terça-feira, 24 de abril de 2012

A Melhor Equipa do Mundo

Quando, há dois anos, o Inter de Mourinho eliminou o Barcelona, publicou o Entre Dez um texto em que defendia a equipa blaugrana. Não o fez por despeito, mas porque, apesar da eliminação, a equipa manteve a sua identidade, a sua honra, e jogou o melhor que pôde, não vencendo apenas por manifesta falta de sorte. Hoje, após a eliminição ante o Chelsea, repete-se o exercício. No final do jogo, as estatísticas deram 27% de posse de bola ao Chelsea. As estatísticas estão erradas. Desconheço quais os critérios para medir a posse de bola, mas o Chelsea não teve nem 20% de posse. Como é óbvio, a posse de bola não justifica nada, e muitos poderão dizer que o Barça não soube materializá-la em oportunidades. Mas isso também é falso. O Barcelona teve, nada mais, nada menos, do que oito oportunidades claras de golo, ao longo do jogo. Os postes, Petr Cech, e a sorte, protegeram o Chelsea.

Ao longo da partida, Luis Freitas Lobo foi gabando a estratégia do Chelsea. Há cinco anos, Luís Freitas Lobo percebia qualquer coisa de futebol. Hoje em dia é acéfalo. Não sei o que terá acontecido entretanto, mas a verdade é que não sabe o que diz. Há-de haver uma explicação clínica. Aliás, quando o Barcelona fez o primeiro golo, disse Luís Freitas Lobo que estava reposta a lógica na eliminatória. Como é que ele pode dizer isso, quando defendeu que o Chelsea tinha merecido o resultado da primeira mão? Luís Freitas Lobo diz aquilo que os resultados exigem que diga. Se o Barcelona tivesse marcado mais do que o Chelsea, diria que o Barcelona jogou bem, e que vencera a eliminatória quem mais merecera. Como não foi o que aconteceu, foi o Chelsea que mais mereceu. Repito: isto é conversa de gente com problemas na cabeça. Os resultados são o que são, mas nem sempre espelham o que se passa em campo. E o que se passou em campo, nesta eliminatória, foi que o Barcelona esmagou o Chelsea. "Estratégia" é saber defender para atrair o adversário, e depois lançar os ataques. Defender com nove jogadores dentro da área não é "estratégia". É fé. E, às vezes, porque o jogo dá-se a isto, a fé pode vencer a competência. Foi o que aconteceu. Em condições normais, o Barcelona venceria a eliminatória com a facilidade com que venceu o Bayer Leverkusen. Acontece que, juntando-se várias anormalidades (13 oportunidades claras de golo, e apenas 2 golos; 4 bolas nos postes; 3 oportunidades de golo do adversário e 3 golos sofridos; erros de Mascherano), uma eliminatória em que uma equipa esmagou a outra acabou por permitir que a equipa esmagada passasse à final. Pode acontecer. Não é muito normal, mas pode acontecer.

Há que notar que, assim que Fernando Torres marcou o golo do empate, que punha um ponto final na eliminatória, os adeptos entoaram, em coro, o hino do Barcelona. Não sei se não será algo inédito num campo de futebol. Desconfio que sim. É costume dizer que, em Inglaterra, os adeptos aplaudem a equipa mesmo quando esta perde. Isso acontece principalmente porque os adeptos são, na sua grande maioria, estúpidos. Aplaudem porque notam que a equipa se esforçou. Não reparam que, apesar do esforço, jogaram miseravelmente. Hoje, em Camp Nou, os adeptos aplaudiram por outra razão. Aplaudiram porque o orgulho na sua equipa é tanto que supera a frustração de não marcar presença na final de Munique. Isso é inédito. E só podia ser alcançado num clube com um projecto deste tipo, e com um modelo de jogo que, mesmo nos jogos em que o resultado não é favorável, deixa a certeza de que se jogou o melhor que era possível. Hoje, o Barcelona foi derrotado, principalmente porque o futebol permite que o melhor seja derrotado. Mas venceu de outra maneira, novamente. E é por ter vencido dessa maneira que é seguro que seja novamente o principal favorito a conquistar o troféu na época seguinte. Sim, o Barcelona não vai revalidar o título de campeão europeu. Mas continua a ser a melhor equipa do mundo. De longe.

Quando, há dois anos, o Inter de Mourinho derrotou o Barça, apontaram-se defeitos à equipa, apontaram-se erros a Guardiola, etc.. O Entre Dez optou por outro discurso, o mesmo por que opta agora. O Barcelona perdera porque, mesmo sendo o melhor, às vezes perde-se. A terceira época de Guardiola mostrou que tínhamos razão. Apesar de ter sido derrotado, continuava a ser a melhor equipa do mundo, e continuava a ser a equipa que melhor jogava, e que melhores condições reunia para ganhar as competições que disputava. Hoje, que se repetiu o azar de o Barcelona não passar à final da Liga dos Campeões, repetem-se as razões, e repetem-se as nossas previsões. Trata-se da melhor equipa do mundo, da única equipa de que tenho conhecimento que conseguiu aterrorizar o mundo do futebol. Para mim, por exemplo, este é o melhor ano, em termos de qualidade de jogo, da era Guardiola. Aceito que, defensivamente, a equipa não tem estado tão bem como já esteve, embora muito por culpa pelas ausências sistemáticas de Piqué e Abidal. Mas, ofensivamente, foi o ano em que a equipa melhor jogou. Duvido que a maioria das pessoas que me lêem consigam perceber o que digo, sobretudo porque a equipa não vai ganhar o que ganhou noutros anos, mas é assim que penso. Em termos de jogo, a equipa aprendeu a desenvencilhar-se de situações mais difíceis, e tornou-se ainda mais confortável a jogar da maneira que joga. Se, noutros anos, havia equipas que conseguiam dificultar o trabalho aos jogadores catalães, este ano não houve uma única que o conseguisse.

E o Real Madrid, no passado fim-de-semana? Tenho lido várias coisas acerca do jogo de Camp Nou que o Real ganhou, e continuo sem perceber a análise das pessoas. O Real ganhou como o Chelsea ganhou: porque teve sorte. E a sorte, por vezes, protege quem menos faz por ela. Era difícil de prever que o Barça tivesse azar três vezes seguidas, mas aconteceu. Teve azar, e teve o Mascherano em campo. A primeira oportunidade do Real Madrid, no sábado, foi a do segundo golo, aos 70 e tal minutos. Depois, tem outra mesmo a acabar, numa altura em que, aí sim, já havia algum desnorte dos catalães. O Barcelona, mesmo não tendo jogado bem, teve 4 oportunidades flagrantes de golo (uma de Dani Alves, uma de Xavi, e duas de Tello). Somando isso ao facto de os dois golos do Real terem sido precedidos de falta (para não falar no fora-de-jogo no primeiro golo), como é que se pode ser hipócrita ao ponto de dizer que o Real venceu de forma justa e foi a melhor equipa em campo? Ou estão mal habituados, tanto é o domínio dos catalães, ou são, pura e simplesmente, desonestos. Guardiola e Iniesta têm razão no que dizem: o Barcelona não jogou tão bem como é costume, é verdade, mas ainda assim foi superior ao Real Madrid e foi a equipa que mais fez por vencer. A haver um vencedor justo, esse tinha de ser, obviamente, o Barcelona. Mas, como o futebol não se faz de justiça, o Real ganhou. Como hoje o Chelsea ganhou. Acontece.

Por fim, gostaria ainda de falar de Mascherano. Tenho batido na mesma tecla, mas acho que tenho de fazê-lo novamente. Mascherano já tinha sido o responsável no golo sofrido frente ao Milan. Frente ao Chelsea, foi o responsável directo pelos dois golos (não conto o de Fernando Torres, que ocorre numa altura em que o Barça tentava tudo por tudo para apertar o cerco ao Chelsea). Em Stamford Bridge, reage mal ao lance e invade o espaço de Puyol, em vez de oferecer uma cobertura, e quando se apercebe não se reposiciona bem, não cortando a linha de passe possível para Didier Drogba. Em Camp Nou, é ele quem sai da sua posição para ir perseguir Lampard até à linha de lateral, abrindo um buraco desnecessário no centro da defesa que Busquets não conseguiu cobrir a tempo. Frente ao Real, é ele quem falha a cobertura no lance de Ronaldo. É verdade que Adriano vai fechar ao meio quando tinha Busquets ao seu lado, melhor posicionado para o fazer, e isso permite que a bola entre em Ozil. Mas, indo a bola para a linha, Mascherano só tinha que bascular. Além de não perceber o que Ozil ia fazer, que era óbvio, estava praticamente a meio do meio-campo, a mais de 20 metros de Busquets, que é quem sai ao alemão. Se, no meio-campo, é o que é, a defender, por ter menos bola, sempre pareceu o argentino um estorvo menor. O que é certo é que, a jogar com três defesas, a equipa fica mais exposta, e as carências intelectuais de Mascherano mais visíveis. O Barcelona também pagou por isso, e é bom que Guardiola o perceba. Aliás, com Piqué em campo, desconfio que o Barcelona estaria neste momento na final de Munique, e o Real em pânico por estar com um ponto apenas de avanço no campeonato. Às vezes, também é tão simples quanto isto.

Quando se fala, por isso, em passagens de testemunho, e em mudanças de ciclo, apetece dizer às pessoas para terem juízo. Quando virem uma equipa a ser capaz de vergar outra como o Barcelona faz sistematicamente com os seus adversários, ou quando virem uma equipa a ser, por pouco que seja, superior aos catalães no terreno de jogo, aí, sim, atirem foguetes. É que, até à data, o Barcelona ainda só perdeu competições por questões acidentais, e ainda não jogou um único jogo, com quem quer que seja, em que se pudesse dizer honestamente que o adversário foi superior. Há coisas que têm de ser revistas, nomeadamente o reforço do sector defensivo, mas não tenho dúvidas de que a equipa de Guardiola continuará a ter a hegemonia que teve até aqui. E é sobretudo disso que se trata, quando se defende esta maneira de jogar. É que, mesmo perante dois ou três desaires sucessivos, fica sempre a sensação de que é impossível acontecer muitas mais vezes o que aconteceu esta semana.

