sábado, 5 de fevereiro de 2011

Requiem

"Lacrimosa dia de lágrimas, aquele em que o homem pecador renasce de sua cinza para ser julgado. Tende, pois, piedade dele, Deus. Ó piíssimo Jesus, ó Senhor, concedei- lhe o repouso eterno. Amén."

Mozart, Requiem


Este texto, pretendendo prestar o devido respeito ao clube finado, e compadecendo-se com a perda leonina, deve ser lido enquanto se escuta a sempiterna Lacrimosa de Mozart, a secção final do seu Requiem a que a epígrafe faz referência.

No dia em que o futebol português voltou a ter 3 clubes capazes de competir pelo título, Alvalade chorou a perda do super-herói que, nos últimos 8 anos, fazendo valer-se dos seus inimitáveis super-poderes, impediu que o Sporting descesse de divisão. Sem Liedson, como poderá o Sporting agora sobreviver? Duvido sinceramente que seja capaz de aguentar mais do que duas épocas na primeira divisão. Aliás, compreendo bem o choro da família sportinguista. É mais ou menos o que aconteceu aos escravos quando se aboliu a escravatura: após anos e anos de opressão, verem-se livres para fazerem o que bem entenderem, não dependerem de senhores prepotentes e não trabalharem ao ritmo da vergasta e do chicote, não é fácil. A reacção dos escravos, perante a mudança, por melhor que fosse essa mudança, foi certamente chorar. Estavam tão habituados à pobre condição de escravos que achavam a escravatura mais confortável que a liberdade.

O que é certo é que, em uníssono, Alvalade compôs um requiem de lágrimas perante a despedida do seu mais valioso futebolista dos últimos anos. Ainda por cima, após um jogo em que o super-herói marcou dois golos. E que golos! Um deles, à boca da baliza, graças a um faro de golo apuradíssimo, que o fez perceber com clareza que o guarda-redes contrário iria defender para a frente, após um lance vulgaríssimo do vulgaríssimo companheiro de ataque, Hélder Postiga. O outro, melhor ainda, seguido de um ressalto vindo de um médio da Naval, deixando-o inadvertidamente isolado. É disto que Alvalade mais terá saudades, desta forma extraordinária de aproveitar tudo o que é acidental, ressaltos, maus alívios, erros dos adversários, disparates alheios. Não poderia terminar melhor a sua passagem pelo clube do que com dois golos que, afinal, tão bem o definem. Aliás, não poderia terminar melhor do que com esses dois golos e com os outros dois que flagrantemente falhou, um dos quais o define igualmente muito bem, a desaproveitar um passe fraquinho de Postiga, falhando isolado perante o guarda-redes adversário.

Por todas as alegrias que o seu super-herói lhes deu nos últimos anos - e foram vários os troféus que ajudou a conquistar - mas sobretudo pelo magnífico desempenho deste último jogo - pois têm mais facilidade os seres humanos em lembrar as últimas coisas e os lances capitais de um jogo - chorou então todo o estádio. Chorou também todo o estádio por saber interiormente que a perda daquele que invariavelmente resolvia todos os problemas da equipa significava o fim do próprio clube. A mim, que tenho um coração de manteiga, a missa fúnebre que foi a cena final comoveu-me muitíssimo, e senti vontade de assistir àquilo tudo com o Requiem de Mozart como música de fundo, para condizer. Desejo acabar, porém, com a nota de optimismo a que subtilmente aludi no início do texto: apesar da tragédia e da choradeira, apesar de não restar agora qualquer réstia de esperança na salvação, apesar da partida do super-herói e do enterro público do defunto, há que ver que, para o futebol o português, é capaz de ser positivo passar a haver mais um candidato ao título.

88 comentários:

Gonçalo Correia disse...

Não sei o que terá contra o Liedson, mas eu - que até sou seguidor e visitante assíduo do blog - só posso dizer que o tempo dirá que, provavelmente, não tem razão, caro Nuno.

Conheço a fixação que tem pelo Postiga - e eu nem desgosto nada do rapaz - e acho-a curiosa quando considera a saída de Liedson benéfica para o clube.

Melhor ainda foi a descrição dos golos de Liedson e dizendo que estes o definem, de forma a desvalorizar o irrefutável.

Qual é o problema que tem com golos marcados em recargas ou que derivam do aproveitamento de erros adversários ? O objectivo não é marcar ? O objectivo não é ganhar ? Então qual é o problema do golo ter sido assim ou assado ?! Um ponta-de-lança, que eu saiba, tem como principais funções marcar golos. O Liedson marcou-os (e marca-os). Feios o bonitos, nem sempre a estética traduz sucesso, e a História (inclusivé a futebolística) mostra isso mesmo.

O Liedson poderá não ser o mais eficaz, mas o Postiga também o não é (basta ver o rácio de golos por remates que o internacional português tem, seguramente) e você aprecia-o.

Basicamente, elaborou-se um post com dois únicos intuitos:
- Criticar Liedson
- Elogiar Postiga

Por mim, tudo bem. Mas - pelo menos - poderia tê-lo feito de forma diferente.

MM disse...

Nenhuma equipa fraca ou pobremente orientada é candidata ao título, e nenhuma o é com ou sem Liedson.
Isto é óbvio, e portanto, óbvio será que a saída do Liedson não fará do Sporting um candidato ao título (tipo de exageros característicos do Entre10, na hora de afirmar qualquer coisa que entenda).

Portanto com ou sem Liedson o Sporting daqui para a frente será a mesma coisa: feio, a jogar mal, medíocre e a passar dificuldades dentro do campo, porque não só não joga bem como não é competente a dar a mínima de réplica ao adversário, impedindo que este chegue à sua baliza.
A situação do Sporting mudará, quando o Sporting também ele mudar: dirigentes 1º e treinadores 2º, cabendo aos dirigentes delinear um rumo (1º) e escolher um treinador (2º). Ambos, todos, muito amigos e competentes, amáveis e solidários, felizes e contentes, vão depois à procura de peças, jogadores (3º). Jogadores que estão em casa e fora dela, porque sendo o Sporting um clube mais competente do que todos os outros não precisa de sair de casa para arranjar boas peças.

Questão Sporting e candidatura ao título. Daqui a 5 meses ou daqui a 1 ano e 5 meses as coisas acontecerão quando 3 ou 4 planetas se alinharem correctamente, e nenhum desses planetas se chama Liedson.

Por isto, sim, não há grandes motivos para chorar. O Liedson está vivo e de saúde, não lhe foi diagnosticado nenhum cancro e seguirá a sua vida feliz e normalmente, no Brasil, ao serviço de um - também ele - grande clube. Choro nesta perspectiva, não. Choro na perspectiva do Sporting, também não, porque o Sporting, mais uma vez, se quiser ser candidato terá que resolver muita coisa, coisas essas que não passam pelo Liedson ou falta dele. E quem diz Liedson diz qualquer outro.
Choro na perspectiva de saudade, homenagem, tributo prestado, sim. Sem dúvida. Choremos, todos, porque o Liedson - gostem ou não, incomodem-se pouco, assim-assim ou muito - é dos melhores jogadores que passou em Portugal nos últimos anos. E Portugal é dono de um futebol tão pobre e tão merdoso, que realmente só um futebol deste tipo se dá ao luxo de rogar pragas ao Liedson.

A questão do Liedson pode explicar-se assim:

Existem viaturas. Existem Opeis Corsa por exemplo, e FIATS e Renaults e merdas desse tipo. Ora um Opel ou um Renault quando sai da fábrica é um bom carro. É um carro preparado, tem lá as pecinhas e as porcas todas muito bonitas e limpas no seu devido sítio. É fiável, porque é bem construído. A malta depois paga 3 ou 4 mil contos por uma merda dessas e fica contente, porque é uma boa viatura. É um brinquedo giro.

Mas o que é que acontece? Há depois outras viaturas que podem ter milhentos defeitos, podem ser velhas e podem precisar de arranjo 15 vezes por ano mas, que fazem o Opel ou o Renault ser assim uma coisinha muito merdosa. Porquê? Porque apesar de terem (aparentemente) mais defeitos atingem o dobro da velocidade, são muito mais explosivos, têm muito mais estilo, e têm uma coisa muito importante que uma merda de um Opel ou que um Renault nunca terá: alma. E o que é alma? É por exemplo ter a capacidade de deixar saudade, nostalgia, invocar e despoletar sentimentos muito mutio básicos.

