quinta-feira, 19 de junho de 2008

Quartos-de-Final

1. Joachim Low mostrou que tinha respeito pela nossa selecção e modificou a sua Alemanha. A principal alteração foi a saída de um avançado e a entrada de um médio. A Alemanha jogou assim num 4231, ficando Ballack mais solto no espaço entre linhas e tendo mais profundidade nos flancos com Podolski e Schweinsteiger. Apesar de tudo, não foi à custa disto que a Alemanha ganhou o jogo. Dois golos de bola parada e um num lance aparentemente inofensivo, em que dois jogadores de ataque chegaram para 5 defensores, não são coisas para um campeonato da Europa. Passa a Alemanha, naquilo em que, de facto, é forte, ou seja, a aproveitar os pontos fracos dos outros. Aufwiedersehn Portugal!

2. Ainda bem que andaram a gabar Pepe o europeu todo. Que era o maior, que tinha classe, que era mais rápido que o Speedy Gonzalez. O futebol é cérebro e esse foi o único músculo que Pepe não desenvolveu ao longo da sua carreira. Já tinha ficado evidente (pelo menos para mim) que Pepe continuava a ter os defeitos que teve sempre, ou seja, a falta de calma e a má abordagem dos lances. Mas preferiam ver coisas como antecipações fantásticas, ou desarmes no limite, ou a agressividade na disputa da bola. Tudo isto é verdade. O que não viram foi que isto ou pode ter consequências graves ou é consequência de alguma coisa. Muitos desarmes no limite, por exemplo, eram resultado de más interpretações dos lances e eram apenas o seu último recurso. Contra a Turquia, por exemplo, teve falhas de principiante que ninguém pareceu querer ver. Porquê? Porque depois, graças à sua capacidade física, conseguia recuperar. Um jogador não é aquilo que consegue, mas aquilo que tenta. Pepe pode conseguir muitos desarmes, mas a sua forma de jogar indicia deficiências graves. E tantas vezes o cântaro vai à fonte que se parte. Se já tinha ficado ligado ao primeiro golo da Suíça, se bem que na altura Bruno Alves tenha ajudado, este jogo com a Alemanha foi o culminar de um europeu em que esteve muito abaixo do que se disse. O lance do primeiro golo é apenas uma ilustração da forma como Pepe joga sem pensar. A forma como os alemães tabelaram foi perfeita e Bosingwa foi batido. Mas Pepe estava tão mal posicionado que Podolski, ao receber a bola, não tinha só ultrapassado Bosingwa como também o central do Real Madrid. A partir daí, metade do golo estava feito. Podolski conduziu e cruzou para Schweinsteiger marcar. Paulo Ferreira pode não ter sido lesto a acompanhar o extremo alemão, assim como Ricardo talvez pudesse ter fechado o cruzamento e talvez Ricardo Carvalho pudesse ter-se colocado melhor, encurtando espaços, mas a primeira e mais grave falha é a de Pepe, com um erro posicional patético. Este tipo de lances aconteceram várias vezes ao longo do europeu, mas como não tiveram as consequências que este teve, não se falou deles. E Pepe ia sendo o maior, para toda a gente. Mas não fica por aqui. A forma apalermada como disputa os lances sempre me causou muita confusão. Quer seja perto, quer seja longe da área, Pepe vai sempre ao choque. Ora, muitas vezes até pode não fazer falta, ou não ter intenção de fazê-la, mas jogar no limite como joga é sempre um risco demasiado grande. Então quando Portugal tem os problemas que tem nas bolas paradas, é um comportamento suicida. Ao longo do europeu, foi jogando assim e sendo elogiado. Contra a Alemanha, ainda abusou mais. E fez faltas estúpidas. Muitas. Uma delas deu o terceiro golo. Um lance em que Klose ia sozinho, junto à linha, com Pepe pela frente e outro jogador português a tapar-lhe o espaço na retaguarda. Falha grave de Pepe. Costuma dizer-se que, quando se perde, é fácil criticar. Ora bem, sempre apontei estes defeitos a Pepe. Se hoje o critico, faço-o porque sempre o critiquei e porque hoje esses defeitos devem ter ficado visíveis para toda a gente. Ao contrário do muito que se disse, Pepe não foi dos melhores jogadores da selecção neste europeu. Aliás, das opções de Scolari, creio, foi mesmo o pior, se exceptuarmos Ricardo. Mas ainda bem que andaram a gabá-lo...