62 comentários:

AbraXas disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Tiago disse...

Vão buscar o Liedson para colmatar tanta falta de sorte.

AbraXas disse...

já usava corretor ... podes apagar o outro ,? sorry

Nuno, o Freitas Lobo chegava ao cúmulo de se desfazer em elogios (já vi orgasmos mais contidos) ao chelsea de cada vez que, já na segunda parte ,os londrinos ganhavam um lançamento lateral na defesa ou que o drogba tocava na bola (nem que fosse numa mera disputa de bola de cabeça na linha do meio campo após um alívio do chelsea).

não me tinha apercebido de quantos tugas andavam aí a rezar por um falhanço do barça. hoje vi o jogo no café e era só pessoal ferrenho do "real".

venceram "os maus", venceu a mediocridade do futebol resultadista.

o regozijo de alguns com isto diz muito das pessoas, da cultura, dum país, da civilização (não falo de portugal em particular). a maior parte de nós luta em defesa duma bandeira, não de um ideal ou de valores. são soldados.um iraniano islâmico defende a bandeira dele, o americano idem, mas não se travam de razões. lutam por algo tão vago como a bandeira, que não lhes diz, na realidade, nada, é implantado.

já a estética ou a perfeição (ainda que como ideia), aplicadas ao sentido de beleza, às estruturas sociais ideiais, à mecânica do universo, são inatas ao homem. dizem respeito a todos: maravilharmo-nos com as marés, com um por do sol ou com uma equação perfeita.


os que lutam por ideias e valores apreciam o barcelona, como apreciaram a laranja mecânica de cruyff e, mais tarde, do trio do milan.

PB disse...

O barça é incrivelmente superior a todos os outros. Isso tb leva a q os jogos contra o barça sejam preparados de forma mt mais minuciosa e q os jogadores adversarios por saberem q é qs impossivel derrotar esta super equipa, tenham um espirito de sacrificio q n teriam nc noutros jogos.

O Barça é o melhor. O Real vai ganhar tudo,mas n tenho duvidas de q os proprios madrilenos o reconhecem.

hj estava num café q explodiu c o golo do Torres. Tristeza... Eu n sou do barcelona,nem gosto mais deles q do Real, mas n compreendo isto. N seria fantastico poder ver o barça na final? O jogo n seria incrivelmente melhor ? c mais qualidade?

Tiago disse...

PB, acho normalíssimo ver portugueses a puxar pelo Real Madrid. Trabalham lá 2 dos portugueses mais brilhantes de sempre do mundo do futebol.

Tiago disse...

Explicando-me melhor, hoje havia 2 tipos de portugueses a puxar pelo Chelsea:
- os que querem que o Real Madrid (ou melhor, o Mourinho e o Ronaldo) ganhem a champions
- os benfiquistas, que queriam ver na final a equipa que os eliminou

PB disse...

O unico hj em campo era o Meireles.

Eu prefiro ver bom futebol, grandes jogos.

Nuno disse...

Abraxas, não me custa a imaginar. Mas isso de haver muita gente a torcer contra o Barça é a melhor confirmação do que esta equipa representa. Nenhuma outra equipa criou a necessidade de ser derrotada como esta criou.

PB, as pessoas não gostam de futebol. Qualquer pessoa que torça contra o Barcelona não gosta de futebol. Gosta de outra coisa.

Tiago, 2 coisas. Primeiro, é por não quererem jogadores que valem pela sorte que têm, por um aspecto ou outro em que são fortes, mas antes preferirem jogadores inteligentes, que sabem fazer de tudo um pouco, que este Barcelona é o que é. Segundo, ser português e puxar por equipas em que joguem portugueses e tão estúpido como ser louro e puxar pela equipa que tiver mais louros em campo. Os portugueses louros é que pensam, por qualquer defeito de pensamento, que estão mais próximos de outros portugueses do que de outros louros. Mas não estão.

Bcool973 disse...

Nuno, embora aprecie os teus comentários acho que estás pouco objectivo nos comentários, pois ao contrário do que dizes, tanto o guardiola, como os comentadores catalães admitiram que o desfecho com o real foi justo.

O jogo desta noite não pude ver, mas vais-me perdoar o barcelona no jogo com o real afastou-se muito daquilo que é o seu modelo de jogo, apostando muito nas entradas pelos flancos, sem depois tentarem jogar para trás, ou seja do lado direito o daniel alves tentava invariavelmente cruzar, algo não natural do futebol do barcelona e no lado esquerdo o tello tentava ganhar a linha de fundo em velocidade ao arbeloa.

Aliás o que notei na segunda parte foi o afastamento do modelo da troca de bola na frente da defesa tentando procurar o espaço entre linhas, pelo que só vi 2 oportunidades flagrantes, aquela em que a bola entra no xavi que a devolve ao messi, sendo que sai o central e o xavi fica com o espaço para finalizar. A outra foi o passe para a esquerda do thiago, salvo erro, ficando este na cara do casillas. Quanto ao daniel alves, como tu costumas considerar, quilo não é oportunidade alguma, mas antes uma recuperação com adiantamento da bola a que o casillas chega primeiro.

No jogo com o Real, a equipa optou por soluções que não me lembro de ver, como passes longos sem a certeza que o receptor estaria sozinho, corridas desenfreadas pelas alas sem qualquer apoio.

Do lado do Real, achei eu, que o Mourinho tentou ao máximo aproveitar a tentativa de anular o espaço entre linhas, tendo efectuado correcções ao intervalo de forma a que os médios e os defesas não se precipitassem em sair aos engodos que o barcelona costuma fazer, mas esperarem pelo passe para a entrada da área para cortarem.

Por ventura o cansaço físico e psicológico da derrota em londres e do 2-1, no qual não vi falta alguma, nem ninguém viu, aliás no próprio fora-de-jogo do canto, que eu me pareceu, li n comentários, e mesmo entre catalães não era unânime o fora de jogo, pelo que devas conceder que na dúvida o árbitro não o marcasse, aliás é mais evidente o erro do Puyol, que o erro do auxiliar.

Quanto à questão piqué vs mascherano, penso que a mesma diz respeito ao pouco profissionalismo que o primeiro tem demonstrado, que inclui faltas e atrasos em treinos, situação que muito tem desagradado guardiola, que a ter alternativa clara, já o teria transferido (opinião que li em blogs catalães).

quanto aos comentadores, acho que é chover no molhado, são resultadistas e portanto são capazes de dizer a uma coisa e o seu contrário se o jogo se alterar.

como não vi o jogo de hoje não posso ter uma opinião fundamentada, mas está-me a parecer que existirá uma excessiva dependência do messi, em termos de finalização e que um abaixamento de forma deste corresponde a uma menor capacidade de concretização de oportunidades que de outra forma seriam concretizadas.

A minha maior crítica às tuas análises é o só valorizares exclusivamente a criação de oportunidades e desvalorizares os jogadores que não sendo tão inteligentes e aptos nessa capacidade, têm uma capacidade de finalização superior a outros melhores na criação.

O futebol decide-se por golos marcados, mais do que por oportunidades criadas, e embora seja essencial criar oportunidades, e se criarmos mais, temos maior probabilidade de ganhar os jogos, é fundamental também ter capacidade finalizadora, caso contrário, os aspectos anímicos podem começar a derrotar a equipa.

Por isso, e ao contrário do defendido desde sempre neste blog, sempre achei o Postiga um avançado medíocre, porque se pode criar muito jogo e dar muitos apoios, como avançado centro tem um défice muito grande na capacidade concretizadora, porque para além de criar oportunidades, um avançado tem que concretizar a maioria das oportunidades que tem.

Nuno disse...

Bcool793 diz: "tanto o guardiola, como os comentadores catalães admitiram que o desfecho com o real foi justo."

Quanto aos comentadores, não me parece que gente acéfala conte como critério. Quanto ao Guardiola, estás equivocado. Ele deu os parabéns pela liga, mas disse que não sentiu que o Barça tivesse sido inferior ao Real.

"Aliás o que notei na segunda parte foi o afastamento do modelo da troca de bola na frente da defesa tentando procurar o espaço entre linhas"

O Barça não jogou tão bem como é costume, mas dizer que se afastou do modelo é um exagero. Aliás, tirando os passes longos do Mascherano, não sei onde foste buscar o resto.

"pelo que só vi 2 oportunidades flagrantes, aquela em que a bola entra no xavi que a devolve ao messi, sendo que sai o central e o xavi fica com o espaço para finalizar. A outra foi o passe para a esquerda do thiago, salvo erro, ficando este na cara do casillas."

Essa do Xavi, a do Dani Alves, e 2 do Tello, uma antes do golo, a outra minutos antes, quando chuta por cima estando completamente isolado. São 4. Todas elas claras. São 4 vezes mais do que aquelas que o Real criou até ao 2-1. Chega?


"Quanto ao daniel alves, como tu costumas considerar, quilo não é oportunidade alguma, mas antes uma recuperação com adiantamento da bola a que o casillas chega primeiro."

Bcool793, o Dani Alves chega primeiro à bola do que o Casillas. Bastava ter conseguido fintar o Casillas e era lance de golo ou de expulsão.

"No jogo com o Real, a equipa optou por soluções que não me lembro de ver, como passes longos sem a certeza que o receptor estaria sozinho, corridas desenfreadas pelas alas sem qualquer apoio."

Os passes longos aconteceram, mas não foram assim tantos. A menos que te estejas a referir aos últimos 15 minutos. Aí sim, o Barcelona precipitou-se, pois veio abaixo emocionalmente com o segundo golo do Real. No resto do jogo, isso não aconteceu. Corridas pela ala aconteceram pelo Tello. Foi para isso que ele jogou, e foi por ele que isso aconteceu. Não foi sistemático, e não foi algo que comprometeu, em termos gerais, o jogo da equipa.

"Por ventura o cansaço físico e psicológico da derrota em londres e do 2-1, no qual não vi falta alguma, nem ninguém viu, aliás no próprio fora-de-jogo do canto, que eu me pareceu, li n comentários, e mesmo entre catalães não era unânime o fora de jogo, pelo que devas conceder que na dúvida o árbitro não o marcasse, aliás é mais evidente o erro do Puyol, que o erro do auxiliar."