O Postiga é o Opel.
E o Liedson é aquele mais feio que mete o Opel num buraquinho qualquer sem grande dificuldade. E o Liedson é isto, atenção, seja ou não rápido, tenha ou não um motor cansado e gasto, porque máquinas deste tipo brilharão sempre, independentemente do que derem ou não derem.
Esta é a diferença.

O Postiga sabe e conhece os movimentos, sabe para onde ir e o que fazer, é apoio frontal, é descair para aqui e para acoli, arrasta uma série de coisas, cria uma série de coisas, tem uma gama fenomenal de atributos e botões que fazem dele uma coisa qualquer muito boa mas, atributos que no entanto nunca o farão parecer mais do que um utilitário merdoso qualquer, ao pé de outros.

O Liedson, é de outro campeonato.
É que não tem mesmo nada a ver.

Bruno Pinto disse...

Chegou a ser penosa a forma desesperada como o Nuno tentava arranjar argumentos (patéticos) para criticar Liedson e o homem o desmentia jogo após jogo. Foi carne para canhão. Surreal.

PS: o Pereirinha já explodiu caralho???

João D. disse...

ahah, ao menos é coerência até ao fim! a minha questão é simples: não existe mérito num jogador que aproveita tão bem erros do advversário? a mim parece-me que sim... e será que qualquer outro avançado, nas mesmíssimas condições do liedson faria exactamente os mesmos golos que ele? tenho dúvidas. pode não ser o maior jogador do universo que não é de todo mas, embora compreenda os argumentos sobre as funções de um avançado acho que ter um tipo que concretiza da maneira que faz o liedson dá sempre jeito. e eu detesto o homem, nos derbies marcava sempre demasiados golos ao glorioso...

José António disse...

Saem Liedson e D. Luiz da liga portuguesa, ficam Postiga e Carriço.
O escriba deve andar nas nuvens...finalmente um campeonato à sua medida.

Ministro disse...

Bruno Pintelho, ja explodiu mas foi nesse cu, seu panasca feioso

Oscar-r disse...

Eu dou razão ao Nuno. Sim, Liedson marcou muitos golos, mas nunca foi um grande avançado! Era muito bom a pressionar os defesas e a aproveitar os erros, é um facto, mas, e o resto? Qual o seu contributo para todos os outros aspectos necessários ao futebol ofensivo desenvolvido por uma equipa que se quer de topo?

Lisandro passou por Portugal e não marcou tantos golos, mas valeu ao seu clube os milhões que nunca ninguém ofereceu ao Sporting por Liedson!

Micoli passou por Portugal sem marcar muitos golos mas quem o trocaria por Liedson!

Só no Sporting bastante medíocre dos últimos anos, um jogador como Liedson poderia atingir tanta notoriedade!

Nuno Gomes não marcou tantos golos mas foi muito melhor jogador! Avaliar um jogador, exclusivamente pelos golos que marca, é muito redutor!

Há jogadores que caiem no goto das massas e pronto, são os maiores..., outros há, que sendo bem razoáveis passam a vida a ser assobiados!

Se compararmos Cardozo com Liedson, facilmente constatamos que Cardozo, se estiver alguns jogos sem marcar golos, começa de imediato a ser criticado e assobiado, coisa que com Liedson nunca aconteceu. Cardozo, por vezes, parece um caracol, ao contrário de Liedson que corre como um maluquinho, e isso é o que o povinho gosta de ver!

Ao fim de três anos a jogar em Portugal, Cardozo foi alvo de uma oferta na ordem de 25 milhões, coisa que a Liedson, nem no seu melhor ano aconteceu?

Nenhum treinador, minimamente inteligente, trocava o melhor Liedson por o actual Cardozo, já para não falar de falcão!!!

Acho também que Helder Postiga é muito melhor jogador que Liedson, o seu azar foi nunca ter apanhado um grande treinador depois de Mourinho...

Nuno disse...

Gonçalo Correia diz: "Um ponta-de-lança, que eu saiba, tem como principais funções marcar golos. O Liedson marcou-os (e marca-os)."

Gonçalo, é precisamente quem acha que a principal função dos avançados é marcar golos que ama incondicionalmente o Liedson. Eu, como acho que a função de um avançado não é marcar golos e como acho que ele não tem mais nada para oferecer que os golos, acho-o banalíssimo.

MM diz: "óbvio será que a saída do Liedson não fará do Sporting um candidato ao título (tipo de exageros característicos do Entre10, na hora de afirmar qualquer coisa que entenda)."

MM, eu não disse que, sem o Liedson, o Sporting passa a ser candidato ao título. Disse que, sem Liedson, passa a poder ser candidato ao título. Há uma diferença enorme. Significa que, com Liedson, o Sporting jamais seria campeão, coisa que por aqui sempre se defendeu, mas significa também que, sem Liedson, o Sporting pode ou não vir a ser candidato. Depende. Tendo em conta que foram 8 anos a formar vícios, pode demorar um bocado até o Sporting ganhar rotinas de candidato.

"Choremos, todos, porque o Liedson - gostem ou não, incomodem-se pouco, assim-assim ou muito - é dos melhores jogadores que passou em Portugal nos últimos anos."

Essa é a tua opinião. Agora precisas de defendê-la. Por que é que é dos melhores? Porque marcou golos? Ou será porque ficou 8 anos no mesmo clube e criou laços que outros bem melhores não puderam criar porque não estiveram tanto tempo? Sem grande esforço, consigo nomear 20 avançados melhores que ele que passaram por Portugal nos últimos anos. E só avançados.

A tua história da Opel e da alma tem piada porque ilustra na perfeição duas coisas. A maneira como as pessoas gostam de olhar para o fenómeno futebol, e a maneira como as pessoas denunciam que não percebem nada daquilo para que estão a olhar. O Liedson tem "alma" porque marcava golos e porque as pessoas gostam do espalhafato do golo e do circo que o envolve. Eu, como não gosto de circo, só falo de futebol. Admito que, em termos circenses, o Liedson seja muito apreciado. Cingindo-me ao futebol, não posso gostar dele.

Monsieur Homais diz: "Chegou a ser penosa a forma desesperada como o Nuno tentava arranjar argumentos (patéticos) para criticar Liedson e o homem o desmentia jogo após jogo. Foi carne para canhão. Surreal."

Monsieur Homais, só na tua cabeça é que se desmentiu alguma coisa. Se percebesses de português, saberias que, para se desmentir alguma coisa, é preciso que se afirma alguma coisa. Para que o Liedson, ao marcar golos, me desmentisse, era necessário que eu tivesse afirmado que ele não marcava golos. Isso é falso e estúpido. O que de mais convictamente afirmei em relação ao Liedson era que ele era prejudicial à equipa, apesar dos golos, e que esse prejuízo era suficiente para que a equipa jamais pudesse ser campeã. E isso, caro Monsieur Homais, já ninguém o desmente. Por mais que tentes, essa ganhei eu...

Nuno disse...

João D. diz: "embora compreenda os argumentos sobre as funções de um avançado acho que ter um tipo que concretiza da maneira que faz o liedson dá sempre jeito."

Se achas que "ter um tipo que concretiza da maneira que faz o Liedson", independentemente dos outros atributos do jogador, dá sempre jeito, é porque afinal não percebeste patavina do "argumento sobre as funções de um avançado".

José António diz: "Saem Liedson e D. Luiz da liga portuguesa, ficam Postiga e Carriço.
O escriba deve andar nas nuvens...finalmente um campeonato à sua medida."

José António, o David Luiz não é um caso tão gritante de estupidez colectiva quanto o é o do Liedson. Tem bem mais qualidades que o outro. Ainda assim, não acho que o Benfica e o campeonato português fiquem a perder nada. Ficariam a perder se saíssem o Aimar e o Saviola. Gente dessa é que faz falta. O David Luiz tem um suplente à altura. Quanto ao Liedson, não só acho que o campeonato não tem nada a perder, como o Sporting tem tudo a ganhar. Passa a poder ser uma equipa grande, coisa que, com Liedson, sobretudo pelo peso que adquirira na equipa, jamais conseguiria voltar a ser. Isso não se fará de imediato, nem nos próximos seis meses. Mas era o primeiro passo, e o mais importante.

Gonçalo Correia disse...

Nuno:
Um ponta-de-lança que não marque golos poderá ser para ti, então, um grande ponta-de-lança ? Ficou a dúvida, apenas...

Nuno disse...

Sim, claro.

farmacia disse...

Nuno só por curiosidade, e sem ter nada a ver com Liédson, o que te parece o James Rodriguez?

daniel duarte disse...

