quarta-feira, 14 de abril de 2010

Agonia Leonina...

Cada vez que vejo a Académica jogar reconheço algo de diferente nesta equipa: a qualidade colectiva, nada condizente com a capacidade individual de grande parte dos seus jogadores, impressiona não só pela organização defensiva, mas principalmente pela qualidade que a equipa demonstra em posse. E isto ainda impressiona mais se tivermos em conta as características dos jogadores que compõem o plantel da Académica, que em nada (à excepção de um ou dois jogadores) ajudam a este estilo de jogo.

Vemos vários treinadores que demonstram qualidade na maneira como organizam a equipa nas situações defensivas, optando por restringir os seus processos ofensivos a transições rápidas, revelando alguma desorientação e dificuldade em confrontos com equipas que possuam a mesma filosofia. Outros aparentam revelar qualidade nos processos ofensivos sem que, no entanto, se consiga destrinçar as ideias do treinador das características dos seus jogadores. É o caso do Vitória de Guimarães. A equipa orientada por Paulo Sérgio revela qualidade com bola. O que não se percebe é se este aspecto é resultado do modelo pretendido pelo técnico ou se é, acima de tudo, uma manifestação inequívoca das características dos seus jogadores. E a mesma questão se pode colocar quando analisamos a equipa orientada por Domingos, o Braga. Nesta parte final do campeonato, entre jogos ganhos de uma forma um pouco esquisita (este esquisito nada tem a ver com arbitragens, mas sim com a forma feliz com que alcançou os resultados positivos, caso da vitória sobre o Guimarães, ou sobre o Leiria) e vitórias muito sofridas, as suas exibições têm estado abaixo do demonstrado no inicio da época, relegando para segundo plano a posse de bola, preocupando-se apenas com as transições rápidas e deixando o processo ofensivo entregue a 4 jogadores, essencialmente rápidos e com propensão para procurar duelos individuais (Alan, Paulo Sérgio, Renteria, Luís Aguiar, etc.).

Não é inocente a chamada destes três treinadores a este texto. E nem dá para disfarçar a minha costela sportinguista no mesmo. Numa altura em que se especula bastante sobre o novo treinador da equipa leonina, a certeza de que esse treinador não será Villas Boas deixa-me algo céptico em relação ao futuro do Sporting. Não estou a dizer que Villas Boas seja único treinador capaz de garantir um futuro recheado de sucessos ao clube de Alvalade, ou que os outros dois não sejam capazes de alcançar títulos em Alvalade. No entanto, o técnico da Briosa demonstra acreditar no modelo que melhor se adequa à matéria humana que, por enquanto, predomina no clube de Alvalade. Pelas referências constantes à posse de bola, pela preocupação em demonstrar qualidade, pela personalidade que incute na equipa, nunca abdicando dos princípios que regem o conjunto por si orientado, por tudo isto aliado à perspicácia que vem ostentando, permitindo-lhe entre outras coisas perceber que Hugo Viana era o jogador que transformava o futebol do Braga em algo de interessante. Por tudo isto, e porque o Benfica de Jesus será cada vez mais forte, Villas Boas parece-me a única solução capaz de permitir ao Sporting ombrear com o clube da Luz num futuro próximo. Já não vem. Espero, assim como todos os sportinguistas, que Costinha e Bettencourt tenham uma solução ao nível de Villas Boas, até porque, como já antes disse, o Sporting encontra-se num momento de viragem. Para ou bem ou para o mal. Por isso mesmo, seria óptimo que, na hora de decidir, se baseassem nas qualidades e características de jogo que as equipas do técnico eleito manifestam, e não na experiência ou nas declarações que proferem. Mourinho e Guardiola são apenas os maiores exemplos do que defendo.

27 comentários:

R. Galeiras disse...

subscrevo na integra a ideia.
mas acredito num volte face este fim de semana, basta a académica jogar como tem jogado e marcar o que não tem marcado.

Pedro Morgado disse...

Concordo e também queria um volte face!

Balakov10 disse...

Sinceramente, Villas Boas parece-me bom, mas, ao mesmo tempo, não me parece genial.