Bcool793, eu não desculpei a derrota com os árbitros. Quanto ao fora-de-jogo, admito sem dificuldades a dúvida. O que não admito é a falta sobre o Messi que fica por assinalar, como ficaram muitas, aliás, e que dá início ao lance que depois vem a dar o canto. No segundo golo, há novamente uma falta, claríssima, do Arbeloa sobre o Tello, no início da jogada. Claríssima, bem mais clara que a falta sobre o Messi no primeiro. Mas, repito, não foi apenas pelo árbitro. Bastava que o Piqué jogasse e duvido que o Real marcasse qualquer um daqueles golos.

"Quanto à questão piqué vs mascherano, penso que a mesma diz respeito ao pouco profissionalismo que o primeiro tem demonstrado, que inclui faltas e atrasos em treinos, situação que muito tem desagradado guardiola, que a ter alternativa clara, já o teria transferido (opinião que li em blogs catalães)."

Bcool793, é pouco claro que a falta de profissionalismo seja verdade. Tanto quanto se sabe, é especulação.

Nuno disse...

"como não vi o jogo de hoje não posso ter uma opinião fundamentada, mas está-me a parecer que existirá uma excessiva dependência do messi, em termos de finalização e que um abaixamento de forma deste corresponde a uma menor capacidade de concretização de oportunidades que de outra forma seriam concretizadas."

Juro que não percebo o que estás a dizer aqui. Juro mesmo. 13 oportunidades flagrantes em 180 minutos em que o adversário defendeu com 9 jogadores dentro da área, achas que é pouco? E achas que o Messi andou onde, nessas jogadas? E achas que ele está em baixo de forma porquê? Porque não marcou golos? Juro que não percebo o raciocínio de pessoas que acham que o mundo ou é branco ou é preto.

"A minha maior crítica às tuas análises é o só valorizares exclusivamente a criação de oportunidades e desvalorizares os jogadores que não sendo tão inteligentes e aptos nessa capacidade, têm uma capacidade de finalização superior a outros melhores na criação."

Pá, o que é a capacidade de finalização? A sério! É que a existência de uma tal coisa é para mim o maior mito deste jogo. E como é que esses tipos extraordinários na finalização vão finalizar, se não se criarem oportunidades? É que eu sei como é que os tipos que não são assim tão bons a finalizar vão finalizar se a equipa souber jogar. Valorizo mais a criação do que a finalização porque o momento de finalização é uma parte muito ínfima de um processo de criação.

"O futebol decide-se por golos marcados, mais do que por oportunidades criadas, e embora seja essencial criar oportunidades, e se criarmos mais, temos maior probabilidade de ganhar os jogos, é fundamental também ter capacidade finalizadora, caso contrário, os aspectos anímicos podem começar a derrotar a equipa."

O importante não é criar mais oportunidades; é criar melhores. E garanto-te que marcará mais golos quem, à partida, criar melhores oportunidades. É fundamental ter "capacidade finalizadora". Continuo sem perceber o que isso seja.

"Por isso, e ao contrário do defendido desde sempre neste blog, sempre achei o Postiga um avançado medíocre, porque se pode criar muito jogo e dar muitos apoios, como avançado centro tem um défice muito grande na capacidade concretizadora, porque para além de criar oportunidades, um avançado tem que concretizar a maioria das oportunidades que tem."

Todo este texto para chegar ao disparate final. Um avançado tem que ser avançado. Não é por ser avançado que tem que marcar golos que a maioria dos jogadores não é capaz de marcar. Enquanto não perceberes isto, não é fácil perceberes a principal razão pela qual defendo este Barcelona. O Postiga fazia o que tinha a fazer. É falso que falhasse mais do que a grande maioria dos avançados. Não era um jogador de fazer muitos golos, mas não porque fosse aselha, porque perdesse à calma à frente da baliza, ou seja, por não ter aquela coisa espectacular a que tu chamas "capacidade finalizadora". Fazia menos golos do que outros avançados simplesmente porque gozava de menos oportunidades para fazê-los.

Bcool973 disse...

"Quanto aos comentadores, não me parece que gente acéfala conte como critério. Quanto ao Guardiola, estás equivocado. Ele deu os parabéns pela liga, mas disse que não sentiu que o Barça tivesse sido inferior ao Real"
O que tu disseste taxativamente foi que o Barcelona foi melhor que o Real, o Guardiola, disse que achava que não tivesse sido inferior, penso que seja diferente

quanto aos passes longos e à cavalgadas do alves, quiçá tentando explorar o momento psicológico menos positivo do coentrão, com cruzamentos sem sentido, algo pouco característico no futebol do barcelona eu contei muitos movimentos assim e não foram exclusivamente nos últimos 15 minutos

quanto às 4 oportunidades, a segunda do Tello não me lembro qual é, a do alves não é uma oportunidade construída - uma melhor oportunidade - mas sim uma recuperação de bola do alves resultante de um movimento de pressão que se transforma numa corrida até à bola com o casillas, estranho que consideres essa "oportunidade" e não o cabeceamento do ronaldo que desvia no puyol, mas ok, consideras o que quiseres e deixarás que os outros considerem as que entenderem, mais, não fora a cretinice do benzema se adiantar demasiado em vez de se afastar dos defesas para dar linha de passe, e uma jogada do ozil na direita poderia ter terminado em golo

quanto às faltas que invocas, não as vi, mas tendo em conta o sítio onde vi o jogo, dou de barato que possam ter acontecido, embora me pareçam mais relevantes os erros dos defesas do barcelona

como te disse não vi o jogo de hoje, só vi o de sábado e não tinha visto o de londres, pelo que não sei do número de oportunidades, sei que nos momentos decisivos, os jogadores que estão acima dos outros, aqueles que ficam na história, decidem jogos e tanto quanto sei isso não aconteceu nos dois jogos com o chelsea. Se o messi jogou bem ou não, não sei, nem posso avaliar, posso avaliar contra o real, em que com excepção de 2 momentos, a combinação com o xavi e a jogada que deu origem ao golo, um bocado fortuíto diga-se de passagem, o messi não mostrou ser capaz de ultrapassar adversários como costuma fazer, de acertar as tabelas na zona de perigo como costuma fazer, enfim, teve um jogo pouco conseguido.

SportingSempre disse...

hahaha, a primeira ocasião do Real foi o segundo golo?!

porque por exemplo o canto que deu boa defesa do Valdes não conta certo? ou mesmo o segundo canto que o Pepe cabeceia para nova boa defesa do Valdes, que dá o golo a seguir também não conta...

hah, já me esquecia, as bolas paradas e por alto não contam porque é feio não é? está escrito que o futebol é pa entrar com a bola no pé dentro da baliza!! meu Deus

este fanatismo ridiculo, cego e idiota não faz sentido nenhum.

o Real pressionou alto quase toda a primeira parte e em momentos esporadicos da segunda mas ganhou como o Chelsea?!

nem o mais cego catalão escreveria as barbaridades que se publicam neste blog.

o Barça para mim é a melhor equipa da historia mas isso não significa que mereçam ganhar tudo ou que não cometam erros.

abre os olhos rapaz.

Bcool973 disse...

capacidade de finalização é não marcar só 2 golos em 13 ocasiões flagrantes, tens que convir que é muito pouco e se não sabes o que é, é falta de capacidade de finalização e isso não é só azar, é inépcia, são gestos técnicos incorrectos, é o posicionamento do corpo incorrecto, etc. etc.

Parte ínfima ou não, é uma parte decisiva e acho que menorizas/desvalorizas demasiado esse aspecto que é fulcral na decisão de jogos.

aceito que prefiras o processo de criação, é a tua prerrogativa, acho apenas, e essa é a minha, que é uma falha tua que menosprezes a finalização.

marcará mais golos, quem fôr mais eficaz e senão acreditas nisso, olha para o jogo de hoje, olha para o jogo de sábado, um jogo onde há poucas ocasiões de golo de parte a parte e os jogadores do barcelona não tiveram a capacidade/maturidade/discernimento para finalizar a contento as oportunidades criadas (e volto a insistir que a do alves não é, não tem qualquer processo de criação associado).

"Pá, o que é a capacidade de finalização? A sério! É que a existência de uma tal coisa é para mim o maior mito deste jogo. E como é que esses tipos extraordinários na finalização vão finalizar, se não se criarem oportunidades?" - Pelé, Maradona, Eusébio, Ronaldo, Nené, Cristiano Ronaldo, Messi, Liedson, Jardel, Cardozo, quantos mais exemplos queres de jogadores que só por si eram/são capazes de criar desequilíbrios e fazer valer a sua capacidade finalizadora ? Se o modelo de jogo de uma equipa deve depender do génio individual, não ? Mas às vezes é necessário que o génio se sobreponha ao jogo de equipa, quando esta não consegue resolver as coisas colectivamente.

Eu percebo perfeitamente porque defendes o modelo de jogo deste Barcelona, por achares que a equipa joga colectivamente de tal forma que é capaz de gerar oportunidades melhores (só de encostar/rematar isolado sem pressão de defesas) em grande quantidade tal como nenhuma equipa o conseguiu fazer (consegue fazer) até ao momento presente. E faz isso seguindo um modelo coerente de apoios, desmarcações, engodos, procurando o espaço entre linhas que as equipas dão quando defendem.

E sim, para mim, um bom avançado tem que ser capaz de marcar golos que a maioria dos avançados não seria capaz de marcar. é a minha opinião e em nada é incompatível com o que penso ser a tua sobre a equipa do barcelona.

Quanto ao Postiga é mesmo um azelha, que serviu para o Porto enganar Tottenham, Saint-Etienne e Sporting com vantagens financeiras óbvias.

SportingSempre disse...

as regras do jogo não dizem "quem vergar a outra equipa como o Barça ganha".. dizem "quem marcar mais golos ganha o jogo".

esse é o objectivo, podes gostar de ver jogar mais uns mas não podes desvalorizar quem alcançou o objectivo do jogo chamado "Futebol" com esforço, dedicação e porque não, inteligência.