Bom post, sem dúvida... Bem escrito e principalmente bem argumentado...

o David Luiz não é um caso tão gritante de estupidez colectiva quanto o é o do Liedson. Tem bem mais qualidades que o outro. Ainda assim, não acho que o Benfica e o campeonato português fiquem a perder nada. Ficariam a perder se saíssem o Aimar e o Saviola. Gente dessa é que faz falta.

Principalmente aqui, totalmente de acordo...Jogadores destes são um primor, a estimar de quando em quando... Liedsons há muitos...

Rui Moreira disse...

Dando razão ao Nuno - que dou, apesar de ter laços de afectividade com o percurso e a história do liedson do sporting que me fazem ter pena de o ver partir, por paradoxal que pareça - acho que o problema do sporting é que - com aquela que me pareceu ser a honrosa, embora limitada excepção de Carvalhal - todos os treinadores dos últimos anos entenderam imprescindívcel para a competitividade do sporting. Desde há muito que acho que uma grande parte do mal do sporting está na escolha dos treinadores. curiosamente, o Carvalhal e, já agora, o Peseiro, eram os que mais sabiam da poda e foram ambos corridos de forma muito pouco digna (para ser simpático).

João D. disse...

Corrige-me se estiver errado: as funções primordiais de um avançado, segundo os teus posts, têm como base cedência de apoios à equipa naquela área específica do campo, bem como abertura de espaços para outros poderem irromper, porque essa será à partida a função base de um avançado e não simplesmente marcar golos - que deve ser uma função repartida por toda a equipa.

O que eu acho, mas assumo ser pessoa que curte beber copos e ver a bola sem ficar a estudar totalmente o assunto em si, é que em certos jogos ter um tipo como o liedson dá jeito. nem que seja no banco para entrar de quando em vez. aliás tu nunca foste 100% contra o liedson apenas disseste que ele não é propriamente o Deus que tanta gente o pinta.


A questão é que ninguém vê um avançado como um tipo para dar apoios e abrir espaços. um avançado é um tipo que marca golos. isso o liedson fazia verdade seja dita, embora sim fosse sobrevalorizado nesse âmbito. e depois como o liedson "come a relva" (mesmo que seja sem nexo) isso enche o olho a qualquer um. isso aliado ao facto de ter ficado no sporting uma data de tempo ajudou a que a teoria ficasse "liedson + 10" e não "10 + o liedson". talvez esse seja o problema.

e confesso que por mais teorias que possam existir, às pessoas em geral é complicado que isso consiga rebater o número de golos que o homem fez...

Bruno Pinto disse...

"Monsieur Homais, só na tua cabeça é que se desmentiu alguma coisa. Se percebesses de português, saberias que, para se desmentir alguma coisa, é preciso que se afirma alguma coisa. Para que o Liedson, ao marcar golos, me desmentisse, era necessário que eu tivesse afirmado que ele não marcava golos."

Ó Nuno, és burro ou gostas de comer palha às colheres? Foda-se, não percebes um chavelho do que se diz... Vai lá dar o leitinho da manhã ao Ministro. Foda-se, tanta burrice junta. Onde é que digo que ele te desmente por marcar golos? És burro ou comes palha? Puta que pariu, tanta burrice junta!!!!!!!!!!

O Pereirinha sempre explode caralho?? E o Ronaldo?? Grande sacana, marca menos golos em Espanha.. Se não fosses otário, o que gostavas de ser Nuno???

Ricardo disse...

Eu, deste Homais, nunca lhe li uma ideia, uma intenção, uma defesa de algo.

Mas a criticar é dos bons. Hiberna desesperadamente quando lhe atiram ideias para os olhos e fica em estado vegetativo a ver se pode descobrir falhas nas ideias dos outros. Depois sai da gruta, diz, enquanto coça a cauda: "está errado, está errado" e volta para o escuro.

Haverá melhor exemplo de mesquinhez intelectual?

Ministro disse...

O personagem tb era um molusco paneleiróide, adorador de corruptos, como é esse cara de cu, acéfalo?

Mike Portugal disse...

Isto é uma discussão bastante subjetiva. Tu avalias os avançados pelo trabalho em prol da equipa e não pelos golos. Então dirias que Jardel era um mau avançado? Ele só marcava golos. Ocasionalmente fazia uma tabelinha com alguem do meio-campo, mas nem sequer ajudava a pressionar quando a equipa perdia a bola.

Concordo que o Liedson não será o GRANDE avançado que muitos pintam. Mas marcar 170 golos em 313 jogos nem todos os avançados conseguem. Tu gostas mais de avançados que trabalhem para a equipa e não se concentrem exclusivamente nos golos, por isso digo que é subjetivo. Há quem goste de montar equipas à volta de jogadores com o dom e o instinto para marcar golos.

José António disse...

"Eu, como acho que a função de um avançado não é marcar golos e como acho que ele não tem mais nada para oferecer que os golos, acho-o banalíssimo".

E aqui está a explicação e o segredo para continuarmos a manter o estatuto de campeões do mundo do futebol sem balizas.

Nuno disse...

farmacia, acho que o James tem bastante potencial. Do pouco que vi dele, gostei. É habilidoso, mas não investe no um para um com tanta frequência quanto um extremo normal. E isso agrada-me. Contra o Benfica, não esteve bem, mas tem qualidades.

João D. diz: "em certos jogos ter um tipo como o liedson dá jeito. nem que seja no banco para entrar de quando em vez. aliás tu nunca foste 100% contra o liedson apenas disseste que ele não é propriamente o Deus que tanta gente o pinta."

Sim, concordo com isto. Isto é, pode ser útil como o Farías era útil, para resolver problemas em poucos minutos, quando a organização já é pouca, por exemplo.

"e depois como o liedson "come a relva" (mesmo que seja sem nexo) isso enche o olho a qualquer um."

Sim, essa é outra das razões pelas quais as pessoas gostam dele. Corre feito tontinho e os tontinhos gostam de pessoas que corram como eles.

Mike Portugal diz: "Isto é uma discussão bastante subjetiva. Tu avalias os avançados pelo trabalho em prol da equipa e não pelos golos."

Isto não é nada subjectivo. Um avançado que vale apenas pelos golos jamais pode ser um avançado de um grande, no futebol moderno. É por isso que o Farías ou o Mantorras, que até tinham índices de concretização bem superiores ao Liedson, nunca foram titulares nos seus clubes. O Jardel foi uma excepção. Mas o Jardel marcava o dobro do Liedson. O dobro. Garantia 1 golo por jogo. Eu nunca escolheria o Jardel para a minha equipa, porque tenho ideias sobre o jogo diferentes e que não me permitiam ter um avançado apenas para os momentos de finalização, mas o Jardel, além de não estragar nada, ainda rendia este golo por jogo. Úm avançado fraco em todos os momentos do jogo à excepção do momento de finalização, só pode ter algum benefício se marcar a quantidade de golos que o Jardel marcava. Não era, nem de perto, nem de longe, o caso do Liedson.

"Há quem goste de montar equipas à volta de jogadores com o dom e o instinto para marcar golos."

Sim, usualmente católicos e treinadores sem ideias.

José António diz: "E aqui está a explicação e o segredo para continuarmos a manter o estatuto de campeões do mundo do futebol sem balizas."

Sim, José António, é isso mesmo. Os campeões do mundo do futebol sem balizas, na actualidade, isto é, a equipa que tem por filosofia precisamente o não ter avançados para marcar golos, são só a equipa que mais golos marca por esse mundo fora e, provavelmente, a melhor equipa da história do jogo. Mas copiar-lhes as ideias é de certeza um mau princípio. O que é bom, para nós, agricultores e gente sem estudos, é continuar a achar que os avançados servem para metê-la lá dentro. Essas modernices catalãs são complicadas demais para a nossa cabecinha.

MM disse...

