentar um sistema mais equilibrado. Talvez assim não sofressem os golos que sofreram e estivessem ainda a disputar a passagem à fase seguinte. Mas há mais equipas que jogam em 442 clássico e que vão à vida já nesta fase. Áustria e Polónia, em princípio, talvez a França (embora tenha jogado em 4231, desta vez), e a Suécia a ver vamos...

13. Não vi a Espanha porque fui assistir ao último jogo do campeonato de júniores. Tive pena, pois a Espanha é, de todas as equipas que jogam em 442 clássico, aquela cujas individualidades podem disfarçar melhor os defeitos da táctica. No primeiro jogo deles, não gostei, pelo que gostaria de ter visto este. A dinâmica de que falas, pelo menos no primeiro jogo, não me agradou: partiu sempre muito a equipa e raramente conseguiram jogar um futebol apoiado.

14. Paulo, sem dúvida que o que conta são os golos. Mas o mérito dá-se a quem faz por ele. A Grécia, em 2004, não ganhou um jogo por mérito próprio. Defendiam bem, com um pressing baixo muito bem feito, mas as transições eram inexistentes. Eliminaram a República Checa e ganharam a final em lances de bola parada, por exemplo. Não consigo dar mérito a uma equipa que defenda bem, mas que nem sequer ataque.

jnf, foi um passeio como, se só marcaram nos descontos? Pode ter sido um massacre, mas foi tudo menos um passeio. Se marcaram nos descontos, é porque tiveram dificuldades em marcar antes. Foi só isso que disse...

José Henriques da Silva disse...

Acho lamentável a censura k se faz neste blog.
Isto nao devia ser um espaço de livre opinião?
Depois gostava aqi de dizer tamem k nao percebo o ódio a grecia...eles tiveram azar, mas tiveram taticamente prefeitos.
O Petit é um jogador com raça! lá por nao andar com as fintinhas do veloso, nao quer dizer k nao seja bom
A Holanda é a maior ! Viva o futebol total
Fora censuras, o blog ta bom

BAD-RELIGION disse...

Censura?

ou falta de censura?

acho que te enganaste no blog... lol

pedro silva disse...

so pra esclarecer que o segundo anonimo fui eu que me esqueci de assinar.

cumprimentos

scp disse...

lol, se os outros foram todos a correr e ele foi a passo, se calhar falta-lhe um bocadinho de humildade pá..



se calhar tava cansado, queres ver? xD

Nuno disse...

Sim, scp, e a humildade marca bué golos...

Mister Fred disse...

1. Exacto, o Deco sem a capacidade física de outros tempos é hoje um médio de uma classe elevadíssima. Tem visão de jogo, capacidade de passe e ainda marca um golo ou outro. Muito bom. Ronaldo está a um nível mais baixo do que nos habituou. Os jogos nas pernans não explicam tudo. Talvez, a falta de espaço que tem disposto para correr, visto que a sua técnica é sempre aliada à velocidade, seja um dos melhores factores explicativos.

2. Nuno Gomes é bom, concordo, trabalha bem para a equipa. Liedson não presta, isso já não concordo. Não tem um sentido não colectivo, mas é importante no Sporting.

3. Sim...Não demonstra grande astúcia, mas já sabemos que se Scolari tem pontos fortes, a visão táctica evoluída não é um deles.

4. O homem tem a escola do Pacheco e basta.

5. Isso sempre me suou a exagero, como ficou bem visível no segundo jogo.

6. Exacto, a táctica da Suiça era estanque, estanque, estanque...

7. Falta de ideias. Jogo prevísivel. Foi assim a queda da Alemanha.

8. Temos craque!

9. Exacto, tudo bons de bola. Mas a Croácia já nos habituou à produção destes talentos. Quem não se lembra de Suker ou Prosinecki...