SportingSempre disse...

espera espera...ele disse mesmo que os 2 golos do Real são precedidos de falta? alguém dê os remedios ao homem, que ele tá a delirar...

isto vindo do defensor irracional da equipa mais beneficiada pelo sistema/arbitragens do seculo XXI chega a fazer rir se não fosse quase ofensivo para quem gosta do jogo,

Tiago disse...

Nuno, era estranho é se a tua falta de educação não viesse ao de cima.
Pela tua lógica, seria estúpido tu gostares de palhaços.

Cantinho do Morais disse...

Ainda bem que, a maioria, acha que o ciclo chegou ao fim. Hoje, o OJOGO diz que foi uma época negra para Guardiola. Negra... Ganhou a Supertaça Europeia, a Supertaça de Espanha (ao Real), o Mundial de Clubes e está na final da Taça do Rei (depois de eliminar o Real).

Negra... enfim.

O Barça é um alvo a abater e, já se percebeu que não é com futebol que isso se faz. Foi isso que fez Mourinho, fez o Milan e o Chelsea.
Por outro lado, nesta fase faltaram jogadores fundamentais (Piqué, Abidal e Villa) e, notou-se, que as contratações desta época (Fabregas e Alexis) ainda estão a tentar perceber o que é jogar para ganhar títulos. São grandes jogadores mas falharam muito nestas últimas semanas. Estão a crescer...

Eficácia. Tudo se resumiu a ela. À sua falta, no caso do Barça, e à sua presença no caso do Madrid e Chelsea.
E, aqui, houve uma clara fadiga mental das principais peças deste Barça. O plantel é curto e corre atrás há muito tempo. Vai acumulando fadiga. Jogou muitos mais jogos que o Real, com um plantel mais pequeno e com muitos jogadores em crescimento. Jogou a Supertaça Europeia, o Mundial de Clubes e mais eliminatórias da Taça do Rei e jogou contra o Milan nos quartos, enquanto o Real descansou contra o Apoel.

Mas, após isto tudo, no final, resume-se a 3 penaltys falhados por Messi. Contra Sevilha e Valência e Chelsea. O melhor do Mundo (e de Sempre). É muita injustiça.

Nuno disse...

Bcool793 diz: "O que tu disseste taxativamente foi que o Barcelona foi melhor que o Real, o Guardiola, disse que achava que não tivesse sido inferior, penso que seja diferente"

Não ser inferior, pelo menos neste universo, é ser superior. O Guardiola foi menos directo do que eu, mas disse o mesmo.

"quanto às 4 oportunidades, a segunda do Tello não me lembro qual é, a do alves não é uma oportunidade construída - uma melhor oportunidade - mas sim uma recuperação de bola do alves resultante de um movimento de pressão que se transforma numa corrida até à bola com o casillas, estranho que consideres essa "oportunidade" e não o cabeceamento do ronaldo que desvia no puyol, mas ok, consideras o que quiseres e deixarás que os outros considerem as que entenderem"

A segunda do Tello ocorre antes da primeira, no jogo. É um passe que o deixa sozinho na cara do Casillas, e que ele remata de primeira, muito por cima. Não considero esse lance de cabeça do Ronaldo porque estou a falar de lances de golo claro, em que o finalizador tem boas condições de finalização. Nesse lance, a bola vai à baliza por mero acaso. O Ronaldo cabeceia mal, e a bola bate no Puyol, levantando e obrigando o Valdés a defender para canto. Não foi um lance em que dissesses, antes do remate, que estava ali uma jogada de golo. A considerar esse lance, teria de considerar os remates do Xavi e do Iniesta a rasar o poste, e não considerei. O meu critério é simples: oportunidades boas, em que o finalizador tem boas condições para finalizar.

"capacidade de finalização é não marcar só 2 golos em 13 ocasiões flagrantes, tens que convir que é muito pouco e se não sabes o que é, é falta de capacidade de finalização e isso não é só azar, é inépcia, são gestos técnicos incorrectos, é o posicionamento do corpo incorrecto, etc. etc."

E achas mesmo que, a este nível, é isso que se passa? Achas, por exemplo, que o Torres tem marcado poucos golos por falta daquilo a que tu chamas "capacidade de finalização"?

"aceito que prefiras o processo de criação, é a tua prerrogativa, acho apenas, e essa é a minha, que é uma falha tua que menosprezes a finalização."

Eu desvalorizo isso porque se a equipa for boa no resto isso é um pormenor irrelevante. Ter "capacidade de finalização", ou ter um bom aproveitamento das oportunidades que se criam só é importante para quem joga mal, para quem cria pouco. Entre outras coisas, este Barcelona tem mostrado que estou certo a esse respeito.

"marcará mais golos, quem fôr mais eficaz e senão acreditas nisso, olha para o jogo de hoje, olha para o jogo de sábado, um jogo onde há poucas ocasiões de golo de parte a parte e os jogadores do barcelona não tiveram a capacidade/maturidade/discernimento para finalizar a contento as oportunidades criadas"

Boa, tens 3 jogos a suportar a tua teoria. Eu tenho 3 anos. Parece que ganhei. Pá, jogos como os da última semana são a excepção. As equipas que criam mais e melhores oportunidades são as que ganham mais, essencialmente porque não existem diferenças significativas a este nível naquilo a que tu chamas "capacidade de finalização".

Nuno disse...

Sportingsempre diz: "porque por exemplo o canto que deu boa defesa do Valdes não conta certo? ou mesmo o segundo canto que o Pepe cabeceia para nova boa defesa do Valdes, que dá o golo a seguir também não conta..."

Já expliquei acima ao Bcool o meu critério. Penso que é um critério justo. O lance do golo ocorre em fora-de-jogo, depois de o Pepe ganhar em esforço. Aquilo nem sequer é uma oportunidade de golo, mas pronto, se a quiseres considerar, mesmo assim o Barcelona teve mais e melhores oportunidades. E é isso que não compreendo nas pessoas, quando interpretam o jogo e dizem que o Real mereceu ganhar. Não tendo sido um jogo óptimo do Barça, foi ainda assim o suficiente.

"hah, já me esquecia, as bolas paradas e por alto não contam porque é feio não é?"

Não é uma questão de ser feio. É uma questão de ser mais fácil de finalizar. Uma bola parada também pode dar uma ocasião de golo boa, mas rematar de cabeça a alguns metros da baliza, no meio de vários adversários, sem tempo e espaço para definir o remate, parece-me muito menos provável de dar golo do que um lance em que o avançado tem boas condições para finalizar.

"o Real pressionou alto quase toda a primeira parte e em momentos esporadicos da segunda mas ganhou como o Chelsea?!"

O Real pressionou alto os primeiros 7 ou 8 minutos. Mesmo nessa altura, não foi superior. Ganhou uns cantos. A partir dos 10 minutos, o Barcelona tomou conta do jogo, e já contra a corrente do jogo sofre o golo. Depois, a partir daí, o Real só defendeu. Por isso é que jogou mais como o Chelsea do que outra coisa qualquer. Obviamente, não jogou tão recuado, e defendeu melhor. Mas a verdade é que houve uma única equipa a criar, e a outra a tentar que a primeira não criasse. Nesse sentido, foram jogos idênticos.

"esse é o objectivo, podes gostar de ver jogar mais uns mas não podes desvalorizar quem alcançou o objectivo do jogo chamado "Futebol" com esforço, dedicação e porque não, inteligência."

Sportingsempre, o objectivo do jogo é jogar bem. Só jogando bem se criam condições para que se façam golos. O Barcelona criou mais e melhores condições para marcar golos, logo jogou melhor do que o Real. Isto só é discutível porque as pessoas vêem os golos e não o modo como estes acontecem. Claro que desvalorizo quem obteve vitórias sem as merecer. Quando o Real ganhou a Taça do Rei, também desvalorizei a vitória. Nessa altura, todos pensavam como tu, que a equipa de Mourinho merecera o título, que estava mais perto da qualidade do Barça. De lá para cá, o tempo deu-me razão, e o Real não voltou a conseguir derrotar o Barça até este fim-de-semana. Tal como nessa altura, o que digo é que, de vez em quando, o Real vai conseguir ganhar. Mas a norma persiste, e o favorito continua a ser o Barcelona. Mantendo-se Guardiola para o ano, o mais certo é que, em 5 jogos, o Real só ganhe 1. Porque, lá está, tendo o Real qualidade, continua a estar a anos-de-luz do que faz o Barcelona. Repito o que disse no texto: tenho muitas dúvidas de que o Real ganhasse o jogo se o Barcelona tivesse o seu melhor onze em campo.

"espera espera...ele disse mesmo que os 2 golos do Real são precedidos de falta? alguém dê os remedios ao homem, que ele tá a delirar..."

E queres explicar por que é que estou a delirar? É que eu recordo-me dos lances. Tu, pelos vistos, nem sabes do que estou a falar, e mesmo assim achas que estou a inventar.

"isto vindo do defensor irracional da equipa mais beneficiada pelo sistema/arbitragens do seculo XXI"

Sportingsempre, tu, como a grande maioria dos portugueses, gosta demasiado do Mourinho para ver o óbvio. Antes de mais, uma pessoa que sustenta essa teoria de que o Barcelona é beneficiado é um imbecil. Quem quer que seja. Ouviu dizer isso e repete-o à exaustão. Segundo, contra o Real, desde que o Mourinho lá está, o Barcelona foi praticamente sempre prejudicado. Terceiro, este ano queres mesmo contabilizar quem é que foi mais beneficiado? Eras capaz de ter uma surpresa.

Nuno disse...

Tiago diz: "Nuno, era estranho é se a tua falta de educação não viesse ao de cima."

Falta de educação, Tiago? Na resposta que te dei? Não percebi, honestamente.

Cantinho do Morais, pois, parece que as pessoas andavam mal habituadas. Tal como estavam habituadas a que o Barcelona ganhasse, assim que não ganha, pumba, é porque jogou mal. Não lhes passa pela cabeça que não ganhou porque nem sempre ganha o melhor. Se tudo correr bem, vão terminar a época com 4 títulos. Tudo bem que falham nos dois principais, mas ainda assim é uma boa época em termos de títulos. Em termos de jogo jogado, como disse, acho que é a melhor época de sempre, embora a nível defensivo tenha havido algum decréscimo.Mas esta gente só queria era que o monstro fosse derrotado. Querem lá saber do resto.