Nuno,
Quem era melhor jogador de futebol, o Postiga ou o Romário? Para além de ter uma técnica muito mais aprimorada que lhe oferecia muito mais classe, o que é que o Romário fazia dentro do jogo a mais do que o Liedson? O Liedson é muito bom porque marca muitos golos? Sem dúvida, também. Mas não só. Era muito bom porque tinha muita qualidade. Onde é que podes ver essa qualidade? Nos golos que marcou por exemplo. Ao contrário do que dizes - e isto só prova que tens um ódio de estimação qualquer por ele - ele não marcou apenas golos de ressalto, com sorte e ofertados pelos defesas contrários. Dizeres uma coisa desse tipo quando ela é claramente falsa deixa logo evidente o teu preconceito pelo baiano.
Queres que te mostre - sem precisar de procurar muito - 10 golos do Liedson em que a execução diz tudo sobre a sua qualidade? Não, não precisas, tu conheces essa sua qualidade. Revive o 1º golo ao Benfica na vitória por 3-2 em 2009, revive o golo em Roterdão, revive os 2º e 3º golo na Luz em 2006, revive o 2º golo para a Taça na Luz em 2005, revive o 2º golo em Alvalade contra o Benfica também em 2006, revive o 3º golo ao Nacional na época passada, revive a forma como deixou o Luisão para trás em Alvalade também na época passada - este lance, sem qualquer golo, sozinho, faz perceber a qualidade técnica do Liedson, se quiseres imagens pede porque como não teve golo se calhar não te lembras, revive o 3º ou 4º golo o ano passado no Restelo, revive o golo o ano passado em Setúbal, revive o golo ao Benfica na Taça da Liga do ano passado. Revive esses todos e muito mais para veres como ressaltos, ofertas e a sorte podem ser donas de uma categoria imensa. Ou isso ou, tens um ódio de estimação. Nuno, confessa, não tem mal. Tens um ódio de estimação.
E tens um ódio de estimação por 1 de alguns motivos:

1) O mais teórico de todos mas que não é de desconsiderar: ele é brasileiro e se calhar tens alguma ponta de xenofobia dentro de ti. Não estou a dizer que tens, estou apenas a dizer que podes te-la. Porque existe esse tipo de coisa, muito, e quando ele foi naturalizado foi ver todos esses vestígios aparecerem de todo o modo e feitio.

2) Um que tem alta probabilidade de existir: faz-te confusão a fama que angariou porque entendes que ela não era justificada. Este consigo entender, embora não deixe de entrar no domínio dos ódios de estimação. A maioria dos consumidores de futebol idolatra-o pelos golos que marcou. É suficiente? Não, porque faze-lo só por isso é passar em boa verdade ao lado de toda a sua evidente e restante qualidade, qualidade essa que não se esgotava nesses golos. Entendes que esses golos não eram suficientes para tanta missa. Compreendo isso. O que não podes é virar isso contra o Levezinho, porque ele não tem culpa do facto.

3) És benfiquista, e doeram-te todos os supositórios por ele aplicados. Nuno, não estou a meter-me contigo nem a provocar-te. É uma explicação possível e bem difusa até. Verdadeira e que os próprios orgulham-se de exibir. As marcas de todos esses supositórios.

4) O mais provável de todos: o Liedson não cumpre com os "teus" parâmetros daquilo que deve ser ou fazer um jogador de futebol. Nuno, és um ser de convicções e vives a elas agarrado. Estás agarrado - não só - mas também aquilo que os manuais dizem sobre o que deve ser um bom futebolista. O avançado que deve movimentar-se da forma X ou não deve arriscar sozinho numa acção Y, os movimentos certos que deve desenhar com os colegas, e coisas deste tipo. Certo, tudo isso existe. Claro que existe, para tanta gente os reproduzir da mesma maneira de algum sítio eles têm que vir. O defesa que deve meter o pé à frente de certo modo, cobrir o avançado com certa metade do corpo, e tudo isso. Nuno, certo. Vivam todas essas noções. Elas têm razão de ser em 99% dos casos, estou certo. Mas Nuno, há excepções. Há artistas - e o futebol como dizes e bem é arte - que não precisam de esquemas. Basta-lhes a intuição e a própria capacidade e entendimento.

Consegues entender isto?

MM disse...

É como o pugilista que faz tudo ao contrário mas fazendo do seu modo deixa o adversário KO 8 em cada 10 vezes. Ou como o o pintor que durante uma vida é apelidado de intrujão por limitar-se a salpicar a tela mas que quando morre, morrendo assim também o ódio de estimação, as pessoas vêem que afinal o resultado de tudo aquilo é belo. Percebes? Basta ter beleza, só. E o futebol gostes ou não, pertence a este domínio. Por isso Nuno, ultrapassa esse ódio de estimação ou essa xenofobia que te consome e retira bom juízo e rende-te à categoria única que existe para tudo: a beleza.
Esquece o Liedson, observa apenas as coisas que ele fez. Compara-as com o que outros fizeram, e ajoelha-te. Ajoelha-te aos pés do Levezinho e rende-te ao fogo do Leão, ou ao poderio do Felino. Sê humilde Nuno, e se gostas verdadeiramente de futebol presta a devida vassalagem ao Liedson e ao seu emblema.

Exemplo prático Nuno:
O golo ao Benfica na vitória por 3-2 em 2009. Um remate de fora da área sem preparação alguma em forma de ressaca, na sequência do alívio do David Luiz. Como é evidente 99 em cada 100 vezes aquilo não devia ter sido feito. Porquê? Porque o Sporting tinha mais de meia equipa na área do Benfica e esse Benfica estava todo ele aos papeis. Meter a bola lá dentro - da área - era o que se pedia. Mas Nuno, era o Levezinho. E o que fez o charmoso Levezinho: confiou na sua intuição e com toda a sua técnica pintou um lance lindíssimo. Classe pura aquele lance. Belo belo belo. Sabes de que golo estou a falar, certo? Pronto Nuno, é isso. Não sejas cego nem procures negar qualidade, ainda que essa qualidade não seja uma do teu agrado. Embora possas faze-lo claro, muitos o fazem. Mas felizmente, nada disso mexe com a Verdade, e qual é a Verdade: o Liedson foi dos melhores tigres que passou pelo futebol em Portugal nos últimos 10 anos. É o melhor marcador de sempre do Leão nas competições europeias, quando atingiu tal marca em apenas 7 anos de serviço. Nuno, há quantos anos está a anedota do Nuno Gomes no Carnide? E Nuno, quantos anos esteve o domingos nas Antas? E tantos outros noutras tantas paragens?

Não sejas xenófobo, fica-te mal isso. Nem sejas injusto, caso não sejas xenófobo. Nem sejas benfiquista, porque os benfiquistas é que costumam ver o futebol - e tudo - de forma muito parola. Só isso.

José António disse...

Nuno, finalmente de acordo. Só mesmo num país de agricultores e gente sem estudos se poderia conferir o estatuto de campeão do mundo do futebol sem balizas ao (enorme) Barça.

"(...)a equipa que tem por filosofia precisamente o não ter avançados para marcar golos".
Nem mais. Ainda ontem Villa e Messi fizeram um bom jogo mas este último manchou a sua exibição com a obtenção de três golos.

farmacia disse...

Pois também concordo, essencialmente do que tenho visto parece-me que ele é um acrescento enorme a nível de jogo interior, uma vez que decide muito bem e relaciona-se bem com interior do seu lado e o ponta de lança, o que é raro em quase todos os extremos a jogar em Portugal. Parece-me também é que joga muito mais se o ponta de lança for o Falcao, uma vez que este se desloca muito mais para tabelar e combinar com os extremos, contrariamente ao Hulk, não te parece?

Ps- execelente blog

Nuno disse...

MM, a minha razão para não gostar do Liedson é racional e não cai na categoria dos ódios de estimação. Não gosto dele porque tenho uma concepção de futebol que não me permite gostar de um avançado que só dá toma a melhor opção em 1 terço das vezes em que toca na bola, um avançado que não procura apoios, mas prefere invariavelmente movimentos de aproximação à baliza, um avançado que marca alguns golos (sensivelmente 0,5 por 90 minutos), mas que fica muito aquém em praticamente todas as restantes acções no jogo. Para mim, um avançado desses é bom numa equipa pequena, numa equipa que passa muito tempo longe da baliza adversária e tem poucas oportunidades de golo durante um jogo. Numa equipa grande, como o Sporting, o avançado tem de fazer muitas outras coisas, e tem de fazê-las bem. O Liedson garantia golos, alguns golos, mas prejudicava a equipa em praticamente tudo o resto. E a construção ofensiva no último terço do terreno nunca foi de qualidade quando ele estava em campo. É por ter uma concepção tão profunda do jogo que não gosto do Liedson. Não é por mais nada. De resto, é evidente que não marcou só de ressaltos. Mas cerca de 80% dos golos do Liedson foram lances de um só toque na bola, a desviar um cruzamento, a aproveitar um ressalto, uma confusão, uma má defesa, etc. Golos como o que descreves foram raridades. Dos 170 que ele marcou, haverá 10 ou 15 golos desse estilo. Marcou o seu primeiro golo fora da área à quinta ou sexta época no Sporting. Ao todo, terá marcado 4 ou 5 golos de fora da área, no máximo. De resto, nem sequer era um avançado frio à frente do guarda-redes. Contam-se pelos dedos da mão os golos que marcou ficando isolado na cara do guarda-redes. A frieza vê-se sobretudo nesses lances e nesses ele não era forte. A sua principal característica não era a classe a finalizar, mas a forma como aparecia no sítio certo. E foi assim que marcou a larga maioria dos seus golos, aparecendo no sítio certo. E isso, já o expliquei noutras ocasiões, tinha a ver com o tipo de preocupações dele. Negligenciava apoios, movimentações correctas, para correr a direito para a baliza. Beneficiou disso com golos, mas prejudicou o futebol ofensivo do Sporting. É por isso que o Sporting, com ele, nunca seria uma equipa grande.