3. Por que é que Ricardo continua a ser o tipo que joga de luvas e se equipa de maneira diferente?

4. Qual é o nível de escolaridade obrigatória no país de Scolari?

5. Mas pronto, acho que se Ronaldo, o melhor do mundo, tivesse podido participar neste campeonato, Portugal teria tido mais sucesso.

6. A Turquia continua a sua campanha épica. Se bem que os outros era mesmo só sorte, não faz lembrar nada de há 4 anos?

7. A Croácia dominou o jogo do princípio ao fim e não merecia perder. Os turcos, apesar de terem o mérito de serem esforçados, têm ganho tudo nos últimos instantes. Desta vez, foi mesmo para lá da hora e num remate que me pareceu precedido de falta. Se eu gostasse de teorias da conspiração, diria que a Turquia é um adversário mais acessível para a Alemanha. Mas deve ser só Alá que está a torcer pelos turcos com muita força. Ou então é Maomé. São parecidos: daí a confusão. Quer dizer, às tantas é Jesus. Já não digo nada...

8. A Rússia ensinou o mundo a jogar à bola. Spassiba, Hiddink!

9. Aquela que era, até ao momento, considerada como a melhor equipa da prova não foi só eliminada. Foi humilhada. Completamente vergados ao poder colectivo dos russos, os holandeses pouco conseguiram fazer. Ficou evidente uma coisa que ninguém parecia ter querido ver: a Holanda vivia da inspiração das suas individualidades da frente (nisso, era talvez das equipas com mais e melhores soluções, neste Euro). Contra uma equipa que dominou sempre o jogo, os holandeses não conseguiram abrir espaços para soltar a imaginação destes homens. Sem processos ofensivos bem definidos, numa noite em que a inspiração não desabrocha, a Holanda não tem soluções. Foi o que aconteceu. Aquela equipa a quem tanto elogiaram tacticamente foi sempre uma equipa partida, com homens para defender e homens para atacar. Isto não é uma equipa tacticamente equilibrada, como se disse. Muito pelo contrário. E Hiddink provou-o...

10. Arshavin joga tanto! Zhirkov é outro. Akinfeev, Pavlyuchenko e Zyrianov também são bons. Mas o resto da equipa roça o banal. Por aqui se vê que, mesmo sem grandes ovos, é possível fazer omoletes. É a melhor equipa do Euro, colectivamente. Para mim, ficou logo claro que aquela pesada derrota frente aos espanhóis fora um percalço. Aquela primeira parte fora de muito boa qualidade e só algum azar deixou o resultado naquele estado. Os jogos que se seguiram, para muitos, foram surpreendentes. Nessa altura, disse-se que a Rússia estava a melhorar. Mas não estava. Como não melhorou desses jogos para este. A Rússia foi sempre isto: uma equipa com bons princípios de jogo, muito unida, com uma dinâmica ofensiva soberba e com capacidade, sobretudo, em termos colectivos, para disfarçar a pouca valia individual que o conjunto que possui. Vamos ver até onde conseguem ir...

11. Sugestão de negócio para o Real Madrid: em vez de irem buscar o Ronaldo e o Pavlyuchenko, por que não contratar Arshavin? Poupava-se dinheiro e ficava-se a ganhar. Fica a dica...

12. A Espanha segue em frente, num jogo equilibrado. Os espanhóis tiveram mais bola e os italianos insistiram em demasia nas solicitações de Toni. Na Espanha, aquele 442 não me convence. A defender, é claramente redutor, com três linhas bem definidas. A atacar, mantém os dois homens no meio-campo alinhados, Xavi e Senna, e faz os alas flectirem para o meio para aproveitar o espaço entre linhas. Isto seria bom se os laterais tivessem um grande propensão ofensiva, coisa que não acontece. Assim, quando Silva e Iniesta vêm para o meio, não há ninguém a aproveitar o espaço que eles deixam vago. A Espanha vale assim pelas individualidades e, como a Holanda, aposta tudo na liberdade concedida aos seus 4 homens da frente, os dois avançados e os dois alas. Antevê-se um jogo interessante, com a Rússia a procurar a desforra.

13. Del Piero entrou e fez logo miséria da defesa espanhola. Como é bom apreciar os poucos momentos de magia com que ainda nos presenteia um dos maiores jogadores de futebol dos últimos 15 anos.

14. Estão fechadas as contas dos quartos-de-final e exceptuando a Rússia, sou da opinião que passaram as equipas menos fortes. Agora, creio, ninguém se arriscará a prognosticar quem vencerá o Euro 2008 sem uma grande margem de erro.