O Sporting precisa de um treinador internacional de renome e com capacidade para reconstruir a equipa quase do zero...

Sigam o "A Outra Visão" no wordpress

http://aoutravisao.wordpress.com/

e no facebook

http://www.facebook.com/?ref=logo#!/aoutravisao

Pedro disse...

Sem dúvida q se nota q a Académica sabe o que fazer em campo mas...não ponho em causa q AVB perceba de futebol mas terá mão para um balneário de vedetas? E num clube com tendência para enormes convulsões internas?

Um treinador sem qqr curriculo com 32 aninhos precisa de ser aceite e respeitado pelo plantel para ter sucesso...

Miguel disse...

o quê????? Vocês são sportinguistas??!!...

NunoC disse...

A questão da idade é da maior irrelevância do mundo. Felizmente os últimos anos têm mostrado que a qualidade está acima de reputações ,experiência ou títulos no currículo. Finalmente o futebol chegou a este patamar, que afinal de contas está presente em quase todo o lado. Qual é a média de idades da empresa em que trabalham? 60 anos?

O pedido de um treinador de renome estrangeiro é um pedido vazio. Queremos um treinador qualquer, que nunca acompanhámos, que nunca vimos equipas a jogar, que não sabemos o que pode dar ao Sporting só porque tem nome e é estrangeiro? Não vejo o mínimo sentido nisto. Mínimo.

Enfim, como diz o Gonçalo não vejo alternativa tão capaz com AVB. E tb sou do Sporting.

TSA disse...

"A questão da idade é da maior irrelevância do mundo. Felizmente os últimos anos têm mostrado que a qualidade está acima de reputações ,experiência ou títulos no currículo"

Não podes comparar o AVB ao Guardiola, que também é novo: o Guardiola teve toda uma carreira como futebolista ao mais alto nível, com títulos. A idade pode não ser diferente; mas o percurso e a experiência são. E é geralmente a isso que as pessoas se referem quando põem o busílis na "idade".
Quanto ao Mourinho, se a comparação também é dirigida a ele, também não encontro paralelo. Mourinho quando se lançou no Benfica era mais velho e, sobretudo, tinha trabalhado com vários técnicos. O AVB é mais novo e sempre foi o "asa" do Mourinho. Também aqui há diferenças. Em todo o caso, a experiência de Mourinho no Benfica foi breve - penso que ele próprio reconhecerá que foi prematura, fez-lhe bem ir para o Leiria.

NunoC disse...

Percebo o teu ponto TSA. O único problema é não concordar com ele, por mais variáveis que introduzas na questão qualidade vs experiência vs idade. A qualidade estará sempre acima de tudo. Se for qualidade + experiência tanto melhor, mas a qualidade tem de estar sempre em primeiro.

De realçar que o meu comment não era mais do que um concordar com as ideias do post do Gonçalo.

Guilherme disse...

O Angel Cappa no blogue dele diz que teve ofertas de dois clubes da Europa (acabou por ir para o River Plate). Aposto que um deles foi o Sporting. De certezinha absoluta. Pelo estilo de jogo que defende seria o treinador ideal para o tipo de jogadores que saiem da academia do Sporting

Guilherme disse...

http://cappadt.blogspot.com/2010/04/otro-desafio-importante.html

Petinga disse...

E agora anuncia-se que é mesmo o Paulo Sérgio. A tal viragem parece estar consumada...

R. Galeiras disse...

Nuno e Gonçalo,
Por favor saiam da toca e façam um post urgente para dar alguma esperança á nação sportinguista.
Sei, pelo que tenho visto que será complicado, mas vocês escrevem bem e vão encontrar algo de positivo no meio disto tudo...
Nem que seja o boné do Lidl que o 'homem' usava á uns meses atrás.

Gonçalo disse...

Ricardo, até agora a unica coisa realmente positiva a dizer deste homem é que mereceu elogios do Vilas Boas.
Só.
Vamos ver. Mas parece que vão ser duas épocas dificeis...

Gonçalo disse...