Hugo disse...

"isso acontece principalmente porque os adeptos são, na sua grande maioria, estúpidos. Aplaudem porque notam que a equipa se esforçou."

Nota-se que percebes bastante de futebol mas este tom sobranceiro e arrogante não te fica nada bem.
Bons são os fanáticos culés, capazes de cantar "ese portugues hijo de puta es"

Tiago disse...

Se, para ti, classificar pessoas como estúpidas e como tendo defeitos de pensamento não é má educação, está tudo explicado.

Nuno disse...

Hugo, os adeptos são estúpidos em qualquer parte do mundo. Faz parte da natureza de ser adepto.

Tiago, ok. Classifiquei de estúpidos aqueles que são portugueses e puxam por equipas em que joguem portugueses. Se te incluis aí, então também era para ti. Mas olha que já falei disso anteriormente. Não é falta de educação; é mesmo convicção.

Tiago disse...

Não é por seres convicto que deixas de ser mal-educado.

Nuno disse...

Tudo bem, mas tu já sabias das minhas convicções. Portanto, não percebo o espanto.

Tiago disse...

Não há espanto nenhum, tal como eu disse: "era estranho é se a tua falta de educação não viesse ao de cima"

Nuno disse...

Então, pronto. Se não há espanto, e já sabes que vens falar com alguém mal educado, o que é que ganhas em advertir-me para isso? Isto é, se a causa da minha má educação é anterior ao que quer que eu diga, o que vieste cá fazer foi vir dialogar com alguém que, à partida, já sabias que era mal educado. Se sabias que eu era mal educado, mas, ainda assim, decidiste cá vir, é porque aceitaste as regras do jogo e vieste sujeitar-te à minha má educação. Logo, dizeres que sou mal educado é absolutamente inútil no contexto desta conversa.

Tiago disse...

Sim, inútil é um adjectivo bem aplicado a tudo isto.

Pedro disse...

Nuno,

Freitas Lobo está a pagar por privar tanto tempo com os burros que comentam os jogos de futebol na RTP...é cada cromo.

Discordo totalmente quando dizes que os adeptos são burros pq aplaudem o esforço e não a qualidade de futebol. Acho que te falta emoção quando falas de futebol e isso vê-se bem nestes comentários. Eu como adepto posso perceber q a minha equipa não joga nada mas reconhecer que os jogadores deram tudo em campo, lutaram e esforçaram-se. O adepto gosta disso. O q o adepto não gosta é de ver a equipa jogar mal e os jogadores estarem a passear. Portanto é perfeitamente natural q o esforço e a atitude sejam aplaudidas.

O SLB perdeu dois zero com o Galatasaray na Luz e o estádio inteiro aplaudiu a equipa no final do jogo. Isto é futebol, isto é emoção. Claro que se fores uma máquina sem sentimentos algum por qqr clube e "apenas" apreciares o jogo pelo jogo é natural q não tenhas razões para apreciar o empenho e apenas te interesse a qualidade. Tudo bem. Mas se é esse o teu caso não podes falar do resto pq, simplesmente, não o entendes. E do q te conheço tens a humildade de não falar do que não sabes.

Nuno, depois do Inter foi agora com o Chelsea e até com o Real. Não é a táctica mais bonita para vencer este Barça mas funcionou. Não é normal mas está a acontecer mais vezes do que o susposto. Uma das grandes críticas a Guardiola e penso que isso tem sido visível é a ausência de um plano B. Já percebi que para ti isso é de louvar pq o Barça não muda de mentalidade e mantêm a sua filosofia e defendes-te com as oportunidades de golo. Não deixas de ter razão mas um treinador terá q ter soluções alternativas. É essa uma das razões pq duvidar q Guardiola seja capaz de repetir o êxito noutro clube. Mourinho já o provou q é capaz!!!!

Fora de jogo no golo do Real? Não me parece. Sinceramente não me parece.

O que achas do afastamento do Piquê?

RAC disse...

Caro Nuno,

As vitórias do Barcelona são as vitórias de uma ideia de jogo, de uma ideia ética e estética sobre o jogo de futebol, de uma abordagem do jogo sem igual na história recente.

O jogo de futebol, pelas suas regras, por todas as variáveis inerentes ao facto de estarem em jogo 22 (+3) seres humanos, pela dificuldade de prever todos os seus comportamentos, presta-se que as análises dos méritos das vitórias sejam realizados na sua grande maioria à posteriori. Conclui-se o mérito de uma táctica, estratégia, modelo de jogo através do resultado alcançado. Os mesmos que valorizam a forma como o Real Madrid ganhou, ou o Chelsea, serão os mesmos que criticam a forma como um Gil Vicente ganha a um Benfica, Porto ou Sporting. Existem várias formas de ganhar num jogo de futebol, mas ou se está comprometido com a ideia e o estilo (mesmo querendo e devendo sempre ganhar), ou apenas com o resultado.

Guardiola, compreende-o bem ao afirmar que o mérito e o comprometimento com a ideia de jogo do Barcelona ver-se-á na altura das derrotas.

Existem alguns que, na literatura, no cinema, no futebol apenas procuram a emoção (daí a extrema valorização que tem o futebol inglês). Outros buscam algo mais. Guardiola e o seu Barcelona (tal como Cruyff e os holandeses no passado) dão-nos esse algo mais.

A Guardiola e ao Barcelona só tenho a agradecer o facto de me terem (e espero continuarem) permitido passar horas de deleite com o meu desporto favorito. De me terem feito pensar sobre o jogo de ter vontade de ler sobre o mesmo de modo a compreender um pouco melhor aquilo que realizam sobre o campo de futebol.

Diogo Cruz disse...

Mais uma vez na mouche. Fantástico artigo.

Em Portugal criou-se um fenómeno incrível! Neste momento 70% ou 80% da população que vê futebol (diferente da que compreende), é pura e simplesmente anti-Barça. O Barça pode jogar contra a equipa mais violenta e com futebol mais feio no Mundo que estes anti-Barça torcem pelo anti-futebol.
Depois de tantos anos e tantos jogos a verem o Barça dominar e subjugar adversários, a alegria deles é que, uma vez na vida, o Barça não vai ganhar.
Ontem por exemplo chegou-se ao extremo de mais uma vez, esses lunáticos dizerem que o Terry é mal expulso! A cada decisão de arbitragem favorável ao Barça, invariavelmente espumam-se de raiva.

E o incrível é que eles nem o seu clube em Portugal defendem com esse extremismo. Realmente é um fenómeno psicológico a ser estudado!

Em relação a ontem pergunto também, depois de classificada a exibição do Inter em Camp Nou como de tacticamente magistral, se o Di Matteo é o novo génio da táctica futebolística. É que ele, também com menos um, também com o ponta de lança a defesa esquerdo, até conseguiu empatar e marcar 2 golos e nem sequer precisou do Olegário para passar a eliminatória. Será que a ridícula imprensa portuguesa vai abordar as coisas dessa forma? Óbvio que não, já estão a iniciar a teoria de que o Di Matteo copiou Mourinho.

Enfim, agradeço-te por este texto, porque no meio da mediocridade da imprensa e crítica em Portugal é sempre muito bom ler uma opinião inteligente!

Bcool973 disse...

Para concluir a intervenção da minha parte, não ser inferior não implica necessariamente ser superior, pode imlicar estar ao mesmo nível, isso é tão óbvio que quase que me dispensaria a esta explicação, pois parece-me que por vezes és mais assertivo na defesa do barcelona que o próprio treinador, comportamento que não me admira num adepto fanático, mas em ti surpreende-me por te julgar mais racional que isso.

Quanto ao alves e pelo que dizes, obviamente que não é uma ocasião de golo, pois nem o alves tem condições para rematar bem, pois mal ele chega ao lance o Casillas cai-lhe em cima, como também não resulta de algum processo de criação de jogo. Obviamente que o golo do Barcelona marcado no meio daquela confusão é equivalente ao primeiro golo do Real, pelo que em termos de oportunidades claras de golo, a criação do Barcelona foi muito inferior a outros jogos e essa falta de capacidade finalizadora num jogo em que a equipa não consegue criar muitas ocasiões de golo, seja por desinspiração, seja por deficiências técnicas, seja por falta de maturidade dos intervenientes é obviamente um constrangimento à probabiliade de vitória, volto a referir que é a minha opinião.

Acho que o Barcelona não jogou bem contra o Madrid no último terço/quarto de campo, onde as trocas de passe foram muito mais imprecisas e por conseguinte conseguiram desposicionar muito menos vezes os defesas do Real Madrid, além obviamente dos erros na abordagem que acho que tiveram da exploração inconsequente das alas como forma de desequilibrar a defesa sem depois inverterem os movimentos para tentarem aproveitar os desposicionamentos originados pela flutuação defensiva, ou seja, raramente os alas tiveram apoios para girar a bola de novo para dentro e optaram pois por tentar cruzar ou ir à linha com pouco sucesso.

Além disso, estranhei de sobremaneira a substituição do Xavi pelo Alexis, não que a entrada do Alexis não fizesse sentido, pois ajudou a corrigir o posicionamento e os deslocamentos verticais do Alves, mas pela saída do Xavi, que implicou desde logo abdicar da construção em zonas centrais para tentar aproveitar a velocidade do Alexis e as situações de superioridade numérica no flanco esquerdo da defesa do Real, sinceramente na minha opinião, foi o Guardiola que não foi fiel ao modelo que ele próprio adopta, tentando o plano B que o acusam de não ter, e que o golo do Barcelona foi um lance meramente fortuíto que resultou de uma grande jogada do Messi e dos ressaltos subsequentes, ou seja dum esforço individual e da sorte e não do colectivo e de um trabalho de criação.