9 comentários:

Ricardo disse...

1. Incompetência de Scolari, na forma como preparou o jogo e, especificamente, as bolas paradas, que eram, para quem queria ver (Scolari quis correr nas matas em vez de analisar os jogos, provavelmente), a maior falha da equipa portuguesa. Foi um resultado justo. E quando assim é, por mais tristeza que nos cause, está tudo certo.

2. Concordo que Pepe comete erros estúpidos - como faltas desnecessárias e lances em que vai com demasiada paixão e agressividade e muito pouca massa cinzenta. Mas não acho que o lance do primeiro golo seja erro seu.

3. Porque não há mais ninguém. Mas mesmo que o Quim não se tivesse lesionado, o burro Scolari continuaria a usar a sua coqueluche. Afinal, sempre foi uma das razões principais para conquistar a malta. E, nisso, Scolari é muito agradecido.

5. Ronaldo é mesmo o melhor do Mundo. Ou foi o melhor do Mundo, esta época. Disso ninguém pode ter dúvidas. Se não ganhar o prémio, é uma injustiça tremenda. Já agora, Nuno, se não gostas dele, quem é que é o melhor jogador do Mundo, na tua opinião?

6. Faz. Mas desta vez não ganha a equipa sensação. Pelo menos, não esta.

7. Achas? Não acho. A Turquia poderá criar mais problemas à Alemanha noutros aspectos.

8. Que jogaço de bola. Obrigado, Hiddink! Vem para cá. Precisamos de alguém que saiba de futebol, muito para além da vinicultura.

9. Ninguém parecia ter querido ver? Chiça, só entre os meus amigos éramos uns... todos. Foi sempre evidente que a Holanda tinha falhas que podiam ser bem aproveitadas. Uma delas, apontei-a, e não vi mais ninguém fazê-lo: o lado direito da defesa. Ontem foram só dois por aí (e quantos mais poderiam ter sido)...

10. Não, não. A Rússia obviamente melhorou, mas já tive essa discussão contigo no 442, não interessa bater mais no ceguinho. O que acho disparato é: "pouca valia individual que o conjunto que possui." - Não será uma equipa com 23 grandes jogadores, mas tem ali belos valores. E não são só Arshavin, Zhirkov, Akinfeev, Pavlyuchenko e Zyrianov. Tenho gostado bastante de Semak, de Bilyaletdinov e Anyukov.

Arshavin vale ouro. Quem é que está disposto a abrir os cordões à bolsa? Mas, por favor, não me venham dizer que o homem é «10». Que heresia! Arshavin é um avançado. Tão-só isso. Um avançado móvel, um criativo com total liberdade para aparecer por onde queira. Sem restrições e sem pautar o jogo nas fases de construção. É um homem de desequilíbrios sem ser o estratega.

11. Eh lá a questão nunca se põe dessa forma. Se têm dinheiro contratem o Arshavin e o Ronaldo. Ainda que me pareça que o português faz muito mal em ir para Espanha. Vai continuar a ser muito bom mas não vai ser o mesmo jogador que é em Inglaterra, com mais espaços para brilhar. Quanto a Pavlyuchenko, é lógico que é bom, mas será que resultaria no Real? Tenho sérias dúvidas.

12. A Espanha não me convence nada. Aquele jogo mastigado, em posse, mas sem qualquer evolução no campo, passa para o lado, para trás, pode dar a ideia de que são muito fortes mas não são. Esta Itália hoje esteve mal organizada: Aquilani ali é como ter um Ferrari na garagem para não estragar. Não ter Pirlo fez toda a diferença. Com Pirlo a coisa tinha piado de outra maneira. O jogo espanhol tem um funil que obriga a bola a ir da defesa ao ataque sempre pelo meio. Uma chatice. Um jogo que não procure as alas é uma idiotice pegada. Coitado do Iniesta, um grande jogador obrigado a funções que em nada o favorecem. Silva está a fazer um bom Euro e Senna também. Na frente, Villa é Villa e Torres está apagado (muito por culpa das ideias de Aragonés). A Rússia, se melhorar os aspectos das bolas paradas e os desequilíbrios que o Zhirkov pode criar quando sobe (Semak terá de fazer mais um grande jogo), limpa os nuestros hermanos com uma pinta descomunal.

13. Foi bonito, não foi?

14. É verdade. Mas deixo uma aposta: Alemanha.

pedro silva disse...