José António, o Barcelona tem por filosofia precisamente o não chutar à baliza se não em condições ideais. Os seus avançados não servem, por isso, para a meter lá dentro. Servem para muitas outras coisas. Enquanto não perceberes isso, podes fazer as piadinhas que quiseres, que o único anormal és tu.

farmacia, sim, sem dúvida. A forma como o Falcao se movimenta fomenta o futebol interior e as combinações curtas, ao contrário do Hulk. E o James, pelo que já mostrou, tem tudo a ganhar com o Falcao a jogar a ponta-de-lança.

José António disse...

"o Barcelona tem por filosofia precisamente o não chutar à baliza se não em condições ideais".
Claro, todas as outras equipas são incentivadas pelos seus treinadores a chutar à baliza só em condições adversas.

"Os seus avançados não servem, por isso, para a meter lá dentro. Servem para muitas outras coisas".
Concordo, nomeadamente para fazerem contratos publicitários.

"Enquanto não perceberes isso, podes fazer as piadinhas que quiseres, que o único anormal és tu".
Eu e o Messi, que ao fazer golos em barda está a pôr em causa a filosofia do Barça.

Bruno Pinto disse...

Mais dois do Ronaldo. O gajo marca muito menos em Espanha, de facto. Ele em Inglaterra marcava muitos porque as defesas eram fracas. Mas agora no melhor campeonato da Europa tudo se complicou. Consta que anda deprimido com a falta de golos.

DUX_XXI disse...

«Eu, como acho que a função de um avançado não é marcar golos e como acho que ele não tem mais nada para oferecer que os golos, acho-o banalíssimo.»

Como GR não serve para defender a baliza, ou os defesas... bah... a sério, os supositórios aplicados a Luisão continuam a fazer efeito.

Nuno disse...

José António, continuas a dizer disparates.

DUX_XXI, para idiotas já bastavam os dois acima...

Bruno Pinto disse...

"Não tenho a menor dúvida de que, em Itália ou em Espanha, Ronaldo marcaria menos golos e seria menos decisivo e que Kaká e Messi, em Inglaterra, jogariam mais e marcariam mais." Nuno


"Cristiano Ronaldo acabó con su peor racha goleadora con un doblete ante la Real Sociedad, lo que le permite recuperar el liderato en la lucha por el Pichichi y batir un récord goleador: 51 tantos en 51 partidos de Liga. (...) Ni Puskas, ni Di Stéfano, ni Pahiño, ni Hugo Sánchez, ni Ronaldo, ni Van Nistelrooy... Ningún '9' del Real Madrid llevaba los números de CR7 con una media de gol por encuentro como Cristiano Ronaldo a estas alturas."


Do alto da tua sapiência, deves-te achar um monte de merda quando lês isto não, Nuno? LOOOOL. És mesmo um pateta.

"NÃO TENHO A MENOR DÚVIDA..." Grande Nuno.

Oscar-r disse...

Para alguns não há volta a dar. Liedson foi um dos melhores avançados que passou pelo futebol português. Se não concordarmos com isso somos benfiquistas e, como tal, temos uma forma parola de ver futebol!

E depois vêm falar em xenofobia! Ok, estou convencido... Até já acredito no Messias..

Mike Portugal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mike Portugal disse...

Só queria mesmo deixar claro que:

"Eu nunca escolheria o Jardel para a MINHA equipa, porque TENHO ideias sobre o jogo diferentes e que não ME permitiam ter um avançado apenas para os momentos de finalização"

Coloquei enfase nas palavras importantes da frase. São as tuas ideias, logo isto vai de encontro ao que afirmei. É subjectivo.

Há quem não partilhe da tua concepção de futebol e prefira outro modelo. Tu apelidas essas pessoas de treinadores sem ideias, mas lá está, é a tua opinião, logo subjectiva.

Ricardo disse...

Parece-me que, sim, há uma forma parola de ver futebol. É aquela que passa por termos de menosprezar a opinião dos outros só porque a opinião dos outros não condiz com a nossa.

Parolo, de facto.

Ó Homais, já estou farto de ler a criticar tudo e mais alguma coisa. Dá-me qualquer coisa que mostre que percebes (ou que tentas, pelo menos) de bola: que jogador é Guarín?

Obrigado, Homais. Espero que possas demonstrar algo mais do que a crítica acéfala que é o teu cartão de visita.

Ministro disse...

O acéfalo é um porco corrupto e está tudo dito. Ainda para mais tem cara de caralho mal delineado!

Burro, vai lá para o teu buraco

DUX_XXI disse...

Caro Nuno.

Obrigado pela adjectivação, um dia que rasteje devolvo-a a sua excelência.

Por agora fica a pergunta: Se, como diz o Nuno, "a função do avançado não é marcar golos(*)" podemos assumir que a função do GR não é evita-los?

(*) Se o Nuno ainda dissesse que a função do avançado não é "somente" marcar golos ainda teríamos um ponto de partida para uma discussão válida. Assim... arrisca-se a ler estes comentários.

Pkän Hittü disse...

Nuno, um vintém é um vintém...

João Pinto disse...

? ministro, como e possivel que um gajo a escorrer azeite e com uma fronha dessas tenha como unicos comentarios o rebaixamento estetico de outro gajo? LOOL e so complexos em relacao ao melhor clube portugues... tens pena de contares os campeonatos do teu clube vistos por ti com os dedos de uma mao?

Bruno Pinto disse...

Ricardo,

Não me parece que tenha de demonstrar seja o que fôr a um gajo que diz que o Benfica é superior ao FC Porto. És só mais um imbecil. E o meu tempo não é para perder com imbecis, quanto mais não seja pode ser para os achincalhar. Mas nem isso me apetece.

Pedro disse...

Estava a tardar um posto do Nuno sobre o Liedson.

Já não me canso com esta discussão pq já dissemos tudo o que havia para dizer mas, Nuno, a tua ansia de atacares o Liedson de qqr forma leva a q digas certas coisas que depois servem como arma de arremesso, como por exemplo qd dizes q o Liedson marca pq "tem sorte". Esse argumento é claramente uma prova do teu desespero de sustentares a tua argumentação.

Acho perfeitamente lógica e acertada a comparação que fazes de Jardel e Liedson, acho perfeitamente lógico que não consideres Liedson um avançado que te satisfaça (eu, por exemplo,detesto o Inzaghi...mas o gajo marca sempre!!!!) mas não podes (ou não devias) dizer que ele não presta pq só marca golos e muito menos utilizando um Postiga como exemplo do que é bom.

É q se Liedson só está lá para enconstar é pq MAIS NINHUEM LÁ ESTÁ PARA ENCOSTAR. E é aqui, como já disse várias vezes, a tua argumentação espalha-se ao comprido. É que o Barça joga à brava mas a maioria dos golos é o Messi que os marca, por alguma razão será. Fazia sentido a tua argumentação se todos os jogadores do scp tivessem uma concretização semelhante entre si. Mas não, isso não acontece. É Liedson quem marca mais, e dizer que é por sorte. Os outros não têm nem jeito nem sorte...

PS: A personagem é irritante mas não deixa de ter um pouco razão no reparo que te faz: os golos de C.Ronaldo em Espanha.

Manuel disse...

Não vou concordar com ninguem, na minha opinião o Liedson foi um grande avançado com características únicas.

Mas li aqui que o Liedson marcou muito porque era avançado de equipa pequena, agora façamos o exercício ao contrário. Se o Liedson tivesse uma grande equipa (que só a teve no tempo do Peseiro), quanta energia não iria poupar a vir buscar a bola à defesa e com isso quanta disposição iria ter a mais para estar 100% concentrado em atacar? Provavelmente iria acabar por marcar muitos mais golos do que marcou.


PS: nos grandes golos do Liedson não esquecer um em Coimbra e o golaço de cabeça em Roma.

PS2: tenho de concordar que o Liedson tambem perdia demasiadas bolas porque raramente conseguia fazer um passe de jeito.