Quanto ao Torres, acho que é um jogador que é fraco a nível psicológico e que a pressão que existe sobre ele o condiciona de tal forma que ele tem falhado lances inacrediavelmente fáceis de concluir, e sim, para mim isso é falta de capacidade finalizadora (pode ser momentânea e resultar de factores psicológicos, mas não deixa de diminuir o rendimento que ele poderia ter, e já teve, pelo que se calhar o que precisaria é de um trabalho individual a nível psicológico).

Obviamente que tens os números a teu favor e nem sequer me passaria pela cabeça contestar isso, mas se fores ver a discussão aquando do empate 2-2, eu disse que achava que o Mourinho tinha conseguido um feito importante, o quebrar de um tabu psicológico que condicionava os jogadores do Real Madrid nos jogos contra o Barcelona e portanto estaria muito mais perto da vitória.

Não quero com isto arrogar-me como o deus das previsões, mas acho que os factores psicológicos e motivacionais por vezes podem condicionar o rendimento, positiva ou negativamente, o tal esforço extra que os jogadores dão e obviamente que só na próxima época poderemos comprovar, se tudo ficar na mesma, se efectivamente tens razão, ou se o Mourinho terá descoberto uma forma de travar o Barcelona.

Bcool973 disse...

Aliás, muito gostaria eu de saber como tu analisaste o posicionamento defensivo do Real, nomeadamente ao nível das compensações, do rebaixamento dos médios, do corte de linhas de passe, da saída aos jogadores do Barcelona ser feita pelos médios com imediata subida dos defesas atrás para evitar a criação de espaços entre linhas, pois parece-me óbvio que ao invés do que atrás disseram, essa questão da pressão alta do Real foi desta vez só um engodo do Real que rapidamente foi abandonado.

Mais curiosidade do que discutir quem foi melhor, interessava-me ouvir a tua visão sobre o posicionamento defensivo do Real, em especial na segunda parte, que me pareceu muito mais eficaz que na primeira e que condicionou de sobremaneira a forma de jogar do Barcelona, pois começaram a revelar alguma impotência para ultrapassarem a defesa e com isso foram progressivamente abandonando o seu modelo de jogo e obviamente ficando mais longe de obter sucesso, volto a dizer que na verdade, na segunda parte, tirando a ocasião do Tello que foi efectivamente bem construída pela penetração do Thiago e através do passe diagonal para as costas do Arbeloa deixando o Tello em posição de finalizar, o golo surgiu dum esforço individual e duma série de ressaltos, pelo que a produção efectiva do Barcelona na segunda parte em termos de criação de oportunidades apenas se resumiu a uma.

Esta é a minha visão e acho muito mais interessante discutir a forma como o Real defendeu, se é uma forma eficaz de parar o modelo de jogo do Barcelona (sem ser o recurso ao anti-jogo e às faltas, nem o plantar 9 ou 10 gajos dentro da área e mesmo assim deixar criar n oportunidades), de tal forma que na minha leitura levou o Pep a considerar o abandono do modelo, pelo menos enquanto não entrou o Cesc para compensar a saída do Xavi (que não compreendi a sua saída, nem o próprio, mas isso são contas de outro rosário) do que fazer futurologia com base em resultados passados, tanto mais que a abordagem do Mourinho tem sido diversificada de jogo para jogo.

Seja como fôr Nuno, agradeço atua disponibilidade em partilhares as tuas ideias e continuarei a seguir com atenção o teu blog.

Pinto disse...

Claro que os adeptos apoiam e aplaudem quando a equipa se esforça, mesmo correndo mal. Eles querem é ver a equipa ganhar, daí a palavra "adepto".
Tanta teoria tanta treta tanto tempo gastas no futebol e não compreendes isso e ainda falas em "estupidos"? Lol
Até podes ser um robô e não precisas desses estimulos da emoção do futebol e do espírito de matilha ou de pertença a um grupo, ou identificação com a terra do clube. Agora não o compreenderes... O estúpido és tu. Se têm todos de jogar como o Barça, o que fazias tu antes do Pep? Não te emocionas, e nenhuma equipa praticava um futebol à altura das tuas expectativas, e torturavas-te na mesma? Lol é tipo sacar todos os albuns de bandas death metal para ouvir quando se odeia aquela merda e só gostas de robbie williams..

Mike Portugal disse...

"Classifiquei de estúpidos aqueles que são portugueses e puxam por equipas em que joguem portugueses."

Eu sou Português e torço pelo Real Madrid apenas porque lá está o Mourinho e o Ronaldo, tal como já antes torci pelo Barça quando lá jogava o Figo.

Não estou a ver onde é que isto é ser estupido. É simplesmente gostar de ver os nossos atletas a sair-se bem lá fora. Eu ficaria muito dividido se o Mourinho treinasse o Barça e o Ronaldo jogasse no Real.

MM disse...

Mike,
A minha Mãe acha o mesmo que tu, e ela é só um bocadinho Portuguesa. Mas não és só tu e ela; os pais e avós do Nuno também, provavelmente, e possivelmente os primos e os tios lá da terra ou da cidade. O problema aqui é só um: o Nuno quis chamar de estúpidos não os adeptos Ingleses (como diz o post), nem a generalidade dos adeptos de futebol (como diz em comentário) mas os adeptos que alimentam um poderoso sentimento anti-Barcelona. Estes é que são os estúpidos. Por que motivo o Nuno não fez a separação? Porque é benfiquista e desse modo - por definição - cheio de imperfeições.

Mas posso estar enganado, claro.

Pinto,
Queres a hora do jogo em Thun ou não te faz grande falta?

António disse...

Sou grande fã deste blog muito porque aqui se defendem e sustentam argumentos sérios e bem ponderados, porque quem por aqui escreve sabe da poda e não se importa de explicar as coisas para também ficarmos a perceber... infelizmente nos comentários fiquei a perceber que o autor do post, mesmo tendo razão (e até pode ter), teve muito pouca razoabilidade.
Foi claríssima a arrogância, a sobranceria e a falta de consideração comentadores do blog.
Uma desilusão.

Bem pode responder que se está nas tintas para os leitores e comentadores, que é como é e quem não gostar que não venha cá ler o que escreve, vale o que vale (e sabemos que não é assim, caso contrário escreveria um diário ou o blog seria de leitura por convite apenas).

acho sinceramente que devia começar a ter aulas de humildade (e porque não de educação) com o Guardiola, um enorme treinador mas acima de tudo uma enorme pessoa.

um abraço

Diogo Cruz disse...

A estupidez para mim, e penso que é a isso que o Nuno se refere, é ao ser adepto de um clube só porque tem lá um português. Ou seja, nada interessa a filosofia, o estilo de jogo, a história, os valores do clube. Está lá o Mourinho, vou ser fanático.
Ontem era fanático pelo Chelsea, hoje sou pelo Inter, amanhã vou ser pelo Real. Porquê? Porque o nome na ficha de jogo é José Mourinho. O futebol do Chelsea era bonzinho, o do Inter era miserável, o do Real é bom mas violento? O que me interessa isso? Eu olho à ficha de jogo e ao resultado final, futebol? Só me interessa o jogo falado.

Para mim é esta a grande estupidez, porque ninguém está interessado como ganham desde que ganhem, porque ninguém apoia os portugueses em clubes medianos de Itália, Inglaterra ou Espanha, apoiam só os que ganham. É um patriotismo foleiro e de alguém que não pode gostar de futebol.
Porque quem gosta realmente de futebol não aceita que valha tudo para vencer e acima de tudo, não passa a amar ou odiar um clube por causa duma transferência.

P.S. Ainda há algum português fanático pelo Man Utd ou Inter? Só quando joga contra o Barça, não é?

Mike Portugal disse...

Diogo Cruz,

Ninguém aqui falou em ser fanático por um clube, falou-se apenas em torcer para que o clube ganhe por lá estar um Português que eu gosto e que quer queiras quer não, é o melhor do mundo, bem como o seu treinador.

Se o Real não estivesse na liga dos campeões eu torceria pelo Barça, pois gosto do futebol que praticam. Mas ao mesmo tempo também gosto do futebol praticado pelo Real, que é bastante ofensivo e marca muitos golos, o que é sempre o objetivo dum jogo.

Não vejo onde está a estupidez.

Tiago disse...

Também devem ter sido poucos os anti-Ronaldo e anti-Mourinho que agora gritaram de alegria...

Mike Portugal disse...

Tiago,

Mesmo sendo apoiante do Real é preciso reconhecer a mais do que merecida passagem do Bayern. Foram sempre superiores nos 2 jogos. Estava convencido que o Real ía dar a volta, mas a equipa é curta em termos de qualidade.

Antonio disse...

Caro Tiago, a ùnica satisfação que me deu a eleminação do RM foi o facto do Bayern ter sido, de longe, melhor em ambos os jogos e ser justissima a sua presença na final.

Diria mesmo que foi uma enorme injustiça terem ido a prolongamento e penaltys.

Tiago disse...

Concordo com ambos.
Gostava só de saber se quem gritou de alegria por ver o Mourinho fora da final é estúpido ou é iluminado.

Diogo Cruz disse...

Subscrevo inteiramente o que disseram o Antonio e o Mike. Era triste ver 2 autocarros em Munique. Pelo menos numa das eliminatórias passou a equipa que fez por isso.

Outra coisa, e se aquele penalti fosse marcado a favor do Barcelona?

Pinto disse...

Lol, quero lá saber de andebol, quanto mais do Thun-Sporting.

saint disse...

Ponto prévio. Este Barcelona é provavelmente a melhor equipa de todos os tempos.
Mas o futebol é um jogo de emoções. E a superioridade do Barcelona, acaba por retirar incerteza, por tornar as coisas demasiado previsíveis...

Não está em causa o modelo, nem a qualidade de jogo praticado pelo Barcelona, pois acho que é consensual que é do melhor que se tem visto, mas pessoalmente aquela superioridade toda acaba por tirar beleza ao jogo.
Para mim, e seguramente para muitos dos adeptos do futebol (e de outros desportos colectivos) é o facto de os jogos serem disputados, renhidos, imprevisíveis, emotivos, que os torna memoráveis, e que leva as pessoas a gostarem.
Nem todos podem ser como o Nuno, "supra-sumos" em futebol, e ao se reverem noutro tipo de princípios, gostam tanto ao mais de futebol, do que os entendidos.
A não existência dos "ingredientes" que acima referi na maioria dos jogos do Barcelona, como o tempo, acabam por fazer com as pessoas sejam "contra" o Barça. Naturalmente que, no caso dos Portugueses, esse sentimento é potenciado pelo facto de, do outro lado, estarem Ronaldo, Mourinho e companhia.