5- mesmo. ronaldo como sempre na selecção torna-se um jogador banal e horrível. Ele vai sem dúvida (e com justiça evidente) ganhar o prémio de melhor do mundo. Agora se me disserem que ele é o melhor do mundo isso já não concordo. Um jogador pode evidentemente jogar mal, mas um jogador que se diz ser o melhor do mundo não pode jogar mal por condições alheias a ele mesmo. O que quero dizer é que um grande jogador que seja o melhor do mundo não pode jogar mal porque não teve espaço ou porque lhe fizeram uma marcação cerrada. Pode jogar mal quando está desinspirado, ou seja culpa própria. Acham que o zidane por mais marcações que lhe fizessem ou tudo mais jogava pior? Ou o Ronaldo (o único)? Acham que esses jogadores não eram marcados impiedosamente também? E no entanto continuavam a ser brilhantes. A capacidade dos jogadores vê-se na forma como se conseguem libertar dessas teias e jogar o seu jogo.
Ora Ronaldo (o madeirense) fica claramente em segundo plano quando é mais visado pelos defesas contrários ou quando joga contra equipas que saibam encurtar bem os espaços. Ele mostra claramente incapacidade para contornar essas dificuldades e por isso acho que ele não é o melhor do mundo.

Messi é claramente superior. Fiquei acordado para ver o Brasil Argentina no outro dia. O jogo foi miserável. Só cacetada e pouco futebol. Mas lá no meio estava ele, e também o riquelme. Digo-vos ele passava pelos defesas brasileiros como se estivesse a jogar contra o Nástic ou uma equipa do mesmo género. Ele é dos que joga mal quando não está nos seus dias. Porque quando está não há marcações que o parem.

7- A croácia merecia perder sim. Com uma equipa 10 vezes melhor nada fizeram para ganhar o jogo. Jogaram sempre na espectativa. então a segunda parte e o prolongamento foi miserável. por isso acho que a derrota foi um belo castigo.

9- Ainda assim com tanta ineficácia a rússia ainda se arriscou a perder o jogo.

12- espanha sempre fraquinha. e depois sempre as mesmas substituições. Aquelas 2 simultâneas sempre, sempre... não percebo aquele bicho a sério.

cumprimentos

BAD-RELIGION disse...

Só mudando a tactica é que a Alemanha nos poderia ganhar, ou pelo menos neutralizar, que aquilo a mim não me convenceu nada, e aquela substituição do Nuno Gomes pelo Nani matou-me, já nem vi o resto do jogo.

O C.Ronaldo pode levar os prémios que quiser, mas que não é o melhor jogador do mundo... isso não é de certeza.

"5. Mas pronto, acho que se Ronaldo, o melhor do mundo, tivesse podido participar neste campeonato, Portugal teria tido mais sucesso."

HAHAHA muito bom! eu acho mesmo que Portugal jogou com 10 em alguns jogos :|

A Espanha é horrenda... tiveram sorte que os Italianos também não queriam ganhar.

O Arshavin não presta, não obtem o seu retorno financeiro na venda de camisolas... por isso é melhor mesmo o C.Ronaldo. Relva? futebol? o que é isso?

Esperamos que a Russia ganhe isto, mas vai ser dificil, a Turquia anda com a sorte no máximo, é a nova Grécia/Glasgow Rangers

pedro silva disse...

Algo que me esqueci Nuno

Reparas-te no jogo do Aquilani? Passou o jogo todo preso descaído na direita quase em conseguiu subir estando praticamente entregue apenas a tarefas de cobertura. As suas principais valias, as ofensivas, nem teve oportunidade de as explanar. Agora diz-me se não achas que o Gattuso seria muito mais útil a fazer aquela posição?
Era aí que queria chegar no outro dia. Porque no modelo de jogo italiano aqueles 2 homens que jogam nessa posição (erquerda e direita) têm como função principal defender. E quando se trata de atacar eles não participam no processo de contrução que é feito quase 100% pelo pirlo. Ontem pirlo não jogou mas isso não alterou a sua filosofia e esses homens fizeram exactamente o mesmo.
Sendo assim parece-me que o Gattuso seria muito mais útil que o Aquilani.

cumprimentos

ataturk disse...

Digam o que disserem da Turquia, a única culpada pela Croácia não ter passado é a Croácia.

Nem na escola se perde um jogo daquela maneira. Uma coisa é reviravoltas épicas em 15 minutos, virar uma final da liga dos campeões de 3-0 para uma vitória, marcar aos 94' o golo da vitória.