Luis disse...

A saída de Liedson é "A" verdadeira oportunidade de revolução para o Sporting, a alavanca para valorizar outro tipo de jogador, bem mais voltado para o jogo colectivo (como aliás foi o intento principal de toda esta saga do Nuno contra o Liedson como protótipo de avançado anti-jogo de equipa).

Por outro lado, Paulo Sérgio não me parece homem para perceber que sem Liedson pode ser mais forte. Uma vez que os princípios pelos quais pautou o jogo leonino até ao presente são demasiado fracos para um clube que se quer a jogar bom futebol.

Pedro disse...

Não discordo da possibilidade de sem Liedson o Sporting ter que mudar de estratégia e com isso ficar mais forte. É possível. É possível que encontre um modelo que apesar de não ter um goleador como Liedson tenha uma equipa mais compacta e, em resumo, mais forte. Mas não será nada fácil.

O Wenger disse o mesmo com a saída de Henry e até hoje, apesar de um futebol muito elogiado, efeitos prácticos são quase nulos...

Ricardo disse...

Bruno, mas queres mais provas da actual superioridade futebolística do Benfica sobre o Porto? Não te chegou a prova definitiva do que já era uma evidência há 2 meses? Não te chegou o jogo do Dragão para perceberes isso?

Já compreendi a razão pela qual tu não dás uma única ideia, uma opinião formada. É que não percebes nada disto, não é? Deixa lá, não hás-de ser o único. Mantém esse registo de vir dizer mal dos que se antecipam e dão opiniões fundamentadas. Fica-te bem esse papel.

Nuno disse...

Mike Portugal diz: "Coloquei enfase nas palavras importantes da frase. São as tuas ideias, logo isto vai de encontro ao que afirmei. É subjectivo."

Mike, não é por ter essa opinião que a coisa é subjectiva. Tenho essa opinião porque acredito que a melhor maneira de jogar o jogo não é com um avançado que sirva apenas para o momento da finalização. É por isso que isto não é subjectivo.

DUX_XXI diz: "Por agora fica a pergunta: Se, como diz o Nuno, "a função do avançado não é marcar golos(*)" podemos assumir que a função do GR não é evita-los?"

Aceito que o guarda-redes possa ter uma função específica, mas apenas porque obedece a regras diferentes. O seu papel é, em parte, defender a sua baliza. Os restantes jogadores de campo não têm funções específicas, até porque todos obedecem às mesmas regras. A única diferença é que ocupam posições diferentes. Como vês, do facto de os avançados não terem a função de marcar golos não se segue que o GK não tenha a função de defendê-los. O que deita por terra o teu contra-argumento.

Nuno disse...

Pedro diz: "Nuno, a tua ansia de atacares o Liedson de qqr forma leva a q digas certas coisas que depois servem como arma de arremesso, como por exemplo qd dizes q o Liedson marca pq "tem sorte"

Pedro, eu digo que o Liedson marca, em parte, porque tem sorte. Isso é evidente. Não digo que marca apenas por isso. Mas que marca, também por isso, e que tem mais sorte do que a maioria dos outros avançados, é um facto. Olha para os dois golos no jogo com a Naval. Se fores capaz de dizer que ele tem mérito na maneira como a bola sobra para ele, então não vale a pena continuar a conversar. E olha bem para o primeiro golo. Ele marca-o apenas por sorte. Ele esconde-se do Postiga, não lhe dá uma opção de passe, obriga-o a fazer tudo. E tem a sorte de o Postiga conseguir desembaraçar-se de dois adversários e de obrigar o guarda-redes a uma difícil. Se há pessoas que são capazes de lhe dar algum mérito em esconder-se e em fazer tudo ao contrário do que era devido, então não é com pessoas dessas que pretendo falar.

"mas não podes (ou não devias) dizer que ele não presta pq só marca golos e muito menos utilizando um Postiga como exemplo do que é bom."

Pedro, o argumento é este. Ele marca 15 golos por época. Nessa época, o Sporting marca, imaginemos, 50. O que eu digo é que, apesar de ele marcar 15, que é uma boa marca, a equipa marcaria 60, enquanto equipa. O que eu digo é que os golos que marca não compensam as más opções que toma, os ataques que estraga, as soluções de passe que não oferece. É este o argumento. Se queres rebatê-lo, tens de defender não que os golos são importantes, mas que a equipa não perde tanto com ele em campo quanto ganha com os golos que ele marca. E isso só o podes defender se defenderes outras coisas para além dos golos que marca.

"É q se Liedson só está lá para enconstar é pq MAIS NINHUEM LÁ ESTÁ PARA ENCOSTAR. E é aqui, como já disse várias vezes, a tua argumentação espalha-se ao comprido"

O que se espalha ao comprido é a tua concepção de futebol, que acha que tem de haver alguém para encostar. É aqui que estás errado, e é aqui que não percebes que o meu argumento não é incoerente.

"É que o Barça joga à brava mas a maioria dos golos é o Messi que os marca"

Além de isto ser mentira, o Messi é tudo menos um finalizador e marca golos de todas as maneiras e feitios, e raramente apenas de encostar, como o Liedson. Não percebo sequer a comparação.

Nuno disse...

"A personagem é irritante mas não deixa de ter um pouco razão no reparo que te faz: os golos de C.Ronaldo em Espanha."

Pedro, a pessoa - ou o palerma a que te referes - não tem razão porque ele não quer falar do Ronaldo. Ele quer é fazer barulho. Começou com o Pereirinha, passou para o Liedson e agora vai no Ronaldo. Quer pegar em coisas que eu disse para mostrar como eu estava enganado. Como lhe provei que, sobre o Liedson, não disse nada que não se tivesse comprovado, passou para a ideia do Ronaldo. Não lhe respondi por várias razões. Primeiro, porque é um palerma; segundo, porque é um palerma que não quer ouvir explicações; terceiro, porque tirou a frase do contexto em que foi dita; quarto, porque escreverei em breve sobre o Ronaldo e o Messi. Sobre a questão em si, há que ver várias coisas. Primeiro, o Ronaldo evoluiu muito, nos últimos anos, ao contrário do que muita gente acha. Muitos acham que, pela febre do golo, perdeu atributos técnicos. Eu acho que ele não perdeu nada e a única maneira de ser um jogador de top foi evoluir nas coisas que evoluiu, no físico, nas bolas paradas, no jogo aéreo. Depois, as pessoas só vêem os números e não a forma como esses números acontecem. Em Inglaterra, naquele ano espectacular, o Ronaldo marcou quarenta e tal golos, mas não marcou nem metade dos golos de penalty ou bola parada que marca agora. Marcava-os porque o futebol em Inglaterra é muito aberto e era por causa desse contraste que eu achava que ele não marcaria tanto em Espanha. Exclui os lances de bola parada (penaltys, livres e cantos), e os números do Ronaldo são significativamente inferiores aos que conseguiu em Inglaterra.

Mike Portugal disse...

"Marcava-os porque o futebol em Inglaterra é muito aberto e era por causa desse contraste que eu achava que ele não marcaria tanto em Espanha."

Aqui concordo. Os tipos de campeonatos são bem diferentes. Imagino que se ele fosse para Itália marcaria menos golos devido ao tipo de futebol mais fechado.

Só para finalizar o assunto Liedson: ele tem um instinto natural pela baliza quando está dentro da área. É fraco a decidir quando está fora dela. Sempre foi assim e de facto, pode-se criticar o facto dele nunca ter melhorado este aspecto (também não teve um treinador competente que o ensinasse). A época em que marcou mais golos foi com Peseiro, que de facto, dava um pendor muito atacante à equipa e fazia sobressair o instinto dele.

Embora possa concordar quando falas em "sorte" por conseguir os tais ressaltos, também lhe devias dar crédito por ele saber posicionar-se para poder aproveitar essas situações. O Jardel também fazia muito esse tipo de movimentação, antecipando uma possivel falha do adversário.

Bruno Pinto disse...

É isso, Ricardo, finalmente chegaste lá... Eu não percebo patavina disto. Afinal não és tão imbecil como eu pensava.

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Pinto disse...

"Não sei se há algum fundamento nestas notícias, mas desconfio que não, até porque é prematuro falar do que quer que seja em relação ao plantel antes de se saber quem é o treinador que o vai comandar. Ora, sendo assim, parece-me claro que a notícia é escrita de um modo absolutamente especulativo e tendo como fundamento o facto de o jogador estar há 3 anos para se afirmar e ainda não o ter conseguido."