Contra o Barça, não vale a pena jogar o "jogo pelo jogo", pressionar alto ou querer imitar o seu estilo, pois é inimitável. Ao reconhecerem essa superioridade, as equipas que querem ganhar a este Barcelona, têm de jogar com as suas armas, e isso é tão legítimo como outra opção qualquer.
Obviamente que jogando bem, uma equipa está mais perto de ganhar, mas ao contrário do Nuno, eu considero que o objectivo final não é jogar bem, mas sim ganhar.
E se isso implicar, juntar as linhas, defender à entrada da área, não sendo bonito, não sendo estimulante, é emotivo, apela ao coração, à coragem, à determinação.

SL
saint

Joao Rodrigues disse...

Nuno, tendo em conta que a ideia do Guardiola já era jogar com 3 defesas no inicio da época e a irregularidade do Piqué começou logo na pré.época, com vários problemas físicos, não foi erro vender o Oriol Romeu? Olhando rapidamente para o plantel do Barça o unico jogador capaz de substituir o Piqué no centro na defesa a 3 era o Busquets. E o Oriol Romeu pelo que vi no Chelsea quando jogava com o Villas Boas tinha qualidade para substituir o Busquets. Parece.me que a venda do Oriol Romeu foi um dos principais erros do Barça este ano

Batalheiro disse...

Acabou... não acredito que acabou... sinto uma enorme tristeza...

Ricardo disse...

"Porque quem gosta realmente de futebol não aceita que valha tudo para vencer"

Eu vinha concordando com o Diogo em tudo e quando li esta frase dentro de um belíssimo comentário sobre os "estúpidos" que são de um clube apenas e só pelos portugueses que por lá pululam pensei: "ora aqui está um gajo lúcido".

E depois reparei que o rapaz é portista. Pois. Hmmm... então e... coiso? Não sei se... er... então mas... aquilo, hã? se, pois, hmmm, tás a ver? hmm hmmm coiso e Madalenas e 30 anos de porcalheira e coiso e tal e amorins e brasil e hmmm? escutas, conselhos, frut... hã? não, hmm... pois, está bem.

"Porque quem gosta realmente de futebol não aceita que valha tudo para vencer". Eu prefiro os estúpidos, ainda assim, aos hipócritas.

Ricardo disse...

Desculpa, Nuno, meter aqui uma coisa mais do nosso antro lusitano mas não pude deixar de achar sublime a intervenção tão civilizada de um adepto de um clube que anda há 30 anos a ganhar à custa de factores agrícolas.


Sobre o post, concordo com tudo e é óptimo. Gostava, no entanto, de acrescentar algo ao que ali alguém atrás disse, sobre a tua conduta:

desde que conheço este blogue, que o acompanho religiosamente. Estou-me pouco cagando se tu és boa pessoa ou má, um gajo imbecil ou um homem formidável - o que és como blogger chega-me perfeitamente e é nesses termos que deves manter a tua atitude. Não só escreves maravilhosamente sobre futebol como tens a dedicação de responder a toda a gente, fundamentando sempre o que dizes. Revejo-me nessa postura e, à minha maneira, sou até bastante parecido contigo na forma como lido com o meu próprio blogue - tento responder, sustentando bem o que defendo, a quem procura o debate sério e justo e cago de alto para os imbecis que só lá vão espalhar a sua incapacidade mental, insultando.

Mas hoje, de facto, reparei naquilo que o tal António fala: tu respondeste com azedume a muita gente - incluindo um membro do meu blogue (não é por isso que o defendo) -, apesar de quase todos estarem de forma aberta e honesta a darem as suas impressões. Não sei, notei ali qualquer coisa que não é habitual. Relê, se puderes - às vezes um gajo percebe que foi mais violento.

Não quero entrar com moralismos e sente-se à vontade para me mandares para o caralho, que se calhar era o que eu faria se me viessem ensinar a comportar-me no meu próprio blogue. Mas não se trata de ensinar nada, trata-se de uma palmadinha nas costas: "man, olha aí essa gente, que vem aqui tranquila dar a sua opinião, trata-os bem, são queridos".

E é isto. Continua.

Hoje foi um dia triste para todos nós.

Pinto disse...

Ahahah continua a mandar postais do 2o lugar que e o melhor q se arranja para o clube do regime... A azia. Os sportinguistas ja piam fino agora mas voces mesmo com o que se ve, que sao piores dentro do campo, ainda mandam postas...

Nuno disse...

Pedro diz: "Nuno, depois do Inter foi agora com o Chelsea e até com o Real. Não é a táctica mais bonita para vencer este Barça mas funcionou. Não é normal mas está a acontecer mais vezes do que o susposto."

Pedro, e as outras vezes que o Barcelona venceu este tipo de tácticas? E o Barcelona também já perdeu com equipas que adoptam outras posturas. É completamente falso que tenham mais probabilidades de vencer assim.

"O que achas do afastamento do Piquê?"

Não acho nada.

RAC, clap clap clap.

Diogo Cruz, também pensei imediatamente nisso do Di Matteo. É que, pelos critérios anteriores, ele tem de ser um génio da táctica ao nível do Mourinho.

Pinto diz: "Se têm todos de jogar como o Barça, o que fazias tu antes do Pep? Não te emocionas, e nenhuma equipa praticava um futebol à altura das tuas expectativas, e torturavas-te na mesma?"

Pinto, era exactamente isso. Não havia nenhuma equipa a praticar o futebol que eu defendia. E depois apareceu esta equipa.

Mike Portugal diz: "Não estou a ver onde é que isto é ser estupido. É simplesmente gostar de ver os nossos atletas a sair-se bem lá fora."

Os "nossos" atletas? A pergunta certa é: "Por que é que o Ronaldo e o Mourinho são mais "nossos" do que qualquer outro atleta? É isto que é arbitrário, Mike. Porque, por essa ordem de ideias, uma pessoa de 2 metros podia muito bem ter por atleta preferido o Peter Crouch. E duvido que tenha. O patriotismo é como outra afinidade deste tipo, e faz tanto sentido como ela.

MM diz: "O problema aqui é só um: o Nuno quis chamar de estúpidos não os adeptos Ingleses (como diz o post), nem a generalidade dos adeptos de futebol (como diz em comentário) mas os adeptos que alimentam um poderoso sentimento anti-Barcelona. Estes é que são os estúpidos."

MM, eu tenho dificuldades em perceber a tua cabeça. Eu chamo estupidez à ideia de ser "adepto" no sentido irracional da coisa. Respondi, lá em cima, já não sei a quem, dizendo que os adeptos do Barça não são menos estúpidos por serem do Barça. Não consigo compreender como é que concluis o que concluis. O patriotismo é um sentimento estúpido por ser irracional. Quer queiras, quer não. Está instituído e parece que é uma virtude louvável. Mas, se fores a pensar bem, é tão louvável como o arianismo.

"Também devem ter sido poucos os anti-Ronaldo e anti-Mourinho que agora gritaram de alegria.."

Tiago, qualquer manifestação anti-qualquer coisa é reprovável. Não obstante, o Real não mereceu passar.

"Gostava só de saber se quem gritou de alegria por ver o Mourinho fora da final é estúpido ou é iluminado."

Depende das razões.

saint diz: "pessoalmente aquela superioridade toda acaba por tirar beleza ao jogo."

Depende do que se entende por beleza. Eu não vejo nem um décimo da beleza que vejo num jogo em que só o Barça é que ataca num jogo da liga inglesa. Combinações curtos, tabelas, passes e devoluções, três minutos com o adversário à rabia: isto é o que de mais difícil há em futebol. E uma equipa que o consiga fazer dá o máximo grau de beleza possível.

Nuno disse...

João Rodrigues diz: "Nuno, tendo em conta que a ideia do Guardiola já era jogar com 3 defesas no inicio da época e a irregularidade do Piqué começou logo na pré.época, com vários problemas físicos, não foi erro vender o Oriol Romeu?"

Percebo o argumento, e acho que o Oriol daria jeito a esta equipa. Mas a verdade é que o Barça tinha no início da época 3 defesas muito bons: o Puyol, o Piqué e o Abidal. Jogando com 3 defesas, ainda poderia encaixar aí o Dani Alves, ficando o Mascherano e o Fontás no banco, podendo o Busquets ainda jogar aí como recurso. Acontece que o Fontás está lesionado há muito tempo, o Abidal idem, e o Piqué foi manifestando alguma irregularidade em termos físicos. Isto faz com que aquela defesa tivesse de ser muito remendada.

Batalheiro, algum dia teria que ser. Para mim, é mais triste este dia do que as últimas derrotas. Isto porque, precisamente, era um privilégio ver História a ser feita todos os fins-de-semana. Não sei como será daqui para a frente, mas é possível que voltemos ao tempo das cavernas da era A.G., com um futebol tão rudimentar que custa ver. Se, antes de Guardiola, não havia um exemplo que nos pudesse iluminar, e íamos gramando com o que havia, agora, tendo visto aquilo, não sei se conseguirei ver futebol como dantes.

Ricardo disse: "Mas hoje, de facto, reparei naquilo que o tal António fala: tu respondeste com azedume a muita gente - incluindo um membro do meu blogue (não é por isso que o defendo) -, apesar de quase todos estarem de forma aberta e honesta a darem as suas impressões."

Ricardo, garanto-te que já respondi com muito mais azedume, e não me parece sequer que tenha sido muito ofensivo em particular. Disse que era estúpido ser patriota, e apontei um ou outro disparate a algumas pessoas. Se as pessoas se melindram com isso, talvez não devessem manifestar opiniões. Eu manifesto as minhas e sei, à partida, que vai haver pessoas que me vão brindar com insultos, com opiniões contrárias, etc. Faz parte. E é por isso que tento sustentar o melhor possível as minhas opiniões, para tornar difícil o trabalho de me criticarem. Se reparares, as pessoas que mais facilmente insulto são as que não se dão ao trabalho de fazer isto, e pensam que dar a opinião é como escolher o que comer num restaurante e depende apenas do apetite pessoal.