Outra completamente diferente é passar 119 minutos sem sofrer golos, marcar aos 119 e não conseguir passar a bola ou segurar jogo, queimar tempo, fazer tricot, mandar a bola fora, ir tomar um café, o que quer que fosse, durante dois minutos.

Paulo Santos disse...

Nuno, apesar do teor cáustico, revejo-me em muito do que dizes acerca de Pepe. Agora, prepara-te que vais ser fustigado com ofensas nesta caixa de comentários:)))

Quanto à Espanha, acho que há algum preconceito da tua parte, em relação ao 4-4-2, ao Aragonés, não sei...não partilho da ideia de que a Espanha só vale pelas individualidades.


O que me dizes, do Rússia-Espanha, regado com umas cervejas e uns tremoços?

Mister Fred disse...

2. Pa sinceramente, acho que o Pepe tem falhas. Essencialmente cognitivas, quer ao nível da interpretação, quer da própria estabilização mental. Agora julgo que exageras, sem a classe do Carvalho por exemplo, está sem dúvida para mim, nos 10 melhores centrais da Europa. Pensa numa coisa, por pior que seja na interpretação dos lances (e não é assim tão mau) , se graças à sua capacidade física do outro mundo, emenda o erro, qual o problema? E depois ainda avança para criar desiquílibrios, e dar apoios, porque recupera com uma facilidade extraodinária.
"Um jogador não é aquilo que consegue, mas aquilo que tenta."
Não concordo, imagina , um jogador é muito bom cognitivamente n sei qe, como tu dizes e com razão que isso é o mais importante, mas se tenta bem, a ideia é boa, mas não concretiza não é um bom jogador...

3. O Ricardo é dos piores guarda-redes do Euro. Não percebo porque calça as luvas também...

5. Exacto, o Ronaldo passou o Euro mais preocupado com o contrato com o Real.

6. Sim, faz...Mas eram equipas que não têm nada a ver...A Grécia não virava jogos lol

7. A Croácia não merecia perder..mas como diz aqui um leitor do blog, não podia de maneira nenhuma ter sofrido aquele golo. Demonstrou ingenuidade. E depois nos penalties, tavam em inferioridade psicológica, relativamente aos turcos ,com o alento do empate milagroso. Eu vi logo que iam perder..E foi pena...

8. O Hiddink devia era vir para Portugal. Era o treinador ideal para a selecção. Faz sempre trabalhos de qualidade por onde passa.

10. Não exageres pa...se 5 dos 11 titulares são bons, a equipa não é tão má assim. Claro que não está ao nível, em termos da soma de individualidades, de uma Holanda ou Espanha, mas está a um nível bem superior, de uma Áustria, Polónia ou Suiça.

12. Os espanhóis tacticamente são horríveis. Aquele Aragonés não tá com nada. As capacidades daqueles excelentes médios-centros, não estão nada aproveitadas assim. Mete dó, ver o Iniesta colado à linha...Depois exacto, flecte para o meio ninguém aparece lá, os laterais pouco subiram no jogo de Itália. É pena...imagina só a Espanha, com os processos , da Rússia de Hiddink...Não dava hipótese...O Aragonés, está é a precisar da reforma...

13. Um jogador brilhante.

14. O meu palpite é a Alemanha. Mas é só mesmo um palpite. A Rússia é a melhor equipa... Mas...

Cumprimentos,

Mister Fred disse...

P.S. : Custa-me a querer que Guiza seja mesmo, o terceiro melhor avançado espanhol, imediatamente a seguir a Villa e Torres. É que se bem me lembro, aqui há uns anos havia Mista, Morientes, Tristán ou o inevitável Rául, que embora um pouco diferente nas características, encaixava-se bem numa dupla de pontas de lança, e era um jogador brilhate. Depois para as alas..havia Vicente , Joaquín...E agora para além de Silva, só há Cazorla? Eslarece-me Nuno xD

Tiagojcs disse...

Finalmente leio um texto na blogosfera no qual vejo alguém a colocar o Pepe no seu lugar . Um jogador excessivamente agressivo , reflexo da tal falta de inteligencia e recursos limitados , que se coloca mal em campo e que tende a prejudicar a equipa com a inumera quantidade de faltas que provoca .

Em relação ao Ricardo e ao Scolari pouco mais a dizer e o Ronaldo foi a mesma decepção de sempre na selecção . É um bom jogador , capaz , valente e arrojado mas ainda muito individualista e inconstante . Para se ser o melhor do mundo ha que se aparecer não só nos pequenos ou grandes jogos , mas em todos !

Excelente blog !

http://catedraldapalavra.blogspot.com