Não percebo a razão de o Sporting ter despachado o gajo mais talentoso que saiu da sua Academia nos últimos anos. Também acho que a notícia de que estava para ser despachado era só para desestabilizar. Anda tudo cego. Nem o Guimarães viu o diamante que tinha em mãos. Absolutamente criminoso. Este Pereirinha era um Farnerud em potência. Não entendo.

Pedro disse...

"O que se espalha ao comprido é a tua concepção de futebol, que acha que tem de haver alguém para encostar."

Não é nada disso. Tu é que defendes q o Liedson só encosta. Ora se ele só encosta pq raio é que não aparece mais ninguem para só encostar? É q se só encosta é pq a bola chega lá...e se chega lá para o Liedson tb deve chegar lá para os outros...

Um dia, com mais idade, irás olhar para estes textos e perceberes o absurdo que é alguem tão pragmático como tu defender que "Liedson tem mais sorte que os outros".
:)

José António disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Nuno disse...

Pedro, eu acho que não falo chinês. Já disse que o Liedson se preocupa quase exclusivamente em estar preparado para momentos de finalização, não já? É por isso que aparece mais vezes a encostar com os outros. Ao fazê-lo, fá-lo às custas de movimentações erradas, ignora apoios, movimentos de aproximação, etc. O que é que ainda não percebeste?

P.S. Aos outros dois idiotas, se tiverem algo a dizer, digam-no. Se insistirem em não fazer senão barulho, o recado está dado...

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Ministro disse...

o filho duma granda vaca leiteira do burro pinto passa tempos e tempos hibernado (a ler sem comentar, obvio), e engolir tudo (mt gosta ele de o fazer). Quando de repente aparece algo que não concorda, sai da sua toca, onde se esconde como grande merdas que é, para vir para aqui debitar porcaria.

E ao Joao Pinto, não foi azeite que a tua mae engoliu,meu grande filho dum real cabrão.

vao para o vosso buraco, corruptos nojentos.

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
José António disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pedro disse...

OFF Topic
"Em Inglaterra, naquele ano espectacular, o Ronaldo marcou quarenta e tal golos, mas não marcou nem metade dos golos de penalty ou bola parada que marca agora. Marcava-os porque o futebol em Inglaterra é muito aberto e era por causa desse contraste que eu achava que ele não marcaria tanto em Espanha."
Passas a vida a desvirtuar estatíscas e a acha-las insignificantes e depois, quando te dá jeito utiliza-as para justificar argumentos, Boa! Até aqui nada de mal, mas pelo menos podias usá-las de forma acertada, vejamos então...

Na Liga:
2009/10 e 2010/11
Total de Jogos:51
Golos marcados: 50
Golos de penalty: 5+4
Golos de livre:3+3
Golos de cabeça:3+3
nº de golos por jogo:0,98

Na Premier League:
2007/08 e 2008/09
Total de Jogos:67
Golos marcados: 49
Golos de penalty: 4+4
Golos de livre:??? (provavelmente foram mais do que 6)
Golos de cabeça:5+2
nº de golos por jogo:0,73

Dá uma olhadela neste números e reflecte:
Se o teu argumento é penaltys então esquece, estás equivocado.
Se o teu argumento é livres, é muito provável que estejas equivocado.
Se o teu argumento é que marcava mais em Inglaterra, em "bola corrida", aconselho-te a reveres a tua ideia. Mesmo não tendo números relativos a esse efeito, pelo número de golos que ele tem é muito pouco provável.
Como vês o Ronaldo continua a marcar golos do mesmo tipo, que fazia em Manchester, apesar das diferenças evidentes entre os 2 tipos de campeonatos.

Não sei o que vais escrever sobre ele no futuro, mas a sua capacidade goleadora permanece intocável, e quanto a isso, não há estatística que te valha.

Cumps e continuação de bons posts

João Pinto disse...

AHAHAH ficaste irritadito foi? que complexado, es o maior atras do teclado. engraçado que já nao te via desde o início da época, o que achaste dos 5-0? foi o arbitro nao foi? se marcasse aquela mao do salvio na area chegava aos 6 la nisso dou te a abebia.

Nuno disse...

Pedro diz: "Passas a vida a desvirtuar estatíscas e a acha-las insignificantes e depois, quando te dá jeito utiliza-as para justificar argumentos, Boa!"

Pedro, não sei se tens cabeça, se gostas apenas de dizer parvoíces. De qualquer modo, vou voltar a referir o meu argumento contra as estatísticas e talvez percebas o disparate que disseste: eu acho que as estatísticas podem ser importantes para perceber tendências, mas nunca para aferir o rendimento qualitativo de um jogador. Ou seja, neste caso, ninguém está a falar da qualidade do Ronaldo, mas do número de golos que ele marcou. A discussão pressuponha algo contável, logo a estatística aqui é uma ferramenta válida. Se não percebes a diferença, o problema é teu, não meu.

Sobre os teus números, seria primeiro importante saber qual a fonte utilizada. Depois, seria importante não misturar coisas. A referência à época do Ronaldo é àquela época em que marcou quarenta e tal golos, a de 2007/2008. Foi a sua penúltima época no Manchester. Não mistures duas épocas, porque isso vai modificar as contas. O que eu sugeri, na altura, foi que os números que ele obteve nessa época dificilmente seriam obtidos noutro campeonato.

Por isso, se há comparação a fazer, é com esta época, 2010/2011, porque está a ser extraordinária. E o que eu disse é que, estando de facto a ser extraordinária esta época, há que ver que o Ronaldo marca mais golos de penalty, de livre e na sequência de bolas paradas (seja de cabeça ou não) do que na altura. Por exemplo, se os teus números estiverem certos, vamos a meio da época e já tem tantos golos de penalty quantos obteve nessa época inteira em Manchester. Sobre os livres, não posso precisar, mas tenho ideia que se começou a especializar nesse ano soberbo, mas que só no ano seguinte é que marcou muitos golos de livre. De qualquer modo, admito que ele melhorou bastante as suas qualidades, e admito também que o campeonato espanhol não está tão tacticamente evoluído quanto o achava naquela altura. A sugestão implica uma distinção entre campeonatos que, a meu ver, se esbateu nos últimos anos. Nesse sentido, o campeonato espanhol é agora muito mais parecido com o inglês, com muitas equipas a jogar em 442 clássico, por exemplo, e com muitas equipas tacticamente irresponsáveis, do que com o italiano. E nesse sentido, lá está, as características do Ronaldo permitem-lhe atingir números semelhantes num e noutro campeonato. Há 4 anos, as coisas não eram bem assim e havia maior competitividade em Espanha do que há agora.

João Pinto, não entendi.

João Pinto disse...

Nao era para ti, era para o triste do ministro.
MAs oh Nuno o Liedson ja marcou 2 na estreia pelo Corinthians. Ja deves ter visto os golos, e realmente... LOL o homem parece que atrai a bola, nasceu mesmo com o cu virado para a lua. No sitio certo a hora certa, isso nao podes negar.

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
DUX_XXI disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Pedro disse...

Nuno:
Em 1º lugar acredita que percebo bem a diferença...

Misturei as duas épocas para avaliar tendencias. Tendencias que indicam que o Ronaldo não só marca o memso tipo de golos que marcava em manchester, como marca mais. Acho que sobre isto estamos conversados.

Não estou aqui para entrar em conflito contigo apenas pretendo chamar-te à razão para o facto de poderes estar equivocado em relação a algumas afirmações que utilizas por exemplo:
"Em Inglaterra, naquele ano espectacular, o Ronaldo marcou quarenta e tal golos, mas não marcou nem metade dos golos de penalty ou bola parada que marca agora"
Não achas esta afirmação um absurdo? Uma falácia completa?
Acredito que utilizaste este argumento como 'uma força de expressão' mas que é pouco verossímil não há a menor dúvida.

Depois afirmas coisas do tipo "Por isso, se há comparação a fazer, é com esta época, 2010/2011, porque está a ser extraordinária." Quando o que interessa perceber, fundamentalmente, é se o ronaldo continua a ser capaz de marcar golos como fazia em manchester, daí, mais uma vez, ter misturado duas épocas.