Cumprimentos,

Antonio disse...

Em relação à saida do Guardiola do Barcelona tenho dois sentimentos distintos: por um lado uma enorme tristeza pela possibilidade de estar perante o fim de um estilo de jogo inacreditável; por outro duas enormes curiosidades:

- se Guardiola quando voltar a treinar consegue voltar a impôr este estilo num outro clube;

- se este estilo de jogo afinal não é "propriedade" de Guardiola mas do Barcelona. Se fôr este o caso estaremos perante um clube que se pode eternizar na liderança do futebol mundial. A opção por Tito Vilanova penso que irá ajudar a responder.

Ricardo disse...

Estamos de acordo, Nuno.

O que achaste da opção pelo Vilanova?

Por um lado, faz todo o sentido que prossiga o projecto alguém totalmente familiarizado com as ideias do clube e do próprio Guardiola; por outro, pergunto-me se isto "chega" ou se o talento do Pep não será quase impossível de repercutir, mesmo ficando com os mesmos jogadores e estrutura nas mãos.

Olhando a opções no exterior do clube, sinceramente custa-me descobrir um técnico com o perfil adequado - falou-se, por exemplo, no Bielsa, mas parece-me que há aqui um erro na abordagem: apesar da qualidade do argentino e da competência que se lhe reconhece facilmente, não encontro nele um sucessor natural e óbvio para um trabalho que se espera de continuidade e evolução.

Mas quem, então?

Confesso desconhecimento absoluto sobre as capacidades do Vilanova. É possível que esteja muito mais apto ao cargo do que hoje e agora as pessoas possam pensar - faria até todo o sentido.

Muita curiosidade para ver o Barcelona da próxima época. E, claro, o que Guardiola fará a seguir.

Abraço.

Antonio disse...

Ricardo

Penso que quando Guardiola iniciou a sua carreira de treinador do Barcelona ninguém adivinhava o que estava para vir.

Aguardemos pela prestação do novo treinador

MM disse...

Nuno,

Nao tem grande importancia (tem, mas seguro que nao para ti) mas no 'post' chamaste os adeptos Ingleses de estupidos, e so os Ingleses:

"É costume dizer que, em Inglaterra, os adeptos aplaudem a equipa mesmo quando esta perde. Isso acontece principalmente porque os adeptos são, na sua grande maioria, estúpidos."

Se pensavas nos adeptos em geral deverias te-lo escrito de outro modo. Ja em comentario, sim: falaste como disse nos adeptos em geral.

O patriotismo nao tem que ver com o assunto: desejar as vitorias do Real por la estar o Mourinho ou o Ronaldo e bastante normal e nao e nenhum fenomeno de patriotismo. Se estivessem la o Scaahrs e o Rinaudo era a mesma coisa, muita gente em Portugal torceria por eles, ou com o Aimar e outro qualquer que o valha.

Tem que ver com familiaridade, nao por serem Portugueses, e nao e irracional porque explica-se dessa forma. Ronaldo, Mourinho = Adeptos Portugueses, muitos, torcem por eles. Nao tem nada de irracional.

Irracional e mesmo possuir-se um sentimento anti-Barcelona, ja que esse nao consegues explica-lo. Porque odiara alguem o Barcelona? Nao ha motivo; e so porque do outro lado esta o Mourinho e o Ronaldo, coisa muito diferente de gostar-se que o Real venca seja la por que motivo for sem com isso ter sentimentos negativos pela outra parte.

La em Espanha sim, os adeptos de um e outro e normal que tenham. Agora Portugueses odiarem e gozarem com as derrotas do FCB: isso sim e irracional.

Mesmo que nao percebas Nuno, o desenho logico e este. E nao faz mal nao perceberes; nao te chamarei por isso de estupido nem direi que tenho dificuldade em compreender a tua cabeca.

Boas continuacoes.

Joao Rodrigues disse...

Nuno, não conheço o valor do Fontas, penso que se não estou em erro lesionou.se frente ao Osasuna para a taça, mas mesmo assim acho que não foi opção para o Guardiola penso que pouco ou quase nada jogou, até a lesão e acredito que ainda seria mais opção na defesa a 3 para o lado esquerdo e não para o centro

Mesmo em relação ao Abidal se tu leres muitas opiniões de médicos, era unanime que entre um ano, dois anos ele ia precisar de um transplante, a situação não foi muito supreendente para o Guardiola, acho que essa situação podia ter sido melhor acautelada.


Fiz a menção a venda do Oriol porque acho que teria dado muito jeito ao Barcelona, mas é óbvio que agora depois de tudo o que se passou é mais fácil falar, ainda assim acho que a ideia para o ano será a mesma, e o Barcelona faria bem em recuperá.lo, até tendo em conta ao que parece o Keita vai sair.

Luís Garcia disse...

Olá, sou um adepto do Guardiola e da sua filosofia, mas tenho de concordar com o Luís Freitas Lobo, no fim de contas o Chelsea mereceu passar à final. Aliás, as duas equipas mereciam ir à final, porque o Barcelona raramente joga mal, teve foi azar, mas o azar faz parte, a sorte procura-se e o Chelsea procurou e teve a sua sorte.

O jogadores do Chelsea tiveram a humildade de dizer antes de começar a eliminatória que o Barça era melhor, mas que iam usar as suas armas para tentar ganhar, e a verdade é que ao fim de 2 jogos conseguiram marcar mais golos do que a melhor equipa do mundo.

Toda a gente sabia que se o Chelsea fosse jogar de igual para igual com o Barça, quase de certeza que não ia conseguir passar, foram realistas e os jogadores fizeram o que o treinador lhes pediu. É certo que tiveram sorte, mas mesmo sendo um jogo feio, jogaram com bravura e acreditaram no impossível.

Eu queria mesmo que o Barça tivesse passado, mas o futebol é isto mesmo, é imprevisível e por isso é que tem tantos fãs.

Com o golo do Torres ou se Barça tivesse marcado no final o 3 a 1, o futebol tinha ganho das duas maneiras, porque o principal objectivo estava cumprido: manter as pessoas coladas ao ecrã até ao último minuto.

Esta é uma das principais lições que aprendi com Guardiola: o futebol é um jogo, temos de dar tudo para ganhar, mas se perdermos não há problema, vamos para casa e amanhã há mais...

Nuno disse...

Ricardo diz: "O que achaste da opção pelo Vilanova?"

Acho que é a opção mais natural. Não sei o que o Villanova vale, nem sei se tem ideias próprias, ou se pensa de maneira muito diferente do Guardiola. Tem a responsabilidade, porque trabalhou com ele durante 4 anos, de saber por que razão algumas das coisas funcionaram como funcionaram. Por isso, é esperar para ver aquilo de que será capaz. Ao início, pelo menos, não espero mudanças muito significativas.

MM, queria chamar todos, não só os ingleses.

João Rodrigues, também concordo que o Barça faria bem em recuperar o Oriol. A saída do Keita é uma baixa importante. Quanto ao Fontás, ele era a última opção para a defesa. Só a mencionei porque a lesão dele, juntamente com a do Abidal, e as contínuas lesões do Piqué, condicionaram as opções do Guardiola esta época. Há uma opção clara por um plantel curto, em que é a formação que colmata as possíveis lesões. Acho que essa opção é acertadíssima, e não seria justo criticar agora só porque, no final da época, três defesas do plantel acabaram lesionados. O que critico é a crença de que o Mascherano ou o Adriano podem ser mais do que segundas ou terceiras linhas. E a verdade é que o Barça consegue segundas ou terceiras linhas a auferir bem menos do que eles.

Luis Garcia, não tenho nada a apontar ao desempenho do Chelsea. Foram humildes, e consideraram que era melhor jogar assim. O que acho é que não venceram bem, porque apesar de terem feito das tripas coração, podiam ter sido goleados não fosse o azar do Barça. Tu achas que eles mereceram passar porque se esforçaram. Eu acho o esforço o atributo mais sobrevalorizado no futebol. Esforçar, lá isso esforçaram-se. Mas não se esforçaram bem. Optaram apenas por defender, e se o tivessem feito bem, teria de conceder que tinham ganho a aposta. Mas não defenderam bem. Só passaram porque, mesmo defendendo mal, mesmo não contendo o adversário como pretendia, a sorte acabou por lhes sorrir.

Luís Garcia disse...

Tenho de discordar, para se ser um bom adepto de futebol não se pode dar valor apenas ao jogo atacante. O Chelsea jogou bem defensivamente, e de cada vez que atacava criava jogadas de perigo. Havia uma estratégia e os jogadores interpretaram-na na perfeição. Claro que tiveram muita sorte, mas o próprio treinador já tinha admitido que para ganharem a eliminatória precisavam de ser perfeitos e precisavam de sorte. Foram felizes mas tiveram mérito.

O que dizer de Petr Cech? Ou da dupla de centrais que na 1ª mão conseguiu bloquear os remates de Messi, para que não conseguissem chegar à baliza. Ou o que dizer de Ramires que marcou o golo quando estava a ocupar a posição de lateral direito, ou Ashley Cole que realizou duas partidas quase perfeitas? Até Drogba, apesar do anti-jogo e das fitas constantes, foi uma ameaça constante para Valdés.

O Barcelona jogou melhor, como quase sempre acontece, mas encontrou uma equipa com jogadores experientes e de primeira linha a jogarem à Getafe.

"Eu acho o esforço o atributo mais sobrevalorizado no futebol." Discordo, o esforço faz de jogadores medíocres, jogadores carismáticos. Faz de tarefas impossíveis, menos impossíveis. Se os jogadores do Chelsea não tivessem acreditado que era possível, nunca teriam conseguido eliminar o Barça, é aí que está a diferença entre passar e ser goleado. Como disse o Torres "O Barcelona é a melhor equipa do mundo, mas os melhores não ganham sempre."

Naquele dia não calhou.