10. Duas selecções candidatas a pior do Euro. Mas os austríacos têm vontade...lá isso têm...

11. Teria, mas não acho esta selecção Romena nada de especial. É razoável, mas mais nada. Não defende mal, mas ofensivamente não produz grande coisa. Joga muito no erro do adversário, como ficou patente no golo frente à Itália. Agora surgiu-me uma dúvida existencial Nuno. Quem marcou o golo da Itália, é que deu-me grande branca agora lol

12.Exacto, do meio campo para a frente a Holanda é simplesmente extraodinária. Van Nistelrooy, Van Persie, Sneidjer, Robben, Van der Vaart, não são jogadores deste mundo. Na segunda parte, no contra-ataque mataram a França, sem ideias, partiu de qualquer maneira para a frente, desposicionado-se muitas vezes. A Holanda aproveitou. Acho também, que analisas bem o ponto da troca do Engelaar por Robben e recuo do Vaart. É que aquele double-pivot é redutor.

13. A Espanha atacou toda a segunda parte, mas não merecia para mim ganhar. Com a Suécia, recuada, sem espaço nas costas da defesa, como na Rússia, aquelas solicitações em profundidade para Villa ou Torres, não foram possíveis de por em prática. E sem isso, a Espanha foi parca de ideias, esteve em cima deles mas sempre de forma previsível.

14. Falei na Áustria e na Polónia. Acrescento agora a Grécia como candidata a pior do Euro. Com a agravante, de estes não construírem nada ofensivamente, nem a bem (com boas movimentações, posse de bola, desmarcações), nem a mal (à força e de qualquer maneira como a àustria).

15. Pa eu li isso do Queiroz, na revista Record, e sempre me pareceu de um pessimismo, de um exagero...A qualidade dos jogos têm sido boa no geral e a arbitragem também não tem estado mal, quando comparamos com os últimos mundiais...

16. Não tou dentro do assunto. Espero para ver esse Diogo Rosado xD

P.S.: Esse José Henriques de não sei q mais, é ridículo, é um nabo mesmo. O Petit tem muita raça? LOOOOL O Diakité e o Binya também tem e são o que são..A Grécia tacticamente perfeita? oh pa...essa no comments mesmo....VIVA A CENSURA LOL

OF disse...

Gostei do blog, mas falta um pouco de humildade a quem escreve e critica

José Henriques da Silva disse...

Mister fred (k de mister nao deve ter nada), já devo ver fut há mt mais tmp k tu!! por isso não me substimes...e n des exemplos parvos...o diakité e o binya são 2 pretos xulos.o petit é 1 gajo ja com visao d jogo e um remate mt forte..e a grécia eu nao digo k seja espectacular! mas k é boa tacticamente é! e vai xamar nabo à tua avó torta, k eu ja vejo futebol a 20 anos! este blog é so energumenos e gente sem humildade. isto é uma vergonha. a juntar a censura. parece q k voltamos ao estado novo.

Anónimo disse...

Ó Zezinho faz um favor à humanidade e tá caladinho, sim? Fdx lá o cepo!!

BAD-RELIGION disse...

Isso de ver futebol ha mais tempo é no minimo parvo...

Sinceramente, aquela Roménia merecia era nem ter entrado no euro, que jogo horrendo, que equipa tão fraquinha. Pelo que vi fez-se justiça e a Italia passou, gostos á parte, apenas falo de quem praticou melhor futebol.

Ter o Narsi no banco é um crime, mas pior é mete-lo a jogar para logo aseguir o tirar...

Resta saber a ultima equipa dos quartos... Suécia ou Russia, venha o Diabo e escolha :P

Nuno disse...

Mas qual censura, meu? Andas nos ácidos ou quê?

BAD-RELIGION disse...

Afinal o diabo escolheu muito bem!! ganda Russia! :D

lol disse...

só te enterras oh bad-religion

"venha o diabo e escolha"...meu deus, venha o diabo e te ensine a ter calma antes de dizer que as equipas não jogam nada xD