Desculpa. Disse Ricardo, mas queria era dizer R. Em breve vamos conceder em primeira mão as verdadeiras razões do falhanço da contratação do Vilas Boas para Alvalade. E olha que vai agrdar à grande maioria dos sportinguistas...

Abraço

R. Galeiras disse...

lol
não há crise, sou ricardo mesmo.
por acaso...sei o que se passou. espero ler e ler o mesmo que me contaram.
e olha que sou sportinguista e não fiquei nada agradado.

Pedro Morgado disse...

Gonçalo também estou curioso para saber isso. Pelo que me foi dito, o Villas Boas portou-se bastante mal no processo e ficou por isso mto mal na fotografia! Eu que até o queria no Sporting, se for verdade o que me disseram, só posso dizer que não tem carácter. Parece-me que já deve estar arrependido...

Pedro disse...

Se o AVB for para o Braga não se vai arrepender nada...

R. Galeiras disse...

publiquem lá o texto do villas.
soube ontem á noite de outra teoria diferente da minha e não fiquei nada contente, espero que não seja essa a verdadeira...

abraço

Joao disse...

Nuno, Gonçalo.

E favor publicar o mais rapidamente um texto sobre o jogo de ontem a noite. Não é costume mas o jogo foi tão interessante que merece por si mesmo um texto.

Abraço

Petinga disse...

LOL Isto parece os "discos pedidos"...

Antes de mais, apraz dizer que o Mourinho deu (ou pareceu dar) um baile de tactica e que o jogo foi realmente muito interessante.

E depois claro q estamos todos muito ansiosos por ler consideracoes sobre o Villas Boas e o Paulo Sergio!

Cumprimentos

Nuno disse...

Queríamos, antes de mais, pedir desculpas pela ausência de contra-respostas. O tempo não o tem permitido. Quanto ao prometido texto em relação ao falhanço da contratação de Villas Boas, estamos apenas a aguardar a confirmação das nossas fontes. :) Sairá tão brevemente quanto possível.

Quanto ao jogo da primeira mão da Champions em San Siro, não me apetecesse muito falar de arbitragem portuguesa neste momento.

Quanto a considerações sobre Villas Boas e Paulo Sérgio, podem ler o texto que escrevemos esta semana para a Academia de Talentos. Nele falamos um pouco dos dois treinadores e ainda de Domingos, de um modo ligeiramente comparativo.

Cumprimentos a todos

Joao disse...

Nuno

Caramba o jogo em San Siro foi tudo menos uma historia sobre arbitragem portuguesa. Um dos jogos mais interessantes que seja dum ponto de vista emocional, tactico, tecnico...
Veremos agora no Camp nou.

Ps. Voces poderiam deixar no blog um link dos vossos textos escritos para a Academia de Talentos ?
Seria mais facil para nos encontrar-los.

Nuno disse...

Sim, João, o jogo teve mais coisas interessantes. Mas para que a estratégia do Inter tenha resultado, foi fulcral o desempenho do Olegário. E como não quero parecer que estou a desculpar a derrota do Barça com a arbitragem, prefiro não comentar.

Quanto aos textos, o da semana passada é este:

http://www.academia-de-talentos.com/artigo/2010/4/24/competentes-idiotas

Os textos que escrevemos encontram-se na coluna "Artigos" e todos eles são etiquetados com o nosso nome. Todas as semanas há um texto sobre a jornada dessa semana. Eis o link para os nossos o arquivo dos textos:

http://www.academia-de-talentos.com/tag/nuno-amado-goncalo-borges

Pedro disse...

Achas mesmo Nuno? Se aquele ataque do Milito que foi interrompido por fora de jogo inexistente com o resultado 0-0 tivesse resultado em golo o jogo não poderia ir de encontro à táctica do Mourinho?

Pedro disse...

Nuno, li o teu texto na Academia de Talentos e o q dizes do Postiga não tem qqr nexo. Um gajo que não gosta de um jogador não pode festejar um golo por ele marcado???
Não faz qqr sentido...

Não festejas os golos do David Luiz????

Mauro Silva disse...

E novo post para quando mesmo??

Mauro Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.