Mas vamos fazer então as coisas à tua maneira:

Manchester
2007/2008 (à 22ª jornada)

nº de jogos realizados:18
nº de golos:16
nº de golos por jogo:0,88
golos de penalty: 2
%de golos de penalty:12,5%
golos de cabeça: 3
%de golos de cabeça: 18,75%

Real Madrid
2010/2011(à 22ª jornada)

nº de jogos realizados:22
nº de golos:24
nº de golos por jogo:1,09
golos de penalty: 5
%de golos de penalty:20,8%
golos de cabeça: 3
%de golos de cabeça: 12,5%

Como vês os números demonstram que ronaldo é um avançado letal, independentemente do campeonato onde joga. Quanto aos penaltys aqui as estatísticas dão-te razão (mas apenas na comparação entre estas duas épocas especificas).
Quanto aos livres estás completamente equivocado. Apesar de não ter números concretos, basta ir ao youtube para ver a quantidade de livres directos que marcou em 2007/2008, aliás, no final da época 2006/2007 ele já era um especialista.

Isto tudo só pa tentares perceber, que não deves fazer afirmações de todo tipo tendo como único argumento a tua observação e precepção dos jogos e dos seus intervenientes.

P.S - Quanto aos dados estatísticos, basta pesquisares um pouco pela web: premierleague.com, marca.com, zerozero, Futebol365 ou mesmo na wiki.

Nuno disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nuno disse...

Pedro diz: "Não achas esta afirmação um absurdo? Uma falácia completa?"

Não. Ele marcou os mesmos golos de penalty nessa época que em metade desta. E sobre os lances de bola parada, incluindo livres e respostas a cantos, não sei se não dará o mesmo, ou seja, o dobro. Ou seja, não era exagero. Sobre os livres directos, ele não se especializou do dia para a noite. No final dessa época, ainda não era especialista. Marcou golos de livre, mas não com a frequência com que o começou a fazer depois. Sobre as bolas de cabeça, eu estou a falar de respostas a lances de bola parada de todo o tipo.

Em relação aos dados estatísticos, perguntei porque nem em todos esses sítios vem descriminado os tipos de golos. Por exemplo, no zerozero não vem. Daí ter perguntado, porque o argumento se baseia na quantidade de penalties, livres e golos de cabeça.

Pedro disse...

Nuno, uma "armadilha" :) :

Acabaste de dizer que o futebol espanhol não está, neste momento, tão evoluído tacticamente. Não será tb isso uma razão para o sucesso do Barça que mantêm uma qualidade táctica excelente apesar do decréscimo dos seus rivais?

Extrapolando, seria este Barça capaz dos mesmos resultados em Itália, por exemplo? Ou mesmo na Liga Espanhola que antes consideravas evoluída tacticamente?

Pedro disse...

Nuno:

Sem querer complicar muito:
20,8% não é mais do dobro que 12,5% e ainda dizes tu que qualquer tolo sabe interpretar estatísticas.
É verdade que marcou mais do dobro dos penaltys (5 para 2), mas não é verdade que mais do dobro dos golos foram obtidos de penalty, percebes a diferença? ou não queres mesmo entender? E estamos a falar de duas épocas especificas, o que interessa mesmo é avaliar tendências ou achas que não?



Quanto aos livres apenas marcou 3 este ano..menos de metade significa 1 livre marcado apenas em 2007/2008 á 22ª jornada (que acho quase impossivel).E isto em termos absolutos, o que significa muito pouco, para aquilo que tentas provar.

Estando conversados, um abraço e continuação de bons posts

Nuno disse...

Pedro diz: "Acabaste de dizer que o futebol espanhol não está, neste momento, tão evoluído tacticamente. Não será tb isso uma razão para o sucesso do Barça que mantêm uma qualidade táctica excelente apesar do decréscimo dos seus rivais?"

Pedro, o Barça continuaria a ter sucesso, embora fosse naturalmente mais difícil perder tão poucos pontos. Mas parece-me que isso afectaria muito mais o Real Madrid, por exemplo. Ou seja, embora o Barça não conseguisse tantas goleadas e não conseguisse tantas vitórias, a diferença pontual para o Real seria ainda maior. Em relação a Itália, sim, embora a supremacia não fosse tão gritante.

Outro Pedro diz: "20,8% não é mais do dobro que 12,5% e ainda dizes tu que qualquer tolo sabe interpretar estatísticas.
É verdade que marcou mais do dobro dos penaltys (5 para 2), mas não é verdade que mais do dobro dos golos foram obtidos de penalty, percebes a diferença? ou não queres mesmo entender? "

Pedro, se há aqui alguém que não sabe interpretar alguma coisa, és tu. E aquilo que não sabes interpretar é uma frase em português. O que eu disse foi que "o Ronaldo marcou quarenta e tal golos, mas não marcou nem metade dos golos de penalty ou bola parada que marca agora". Ou seja, o que eu disse foi que agora marca mais do dobro de golos de penalty, livre directo ou sequência de bola parada. Não disse isto em relação à totalidade de golos que marca. Ou seja, se antes marcou 7 golos desse modo, imaginemos, agora está a marcar mais de 14. Não sei, sinceramente, qual é a tua dúvida em relação a isto. Por outras palavras, não disse que dobrou a percentagem de golos obtidos dessa forma, mas sim que que dobrou os golos obtidos dessa forma. Quem falou em percentagens foste tu. Está mais claro agora? E isso faz com que as contas tenham de ser bem vistas. Resumindo, o Ronaldo pode até vir a marcar mais golos esta época do que nessa de 2007/2008, mas terá uma percentagem maior desses golos obtidos dessas três formas que referi. Isto significa que, excluindo esses lances, se calhar não marcará tantos como os que marcou nessa época.

Mas, fazendo uma ressalva final, nada disto significa que eu não ache que ele esteja a fazer uma época tão ou mais brilhante do que essa. Sinceramente, acho que está.

Bruno Pinto disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
El Mariachi disse...

nuno, faço-te uma pergunta:

o que achavas do henrik larsson?

Nuno disse...

O Larsson foi um avançado de nível médio. Numa fase final da sua carreira, com a experiência que adquiriu, melhorou muitas coisas, sabendo gerir as suas acções com maior qualidade. Mas quando começou a ser falado, pela quantidade absurda de golos que marcava na Escócia, era ainda um avançado de pouca categoria para um clube de top. Servia para o Celtic, mas não servia para um clube com aspirações maiores. Quando esteve em Barcelona e em Manchester, já era um jogador diferente, mais adulto. E mesmo assim não era um avançado de valia indiscutível para esses clubes. A comparação com o Liedson é até possível, embora o Larsson não fosse tão fraco como o brasileiro longe da baliza.

Miguel disse...

Ainda na sequência da "desmistificação" de jogadores sobrevalorizados, como é, na tua opinião, o caso do Liedson. Quem são, para ti, os jogadores mais sobrevalorizados do futebol actual? Isto é, aqueles que estando em grandes equipas e sendo bons jogadores, não são os craques que se pintam? Dou-te um mote: Pepe.
Cumprimentos

Miguel disse...

A pergunta dirige-se ao Nuno, naturalmente.

Nuno disse...

Bom, o Pepe é, para mim, um caso evidente. Podia falar do David Luiz, também. Mas há tantos. Defesas centrais: o Lúcio, o Vidic, o Bruno Alves. Médios: o Mascherano, o De Jong. Extremos: o Di Maria, o Hulk, o Navas. Avançados: o Suarez, o Dzeko. E haveria certamente muitos mais.

Miguel disse...

Interessante opinião. Já sei que preferes jogadores cerebrais em detrimento de impulsivos e físicos. Já agora o que achas das contratações para o ataque do Liverpool?Suarez já sei, mas 40 mihões pelo Carroll não te pareceram demais?
Já agora - penso que nunca falaste dele no teu blog - o Bergkamp não foi, para ti, um jogador genial? Para mim é, a par do Del Piero e Zidane um dos jogadores com mais classe que vi jogar (anos 90 e anos 00).
Cumprimentos

PB disse...

Sobre o Vidic, algo que acabei de saber hoje.

Diz o Nani que o Bebé dá grandes nós cegos no gajo só que depois é so´ mandar chutos disparatados para a bancada e os ingleses já nem o podem ver à frente hehe

Nuno disse...

Miguel, não conheço muito bem o Carroll, mas o preço, de facto, parece excessivo. O Bergkamp, claro, foi notável. Já aqui foi falado, certamente, pelo menos em discussão.

António Gaio disse...

Nuno,já estamos fartos;
mês após mês sempre as mesmas desculpas;
às vezes nem atendes,
por isso decidimos por isto em público: PAGA O QUE DEVES, Ó NUNO!
já lá vão 3 anos

Nuno disse...

Este blogue não podia ter atingido melhor estatuto. Agora até já fiscais de cobranças visitam este espaço. E não são fiscais de cobranças quaisquer. São fiscais de cobranças poetas, que deixam recados em verso. Que categoria!

César disse...
Este comentário foi removido pelo autor.